terça-feira, agosto 3, 2021

Gripen para o Brasil

Nota Oficial da AEL Sistemas S/A referente ao Artigo “Sob as Asas dos Pais” publicado na Edição 2243 de 01-nov-2012 da Revista IstoÉ

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A AEL Sistemas S.A. (“AEL”) é uma empresa brasileira de alta tecnologia, situada em Porto Alegre (RS), com atuação nas áreas de projeto, engenharia, fabricação e suporte logístico de uma vasta gama de soluções tecnológicas para defesa, espaço e segurança. É uma empresa líder, no que se refere ao desenvolvimento e produção de hardware e software embarcados.

Dentre os seus cerca de 300 funcionários, a AEL emprega, em projeto e desenvolvimento, mais de 100 engenheiros e técnicos altamente especializados e está fazendo substanciais investimentos, com a finalidade de desenvolver e incrementar ainda mais as suas capacidades em tecnologias de ponta.

A Empresa foi fundada em 1980 com o nome de Aeroeletrônica – Indústria de Componentes Aviônicos Ltda e desde aquela data tem sido fornecedora de eletrônica embarcada para as Forças Armadas, de forma direta ou indireta através de fabricantes de aeronaves. Dentre os Projetos nos quais a AEL tem participação, destacam-se os fornecimentos de avionicos e modernizações das aeronaves F-5M, AM-X, AL-X Super Tucano e C-95 Bandeirante da FAB, A-4 da Marinha e Esquilo do Exército, entre outros. O fornecimento de Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas para a FAB e Torretas Não Tripuladas para o novo Blindado Guarani do Exército brasileiro são os mais recentes programas da empresa. A lista de clientes da AEL inclui a Embraer, a Helibrás, o INPE, entre outros.

Na área de sistemas e produtos para aplicações espaciais, a AEL participa em diversos programas do INPE para aplicação em satélites, tais como, unidades do Subsistema de Suprimento de Energia, Computadores de Bordo e unidades de Telemetria e Telecomando.

Desde 2001 a AEL tem sido um “centro de excelência” em tecnologia de defesa.

Na área de desenvolvimento tecnológico, destacamos a participação de engenheiros e programadores da empresa, no desenvolvimento de novos e sofisticados produtos e sistemas, nas instalações da Elbit Systems Ltd., em Israel, exercitando efetiva transferência de tecnologia. Ao retornarem ao Brasil, compõem, com os demais especialistas da empresa, o grupo de elite da eletrônica embarcada brasileira na AEL.

Mesmo dominando tecnologias de ponta, a AEL, por vezes, não logra sucesso nas suas participações em concorrências lançadas pelas Forças Armadas e outros clientes, no Brasil e no exterior. O histórico da AEL, a esse respeito, é muito similar ao de tantas outras indústrias brasileiras.

A AEL prima pela ética na prática de todos os seus negócios. O seu código de ética está publicado no site da empresa, aplicando-se também ao processo de seleção do seu pessoal.

Uma das políticas de recrutamento praticadas pela AEL é o encorajamento dos seus funcionários a recomendar potenciais candidatos a serem selecionados para futuras contratações. Dessa forma o nível de confiança do processo de seleção de novos candidatos é aumentado, e os atuais colaboradores valorizados. Importante ressaltar que qualquer cidadão pode se candidatar a vagas da empresa, encaminhando o seu currículo, por qualquer meio, inclusive através do site da empresa.

Cerca de duas semanas antes da publicação da matéria da revista IstoÉ criticando a AEL, seu autor telefonou, durante a manhã, questionando nomes, salários e critérios de seleção da empresa e dando prazo para resposta até o meio-dia.

No dia seguinte nossa assessoria de imprensa encaminhou a seguinte resposta:

“A AEL Sistemas é uma empresa ética que opera estritamente de acordo com a legislação brasileira e normas da indústria. Seus funcionários e os membros do seu Conselho são selecionados com base no seu profissionalismo, sua contribuição para a sociedade e para a Indústria de Defesa do Brasil. Temos orgulho de participar em projetos que demandam tecnologia de ponta e que geram reconhecimento internacional.”

A despeito disso, o jornalista preferiu nada mencionar, e mais do que isso, disse que a empresa não havia se manifestado sobre o assunto.

A maneira como o autor daquele artigo colocou as suas idéias, induz os menos avisados a acreditarem em irregularidades que absolutamente não existem.

DIVULGAÇÃO: AEL Sistemas

- Advertisement -

5 Comments

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Franco Ferreira

Em http://www.reservaer.com.br: “Autor Franco Ferreira Data 07/11/2012-1:22:06hs O blog “Poder Aéreo” republicou (em http://www.aereo.jor.br/2012/11/07/nota-oficial-da-ael-sistemas-sa-referente-ao-artigo-sob-as-asas-dos-pais-publicado-na-edicao-2243-de-01-nov-2012-da-revista-istoe/#comments) a nota oficial transcrita abaixo. “Nota Oficial da AEL Sistemas S/A referente ao Artigo “Sob as Asas dos Pais” publicado na Edição 2243 de 01-nov-2012 da Revista IstoÉ 7 de novembro de 2012, em Divulgação, Indústria Aeroespacial, Nota Oficial, por Fernando “Nunão” De Martini A AEL Sistemas S.A. (“AEL”) é uma empresa brasileira de alta tecnologia, situada em Porto Alegre (RS), com atuação nas áreas de projeto, engenharia, fabricação e suporte logístico de uma vasta gama de soluções tecnológicas para defesa, espaço e segurança. É uma… Read more »

Grifo

Caro Franco Ferreira, com todo o respeito abordar o quê? Seria o fim da picada uma empresa privada ter que justificar porque contratou um funcionário. O senhor tem filhos? Se tivessse um filho engenheiro eletrônico, gostaria que uma revista publicasse nome e foto dele dizendo que é despreparado e que foi o papai que arrumou o emprego dele, sem evidência nenhuma disso? Para mim a FAB e a AEL devem explicações sobre os contratos entre eles. A reportagem no entanto não fala nada sobre isso. Filmes eu já vi vários. Um deles é o filme de empresa israelense notoriamente corrupta… Read more »

HMS TIRELESS

É oportuna a nota plicada pela AEL em resposta à presente reportagem. De toda forma é bom prestar atenção que a mesma tem conteúdo fortemente político daqueles que em sua fúria anticapitalista sonham em acabar com a livre iniciativa e transformar a indústria bélica nacional em um glorioso conglomerado de estatais.

Franco Ferreira

Caríssimo Brigadeiro “Grifo”; De acordo com a teoria de “Jack, O Estripador”, vamos por partes: 1- “com todo o respeito abordar o quê?” – O periódico publicou um devaneio qualquer… A Força Aérea mencionou a matéria em nota oficial, vale dizer, recebeu o golpe! Ao retruca-lo, convalidou-o e não se ocupou de opor-se a nenhuma das elucubrações do jornalista. A empresa envolvida, por outro lado, editou uma “resposta” que a nada responde. Há fumaça… E onde há fumaça, há fogo! 2- “Seria o fim da picada uma empresa privada ter que justificar porque contratou um funcionário.” Aqui Vossa Excelência se… Read more »

HRotor

Nenhuma das Notas Oficiais, nem a da FAB, nem a da AEL, contestam a reportagem da Isto É, no que tange ao seu foco, objeto do título (“Sob as Asas dos Pais”). Não com argumentos sólidos e coerentes, que possam descaracterizar a ideia. Então, o fato é que os jovens estão trabalhando “sob as asas dos pais”! Pode ser legal, mas é imoral. Os líderes de uma Instituição militar sabem o quanto ficam expostos, o quanto suas decisões têm consequências. Quanto mais distantes do Bem Comum e mais próximas do benefício particular, seja para si ou para companheiros próximos ou… Read more »

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -