Home Divulgação Tianjin Airlines, do HNA Group da China, compra 20 E-Jets e 20...

Tianjin Airlines, do HNA Group da China, compra 20 E-Jets e 20 E-Jets E2

326
14

1_ICBC_E190-E2_high

Brasília, Brasil, 17 de julho, 2014 – A Embraer concluiu um acordo para a venda de 40 aeronaves para a companhia aérea chinesa Tianjin Airlines, uma subsidiária do HNA Group. O contrato, avaliado em USD 2.1 bilhões a preço de lista, inclui 20 E-Jets e 20 E-Jets E2, o que faz da Tianjin Airlines o primeiro cliente dos E-Jets E2 na China. A cerimônia de assinatura ocorreu durante a visita de Estado do Presidente chinês, Xi Jinping, ao Brasil, e contou com a presença dos presidentes das duas nações.

Os primeiros E-Jets e E-Jets E2 serão entregues em 2015 e 2018, respectivamente. O pedido será incorporado à carteira de pedidos da Embraer tão logo seja feito o pagamento inicial da encomenda.

“Este é mais um importante momento dessa longa e sólida parceria com a HNA Group e Tianjin Airlines, o maior operador de E-Jets na Ásia. O novo pedido reforça o sucesso que a companhia aérea vem tendo com os jatos Embraer. As significantes conquistas da Tianjin Airlines e sua contribuição para a aviação regional chinesa são vitrines para as aeronaves Embraer,” disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “É uma satisfação fazer parte desse trabalho conjunto para abrir novas oportunidades de mercado e contruir uma rede de transporte aéreo para o benefício do país”.

“Os jatos Embraer E190 têm sido a base da nossa estratégia de expansão regional nos últimos anos, o que nos permitiu atingir nossas metas de desenvolvimento. Vemos esse pedido adicional como uma continuação dos nossos planos de crescimento no curto e no longo prazo”, disse Liu Lu, Presidente Executivo do Conselho e Presidente da Tianjin Airlines. “Os 20 novos E-Jets E2 vão nos trazer eficiência e flexibilidade ainda maiores para adicionar frequências e expandir mercado.”

Desde a sua entrada em serviço em 2004 até hoje, mais de 1.000 E-Jets operam com 65 companhias aéreas em 45 países, tornando-se um sucesso global. O programa E-Jets E2 reforça o comprometimento da Embraer em manter investimentos contínuos na linha de jatos comerciais da Empresa e manter sua estabelecida liderança de mercado no segmento de 70 a 130 assentos. Motores de última geração, em conjunto com novas asas aerodinamicamente avançadas, controles de voo totalmente fly-by-wire e avanços em outros sistemas resultarão em melhorias significativas no consumo de combustível, custos de manutenção, emissões e ruído externo. As primeiras entregas do E-Jets E2 está planejada para o primeiro semestre de 2018.

Embraer e a Tianjin Airlines estabeleceram uma parceria bem-sucedida. A companhia aérea foi o cliente-lançador do E190 na China e opera a maior frota de E-Jets na Ásia com 50 jatos E190. Ela também foi a primeira empresa chinesa apontada como Centro de Serviço Autorizado pela Embraer no país. Recentemente, a aérea anunciou a contratação do Embraer AHEAD-PRO para todas as suas aeronaves, tornando-se o primeiro usuário desse sistema na China.

HNA Group Tianjin Airlines foi lançada como a primeira aérea regional da China em 2009. Em 2010, a empresa mudou o seu foco de operação exclusivamente regional, ampliando serviços para atendimento de rotas principais. Atualmente, o objetivo é se tornar uma empresa aérea internacional de médio a grande porte em busca de uma estratégia de “aviação regional e operação global”.

Em 2011, a Tianjin Airlines recebeu os prêmios “Melhor Aérea Regional da China” e “Global Four-star Airlines”, da Skytrax, por suas significativas conquistas. A empresa opera uma frota de aproximadamente 80 jatos que servem 90 destinos domésticos e internacionais, transportando 8 milhões de passageiros.

DIVULGAÇÃO: Embraer

14
Deixe um comentário

avatar
13 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
Guilherme PoggioRinaldo NeryLuiz FernandoPhacsantosJustin Case Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
eparro
Visitante
eparro

É certo que mais vendas são sempre necessárias, mas com esse tipo de notícia, sobre a “carteira de E-jets” é possível dizer que a EMBRAER é uma empresa estabelecida e sólida no mercado ou ainda é preciso melhorar mais?

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

Mas essa tar de Embraer vende por de mais da conta sô!
Vai vender avião assim lá na China.

Chora me liga Bombard…

Joner
Visitante
Joner

Tomara que esse desempenho em vendas também aconteça com o cargueiro KC 390, pois experiência a Embraer tem!

E que venha logo algumas confirmações de compras, além da brasileira é claro…

Phacsantos
Visitante
Member
Phacsantos
Phacsantos
Visitante
Member
Phacsantos

Offtopi

Vídeo muito legal sobre o sistema de reabastecimento do KC-390:
http://www.youtube.com/watch?v=v4g_EqE_9Oo

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Muito bom para Embraer e para o Brazil.

Espero que os chineses não venham com “estorinhas” de começar a produzir em Harbin etc e tal ….

Quanto ao KC 390, o mercado mundial vai esperar para ver e comprovar, será assim e ponto.

Justin Case
Visitante
Member

Phacsantos disse:
21 de julho de 2014 at 13:54 #

Muito legal o vídeo,Phacsantos,

Grato por postar.
Abraço,

Justin

Phacsantos
Visitante
Member
Phacsantos

Eu fiquei em dúvida sobre o que seria aquela pequena hélice na frente dos tanques…alguém sabe?

Luiz Fernando
Visitante
Luiz Fernando

Hélice = Gerador. Quanto a noticia da encomenda (que segundo o Maurício R.) era algo requentado e que portanto não haveria anúncio algum… No mesmo evento foi anunciada outra encomenda: Em cerimônia de assinatura que contou com a presença dos presidentes das duas nações, durante a visita de Estado do Presidente chinês, Xi Jinping, ao Brasil, a Embraer firmou um acordo de venda para até 20 E190-E2 com a ICBC Financial Leasing Co., Ltd. (ICBC Leasing), da China, sendo 10 pedidos firmes e 10 direitos de compra. Os pedidos firmes para as 10 primeiras aeronaves serão incluídos no backlog da… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Mas o Maurício R. diz que a EMBRAER não presta.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Quem sou eu para defender o Maurício R., mas ele não diz que a Embraer não presta. O que ele costuma dizer é que o setor de defesa da Embraer deveria produzir os seus aviões e depois correr atrás dos clientes, sem qualquer apoio ou incentivo do governo Federal.

Não penso dessa maneira. Mesmo porque não se pode vender aeronave militar para outros que não sejam governos constituídos. E venda de material militar sempre envolve governos dos dois lados. (Mas mesmo assim a Embraer ainda conseguiu um feito histórico vendendo um Super Tucano para uma empresa particular).

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

By the way, estou realizando treinamento em simulador da aeronave E-190, e estou achando a aeronave sensacional.

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Quando ela vende material de defesa para clientes estrangeiros o faz, na maioria das vezes, com suas próprias pernas. Algumas vezes, há o interesse do GF. Normalmente, nesses casos, há algum tipo de troca.
A EMBRAER é uma empresa estratégica para o País. O GF sempre irá ajudar quando for necessário.

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

A meu ver, na maioria das vezes, a EMBRAER sempre vendeu seu produtos com suas próprias pernas. Produtos civis e militares.
A EMBRAER é uma empresa estratégica para o País, e o GF sempre terá interesse nas vendas.