segunda-feira, abril 12, 2021

Gripen para o Brasil

SDB – Small Diameter Bombs

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

050929-F-0000R-001

050929-F-0000R-002

As fotos acima mostram uma SDB (GBU-39) atingindo seu alvo. A nova pequena bomba de 250lb (113,5kg) foi idealizada para aumentar em 4 vezes o número de bombas por avião, aumentando as chances de acerto. A SDB foi concebida na década de 1990 para fornecer uma arma para ser levada internamente pelo F-22A Raptor e, mais tarde, pelo JSF, para atacar alvos múltiplos. O F-22 pode transportar até oito dessas bombas internamente.
A SDB pode voar a até 70 milhas do avião lançador e penetrar até 4m de concreto. Ela é guiada por INS/GPS e tem um CEP de 5 a 8m.
A nova arma foi projetada também para ser mais eficaz no meio urbano, reduzindo danos colaterais, proporcionando um apoio aéreo aproximado mais amplo, interdição no campo de batalha, destruição de defesas aéreas inimigas (DEAD) e supressão letal e contra-ataque aéreo a aeródromos inimigos. Contra alvos “moles”, como veículos e estruturas, blindagens, pistas, aviões, abrigos e SAM, as SDB são altamente letais.

gbu-39-small-diameter-bomb-1

Israel solicitou em setembro do ano passado a compra de 1.000 dessas bombas. Não se sabe ainda se elas foram recebidas a tempo para serem usadas nos ataques dos últimos dias a Gaza.

small-diameter-bomb-3

f-22-sdb

small-diameter-bomb-4

- Advertisement -

52 Comments

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
jacubão

Nem adianta construir abrigos reforçados para aeronaves com essas bombinhas soltas por aí.

jacubão

E o Brasil? Quando vai solicitar a compra de pelomenos doze dessas bombinhas de são joão, afinal de contas, aqui no brasil, as autoridades só tem esse número na cabeça.

Walderson

Caro amigo Jacubão,

este tipo de armamento só nos será vendido quando estiver obsoleta. O Congresso estadunidense não nos venderia a não ser na hipótese acima. Aliás, a ninguém da América Latina.

Um abraço e feliz 2009 a todos.

WAR

Essa é “a bomba”. Acho que dá pra fazer por aqui mesmo. Ei Avibrás e similares! Esta é a sua hora. Vamos trabalhar e faturar!

Tiago Jeronimo

Duvido que Israel tenha comprado essas bombas para “gastar” nas casas dos terroristas de gaza. Como eu disse na epoca que o blog anuciou a compra, o Irã que se cuide, elas são perfeitas para atacar as instalações subterrâneas de enriquecimento de urãnio.

Gabriel

Se os americanos não quiserem vender esse tipo de armamento para
nós com certeza os russos nos venderiam algo semelhante a esta bomba ou quem sabe melhor.

Roberto camarada

Armados adequadamente, os caças da FAB representam mais do que qualquer oponente sul-americano pode aguentar.Armamento ofensivo do tipo da GBU15,ou do AGM130 ou da SDB(GBU-39)pode muito bem ser desenvolvida no CTA e usado em nossas aeronaves.O emprego dessas armas proporcionaria um significativo potencial ofensivo,seja tático ou estratégico,até para o A29.Poderia incorporar nessas armas algum guiamento para estabelecer um ECP bem pequeno.Quanto a GBU-39 poderia ser incorporada um motor foguete para aumentar seu alcance e permitir seu emprego pelo A29,visto que ela pode percorrer até 70nm do avião lançador.

Bosco

Essas bombas foram de pequenas dimensões foram pensadas para otimizar a carga útil em caças stealths que possuem “compartimentos internos de armas”. Elas podem multiplicar os alvos em uma única passada.
O explosivo contido nelas é 2 x mais “energético” que o contido nas bombas da série Mk80.
Sua nova versão, a SDB II terá “orientação terminal”, podendo atingir alvos móveis táticos, mesmo quando lançados a partir de grandes altitudes e distâncias.
Elas permitirão aos F-22 serem usados com eficiência até mesmo na função antitanque.
Um abraço.

Iuri Korolev

Putz !
70 milhas de alcance e 5m de CEP. Fantástico !

welington

Comcordo realmente fantastico!

jacubão

Meu cara Walderson, que nome complicado heim, eu sei disso, o que eu quero dizer é que esse país só pensa em comprar “coisas” obsoletas e em poucas quantidades, foi só uma sacanagenzina só para descontrair, entendeu?

AJS

Como anda a FAB com relação a BAPI?

Flavio Santana

Putz. Eu acho que se bobear a gente não tem nem bomba de ferro não guiada em qtde suficiente, muito menos teremos bombas a laser em número considerável 🙁

Virtual XI

Muito boa a foto. Olhando rápido até parece a traseira, o rabo de um AMX. Esse negócio de gastar dinheiro com abrigos para aeronaves é inútil. Muito melhor a dispersão para enganar o inimigo. Por isso é acertado o fato da FAB possuir somente a estrutura de proteção contra intempéries climáticas aos caças que possui, embora claro não tenha muito o que proteger mesmo…. Esse tipo e armamento tem que ser e deve ser fabricado aqui no Brasil. Ou pela Avibrás ou pela Mectron… talvez colocar um motor foguete para dar mais “fôlego” a elas já que nosso melhor vetor,… Read more »

Dani.

Olá. Naum acho certo as empresas brasileiras produzirem esse tipo de armamento. Podemos sim desenvolver a tecnologia adequada, digo até superior ao dos americanos afinal ja fizemos isso! Naum sei se lebram mas o grande tanque Osorio da “falecida” Engesa venceu o M1 Abrans americano na disputa pela aquição de um novo tanques para a Arabia Saudita anos atras(e umas historia interessante, pesquisem!). Ele naum seria usado de forma alguma pelo nosso exercito. E naum seria nada inteligente fazer uma arma que nosso exercito naum podesse usar. Nem todos os produtos teriam a mesma sorte que o Astros, Cascavel e… Read more »

Rodrigo Cesarini

Dani. em 03 jan, 2009 às 21:23: “Ele naum seria usado de forma alguma pelo nosso exercito. E naum seria nada inteligente fazer uma arma que nosso exercito naum podesse usar.”

O Exército não, mas FAB poderia, não? hehehe

[]s

jacubão

Meu deus.
Estão assassinando o nosso Português.

Vassily Zaitsev

Jacubão,

culpa dessa tentativa de unificar o português. Mas é por pouco tempo, logo logo o pessoal pega o jeito.

Dani.

Rodrigo,
Foi mal!! 😀
Errei bonito….. mas deu pra entender!

jacubão

ERROU BONITO?
VOÇÊ MATOU O MANOEL COM TRÊS TIROS NA CABEÇA!

Nelson Lima

Tudo indica que Israel está empregando o binômio F16-SDB em massa, mesmo assim, os danos colaterais da guerra de Gaza estão sendo enormes!

Wolfpack

Bosco, obrigado pelas informações, lembro tbm. da nova geração de armas Paveway IV com sistema guia LASER/GPS, tbm. de dimensões menores.
http://www.defenseindustrydaily.com/images/ORD_Paveway_IV_Components_lg.jpg
http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/mis/lgbpaveway4.html
Estas, com certeza, estão caindo sobre as cabeças dos terroristas do Hamas em Gaza.

Baschera

Senhores, Próspero 2009 à todos…. Já temos nossas bombinhas semelhantes são as Bombas de Penetração BPEN 500 e BPEN 1000. As novas bombas de penetração de 500kg (BPEN 500) e de 1000kg (BPEN 1000)serão utilizadas pela FAB para missões contra alvos reforçados, tais como instalações de Comando e Controle subterrâneas, abrigos reforçados, casamatas, entre outros alvos “duros”. Estas armas possuem um corpo em aço temperado de alta resistência, além de um detonador com retardo, capaz de resistir ao impacto cinético inicial, detonando os explosivos após a bomba ter penetrado uma grande porção de solo e estruturas reforçadas. Serão utilizadas em… Read more »

Bosco

Uma bomba ainda menor e já operacional pelas Forças Armadas Americanas é a SCALPEL com 50 kg. Ela é guiada a laser com CEP de 1 m e não possui explosivo, destruindo pela força cinética. Ideal para operações em área urbanas já que limita muito o dano colateral.
Opcionalmente existe uma versão com 4 kg de explosivo.

trackback

[…] O F-117 foi retirado de serviço em 22 de abril de 2008, por causa do seu alto custo de manutenção e da introdução do F-22 Raptor, que também tem capacidade de ataque com SDBs. […]

[…] O F-22 provê a capacidade de neutralização da ameaça dos sistemas integrados de defesa aérea (IADS) e o B-2 provê a capacidade de ataque maciço aos alvos inimigos. Para essas missões, o F-22  leva duas bombas GBU-32 JDAM de 1.000lb (454kg) ou 8 bombas SDB (small diameter bombs). […]

jacubão

Nem adianta construir abrigos reforçados para aeronaves com essas bombinhas soltas por aí.

jacubão

E o Brasil? Quando vai solicitar a compra de pelomenos doze dessas bombinhas de são joão, afinal de contas, aqui no brasil, as autoridades só tem esse número na cabeça.

Walderson

Caro amigo Jacubão,

este tipo de armamento só nos será vendido quando estiver obsoleta. O Congresso estadunidense não nos venderia a não ser na hipótese acima. Aliás, a ninguém da América Latina.

Um abraço e feliz 2009 a todos.

WAR

Essa é “a bomba”. Acho que dá pra fazer por aqui mesmo. Ei Avibrás e similares! Esta é a sua hora. Vamos trabalhar e faturar!

Tiago Jeronimo

Duvido que Israel tenha comprado essas bombas para “gastar” nas casas dos terroristas de gaza. Como eu disse na epoca que o blog anuciou a compra, o Irã que se cuide, elas são perfeitas para atacar as instalações subterrâneas de enriquecimento de urãnio.

Gabriel

Se os americanos não quiserem vender esse tipo de armamento para
nós com certeza os russos nos venderiam algo semelhante a esta bomba ou quem sabe melhor.

Roberto camarada

Armados adequadamente, os caças da FAB representam mais do que qualquer oponente sul-americano pode aguentar.Armamento ofensivo do tipo da GBU15,ou do AGM130 ou da SDB(GBU-39)pode muito bem ser desenvolvida no CTA e usado em nossas aeronaves.O emprego dessas armas proporcionaria um significativo potencial ofensivo,seja tático ou estratégico,até para o A29.Poderia incorporar nessas armas algum guiamento para estabelecer um ECP bem pequeno.Quanto a GBU-39 poderia ser incorporada um motor foguete para aumentar seu alcance e permitir seu emprego pelo A29,visto que ela pode percorrer até 70nm do avião lançador.

Bosco

Essas bombas foram de pequenas dimensões foram pensadas para otimizar a carga útil em caças stealths que possuem “compartimentos internos de armas”. Elas podem multiplicar os alvos em uma única passada.
O explosivo contido nelas é 2 x mais “energético” que o contido nas bombas da série Mk80.
Sua nova versão, a SDB II terá “orientação terminal”, podendo atingir alvos móveis táticos, mesmo quando lançados a partir de grandes altitudes e distâncias.
Elas permitirão aos F-22 serem usados com eficiência até mesmo na função antitanque.
Um abraço.

Iuri Korolev

Putz !
70 milhas de alcance e 5m de CEP. Fantástico !

welington

Comcordo realmente fantastico!

jacubão

Meu cara Walderson, que nome complicado heim, eu sei disso, o que eu quero dizer é que esse país só pensa em comprar “coisas” obsoletas e em poucas quantidades, foi só uma sacanagenzina só para descontrair, entendeu?

AJS

Como anda a FAB com relação a BAPI?

Flavio Santana

Putz. Eu acho que se bobear a gente não tem nem bomba de ferro não guiada em qtde suficiente, muito menos teremos bombas a laser em número considerável 🙁

Virtual XI

Muito boa a foto. Olhando rápido até parece a traseira, o rabo de um AMX. Esse negócio de gastar dinheiro com abrigos para aeronaves é inútil. Muito melhor a dispersão para enganar o inimigo. Por isso é acertado o fato da FAB possuir somente a estrutura de proteção contra intempéries climáticas aos caças que possui, embora claro não tenha muito o que proteger mesmo…. Esse tipo e armamento tem que ser e deve ser fabricado aqui no Brasil. Ou pela Avibrás ou pela Mectron… talvez colocar um motor foguete para dar mais “fôlego” a elas já que nosso melhor vetor,… Read more »

Dani.

Olá. Naum acho certo as empresas brasileiras produzirem esse tipo de armamento. Podemos sim desenvolver a tecnologia adequada, digo até superior ao dos americanos afinal ja fizemos isso! Naum sei se lebram mas o grande tanque Osorio da “falecida” Engesa venceu o M1 Abrans americano na disputa pela aquição de um novo tanques para a Arabia Saudita anos atras(e umas historia interessante, pesquisem!). Ele naum seria usado de forma alguma pelo nosso exercito. E naum seria nada inteligente fazer uma arma que nosso exercito naum podesse usar. Nem todos os produtos teriam a mesma sorte que o Astros, Cascavel e… Read more »

Rodrigo Cesarini

Dani. em 03 jan, 2009 às 21:23: “Ele naum seria usado de forma alguma pelo nosso exercito. E naum seria nada inteligente fazer uma arma que nosso exercito naum podesse usar.”

O Exército não, mas FAB poderia, não? hehehe

[]s

jacubão

Meu deus.
Estão assassinando o nosso Português.

Vassily Zaitsev

Jacubão,

culpa dessa tentativa de unificar o português. Mas é por pouco tempo, logo logo o pessoal pega o jeito.

Dani.

Rodrigo,
Foi mal!! 😀
Errei bonito….. mas deu pra entender!

jacubão

ERROU BONITO?
VOÇÊ MATOU O MANOEL COM TRÊS TIROS NA CABEÇA!

Nelson Lima

Tudo indica que Israel está empregando o binômio F16-SDB em massa, mesmo assim, os danos colaterais da guerra de Gaza estão sendo enormes!

Wolfpack

Bosco, obrigado pelas informações, lembro tbm. da nova geração de armas Paveway IV com sistema guia LASER/GPS, tbm. de dimensões menores.
http://www.defenseindustrydaily.com/images/ORD_Paveway_IV_Components_lg.jpg
http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/mis/lgbpaveway4.html
Estas, com certeza, estão caindo sobre as cabeças dos terroristas do Hamas em Gaza.

Baschera

Senhores, Próspero 2009 à todos…. Já temos nossas bombinhas semelhantes são as Bombas de Penetração BPEN 500 e BPEN 1000. As novas bombas de penetração de 500kg (BPEN 500) e de 1000kg (BPEN 1000)serão utilizadas pela FAB para missões contra alvos reforçados, tais como instalações de Comando e Controle subterrâneas, abrigos reforçados, casamatas, entre outros alvos “duros”. Estas armas possuem um corpo em aço temperado de alta resistência, além de um detonador com retardo, capaz de resistir ao impacto cinético inicial, detonando os explosivos após a bomba ter penetrado uma grande porção de solo e estruturas reforçadas. Serão utilizadas em… Read more »

Bosco

Uma bomba ainda menor e já operacional pelas Forças Armadas Americanas é a SCALPEL com 50 kg. Ela é guiada a laser com CEP de 1 m e não possui explosivo, destruindo pela força cinética. Ideal para operações em área urbanas já que limita muito o dano colateral.
Opcionalmente existe uma versão com 4 kg de explosivo.

Combates Aéreos

Paquistaneses comemoram o abate de dois caças indianos, um MiG-21 e um Su-30

Na guerra pelo domínio da narrativa, paquistaneses e indianos transformaram as redes sociais em um campo de batalha sobre...
- Advertisement -
- Advertisement -