terça-feira, abril 20, 2021

Gripen para o Brasil

Batalha da Grã-Bretanha – 15 de setembro

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

‘Nunca na história dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos’

 

Há 72 anos, em 15 de setembro de 1940, aconteceu o combate decisivo da Batalha da Inglaterra. A Luftwaffe reuniu todas as aeronaves que podia e executou dois gigantescos “raids” contra a Inglaterra. A RAF não ficou atrás e colocou todas as aeronaves do 11º Grupo no ar.

Os combates aéreos duraram o dia inteiro. Sobre os céus da capital Londres era possível ver inúmeras aeronaves enfrentando-se em combates encarniçados. No balanço final os alemães perderam 60 aeronaves (algumas fontes dão números mais modestos) e a RAF teve 26 caças abatidos.

Dois dias depois o fracasso do ataque levou Hitler a suspender a invasão terrestre e a Operação “Sea Lion” foi adiada. Somente em 12 de outubro de 1940 a invasão foi formalmente adiada para “quando a campanha russa estivesse encerrada”.

Mais de 3.000 pilotos da RAF combateram nos céus na Batalha da Inglaterra. Mais de 500 morreram.

Na foto abaixo, o Squadron Leader B J E ‘Sandy’ Lane (no centro), fotografado quando tinha 23 anos de idade. Ele foi morto dois anos depois. A média de idade dos pilotos da RAF em 1940 era de 20 anos. (Foto: IWM, via BBC)

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa

A Luftwaffe reunira cerca de 1.000 aeronaves nesse dia. A RAF não venceu mas não se deixou vencer…

Talvez tenha sido o maior empate da história. Ou, como dissera Churchill dias antes: “Never was so much owed by so many to so few…”

Ozawa

O mundo carece de líderes… Seria esse um dos efeitos colaterais da “paz” ?

http://www.youtube.com/watch?v=MSKd66XlgS0

Giordani

O Hurricane que levou a RAF nas costas e o Spitfire que levou a fama de vencedor???

Franco Ferreira

Giordani disse:
16 de setembro de 2012 às 18:06

Giordani – Penso que se compuseram… O Spitfire aguentava o ME109, que era “demais” para os Huricanes. A divisão de tarefas, então, ficou assim: Os Huricanes atacavam os bombardeiros, enquanto os Spitfires tentavam segurar a escolta.

Um não adiantaria nada sem o outro!

De qualquer forma, vale o sub-título do post: “Nunca, na história dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão pucos!”

Alfredo Araujo

Giordani…

O Hurricane era o caça em maior número disponivel para a RAF, no momento da Batalha da Inglaterra…

Giordani

O Hurricane era uma aeronave mais fácil de fabricar que o Spitfire, por isso, estavam em maior número. Faz sentido o que o Franco Ferreira abordou. Realmente, não tinha me dado conta disso, mas continuo achando que o Hurricane foi injustiçado.

Bom final de domingo a todos! 🙂

Reportagens especiais

Poder Aéreo no Marrakech Air Show

Por Jean François Auran Especial para Forças de Defesa/Poder Aéreo A sexta edição do show aéreo marroquino "Marrakech Air Show", ocorreu...
- Advertisement -
- Advertisement -