Home Estratégia Forças Armadas da Suécia querem Gripen modernizado

Forças Armadas da Suécia querem Gripen modernizado

234
36

A proposta é ter uma frota menor que as 100 aeronaves do sistema atual, porém muito mais capazes, e que entrariam em serviço a partir de 2020

 

Segundo nota divugada pelo site das Forças Armadas da Suécia na quarta-feira, 29 de fevereiro, o JAS Gripen atende às necessidades operacionais das Forças Armadas no período que vai até pelo menos 2040,e o sistema deverá ser o núcleo da defesa aérea sueca. A Suécia necessita de pelo menos 60 a 80 aeronaves.

Essa é a conclusão de análise submetida ao Governo Sueco hoje. Como parte dos esforços para desenvolver alternativas e diferentes configurações, o Gripen vem sendo testado em simulações extensivas e jogos de guerra operacionais, tanto contra ameaças atuais quanto futuras.

O site da Rádio Sueca (Radio Sweeden) também trouxe informações que complementam o anúncio divulgado no site das Forças Armadas, conforme apresentação realizada pelo comandante supremo, Sverker Göranson. Conforme as informações compiladas das duas fontes, a entrada em serviço do novo sistema da aeronave de combate deverá ser iniciada em 2020 e deverá levar dez anos, compreendendo 60 a 80 aeronaves. As análises apresentadas, segundo a rádio, mostram que o caminho mais eficiente é modificar a frota atual de JAS 39 Gripen para se adequar às necessidades futuras.

Para viabilizar financeiramente as mudanças, busca-se pelo menos um país parceiro estratégico. Segundo Göranson, “as discussões sobre custos deverão ser iniciadas logo, e não se pode estimar agora exatamente o quanto vão custar.”

O JAS 39 Gripen modernizado terá uma célula maior e um motor mais potente. Isso permitirá levar mais combustível e armamentos, com maior poder e durabilidade, sendo sugerido também um sistema de alerta radar e contramedidas melhorado. Isso deverá manter o Gripen como um sistema operacionalmente relevante, e as defesas suecas comparáveis às de outros países.

Durante 2011 e o início deste ano foi realizado um trabalho de planejamento bastante extenso, o que inclui a modernização e  revisão da estrutura de defesa. Com os resultados, começaram agora os trabalhos para calcular as necessidades financeiras das Forças Armadas no longo prazo, e um relatório a esse respeito deverá ser feito até 2 de maio.

Uma proposta separada deverá tratar da passagem de algumas funções logísticas para a FMV (administração de material de defesa da Suécia), como serviços de aquisição, apoio administrativo e de engenharia, que atualmente são realizados por 1.500 empregados das Forças Armadas. O objetivo é economizar recursos que serão utilizados em atividades operacionais, conforme a nota das Forças Armadas da Suécia.

Já a notícia da Rádio Sueca também traz a opinião de Allan Wideman, porta-voz de defesa do Partido Liberal Sueco. Segundo Wideman, a compra de menos aeronaves demandaria muito mais do novo sistema: “Ele (Göranson) diz que essa é uma questão de aprimorar as capacidades. Se você compara o sistema atual, no qual temos aproximadasmente 100 aviões, trata-se de uma redução considerável.” Ele acrescentou que a redução da frota vai requerer tantas modernizações no Gripen atual que ele seria, de fato, uma aeronave completamente nova.

Nesta quinta, a Saab divulgou nota comentando a apresentação das intenções das Forças Armadas da Suécia, referentes à modernização do Gripen:

Ontem as Forças Armadas da Suécia apresentaram sua intenção de modernizar o Gripen, e um claro compromisso com o Gripen como a espinha dorsal da Força Aérea Sueca também foi expresssado.

De acordo com as Forças Armadas da Suécia, o Gripen modernizado terá uma célula maior e um motor mais potente, permitindo que a aeronave carregue mais armas e mais combustível, o que vai levar a maior eficiência e resistência (Nota do Editor: endurance, ou persistência, normalmente significando mais tempo no ar). Um radar mais sofisticado e contramedidas aprimoradas também foram sugeridos.

Lennart Sindahl, Vice Presidente Sënior e Chefe da área de negócios Aeronáuticos, disse: “Estamos satisfeitos com o compromisso com o Gripen e agradecidos por ver que as Forças Armadas recomendam novos desenvolvimentos do Gripen. É importante que o sistema Gripen possa ser modernizado de uma forma custo-efetiva para atender aos futuros requerimentos das Forças Armadas da Suécia, e estou orgulhoso de que a Saab pode oferecer uma alternativa competitiva assim”

Ele acrescentou que “é importante lembrar que o relatório das Forças Armadas é parte de um processo mais abrangente e que, em última análise, é um assunto de decisão política.”

FONTES: Forças Armadas da Suécia, Rádio Sueca e Saab (também fotos)

Tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nick
Nick
8 anos atrás

As mudanças são tantas que a SAAB já propôs entregar Gripens E/F novos de fábrica do que retrofitar os C/D para o novo padrão. E isso à um custo menor.

[]’s

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

em que a Suecia podia comprar uns Rafales também né ? Para fazer o Hi equanto o Gripen faz o Low. E a França podia receber uns Gripens, porque eles não operam nenhum LIFT !!!
=:^)

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Nick,

Para alcançar de melhorias propostas sobre as versões C e D do JAS-39 Gripen, como motor mais potente e levar mais combustível e armamentos, só é viavel com uma nova célula.

Esta nova célula já existe, é o Gripen NG com todos sabemos.

Esta nota da SAAB possivelmente indica que a Suécia caminha para efetivar uma compra do Gripen E e F, possivelmente em conjunto com a Suiça, mantendo ativa a linha de produção.

Sds,
Ivan.

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Ivan, o Gripen Demo era um Gripen B que virou Gripen D e agora é protótipo do Gripen F. Logo, é possível alterar as células atuais para o novo padrão, com maior espaço interno para combustível, novas entradas de ar, novo trem de pouso e novo motor. Se isso é financeiramente melhor que produzir novas unidades, aí é com os suecos.

Importante ressaltar que eles buscam um parceiro estratégico. E que nós estamos papando mosca novamente.

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, Então não será uma aquisição do Gripen NG pela Suécia? Será apenas mais um MLU como foi a conversão dos A/B para C/D? Assemelha-se então ao que os EAU fizeram com seus Mirage 2000, elevando-os para o padrão traço nove, e o que a Índia vai fazer com sua frota de Mirage 2000. Eu acho que esse tipo de modernização faz todo sentido. Deve-se modernizar a frota existente para o melhor padrão possível, de modo a permitir que sejam superados alguns aspectos de obsolescência. É a única maneira de dar uma sobrevida operacional a uma frota já existente. Mas,… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Almeida, Todos sabemos que foi usado um Gripen B (ou terá sido um D?) para montar um demonstrador das tecnologias a ser usada em um futuro Gripen F. Mas uma aeronave demo não tem a mesma necessidade de durabilidade que uma versão definitiva. Ítens como uma nova asa, estruturalmente diferente, simplesmente não foi mudada. De cabeça lembro que o Gripen E / F teria novas entradas de ar para uma turbina que demanda maior fluxo de ar e gera mais empuxo, novo posicionamento do trem de pouso que deve ser ligeiramente diferente, redesenho da raiz das asas para receber o… Read more »

Ivan
Ivan
8 anos atrás

Nunão,

Vc postou quando ainda estava escrevendo, mas a referência que fiz foi justamente às considerações que já foram feitas por vcs em outras oportunidades.

Grato pela compreensão,
Ivan, o antigo.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“Assemelha-se então ao que os EAU fizeram com seus Mirage 2000, elevando-os para o padrão traço nove, e o que a Índia vai fazer com sua frota de Mirage 2000.” Não, assemelha-se mais ao “common engine bay”, que os americanos fizeram no F-16, p/ que pudessem usar turbinas P&W e GE indistintamente. Nos M-2000-5 e -9 as mudanças são signifcativamente menos extensas. No mais, jogada de mestre dos suecos, qnto menos distinções houverem entre o Gripen NG e os exemplares legados, mais fácil vende-lo. Diria que percebo ecos de F-20, nessa idéia.

Nick
Nick
8 anos atrás

Caro Ivan, É por ae. O Gripen E/F deverá ser adquirido, ao invés de um retrofit do C/D -> E/F. E isso acontecerá quando a SAAB mostrar as duas contas: retrofit C/D->E/F > E/F de fábrica. Caro Justin, A Suécia tem seu programa de atualização dos Gripens (MS) . O próximo será um grande MS, o MS21. Este MS significará a atualização dos C/D para o E/F. O problema que as modificações são tantas, que a SAAB já afirmou que vale a pena mais comprar os E/F de fábrica (sairá mais barato para a FMV). []’s

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

“E a França podia receber uns Gripens, porque eles não operam nenhum LIFT !!!”

Por favor avisem a AdA, que o Marcelo “desativou” seus Alpha Jet E!!!

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Senhores, já foi colocado aqui em um comentário do PA (não lembro o autor) uma declaração da SAAB de que a compra de uma nova célula sai mais barato do que a modernização de uma existente para o padrão E/F.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Nunão,

É somente um exemplo da extensão das modificaçãoes que afetarão o design do Gripen.
A longo prazo os suecos tem que se preparar p/ a desativação da fabricação da F-404/RM-12 e sua substituição pela F-414.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Mauricio R. eu estava brincando, mas acho que você percebeu isso.

Amigos gripeiros, então qual seria a (possível) versão da FAB, o Gripen E/F? Qual Gripen a Suiça comprou, ou não escolheu ainda? Confesso que o Gripenito tem tantas versões “hipotéticas” que eu perdi o fio da meada. Estou entendendo que o da FAB seria o E/F é isso mesmo?

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

60 a 80 Gripens E/F. Uma excelente notícia! Lembro que tinha uns ‘superexpertos’ aqui que diziam que a Flygvapnet não iria comprar o Gripen E/F, que era um projeto da SAAB, etc., etc., etc… Várias vezes coloquei que isto era algo ilógico, mas os “expertos” continuavam destilando suas verborragias. Lembram delas, o Gripen NG não vai sair do papel, é um autocad, é um risco enorme, etc… Um monte de bobagens que agora foi a pique. Mais um monte de bobagens a la rafaletes que foi ao chão. Mas que pelo jeito alguns ainda insistem em dizer. O Gripen NG… Read more »

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

estou querendo ficar mais versado no Gripen sabe? Já que o F-18 é carta fora do baralho e o Rafale é muito caro, de repente vai dar Gripen mesmo!

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Ricardo_recife, então o da FAB seria o Gripen E/F?

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Ricardo_recife, só não gostei desse “quase definido” aí? Por isso a confusão, alguém realmente sabe a configuração final do E/F???

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

Versões do Gripen A/B (1996), C/D (2001) e E/F (2015). Apenas três versões. Como o Rafale F-1, F-2 e F-3. O NG é apenas um demonstrador de tecnologia, não é um caça de produção, como o foi o Rafale A. Demonstradores de tecnologia são comuns na aviação. O F-16 começou como uma competição entre demonstradores de tecnologia. Por isto, reclamar do Gripen NG é mais uma bobagem rafilica.

Abs,

Ricardo

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

ricardo_recife disse:
1 de março de 2012 às 16:57

OK. Mas e a pergunta sobre qual versão a Suiça comprou e a configuração final do E/F?

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

“Quase definido” significa que alguns instrumentos eletrônicos podem ser alterados, nada mais que isto. Além disso, em muitas situações os compradores pedem algumas alterações especificas. No mais ele já está definido, desde o motor (F-414-400), tamanho (comprimento, envergadura, peso), radar (Raven), IRST (Skyward-G), suite de guerra eletrônica (EWS-39), data link (TIDLS) e sistemas gerais.

Abs,

Ricardo

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

ricardo_recife disse:
1 de março de 2012 às 17:06

Ok. Valeu! Então pode-se dizer que o que você escreveu é configuração básica do E/F. Penduricalhos cada força escolhe os seus.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

ah, lembrei que aqui no Brasil, teria que ser modificado o datalink para o LinkBR alguma coisa.

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

Marcelo,

A configuração final do E/F suíço depende da Schweizer Luftwaffe (se forem comprados, o contrato ainda não foi assinado) e da capacidade da RUAG de construir determinados sistemas. Como disse, no geral tudo já está determinado (motor, radar, tamanho, peso, etc..), o que vai variar são escolhas especificas de cada comprador.

Abs,

Ricardo

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás
Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

é isso aí! LinkBR2…

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

Marcelo,

Em 2009 quando os suecos atualizaram a proposta (BAFO) colocaram o Link-BR 2 como sistema de data link do Gripen NG/BR.

Abs,

Ricardo

Marcos
Marcos
8 anos atrás

E o Brasil olhando, olhando, olhando, olhando, olhando …

Renato Oliveira
Renato Oliveira
8 anos atrás

Pois é, rafaletes, agora o argumento que o NG só existe no papel já era. Suíça e Suécia acabaram de assegurar o nascimento do Gripen E/F. Agora basta a mudinha se decidir pelo F-18E/F ou Gripen E/F. Se os boatos da hora estiverem certos, isso deverá ocorrer ainda neste semestre (queira D-us que dessa vez seja verdade). A jaca só leva se baixar MUITO o preço, e a França não aguenta vender jacas subsidiadas – só assim para o preço ser competitivo. Isso de aquisição. Quanto a life cycle, a jaca é muito mais cara que os demais. Isso não… Read more »

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Tanto o F-18 como o Gripen, independente da versão, já são usados em diversas FF pelo mundo. Há prós e contras contra ambos, pois a aeronave é bem conhecida. Já o Rafale é somente usado pela França e é pouco provável que os franceses vão abrir a boca para falar mal de seu equipamento.

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

FMV has looked at about twenty alternate upgrades where the most potent changes are linked to the Gripen’s success in the export market. 1. When Switzerland decide to purchase 22 upgraded E / F aircraft for 22.7 billion kronor to the Swedish armed forces agreed to purchase ten similar plan. 2. If Brazil shows a real interest in Gripen may come with a more radical modernization. If so, plan to stealth technology so as to be invisible on radar. 3. If it becomes necessary for NATO countries to buy the Gripen, it may be time to build on the plan… Read more »