domingo, julho 25, 2021

Gripen para o Brasil

Gripen NG para a Holanda

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Depois da apresentação da sua proposta à solicitação do MoD holandês para a substituição dos F-16 da RNLAF (Royal Netherlands Air Force), a Saab/Gripen International realizou uma conferência com a imprensa em Den Haag, para detalhar sua oferta.
A Saab está oferecendo um pacote de 85 caças Gripen Next Generation (NG) prontos para o ambiente operacional Net Centric (NCW). O Gripen NG satisfaz os requisitos operacionais da RNLAF ao longo dos próximos 50 anos, e sua inigualável capacidade multifunção vai proporcionar a flexibilidade nas táticas da RNLAF para o futuro.
Segundo o fabricante, o Gripen NG oferece flexibilidade operacional e grande capacidade de sobrevivência. A superioridade ar-ar estará garantida com até 12 mísseis Meteor, AMRAAM, IRIS-T e AIM-9X. O caça também tem capacidade supercruise e a consciência situacional do piloto é abastecida por um radar AESA, sensor IRST e HMD, num cockpit com design no estado-da-arte. O avião também é dotado de avançados sistemas de comunicações, dual datalinks, comunicação via satélite e por vídeo.
Leia a apresentação detalhada do Gripen NG para a Holanda no link abaixo:
http://www.jsfnieuws.nl/wp-content/NLGRIPENPRESSBRIEFAug08.pdf

Previous articleFX-2: França X Rússia
Next articleDois rivais
- Advertisement -

33 Comments

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RL

Acho o Gripen uma excelente plataforma de guerra aérea. Inegavel suas capacidades, porem, para um país com dimensões continentais como o nosso, o Gripen já deixaria a desejar. Ao menos que fossem adiquiridas um número expressimo de células, ai sim teriamos uma capacidade de pronta resposta ao invasor. Fora isso, ele se enquadra exatamente nesse cenário, de um pais com dimensões muito reduzidas como a Holanda. Apresenta muito custo beneficio em questão de logistica, tanto pela parte da Força Aerea Holandesa em executar serviços basicos na aeronave, quanto pela parte da proximidade da Suecia fabricante do Gripen com a Holanda… Read more »

RL

Mauro. Vira essa boca pra lá. Rsrssr…

Graças a Deus, estamos com o plano de defesa ai, Deus nos livre se nesse plano, forem incluidos mais algumas células de F-5.

Já pensou?

To fora…rsrr

Abraços.

Marco

Mas os F5 jordanianos não irão para Natal no substituir o
Xavante?
Então pode ser bom negócio, e não anula o FX2

Vassily Zaitsev

Não sabia que o Gripen NG estará habilitado a se valer de Supercruise. É uma pena que seja tão pequeno, pois se sairia bem melhor que o Rafale na FAB.

RL

Marco. Segundo as noticias é isso mesmo. Alem disso serão modernizados para o padrão F5EM.

Só não sei as configurações atuais desses caças. Alguem ai sabe?

Mauricio R.

Nossa, o Rafale não prima por ter assim um alcance fenomenal, aliás isto já lhe custou uma concorrência.
A de Cingapura, aonde o “velhinho” F-15, superou-o em alcance máximo, carga máxima carregada e velocidade máxima.
Tds estes requisitos constantes do fly-off da RSAF entre as 2 aeronaves.

Fábio Max

Os F-5 suiços estão, sim, na pauta da FAB, porque especula-se que a intenção do alto comando é aumentar ao máximo o tamanho da frota de F5BR modernizados (falou-se em até 80), para que eles, somados à frota de 54 A-1M sirvam de parâmetro em número, para aquisição do vetor que será escolhido pelo projeto FX. Eles completariam um número (134) que a FAB entende adequado embora não ideal, de aeronaves para promover a defesa de todo o nosso território. Adquiridos e passando pela modernização na EMBRAER, sem prejuízo do FX, são um bom negócio. ALiás, os aviões suiços são… Read more »

Baschera

Os caças jordanianos que começaram à chegar são F-5E Tiger II. Chegaram 3 (mais algumas peças) de um total de 11.
Sds.

Baschera

Para que quiser saber o que virá : Sds. DoU 25 Setembro 2007 Diário Oficial da União Ministério da Defesa Comando da Aeronáutica Comando-Geral de Apoio Centro Logístico da Aeronáutica EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO N o 3/CELOG/2007 PROCESSO Nº.: 1082/CELOG/2007. OBJETO: Fornecimento de 11 aeronaves F-5, sendo 4 (quatro) modelo F-5E – monoplace, 4 (quatro) F-5EM modernizadosmonoplace e 3 (três) F-5F biplace. FUNDAMENTO LEGAL: inciso XIX do Art. 24, da Lei Nº. 8.666, de 21/06/93, regulamento do pelo Decreto de 2 de abril de 1996, conforme Ata de Padronização de Material de Emprego na Aeronáutica, nomeada pela Portaria nº.… Read more »

Jonas Rafael

Mais um motivo porque deveríamos ignorar a oferta da Lockeed-Martin com o F-16. Porque se é pra ter um caça sem autonomia adequada é muito melhor optar pelo Grippen do que pelo F-16…

Alfredo_Araujo

Axo uma boa a compra de mais caças F-5 para passarem pela modernização da Embraer. Infelizmente nao me iludo com a quantidade de avioes a serem comprados no F-X2…

Mesmo q seja grande o numero de “F-X2” seria uma boa ter caças em todas as regioes do país… pq hj se nao me engando só o Centro-Oeste com os Jaguares, o Sul com o Pampa e o Sudeste com o SentaPua…

Henrique Sousa

Fala-se muito em pouca autonomia do Gripen, que é de dimensões reduzidas para o Brasil, e não sei mais o que.

Existe uma máxima militar que diz: você luta como você treina!

Quem conseguir passar além desta fina casca de conversar só sobre a aeronave em si, e se apronfundar um pouco mais na doutrina de emprego, disponibilidade, manutenção e afins, vai chegar a conclusões muito diferentes.

Meirelles

85 Gripens NG tá bom pra Holanda.Pra nós teria que ser ao menos 285.
Sds.

Walderson

Galera,
não sei se é verdade, mas li em algum lugar que os EUA compraram os F-5 suíços.
Um abraço (insônia é F…). Rs

[…] do BLOG: A Gripen International tentou vender o Gripen NG para a Holanda, mas sem […]

RL

Acho o Gripen uma excelente plataforma de guerra aérea. Inegavel suas capacidades, porem, para um país com dimensões continentais como o nosso, o Gripen já deixaria a desejar. Ao menos que fossem adiquiridas um número expressimo de células, ai sim teriamos uma capacidade de pronta resposta ao invasor. Fora isso, ele se enquadra exatamente nesse cenário, de um pais com dimensões muito reduzidas como a Holanda. Apresenta muito custo beneficio em questão de logistica, tanto pela parte da Força Aerea Holandesa em executar serviços basicos na aeronave, quanto pela parte da proximidade da Suecia fabricante do Gripen com a Holanda… Read more »

RL

Mauro. Vira essa boca pra lá. Rsrssr…

Graças a Deus, estamos com o plano de defesa ai, Deus nos livre se nesse plano, forem incluidos mais algumas células de F-5.

Já pensou?

To fora…rsrr

Abraços.

Marco

Mas os F5 jordanianos não irão para Natal no substituir o
Xavante?
Então pode ser bom negócio, e não anula o FX2

Vassily Zaitsev

Não sabia que o Gripen NG estará habilitado a se valer de Supercruise. É uma pena que seja tão pequeno, pois se sairia bem melhor que o Rafale na FAB.

RL

Marco. Segundo as noticias é isso mesmo. Alem disso serão modernizados para o padrão F5EM.

Só não sei as configurações atuais desses caças. Alguem ai sabe?

Mauricio R.

Nossa, o Rafale não prima por ter assim um alcance fenomenal, aliás isto já lhe custou uma concorrência.
A de Cingapura, aonde o “velhinho” F-15, superou-o em alcance máximo, carga máxima carregada e velocidade máxima.
Tds estes requisitos constantes do fly-off da RSAF entre as 2 aeronaves.

Fábio Max

Os F-5 suiços estão, sim, na pauta da FAB, porque especula-se que a intenção do alto comando é aumentar ao máximo o tamanho da frota de F5BR modernizados (falou-se em até 80), para que eles, somados à frota de 54 A-1M sirvam de parâmetro em número, para aquisição do vetor que será escolhido pelo projeto FX. Eles completariam um número (134) que a FAB entende adequado embora não ideal, de aeronaves para promover a defesa de todo o nosso território. Adquiridos e passando pela modernização na EMBRAER, sem prejuízo do FX, são um bom negócio. ALiás, os aviões suiços são… Read more »

Baschera

Os caças jordanianos que começaram à chegar são F-5E Tiger II. Chegaram 3 (mais algumas peças) de um total de 11.
Sds.

Baschera

Para que quiser saber o que virá : Sds. DoU 25 Setembro 2007 Diário Oficial da União Ministério da Defesa Comando da Aeronáutica Comando-Geral de Apoio Centro Logístico da Aeronáutica EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO N o 3/CELOG/2007 PROCESSO Nº.: 1082/CELOG/2007. OBJETO: Fornecimento de 11 aeronaves F-5, sendo 4 (quatro) modelo F-5E – monoplace, 4 (quatro) F-5EM modernizadosmonoplace e 3 (três) F-5F biplace. FUNDAMENTO LEGAL: inciso XIX do Art. 24, da Lei Nº. 8.666, de 21/06/93, regulamento do pelo Decreto de 2 de abril de 1996, conforme Ata de Padronização de Material de Emprego na Aeronáutica, nomeada pela Portaria nº.… Read more »

Jonas Rafael

Mais um motivo porque deveríamos ignorar a oferta da Lockeed-Martin com o F-16. Porque se é pra ter um caça sem autonomia adequada é muito melhor optar pelo Grippen do que pelo F-16…

Alfredo_Araujo

Axo uma boa a compra de mais caças F-5 para passarem pela modernização da Embraer. Infelizmente nao me iludo com a quantidade de avioes a serem comprados no F-X2…

Mesmo q seja grande o numero de “F-X2” seria uma boa ter caças em todas as regioes do país… pq hj se nao me engando só o Centro-Oeste com os Jaguares, o Sul com o Pampa e o Sudeste com o SentaPua…

Henrique Sousa

Fala-se muito em pouca autonomia do Gripen, que é de dimensões reduzidas para o Brasil, e não sei mais o que.

Existe uma máxima militar que diz: você luta como você treina!

Quem conseguir passar além desta fina casca de conversar só sobre a aeronave em si, e se apronfundar um pouco mais na doutrina de emprego, disponibilidade, manutenção e afins, vai chegar a conclusões muito diferentes.

Meirelles

85 Gripens NG tá bom pra Holanda.Pra nós teria que ser ao menos 285.
Sds.

Walderson

Galera,
não sei se é verdade, mas li em algum lugar que os EUA compraram os F-5 suíços.
Um abraço (insônia é F…). Rs

[…] do BLOG: A Gripen International tentou vender o Gripen NG para a Holanda, mas sem […]

flavio epifanio

acho que se o brasil ficar com o rafale vai e pro prejuizo afinal niguem no
mundo o quer pelo custo de manuntenção e de voo no entanto subestiman
o gripen por ser monomotor e por ser menor ,se esquecem do phanton que
era monomotor e pequeno mas se tornou uma lenda na epoca da guerra fria

Guilherme Poggio

se esquecem do phanton que
era monomotor e pequeno mas se tornou uma lenda na epoca da guerra fria

Prezado Flavio, os dois Phantom (o I e o II) eram bimotores. E o II nãopode ser considerado um caça pequeno.

Abraços

flavio epifanio

com o absurdo que nos custaria o rafale daria pra comprar muitos gripen a mais do que so as 36 unidades

Últimas Notícias

Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV) completa 15 anos

No dia 23/7, o Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV) completou 15 anos. O IPEV é responsável...
- Advertisement -
- Advertisement -