Home Noticiário Internacional F-X2: guerra nos bastidores

F-X2: guerra nos bastidores

99
46

A briga de foice das três concorrentes ao fornecimento de 36 novos aviões de combate à Força aérea Brasileira entrou numa nova etapa, em que todos tiram suas cartas da manga. Delegações visitam o Brasil desde a semana passada, e os americanos levaram a questão para o encontro de hoje entre os presidentes Barack Obama e Luiz Inácio Lula da Silva.

O negócio é estimado em US$ 2 bilhões, mais o mesmo valor em compensações tecnológicas e comerciais (offset), fora a promessa de uma parceria de mais de 30 anos. Nos bastidores, contudo, o temor de que a crise e o antagonismo entre Ministério da Defesa e FAB cancelem a disputa dá o tom.

A FAB começou a ouvir os finalistas, pedindo explicações adicionais à resposta dada por eles ao RFP (solicitação de proposta, na sigla inglesa) do chamado projeto F-X2. Além de esclarecer dúvidas estritamente militares, a FAB pediu mais detalhes sobre o offset. Todos os concorrentes já assinaram memorandos com as principais empresas aeronáuticas brasileiras sobre formas de capacitá-las. Para a Embraer, sob pressão devido à demissão de 20% de seu quadro, tais ganhos podem ser mais significativos.

A americana Boeing foi a primeira a desembarcar, com seu presidente para a área de Defesa, Jim Albaugh, e 22 empresários ligados ao seu produto, o F-18. Albaugh afirmou à Folha que iria “garantir” ao governo que não haveria vetos de transferência tecnológica, embora concorde que seja impossível garantir eternamente, já que o Congresso e a Presidência dos EUA podem mudar de ideia.

“Não tivemos problemas nos acordos no passado, não teremos aqui.” Os argumentos da Boeing para rebater o temor político passam por um histórico de US$ 29 bilhões de contratos de offset com 38 países.

Mas a carta principal não foi jogada no Brasil. O Departamento de Estado foi informado sobre detalhes da proposta da Boeing para que o tema fosse abordado no encontro de hoje -não necessariamente por Obama, mas por seu time.

Os suecos da Saab apresentaram nesta semana os detalhes requeridos pela FAB sobre o seu Gripen, e apostam no que consideram ser o maior trunfo: o fato de a versão oferecida ser um avião em desenvolvimento, o que em tese permite maior participação nacional.

Semana que vem é a vez dos até aqui favoritos, os franceses da Dassault, com o Rafale. Levarão 42 empresários para visitas à comissão que cuida do F-X2, em São José dos Campos (SP). Na semana passada, foram quase 200 encontros entre empresários franceses e brasileiros na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), para acentuar a ideia do F-X2 como um negócio que ultrapassa o caça em si. “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”, disse Jean-Marc Merialdo, diretor da Dassault no Brasil.

Nos contatos extraoficiais, contudo, a preocupação maior é com o destino político do F-X2. A declaração do ministro Nelson Jobim (Defesa) de que aceitaria examinar propostas de concorrentes eliminados pela FAB em etapa posterior à seleção até agora não foi digerida por alguns oficiais. A Defesa, porém, disse que nada muda.

Ao receber jornalistas brasileiros em Estocolmo, o presidente da Saab, Ake Svensson, foi questionado pela Folha sobre isso. “Seria injusto mudar as regras.” Com tudo isso e sob a sombra da incerteza da crise, as cartas parecem embaralhadas. A novela, iniciada em 2001, ainda terá vários capítulos.

FONTE: Folha de São Paulo

Subscribe
Notify of
guest
46 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tiago Jeronimo
Tiago Jeronimo
11 anos atrás

Sem contar que Lula foi o primeiro presidente que Obama recebeu, isso mostra a vontade de aproimação com o Brasil.

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Oportunidade de ouro para o Brasil e não sei se nosso presidente está a altura desta missão em época tão delicada. O MD e FAB ficam batendo cabeça e podem ficar chupando o dedo se acertarem com a Boieng e daqui dois anos o congresso americano vetar qqquer transferência de tecnologia e armas ao Brasil, afinal Lula e Chaves e Evo vivem trocado abraços por ai. A Embraer têm que ficar quietinha depois de demitir 4.000 funcionários. Ninguém demite 4.000 funcionários se não existe uma má administração por trás. O Gerenciamento de quadros da Embraer é de chorar, e olhe… Read more »

DORNIER
DORNIER
11 anos atrás

O BRASIL SO PERDE TEMPO COM OS CONTOS DE FADA DA Boieng
E MUITA INLUSAO PENSA QUE OS YANKES VAO TRANSFERI TECNOLOGIA
ACORDA BRASIL

Patriota
Patriota
11 anos atrás

Em uma licitação seria se leva em conta dados tecnicos como: logistica e preço etc.

Se a decisão for politica seria uma grande injustiça com os demais
concorrentes pois os EUA teriam grande vantagem e o Brasil estaria demonstrando mais uma vez que não é um país serio eu acho que o FX2 deichou de ser uma licitação ha muito tempo

Nelson Lima
Nelson Lima
11 anos atrás

Pelo contrário, acho que tecnicamente os norte-americanos levam vantagem e os franceses levam vantagem politicamente.

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Se sobrar alguma decência ao Sr. Lula (nefasto II), pois em esperteza ele é PhD, o FX-2 vai vingar, para o bem do Brasil.

O problema é como ele “detonou” com o FX-1. Esse é o meu pesadelo. Ele achar uma nova desculpa esfarrapada, mas que atenda o seu grande e infelizmente manipulado eleitorado.

Além de sempre falar mais alto ao seu “coração”, os seus compromissos ideológicos marxistas-leninistas-trotkistas-stalinistas-maoístas-chavistas-castristas-guevaristas-etc. Todos apátridas e internacionalistas.

Vamos aguardar.

Lecen
Lecen
11 anos atrás

Torço pelo F-18.

Não por questões técnicas, mas por que uma parceria com a única superpotência mundial só poderia nos trazer benefícios.

Fica a pergunta sobre o que aconteceu com o Su-35.

Alguém poderia me responder o que aconteceu com a parceria muito alardeada pelo Mangabera Unger sobre a participação do Brasil na PAK-Fa? E por que diabos ele silenciou sobre o assunto se afirmou várias vezes que havia inclusive assinado acordos de cooperação no começo de 2008?

joao terba
joao terba
11 anos atrás

A balança comercial é que vai decidir,os EUA são os maiores compradores,veja o caso da EMBRAER,45% vão para os EUA.um abraço.

celio andrade
celio andrade
11 anos atrás

Poderiamos comprar os hornets para o FX-2 e comprar algumas unidades do rafale pra defesa da amazonia…seria show de bola…

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Briga de foice é um termo correto…e eu acrescentaria: no escuro…hehehe

Briga de foice no escuro.

apesar de tudo, de todos os lobbies e de todas as pressões de bastidores, ainda vejo o Rafale como a melhor opção. O motivo está aqui, nas palavras do diretor da Dassault: “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”…

Por enquanto, ainda vejo o Rafale como favorito e como melhor opção para o Brasil.

abraços a todos

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Todos sabem que sempre fui denfensor do caça francês na disputa do FX2, e o super Hornet trazendo sempre a esperança de uma parceria militar com os Estados Unidos, mas a proposta mais realista para o Brasil é o SAAB Gripen NG. É a que está com os pés no chão e o texto abaixo demosntra isso. Além do mais pra perseguir um Tupi e ainda deixá-lo ser jogado em um Shopping Center o Gripen NG é mais que suficiente. Futuro de caça sueco depende de parcerias DO ENVIADO À SUÉCIA A Suécia aposta no marketing de inovação tecnológica e… Read more »

Melk
11 anos atrás

Amigos, o nosso companheiro do blog Baschera, levantou a lebre sobre uma noticia no site DefenseNews, de que existem estudos por parte dos americanos para a utilização do Super Tucano, e realmente esta lá no site Defensenews a noticia sobre um projeto da Naval Air Systems Command e da Marinha americana, para a utilização do Super Tucano em guerra irregular, agora cá pra nós, os americanos são craques em fazer negocios ein, justamente neste exato momento de definição do FX2, “sai´´ ou melhor “vaza´´ uma noticia destas, sem contar que hoje o Presidente Lula esta “lá´´, que coicidencia ein…rsss, rapazz..

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

Ainda acho o valor destinado ao FX-2 como sendo insuficiente. Não dá para comprar 36 unidades, não importa qual seja o escolhido.

Acho, que dá para comprar 24 unidades, mais do que isso fica difícil. E o contrato de treinamento, o armamento, a logística, o estoque de peças sobressalentes extremamente necessário. Se formos pensar em tudo isso, o valor sobe muito mais.

abraços.

Paulo Subtil
Paulo Subtil
11 anos atrás

Jorge,

Acho que nem Lenin , ou Mao , ou Trotsky etc, teriam um Meirelles no Banco Central.

Menos…

Espero que a decisão seja o mais tecnica possível,

Quem dera pudessemos ter um Hi-lo , SH + Rafale,

aí sim ideal, mas a grana pesa.

RLobo
RLobo
11 anos atrás

O nosso amigo Wolfpack mostra sua visão equivocada no seu post de 14 mar, 2009 às 11:21. Tenho que sair um pouco do tema mas é necessário! Qual era a visão estatizante? que tudo que era estatal não prestava! Afinal de contas, a iniciativa privada é ou não é eficiente? Nesta crise esta provado que não era, visto que o chamado estado minimo tanto clamado por muitos neo-liberais é quem está salvando o capitalismo de um debacle que está querendo arrastar todos nós. Quanto ao melhor caça, continuo achando que o Super Hornet é o que melhor atende as necessidade… Read more »

catraca
catraca
11 anos atrás

Tirando o fato que vários missivistas não perdem a oportunidade de “elogiar” o Senhor Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, muitas das vezes por não ter o que falar. Gostaria de na qualidade de leigo total, perguntar aos PHDs em aviões de caça disponíveis no BLOG com especialização nas Boeing e Dassault da vida, e que teimam em perder tempo desmerecendo um pobre país latino americano, como se daria estas transferências de tecnologia tanto mencionada, seria ítem por ítem , ou somente sobre a estrutura e montagem da aeronave ?? Se for ítem por ítem e levando em… Read more »

Roberto CR
Roberto CR
11 anos atrás

Hornet

Acho que está é a frase da matéria e do processo de escolha do novo caça. A Dassault jogou pesado, num jogo já bastante quente, com essa declaração. Seria interessante alguma agência de notícias do Brasil tentar repercutir esta frase junto aos outros concorrentes para registrar a reação.

Quanto as declarações de Mangabeira e Jobim, acho que só tem uma explicação: falaram demais, pra variar. Os dois não resistem a um microfone.

Abraços

Paulo Renato
Paulo Renato
11 anos atrás

Como já vinha dizendo em outros comentários vai dar Gripen Ng na cabeça. Saindo disso pode levar o SH, mas o ripen conta com seu baixo custo operacional, isso pesa muito para os políticos, como se sabe a decisão final vai ser deles. O lobby americano está muito forte em cima do governo, sinceramente como tb já tinha falado não acho bom nenhuma acordo com os americanos que sempre vetam a aquisição dos armamentos e não vai ser diferene com o nosso País. Já vetaram as vendas do Super Tucano isso já mostra o poder deles sobre outras nações. Gripen… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezados
No caso de vencer o sh 18 o presidente deveria como condição de declarar vencedor a boeing que o governo norte americano complete o sivam caso negativo (NAO CREIO) mude aos pouco para a thales
nos proximos 20 anos
Nao e facil

RJ
RJ
11 anos atrás

Deixa quieto o SIVAM que em breve nós completaremos o bicho com tecnologia 100% nacional.

trackback
11 anos atrás

[…] brasileiros. O Super Hornet está em serviço com a Marinha dos Estados Unidos, tem encomendas da Força Aérea Australiana e participa de concorrências na Dinamarca, Grécia e Índia, além do […]

trackback
11 anos atrás

[…] da compra da sueca Saab, responsável pelos caças Gripen, que estão na concorrência para o projeto FX-2 (sic), da Força Aérea Brasileira. O presidente da Embraer, Frederico Curado, ainda está com um […]

Éder Costa
Éder Costa
11 anos atrás

O povo ficou maluco???
Tenho certeza que o Brasil (Com o LULA) comprará os 36 caças Franceses da Dassault RAFALE bourget 2009 , com transferência de tecnologia. Deixando todos os americanos(idiotas) chupando os dedos, rsrss…

Tiago Jeronimo
Tiago Jeronimo
11 anos atrás

Sem contar que Lula foi o primeiro presidente que Obama recebeu, isso mostra a vontade de aproimação com o Brasil.

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Oportunidade de ouro para o Brasil e não sei se nosso presidente está a altura desta missão em época tão delicada. O MD e FAB ficam batendo cabeça e podem ficar chupando o dedo se acertarem com a Boieng e daqui dois anos o congresso americano vetar qqquer transferência de tecnologia e armas ao Brasil, afinal Lula e Chaves e Evo vivem trocado abraços por ai. A Embraer têm que ficar quietinha depois de demitir 4.000 funcionários. Ninguém demite 4.000 funcionários se não existe uma má administração por trás. O Gerenciamento de quadros da Embraer é de chorar, e olhe… Read more »

DORNIER
DORNIER
11 anos atrás

O BRASIL SO PERDE TEMPO COM OS CONTOS DE FADA DA Boieng
E MUITA INLUSAO PENSA QUE OS YANKES VAO TRANSFERI TECNOLOGIA
ACORDA BRASIL

Patriota
Patriota
11 anos atrás

Em uma licitação seria se leva em conta dados tecnicos como: logistica e preço etc.

Se a decisão for politica seria uma grande injustiça com os demais
concorrentes pois os EUA teriam grande vantagem e o Brasil estaria demonstrando mais uma vez que não é um país serio eu acho que o FX2 deichou de ser uma licitação ha muito tempo

Nelson Lima
Nelson Lima
11 anos atrás

Pelo contrário, acho que tecnicamente os norte-americanos levam vantagem e os franceses levam vantagem politicamente.

Jorge
Jorge
11 anos atrás

Se sobrar alguma decência ao Sr. Lula (nefasto II), pois em esperteza ele é PhD, o FX-2 vai vingar, para o bem do Brasil.

O problema é como ele “detonou” com o FX-1. Esse é o meu pesadelo. Ele achar uma nova desculpa esfarrapada, mas que atenda o seu grande e infelizmente manipulado eleitorado.

Além de sempre falar mais alto ao seu “coração”, os seus compromissos ideológicos marxistas-leninistas-trotkistas-stalinistas-maoístas-chavistas-castristas-guevaristas-etc. Todos apátridas e internacionalistas.

Vamos aguardar.

Lecen
Lecen
11 anos atrás

Torço pelo F-18.

Não por questões técnicas, mas por que uma parceria com a única superpotência mundial só poderia nos trazer benefícios.

Fica a pergunta sobre o que aconteceu com o Su-35.

Alguém poderia me responder o que aconteceu com a parceria muito alardeada pelo Mangabera Unger sobre a participação do Brasil na PAK-Fa? E por que diabos ele silenciou sobre o assunto se afirmou várias vezes que havia inclusive assinado acordos de cooperação no começo de 2008?

joao terba
joao terba
11 anos atrás

A balança comercial é que vai decidir,os EUA são os maiores compradores,veja o caso da EMBRAER,45% vão para os EUA.um abraço.

celio andrade
celio andrade
11 anos atrás

Poderiamos comprar os hornets para o FX-2 e comprar algumas unidades do rafale pra defesa da amazonia…seria show de bola…

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Briga de foice é um termo correto…e eu acrescentaria: no escuro…hehehe

Briga de foice no escuro.

apesar de tudo, de todos os lobbies e de todas as pressões de bastidores, ainda vejo o Rafale como a melhor opção. O motivo está aqui, nas palavras do diretor da Dassault: “Temos o que ninguém tem: total controle sobre a tecnologia do avião, e autorização para transferi-la”…

Por enquanto, ainda vejo o Rafale como favorito e como melhor opção para o Brasil.

abraços a todos

Wolfpack
Wolfpack
11 anos atrás

Todos sabem que sempre fui denfensor do caça francês na disputa do FX2, e o super Hornet trazendo sempre a esperança de uma parceria militar com os Estados Unidos, mas a proposta mais realista para o Brasil é o SAAB Gripen NG. É a que está com os pés no chão e o texto abaixo demosntra isso. Além do mais pra perseguir um Tupi e ainda deixá-lo ser jogado em um Shopping Center o Gripen NG é mais que suficiente. Futuro de caça sueco depende de parcerias DO ENVIADO À SUÉCIA A Suécia aposta no marketing de inovação tecnológica e… Read more »

Melk
11 anos atrás

Amigos, o nosso companheiro do blog Baschera, levantou a lebre sobre uma noticia no site DefenseNews, de que existem estudos por parte dos americanos para a utilização do Super Tucano, e realmente esta lá no site Defensenews a noticia sobre um projeto da Naval Air Systems Command e da Marinha americana, para a utilização do Super Tucano em guerra irregular, agora cá pra nós, os americanos são craques em fazer negocios ein, justamente neste exato momento de definição do FX2, “sai´´ ou melhor “vaza´´ uma noticia destas, sem contar que hoje o Presidente Lula esta “lá´´, que coicidencia ein…rsss, rapazz..

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

Ainda acho o valor destinado ao FX-2 como sendo insuficiente. Não dá para comprar 36 unidades, não importa qual seja o escolhido.

Acho, que dá para comprar 24 unidades, mais do que isso fica difícil. E o contrato de treinamento, o armamento, a logística, o estoque de peças sobressalentes extremamente necessário. Se formos pensar em tudo isso, o valor sobe muito mais.

abraços.

Paulo Subtil
Paulo Subtil
11 anos atrás

Jorge,

Acho que nem Lenin , ou Mao , ou Trotsky etc, teriam um Meirelles no Banco Central.

Menos…

Espero que a decisão seja o mais tecnica possível,

Quem dera pudessemos ter um Hi-lo , SH + Rafale,

aí sim ideal, mas a grana pesa.

RLobo
RLobo
11 anos atrás

O nosso amigo Wolfpack mostra sua visão equivocada no seu post de 14 mar, 2009 às 11:21. Tenho que sair um pouco do tema mas é necessário! Qual era a visão estatizante? que tudo que era estatal não prestava! Afinal de contas, a iniciativa privada é ou não é eficiente? Nesta crise esta provado que não era, visto que o chamado estado minimo tanto clamado por muitos neo-liberais é quem está salvando o capitalismo de um debacle que está querendo arrastar todos nós. Quanto ao melhor caça, continuo achando que o Super Hornet é o que melhor atende as necessidade… Read more »

catraca
catraca
11 anos atrás

Tirando o fato que vários missivistas não perdem a oportunidade de “elogiar” o Senhor Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva, muitas das vezes por não ter o que falar. Gostaria de na qualidade de leigo total, perguntar aos PHDs em aviões de caça disponíveis no BLOG com especialização nas Boeing e Dassault da vida, e que teimam em perder tempo desmerecendo um pobre país latino americano, como se daria estas transferências de tecnologia tanto mencionada, seria ítem por ítem , ou somente sobre a estrutura e montagem da aeronave ?? Se for ítem por ítem e levando em… Read more »

Roberto CR
Roberto CR
11 anos atrás

Hornet

Acho que está é a frase da matéria e do processo de escolha do novo caça. A Dassault jogou pesado, num jogo já bastante quente, com essa declaração. Seria interessante alguma agência de notícias do Brasil tentar repercutir esta frase junto aos outros concorrentes para registrar a reação.

Quanto as declarações de Mangabeira e Jobim, acho que só tem uma explicação: falaram demais, pra variar. Os dois não resistem a um microfone.

Abraços

Paulo Renato
Paulo Renato
11 anos atrás

Como já vinha dizendo em outros comentários vai dar Gripen Ng na cabeça. Saindo disso pode levar o SH, mas o ripen conta com seu baixo custo operacional, isso pesa muito para os políticos, como se sabe a decisão final vai ser deles. O lobby americano está muito forte em cima do governo, sinceramente como tb já tinha falado não acho bom nenhuma acordo com os americanos que sempre vetam a aquisição dos armamentos e não vai ser diferene com o nosso País. Já vetaram as vendas do Super Tucano isso já mostra o poder deles sobre outras nações. Gripen… Read more »

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
11 anos atrás

Prezados
No caso de vencer o sh 18 o presidente deveria como condição de declarar vencedor a boeing que o governo norte americano complete o sivam caso negativo (NAO CREIO) mude aos pouco para a thales
nos proximos 20 anos
Nao e facil

RJ
RJ
11 anos atrás

Deixa quieto o SIVAM que em breve nós completaremos o bicho com tecnologia 100% nacional.

trackback
11 anos atrás

[…] brasileiros. O Super Hornet está em serviço com a Marinha dos Estados Unidos, tem encomendas da Força Aérea Australiana e participa de concorrências na Dinamarca, Grécia e Índia, além do […]

trackback
11 anos atrás

[…] da compra da sueca Saab, responsável pelos caças Gripen, que estão na concorrência para o projeto FX-2 (sic), da Força Aérea Brasileira. O presidente da Embraer, Frederico Curado, ainda está com um […]

Éder Costa
Éder Costa
11 anos atrás

O povo ficou maluco???
Tenho certeza que o Brasil (Com o LULA) comprará os 36 caças Franceses da Dassault RAFALE bourget 2009 , com transferência de tecnologia. Deixando todos os americanos(idiotas) chupando os dedos, rsrss…