quinta-feira, outubro 21, 2021

Gripen para o Brasil

F-X2: guerra nos bastidores

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A briga de foice das três concorrentes ao fornecimento de 36 novos aviões de combate à Força aérea Brasileira entrou numa nova etapa, em que todos tiram suas cartas da manga. Delegações visitam o Brasil desde a semana passada, e os americanos levaram a questão para o encontro de hoje entre os presidentes Barack Obama e Luiz Inácio Lula da Silva.

O negócio é estimado em US$ 2 bilhões, mais o mesmo valor em compensações tecnológicas e comerciais (offset), fora a promessa de uma parceria de mais de 30 anos. Nos bastidores, contudo, o temor de que a crise e o antagonismo entre Ministério da Defesa e FAB cancelem a disputa dá o tom.

A FAB começou a ouvir os finalistas, pedindo explicações adicionais à resposta dada por eles ao RFP (solicitação de proposta, na sigla inglesa) do chamado projeto F-X2. Além de esclarecer dúvidas estritamente militares, a FAB pediu mais detalhes sobre o offset. Todos os concorrentes já assinaram memorandos com as principais empresas aeronáuticas brasileiras sobre formas de capacitá-las. Para a Embraer, sob pressão devido à demissão de 20% de seu quadro, tais ganhos podem ser mais significativos.

A americana Boeing foi a primeira a desembarcar, com seu presidente para a área de Defesa, Jim Albaugh, e 22 empresários ligados ao seu produto, o F-18. Albaugh afirmou à Folha que iria “garantir” ao governo que não haveria vetos de transferência tecnológica, embora concorde que seja impossível garantir eternamente, já que o Congresso e a Presidência dos EUA podem mudar de ideia.

“Não tivemos problemas nos acordos no passado, não teremos aqui.” Os argumentos da Boeing para rebater o temor político passam por um histórico de US$ 29 bilhões de contratos de offset com 38 países.

Mas a carta principal não foi jogada no Brasil. O Departamento de Estado foi informado sobre detalhes da proposta da Boeing para que o tema fosse abordado no encontro de hoje -não necessariamente por Obama, mas por seu time.

Os suecos da Saab apresentaram nesta semana os detalhes requeridos pela FAB sobre o seu Gripen, e apostam no que consideram ser o maior trunfo: o fato de a versão oferecida ser um avião em desenvolvimento, o que em tese permite maior participação nacional.

Semana que vem é a vez dos até aqui favoritos, os franceses da Dassault, com o Rafale. Levarão 42 empresários para visitas à comissão que cuida do F-X2, em São José dos Campos (SP). Na semana passada, foram quase 200 encontros entre empresários franceses e brasileiros na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), para acentuar a ideia do F-X2 como um negócio que ultrapassa o caça em si. “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”, disse Jean-Marc Merialdo, diretor da Dassault no Brasil.

Nos contatos extraoficiais, contudo, a preocupação maior é com o destino político do F-X2. A declaração do ministro Nelson Jobim (Defesa) de que aceitaria examinar propostas de concorrentes eliminados pela FAB em etapa posterior à seleção até agora não foi digerida por alguns oficiais. A Defesa, porém, disse que nada muda.

Ao receber jornalistas brasileiros em Estocolmo, o presidente da Saab, Ake Svensson, foi questionado pela Folha sobre isso. “Seria injusto mudar as regras.” Com tudo isso e sob a sombra da incerteza da crise, as cartas parecem embaralhadas. A novela, iniciada em 2001, ainda terá vários capítulos.

FONTE: Folha de São Paulo

- Advertisement -

46 Comments

Subscribe
Notify of
guest
46 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tiago Jeronimo

Sem contar que Lula foi o primeiro presidente que Obama recebeu, isso mostra a vontade de aproimação com o Brasil.

Wolfpack

Oportunidade de ouro para o Brasil e não sei se nosso presidente está a altura desta missão em época tão delicada. O MD e FAB ficam batendo cabeça e podem ficar chupando o dedo se acertarem com a Boieng e daqui dois anos o congresso americano vetar qqquer transferência de tecnologia e armas ao Brasil, afinal Lula e Chaves e Evo vivem trocado abraços por ai. A Embraer têm que ficar quietinha depois de demitir 4.000 funcionários. Ninguém demite 4.000 funcionários se não existe uma má administração por trás. O Gerenciamento de quadros da Embraer é de chorar, e olhe… Read more »

DORNIER

O BRASIL SO PERDE TEMPO COM OS CONTOS DE FADA DA Boieng
E MUITA INLUSAO PENSA QUE OS YANKES VAO TRANSFERI TECNOLOGIA
ACORDA BRASIL

Patriota

Em uma licitação seria se leva em conta dados tecnicos como: logistica e preço etc.

Se a decisão for politica seria uma grande injustiça com os demais
concorrentes pois os EUA teriam grande vantagem e o Brasil estaria demonstrando mais uma vez que não é um país serio eu acho que o FX2 deichou de ser uma licitação ha muito tempo

Nelson Lima

Pelo contrário, acho que tecnicamente os norte-americanos levam vantagem e os franceses levam vantagem politicamente.

Jorge

Se sobrar alguma decência ao Sr. Lula (nefasto II), pois em esperteza ele é PhD, o FX-2 vai vingar, para o bem do Brasil.

O problema é como ele “detonou” com o FX-1. Esse é o meu pesadelo. Ele achar uma nova desculpa esfarrapada, mas que atenda o seu grande e infelizmente manipulado eleitorado.

Além de sempre falar mais alto ao seu “coração”, os seus compromissos ideológicos marxistas-leninistas-trotkistas-stalinistas-maoístas-chavistas-castristas-guevaristas-etc. Todos apátridas e internacionalistas.

Vamos aguardar.

Lecen

Torço pelo F-18.

Não por questões técnicas, mas por que uma parceria com a única superpotência mundial só poderia nos trazer benefícios.

Fica a pergunta sobre o que aconteceu com o Su-35.

Alguém poderia me responder o que aconteceu com a parceria muito alardeada pelo Mangabera Unger sobre a participação do Brasil na PAK-Fa? E por que diabos ele silenciou sobre o assunto se afirmou várias vezes que havia inclusive assinado acordos de cooperação no começo de 2008?

joao terba

A balança comercial é que vai decidir,os EUA são os maiores compradores,veja o caso da EMBRAER,45% vão para os EUA.um abraço.

celio andrade

Poderiamos comprar os hornets para o FX-2 e comprar algumas unidades do rafale pra defesa da amazonia…seria show de bola…

Hornet

Briga de foice é um termo correto…e eu acrescentaria: no escuro…hehehe

Briga de foice no escuro.

apesar de tudo, de todos os lobbies e de todas as pressões de bastidores, ainda vejo o Rafale como a melhor opção. O motivo está aqui, nas palavras do diretor da Dassault: “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”…

Por enquanto, ainda vejo o Rafale como favorito e como melhor opção para o Brasil.

abraços a todos

Wolfpack

Todos sabem que sempre fui denfensor do caça francês na disputa do FX2, e o super Hornet trazendo sempre a esperança de uma parceria militar com os Estados Unidos, mas a proposta mais realista para o Brasil é o SAAB Gripen NG. É a que está com os pés no chão e o texto abaixo demosntra isso. Além do mais pra perseguir um Tupi e ainda deixá-lo ser jogado em um Shopping Center o Gripen NG é mais que suficiente. Futuro de caça sueco depende de parcerias DO ENVIADO À SUÉCIA A Suécia aposta no marketing de inovação tecnológica e… Read more »

Melk

Amigos, o nosso companheiro do blog Baschera, levantou a lebre sobre uma noticia no site DefenseNews, de que existem estudos por parte dos americanos para a utilização do Super Tucano, e realmente esta lá no site Defensenews a noticia sobre um projeto da Naval Air Systems Command e da Marinha americana, para a utilização do Super Tucano em guerra irregular, agora cá pra nós, os americanos são craques em fazer negocios ein, justamente neste exato momento de definição do FX2, “sai´´ ou melhor “vaza´´ uma noticia destas, sem contar que hoje o Presidente Lula esta “lá´´, que coicidencia ein…rsss, rapazz..

Vassili Zaitsev

Ainda acho o valor destinado ao FX-2 como sendo insuficiente. Não dá para comprar 36 unidades, não importa qual seja o escolhido.

Acho, que dá para comprar 24 unidades, mais do que isso fica difícil. E o contrato de treinamento, o armamento, a logística, o estoque de peças sobressalentes extremamente necessário. Se formos pensar em tudo isso, o valor sobe muito mais.

abraços.

Paulo Subtil

Jorge,

Acho que nem Lenin , ou Mao , ou Trotsky etc, teriam um Meirelles no Banco Central.

Menos…

Espero que a decisão seja o mais tecnica possível,

Quem dera pudessemos ter um Hi-lo , SH + Rafale,

aí sim ideal, mas a grana pesa.

RLobo

O nosso amigo Wolfpack mostra sua visão equivocada no seu post de 14 mar, 2009 às 11:21. Tenho que sair um pouco do tema mas é necessário! Qual era a visão estatizante? que tudo que era estatal não prestava! Afinal de contas, a iniciativa privada é ou não é eficiente? Nesta crise esta provado que não era, visto que o chamado estado minimo tanto clamado por muitos neo-liberais é quem está salvando o capitalismo de um debacle que está querendo arrastar todos nós. Quanto ao melhor caça, continuo achando que o Super Hornet é o que melhor atende as necessidade… Read more »

catraca

Tirando o fato que vários missivistas não perdem a oportunidade de “elogiar” o Senhor Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, muitas das vezes por não ter o que falar. Gostaria de na qualidade de leigo total, perguntar aos PHDs em aviões de caça disponíveis no BLOG com especialização nas Boeing e Dassault da vida, e que teimam em perder tempo desmerecendo um pobre país latino americano, como se daria estas transferências de tecnologia tanto mencionada, seria ítem por ítem , ou somente sobre a estrutura e montagem da aeronave ?? Se for ítem por ítem e levando em… Read more »

Roberto CR

Hornet

Acho que está é a frase da matéria e do processo de escolha do novo caça. A Dassault jogou pesado, num jogo já bastante quente, com essa declaração. Seria interessante alguma agência de notícias do Brasil tentar repercutir esta frase junto aos outros concorrentes para registrar a reação.

Quanto as declarações de Mangabeira e Jobim, acho que só tem uma explicação: falaram demais, pra variar. Os dois não resistem a um microfone.

Abraços

Paulo Renato

Como já vinha dizendo em outros comentários vai dar Gripen Ng na cabeça. Saindo disso pode levar o SH, mas o ripen conta com seu baixo custo operacional, isso pesa muito para os políticos, como se sabe a decisão final vai ser deles. O lobby americano está muito forte em cima do governo, sinceramente como tb já tinha falado não acho bom nenhuma acordo com os americanos que sempre vetam a aquisição dos armamentos e não vai ser diferene com o nosso País. Já vetaram as vendas do Super Tucano isso já mostra o poder deles sobre outras nações. Gripen… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
No caso de vencer o sh 18 o presidente deveria como condição de declarar vencedor a boeing que o governo norte americano complete o sivam caso negativo (NAO CREIO) mude aos pouco para a thales
nos proximos 20 anos
Nao e facil

RJ

Deixa quieto o SIVAM que em breve nós completaremos o bicho com tecnologia 100% nacional.

[…] brasileiros. O Super Hornet está em serviço com a Marinha dos Estados Unidos, tem encomendas da Força Aérea Australiana e participa de concorrências na Dinamarca, Grécia e Índia, além do […]

[…] da compra da sueca Saab, responsável pelos caças Gripen, que estão na concorrência para o projeto FX-2 (sic), da Força Aérea Brasileira. O presidente da Embraer, Frederico Curado, ainda está com um […]

Éder Costa

O povo ficou maluco???
Tenho certeza que o Brasil (Com o LULA) comprará os 36 caças Franceses da Dassault RAFALE bourget 2009 , com transferência de tecnologia. Deixando todos os americanos(idiotas) chupando os dedos, rsrss…

Tiago Jeronimo

Sem contar que Lula foi o primeiro presidente que Obama recebeu, isso mostra a vontade de aproimação com o Brasil.

Wolfpack

Oportunidade de ouro para o Brasil e não sei se nosso presidente está a altura desta missão em época tão delicada. O MD e FAB ficam batendo cabeça e podem ficar chupando o dedo se acertarem com a Boieng e daqui dois anos o congresso americano vetar qqquer transferência de tecnologia e armas ao Brasil, afinal Lula e Chaves e Evo vivem trocado abraços por ai. A Embraer têm que ficar quietinha depois de demitir 4.000 funcionários. Ninguém demite 4.000 funcionários se não existe uma má administração por trás. O Gerenciamento de quadros da Embraer é de chorar, e olhe… Read more »

DORNIER

O BRASIL SO PERDE TEMPO COM OS CONTOS DE FADA DA Boieng
E MUITA INLUSAO PENSA QUE OS YANKES VAO TRANSFERI TECNOLOGIA
ACORDA BRASIL

Patriota

Em uma licitação seria se leva em conta dados tecnicos como: logistica e preço etc.

Se a decisão for politica seria uma grande injustiça com os demais
concorrentes pois os EUA teriam grande vantagem e o Brasil estaria demonstrando mais uma vez que não é um país serio eu acho que o FX2 deichou de ser uma licitação ha muito tempo

Nelson Lima

Pelo contrário, acho que tecnicamente os norte-americanos levam vantagem e os franceses levam vantagem politicamente.

Jorge

Se sobrar alguma decência ao Sr. Lula (nefasto II), pois em esperteza ele é PhD, o FX-2 vai vingar, para o bem do Brasil.

O problema é como ele “detonou” com o FX-1. Esse é o meu pesadelo. Ele achar uma nova desculpa esfarrapada, mas que atenda o seu grande e infelizmente manipulado eleitorado.

Além de sempre falar mais alto ao seu “coração”, os seus compromissos ideológicos marxistas-leninistas-trotkistas-stalinistas-maoístas-chavistas-castristas-guevaristas-etc. Todos apátridas e internacionalistas.

Vamos aguardar.

Lecen

Torço pelo F-18.

Não por questões técnicas, mas por que uma parceria com a única superpotência mundial só poderia nos trazer benefícios.

Fica a pergunta sobre o que aconteceu com o Su-35.

Alguém poderia me responder o que aconteceu com a parceria muito alardeada pelo Mangabera Unger sobre a participação do Brasil na PAK-Fa? E por que diabos ele silenciou sobre o assunto se afirmou várias vezes que havia inclusive assinado acordos de cooperação no começo de 2008?

joao terba

A balança comercial é que vai decidir,os EUA são os maiores compradores,veja o caso da EMBRAER,45% vão para os EUA.um abraço.

celio andrade

Poderiamos comprar os hornets para o FX-2 e comprar algumas unidades do rafale pra defesa da amazonia…seria show de bola…

Hornet

Briga de foice é um termo correto…e eu acrescentaria: no escuro…hehehe

Briga de foice no escuro.

apesar de tudo, de todos os lobbies e de todas as pressões de bastidores, ainda vejo o Rafale como a melhor opção. O motivo está aqui, nas palavras do diretor da Dassault: “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”…

Por enquanto, ainda vejo o Rafale como favorito e como melhor opção para o Brasil.

abraços a todos

Wolfpack

Todos sabem que sempre fui denfensor do caça francês na disputa do FX2, e o super Hornet trazendo sempre a esperança de uma parceria militar com os Estados Unidos, mas a proposta mais realista para o Brasil é o SAAB Gripen NG. É a que está com os pés no chão e o texto abaixo demosntra isso. Além do mais pra perseguir um Tupi e ainda deixá-lo ser jogado em um Shopping Center o Gripen NG é mais que suficiente. Futuro de caça sueco depende de parcerias DO ENVIADO À SUÉCIA A Suécia aposta no marketing de inovação tecnológica e… Read more »

Melk

Amigos, o nosso companheiro do blog Baschera, levantou a lebre sobre uma noticia no site DefenseNews, de que existem estudos por parte dos americanos para a utilização do Super Tucano, e realmente esta lá no site Defensenews a noticia sobre um projeto da Naval Air Systems Command e da Marinha americana, para a utilização do Super Tucano em guerra irregular, agora cá pra nós, os americanos são craques em fazer negocios ein, justamente neste exato momento de definição do FX2, “sai´´ ou melhor “vaza´´ uma noticia destas, sem contar que hoje o Presidente Lula esta “lá´´, que coicidencia ein…rsss, rapazz..

Vassili Zaitsev

Ainda acho o valor destinado ao FX-2 como sendo insuficiente. Não dá para comprar 36 unidades, não importa qual seja o escolhido.

Acho, que dá para comprar 24 unidades, mais do que isso fica difícil. E o contrato de treinamento, o armamento, a logística, o estoque de peças sobressalentes extremamente necessário. Se formos pensar em tudo isso, o valor sobe muito mais.

abraços.

Paulo Subtil

Jorge,

Acho que nem Lenin , ou Mao , ou Trotsky etc, teriam um Meirelles no Banco Central.

Menos…

Espero que a decisão seja o mais tecnica possível,

Quem dera pudessemos ter um Hi-lo , SH + Rafale,

aí sim ideal, mas a grana pesa.

RLobo

O nosso amigo Wolfpack mostra sua visão equivocada no seu post de 14 mar, 2009 às 11:21. Tenho que sair um pouco do tema mas é necessário! Qual era a visão estatizante? que tudo que era estatal não prestava! Afinal de contas, a iniciativa privada é ou não é eficiente? Nesta crise esta provado que não era, visto que o chamado estado minimo tanto clamado por muitos neo-liberais é quem está salvando o capitalismo de um debacle que está querendo arrastar todos nós. Quanto ao melhor caça, continuo achando que o Super Hornet é o que melhor atende as necessidade… Read more »

catraca

Tirando o fato que vários missivistas não perdem a oportunidade de “elogiar” o Senhor Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, muitas das vezes por não ter o que falar. Gostaria de na qualidade de leigo total, perguntar aos PHDs em aviões de caça disponíveis no BLOG com especialização nas Boeing e Dassault da vida, e que teimam em perder tempo desmerecendo um pobre país latino americano, como se daria estas transferências de tecnologia tanto mencionada, seria ítem por ítem , ou somente sobre a estrutura e montagem da aeronave ?? Se for ítem por ítem e levando em… Read more »

Roberto CR

Hornet

Acho que está é a frase da matéria e do processo de escolha do novo caça. A Dassault jogou pesado, num jogo já bastante quente, com essa declaração. Seria interessante alguma agência de notícias do Brasil tentar repercutir esta frase junto aos outros concorrentes para registrar a reação.

Quanto as declarações de Mangabeira e Jobim, acho que só tem uma explicação: falaram demais, pra variar. Os dois não resistem a um microfone.

Abraços

Paulo Renato

Como já vinha dizendo em outros comentários vai dar Gripen Ng na cabeça. Saindo disso pode levar o SH, mas o ripen conta com seu baixo custo operacional, isso pesa muito para os políticos, como se sabe a decisão final vai ser deles. O lobby americano está muito forte em cima do governo, sinceramente como tb já tinha falado não acho bom nenhuma acordo com os americanos que sempre vetam a aquisição dos armamentos e não vai ser diferene com o nosso País. Já vetaram as vendas do Super Tucano isso já mostra o poder deles sobre outras nações. Gripen… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
No caso de vencer o sh 18 o presidente deveria como condição de declarar vencedor a boeing que o governo norte americano complete o sivam caso negativo (NAO CREIO) mude aos pouco para a thales
nos proximos 20 anos
Nao e facil

RJ

Deixa quieto o SIVAM que em breve nós completaremos o bicho com tecnologia 100% nacional.

[…] brasileiros. O Super Hornet está em serviço com a Marinha dos Estados Unidos, tem encomendas da Força Aérea Australiana e participa de concorrências na Dinamarca, Grécia e Índia, além do […]

[…] da compra da sueca Saab, responsável pelos caças Gripen, que estão na concorrência para o projeto FX-2 (sic), da Força Aérea Brasileira. O presidente da Embraer, Frederico Curado, ainda está com um […]

Éder Costa

O povo ficou maluco???
Tenho certeza que o Brasil (Com o LULA) comprará os 36 caças Franceses da Dassault RAFALE bourget 2009 , com transferência de tecnologia. Deixando todos os americanos(idiotas) chupando os dedos, rsrss…

Últimas Notícias

Acompanhe a estreia do 1º episódio da websérie Colaboração Real 4 no YouTube

Em 21 de outubro, às 11h, estreia o primeiro episódio da quarta temporada da websérie Colaboração Real no canal...
- Advertisement -
- Advertisement -