terça-feira, maio 18, 2021

Gripen para o Brasil

Emirados prestes a fechar compra com os franceses…

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

…de um satélite de vigilância

Segundo a UPI (United Press International), as esperanças francesas de vender 60 caças Rafale aos Emirados Árabes Unidos podem estar diminuindo, mas a França esteria prestes a fechar outro contrato militar de grande valor: um satélite de vigilância fabricado pela Astrium.

O site Intelligence Online noticiou na quinta-feira que o acordo deverá ser finalizado nos próximos meses, ajudando os Emirados a impulsionar sua capacidade militar, em contraposição à política expansionista iraniana e suas ambições nucleares. Seria a primeira grande venda da Astrium para o Oriente Médio, após uma tentativa mal-sucedida de vender um satélite ao Egito, em 2009. Um contrato com a Arábia Saudita também está em consideração.

As negociações com Abu Dhabi começaram há dois anos, e o satélite será baseado na plataforma Eurostar E3000, que é considerada um grande sucesso (na foto acima, da Astrium, um satélite baseado na mesma plataforma).

Em 24 de abril, os Emirados lançaram seu quinto satélite de comunicações, o primeiro a prover telecomunicações seguras e independentes para suas forças armadas. O satélite Y1A foi lançado do Centro Espacial Europeu de Kourou, na Guiana Francesa, por um foguete Ariane 5, e foi construído pela Yahsat, que é a companhia  Al Yah Satellite Communications dos Emirados, subsidiária da Mubadala. Em 2012, deverá ser lançado o Y1B, completando o programa de  1,66 bilhões de dólares da Yahsat. Os dois satélites também vão permitir comunicação comercial pelo Oriente Médio, África, Sudoeste da Ásia e Europa.

Há mais de uma década que os Estados do Golfo mantinham conversações sobre um sistema conjunto para alerta antecipado, mas por diversos motivos a iniciativa não se concretizou. Porém, a tensão entre esses países e o Irã parece estar incentivando a união para desenvolver suas capacidades militares comuns, diminuindo a dependência dos EUA para o alerta antecipado.

FONTE: UPI (tradução, adaptação e edição: Poder Aéreo)

IMAGEM (satélite baseado no E3000): Astrium

- Advertisement -

2 Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Ao que parece não são só os “americanu” que não gostam dos iranianos. Os vizinhos não gostam muito deles também.

Infelizmente só tem um povo aqui nas américa unida, nunca antes na história, é que tem admiração pelo outro barbudinho de lá.

Uitinã

É por causa da divisão étnica religiosa entre sunitas e xiitas que se odeiam, existem poucos países árabes, em que a população, e predominante Xiita.

Reportagens especiais

Poder Aéreo visita o ‘The National WWII Museum’ em New Orleans

Nova Orleans, cidade no estado americano de Lousiana, foi o lar do historiador e autor Stephen Ambrose, que escreveu...
- Advertisement -
- Advertisement -