quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Cronograma do F-X da FAB de 2001 a 2003: vale a pena ler de novo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Como o brasileiro tem memória curta, o cronograma abaixo mostra o passo-a-passo do Programa F-X original, que acabou não vingando e deixando à FAB o consolo de receber uma dúzia de jatos Mirage 2000 usados da França.

01/08/2001 – O Comando da Aeronáutica apresenta o pedido de oferta (request of proposal) para o FX a diversos fornecedores de aeronaves de vários países. Além dos aspectos técnicos, logistícos e comerciais, as empresas deverão apresentar propostas de compensação comercial (offset).

03/08/2001 – Sete empresas se apresentam para retirar o edital da concorrência: a brasileira Embraer associada à francesa Dassault (Mirage 2000-5 Mk2), a italiana Alenia Aerospazio (Eurofighter 2000), as americanas Boeing (F-18E Hornet) e Lockheed Martin (F-16C Falcon), as russas RAC-MIG (Mig 29) e Rosoboronexport (Sukhoi SU-27/SU-35), e o consórcio anglo-sueco SAAB BAE Systems (JAS-39 Gripen).

06/09/2001 – O Projeto FX ganha espaço na mídia e as empresas concorrentes começam a montar seus lobbies em Brasília, para tentar influir no processo, iniciando uma fase de intrigas, pressões e até espionagem.

18/09/2001A Boeing Company se retira da disputa, anunciando que o modelo F-18E Hornet não possui preço compatível com o orçamento da FAB. Pelos mesmos motivos a Alenia também abandona a concorrência.

12/12/2001 – A Força Aérea anuncia que a primeira fase do processo de seleção foi concluída no dia 07/12, sem a eliminação de quaisquer propostas e que a decisão final deverá ser no primeiro semestre de 2002.

16/01/2002A brasileira Avibrás assinou acordo com o consórcio russo Rosoboronexport, prevendo a futura fabricação do caça Sukhoi SU-35 no Brasil, caso seja o vencedor, e cooperação em outras áreas de interesse militar.

23/02/2002O consórcio anglo-sueco SAAB-BAE prometeu ao governo brasileiro a instalação de uma fábrica de componentes e peças para aviões, num investimento de US$ 30 milhões, se o JAS-39 Gripen for escolhido como o vencedor.

04/04/2002 – A Embraer anuncia no Chile, durante a FIDAE, a formação do “Consórcio Mirage 2000 BR” numa parceria estratégica com suas sócias francesas Dassault Aviation, Snecma Moteurs e Thales Airbone Systems. Será desenvolvida uma versão específica para o Brasil, com a montagem, integração e testes finais da aeronave serão feitas na fábrica da empresa em Gavião Peixoto(SP).

22/04/2002Inicia-se a última fase do Projeto FX, com testes em vôo por pilotos da FAB e visitas técnicas de especialistas do Comando da Aeronáutica às instalações dos cinco fabricantes dos caças que disputam o processo.

20/05/2002 – Termina o prazo para que os consórcios entreguem suas propostas finais, revisadas e com novas ofertas, ao Comando da Aeronáutica. Os franceses, russos e suecos (estes com algumas limitações) admitem a transferência de tecnologias e softwares de suas aeronaves, além de compensações em outras áreas, mas os americanos concordam apenas em autorizar a venda de mísseis BVR e aviônicos avançados, porém sem acesso à tecnologia.

12/06/2002A reunião do Conselho de Defesa Nacional para decidir o vencedor é adiada e a Comissão de Licitação exige maior detalhamento das ofertas, principalmente no que diz respeito ao offset.

21/08/2002O processo de escolha do FX entra em compasso de espera, aguardando uma definição das eleições presidenciais em outubro, as pressões aumentam para que a escolha seja feita pelo novo presidente.

01/11/2002O presidente Fernando Henrique, em meio a pressões políticas e diplomáticas, se exime da responsabilidade de conduzir a escolha do novo caça FX, anunciando que a definição será feita pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, assim que empossado, em janeiro de 2003.

03/01/2003O ministro da Defesa, José Viegas Filho anuncia oficialmente o adiamento da licitação do caça FX, em até um ano, para uma apreciação mais detalhada do novo governo e a concentração dos poucos recursos disponíveis na área social.

01/10/2003 – A Força Aérea Brasileira recebe autorização para dar prosseguimento ao processo de licitação para os novos caças de superioridade aérea, convidando as empresas concorrentes para uma reunião de orientação e atualização, quando receberão instruções relativas aos procedimentos que irão regular essa nova fase.

03/11/2003 – Os fabricantes preparam as propostas finais, atualizando-as sob os aspectos técnico, comercial, industrial, de compensação e de logística, para serem entregues à Comissão de Licitação no dia 11 de novembro, em reunião no CTA, em São José dos Campos(SP).

10/11/2003 – Após uma semana de reuniões individuais com os fabricantes, realizadas de 03 a 07/11 no CTA, para as ponderações finais de cada um e os ajustes necessários em suas propostas, as mesmas foram entregues nesta data à Comissão de Licitação. O Comando da Aeronáutica pretende encaminhar o parecer técnico ao Conselho de Defesa Nacional, para a escolha do vencedor, até o próximo dia 15 de dezembro.

05/12/2003O ministro da Defesa, José Viegas, anuncia a formação de um grupo de trabalho para analisar detalhadamente cada uma das propostas apresentadas, item por item inclusive nas questões que envolvam off set, para que quaisquer dúvidas dos membros do Conselho de Defesa Nacional no dia da reunião para a escolha do caça FX possam ser esclarecidas devidamente.

09/12/2003Se não ocorrerem novos adiamentos, a reunião do Conselho deverá ser marcada para a primeira quinzena de janeiro de 2004, quando finalmente teremos o nome do tão aguardado novo caça de superioridade aérea da FAB.

23/12/2003 – Governo determina a criação de Comissão Especial para assessoramento ao Conselho de Defesa Nacional (CDN), no processo do Projeto FX. Com representantes de vários ministérios e dos três comandos militares, a equipe terá 30 dias para emitir parecer sobre todos os aspectos da licitação (estratégico, comercial, geração de empregos, transferência de tecnologia, industrial, etc). O prazo para a conclusão dos trabalhos poderá ser prorrogado, por igual período, se necessário.

FONTE: http://www.militarypower.com.br

- Advertisement -

36 Comments

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Corsario-DF

huahuahuahuahua!!!
A “ESTÓRIA” da caronchinha vai se repetir de novo. Podem acreditar!!!
Esse país não possui políticos que dizem a verdade. Podem escrever as cenas dos próximos capítulos:

FX-3580 decisão deve sair no ano que vem, caso o presidente Siba seja reeleito no pleito de outubro de 3580!!! RSRSRSRSRSRSRSRSRS!!!

Sds.

Brigadeiro... de chocolate

re-make

Bagatini

Em breve vamos modernizar os Xavantes, com novos rádios, HUD retirado do A-1, ou adquirir novos Impalas para o FX 2

André de POA

se a escolha tivesse recaido sobre o JAS talvez hoje tivessemos dois polos indutores fortes na industria aeronautica.. mas infelizmente faltou decisão ao homem que foi eleito para decidir. E o atual segue o mesmo roteiro… primeiro caça entregue em 2015… que pena Brasil.

kaleu

Foi uma VERGONHA o FX-1, porém sou otimista, e acredito que a estória agora será diferente…. inclusive a condução atual está mais séria, inteligente e competente.

Veremos

abraço
Kaleu

Nunão

Pois é, Galante, faltou nesse cronograma do military power apenas os quase três anos entre o RFI de 1998 e o RFP de 2001, conforme o post colocado ontem. E é claro, o cancelamento definitivo do FX1, logo depois da última data… Em 2001 eu torcia pelo F-16 como opção de melhor custo-benefício para a FAB, independentemente de transferências de tecnologia etc. Se FHC tivesse batido o martelo em 2002, quem sabe os primeiros chegassem em 2005 e nem precisaria dos F2000 de tampão. Aí nem teria que comprar F-5 da Jordãnia. E a gente ainda poderia disputar com os… Read more »

Walderson

Caro amigo Nunão,

do jeito que a galera aqui reclama de tudo, duvido que, se tivesse sido escolhido algum caça naquela época, o pessoal não estaria reclamando agora, dizendo que poderia ter-se esperado um pouco mais por versões melhores. Estou até vendo a frase: “se o LULA tivesse cabeça pra esperar um pouco mais, não teríamos caças que já nasceram obsoletos”… E por aí vai. Até porque li na época que uma das hipóteses era aguardar um pouco mais pois as empresas estavam produzindo novas versões mais capazes.

Um abraço a todos.

Bosco

Gente! Calma!
Afinal os insetosauros androgênos mutantes assassinos da Galáxia de Andrômeda ainda não deram as caras por aqui. Não temos com o que nos preocupar por enquanto e podemos esperar pacientemente por mais uns 200 anos pela modernização de nossas forças armadas. A armada inimiga ainda está a meio caminho, mais ou menos a 1 milhão de anos luz do nosso sistema.
Só quem já chegou foram seus arautos, o Chaves e o Michael Jackson.

Hornet

Boa, Bosco. hehehe… Eu também concordo com os argumentos do Walderson. Entretanto, o que é um pouco preocupante no FX (qualquer um deles) é o fato da compra não deixar muita margem para novas compras (de novos vetores, diferentes do vetor escolhido). Essa é uma crítica que eu faço ao FX-2. Vamos comprar, em lotes eu sei, os 120 caças do vetor escolhido, não é isso? E como todo mundo sabe e já se falou aqui, se não projetarmos algo para, emparalelo ao FX-2, termos no futuro breve, corremos o risco de ficarmos com 120 caças que seriam ótimos se… Read more »

Manfred Von Richthofen

Com a demora do FX-2, quando ele entrar em serviço, vai se tornar um caça tampão PLUS, até que entre um caça de 5a. geração.
Quando a FAB incorporar seu primeiro caça de 5a, os caças de 6a. geração (sem piloto) já estarão em serviço. Isso, se ainda existir FAB, pois do jeito que o mundo anda caminhando, sei não…

Hornet

Pois é, Manfred…essa é minha preocupação (não a da FAB acabar, não essa). Como se demora muito para projetar e desenvolver um caça, o jeito era desenvolver esse caça do futuro já pensando para além da quinta geração, pois a quinta já era pra nós…a não ser que algo de muito extraordinário aconteça no mundo…sei lá, os Insetosauros do Bosco se rebelem contra o comandante Michael Jackson e tornem-se aliados dos terráqueos…coisas assim costumam acontecer com certa frequência, como a gente bem sabe, né?…rs.

abraços

Bosco

Hornet,
meus não! Da Galáxia de Andrômeda!

Hornet

Bosco

Ah, é…descupa aí…falha nossa…rs.

A culpa é do Michael jackson, que não sabe liderar direito os Insetosauros e aí dá nisso, a gente acha que eles pertencem a todo mundo…rs.rs.rs.

abraços

welington

O SU-35 BM é o único capaz de cobrir todo o nosso território com poucas unidades e o que iria nos trazer mais conhecimentos e parcerias em varias áreas alem de ser um ótimo vetor porem acho hoje ele como um caça tampão, pois a partir de 2016 o mundo será dos caças de 5º geração e novamente ficaremos atrás do bonde, se tivéssemos optado pelo SU-35 ou pelo Mirage 2000 hoje teríamos um vasto conhecimento e poderíamos ate desenvolver um caça de 5º geração pois temos capacidades para isto mas como não ocorreu o certo é participarmos de do… Read more »

Pinchas Landisbergis

Quantas horas/homem de gente altamente capacitada e treinada , jogadas na “lata do lixo” , quanto papel quantas horas/máquina de CPD jogadas na “lata do lixo”
Quantos sonhos e quanta esperança jogadas na “lata do lixo”
2013, 2014, 2015???????????
Quem sobreviver verá!!!!!

Pinchas Landisbergis

Se reuniões e discussoões levassem a algum lugar, seriamos a maior potencia do mundo !!!

Corsario-DF

Isso é o Brasil!!!
Já estou entrando em contato com os insetossauros da galaxia de Andrômeda, para ver se posso servir com eles, como oficial de ligação… Pois do jeito que tá não tem como nos defender!!!

welington

Mauro você disse tudo o SU-35 BM é a única aeronave capaz de cobrir todo o nosso território e até o de nossos visinhos com a poucas aeronaves que vamos adquirir.
E os Russos são os únicos a nos oferecer parcerias em varias áreas sensíveis.

Corsario-DF

huahuahuahuahua!!!
A “ESTÓRIA” da caronchinha vai se repetir de novo. Podem acreditar!!!
Esse país não possui políticos que dizem a verdade. Podem escrever as cenas dos próximos capítulos:

FX-3580 decisão deve sair no ano que vem, caso o presidente Siba seja reeleito no pleito de outubro de 3580!!! RSRSRSRSRSRSRSRSRS!!!

Sds.

Brigadeiro... de chocolate

re-make

Bagatini

Em breve vamos modernizar os Xavantes, com novos rádios, HUD retirado do A-1, ou adquirir novos Impalas para o FX 2

André de POA

se a escolha tivesse recaido sobre o JAS talvez hoje tivessemos dois polos indutores fortes na industria aeronautica.. mas infelizmente faltou decisão ao homem que foi eleito para decidir. E o atual segue o mesmo roteiro… primeiro caça entregue em 2015… que pena Brasil.

kaleu

Foi uma VERGONHA o FX-1, porém sou otimista, e acredito que a estória agora será diferente…. inclusive a condução atual está mais séria, inteligente e competente.

Veremos

abraço
Kaleu

Nunão

Pois é, Galante, faltou nesse cronograma do military power apenas os quase três anos entre o RFI de 1998 e o RFP de 2001, conforme o post colocado ontem. E é claro, o cancelamento definitivo do FX1, logo depois da última data… Em 2001 eu torcia pelo F-16 como opção de melhor custo-benefício para a FAB, independentemente de transferências de tecnologia etc. Se FHC tivesse batido o martelo em 2002, quem sabe os primeiros chegassem em 2005 e nem precisaria dos F2000 de tampão. Aí nem teria que comprar F-5 da Jordãnia. E a gente ainda poderia disputar com os… Read more »

Walderson

Caro amigo Nunão,

do jeito que a galera aqui reclama de tudo, duvido que, se tivesse sido escolhido algum caça naquela época, o pessoal não estaria reclamando agora, dizendo que poderia ter-se esperado um pouco mais por versões melhores. Estou até vendo a frase: “se o LULA tivesse cabeça pra esperar um pouco mais, não teríamos caças que já nasceram obsoletos”… E por aí vai. Até porque li na época que uma das hipóteses era aguardar um pouco mais pois as empresas estavam produzindo novas versões mais capazes.

Um abraço a todos.

Bosco

Gente! Calma!
Afinal os insetosauros androgênos mutantes assassinos da Galáxia de Andrômeda ainda não deram as caras por aqui. Não temos com o que nos preocupar por enquanto e podemos esperar pacientemente por mais uns 200 anos pela modernização de nossas forças armadas. A armada inimiga ainda está a meio caminho, mais ou menos a 1 milhão de anos luz do nosso sistema.
Só quem já chegou foram seus arautos, o Chaves e o Michael Jackson.

Hornet

Boa, Bosco. hehehe… Eu também concordo com os argumentos do Walderson. Entretanto, o que é um pouco preocupante no FX (qualquer um deles) é o fato da compra não deixar muita margem para novas compras (de novos vetores, diferentes do vetor escolhido). Essa é uma crítica que eu faço ao FX-2. Vamos comprar, em lotes eu sei, os 120 caças do vetor escolhido, não é isso? E como todo mundo sabe e já se falou aqui, se não projetarmos algo para, emparalelo ao FX-2, termos no futuro breve, corremos o risco de ficarmos com 120 caças que seriam ótimos se… Read more »

Manfred Von Richthofen

Com a demora do FX-2, quando ele entrar em serviço, vai se tornar um caça tampão PLUS, até que entre um caça de 5a. geração.
Quando a FAB incorporar seu primeiro caça de 5a, os caças de 6a. geração (sem piloto) já estarão em serviço. Isso, se ainda existir FAB, pois do jeito que o mundo anda caminhando, sei não…

Hornet

Pois é, Manfred…essa é minha preocupação (não a da FAB acabar, não essa). Como se demora muito para projetar e desenvolver um caça, o jeito era desenvolver esse caça do futuro já pensando para além da quinta geração, pois a quinta já era pra nós…a não ser que algo de muito extraordinário aconteça no mundo…sei lá, os Insetosauros do Bosco se rebelem contra o comandante Michael Jackson e tornem-se aliados dos terráqueos…coisas assim costumam acontecer com certa frequência, como a gente bem sabe, né?…rs.

abraços

Bosco

Hornet,
meus não! Da Galáxia de Andrômeda!

Hornet

Bosco

Ah, é…descupa aí…falha nossa…rs.

A culpa é do Michael jackson, que não sabe liderar direito os Insetosauros e aí dá nisso, a gente acha que eles pertencem a todo mundo…rs.rs.rs.

abraços

welington

O SU-35 BM é o único capaz de cobrir todo o nosso território com poucas unidades e o que iria nos trazer mais conhecimentos e parcerias em varias áreas alem de ser um ótimo vetor porem acho hoje ele como um caça tampão, pois a partir de 2016 o mundo será dos caças de 5º geração e novamente ficaremos atrás do bonde, se tivéssemos optado pelo SU-35 ou pelo Mirage 2000 hoje teríamos um vasto conhecimento e poderíamos ate desenvolver um caça de 5º geração pois temos capacidades para isto mas como não ocorreu o certo é participarmos de do… Read more »

Pinchas Landisbergis

Quantas horas/homem de gente altamente capacitada e treinada , jogadas na “lata do lixo” , quanto papel quantas horas/máquina de CPD jogadas na “lata do lixo”
Quantos sonhos e quanta esperança jogadas na “lata do lixo”
2013, 2014, 2015???????????
Quem sobreviver verá!!!!!

Pinchas Landisbergis

Se reuniões e discussoões levassem a algum lugar, seriamos a maior potencia do mundo !!!

Corsario-DF

Isso é o Brasil!!!
Já estou entrando em contato com os insetossauros da galaxia de Andrômeda, para ver se posso servir com eles, como oficial de ligação… Pois do jeito que tá não tem como nos defender!!!

welington

Mauro você disse tudo o SU-35 BM é a única aeronave capaz de cobrir todo o nosso território e até o de nossos visinhos com a poucas aeronaves que vamos adquirir.
E os Russos são os únicos a nos oferecer parcerias em varias áreas sensíveis.

Reportagens especiais

Programa AMX: da concepção à modernização

São três letras e um enorme significado para a indústria aeronáutica brasileira. O programa AMX era, naquele já longínquo...
- Advertisement -
- Advertisement -