segunda-feira, agosto 2, 2021

Gripen para o Brasil

Líbia: AM-X italianos operaram como caças-bombardeiros e reconhecedores

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

No último dia 10 de novembro, a Força Aérea Italiana Aeronautica Militare) divulgou nota sobre o transporte dos últimos meios e materiais que ainda estavam na Base de Amendola (Aeroporto de Trapani, na Sicília), e que foram empregados em missões sobre a Líbia. O transporte, realizado no dia anterior, concluiu para o 32º Stormo a participação na operação “Unified Protector” da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Como detalhe interessante na nota, está a afirmação de que os jatos de ataque AM-X* que equipam a unidade operaram, sobre a Líbia, tanto em missões de caça-bombardeiro quanto em surtidas de reconhecimento, utilizando os sensores de altíssima resolução do sistema “Reccelite”. Entre 22 de jullho e 31 de outubro, os jatos cumpriram aproximadamente 500 horas de voo.

A Força Aérea Italiana também informou na nota que, a partir do aeroporto de Amendola, foi utilizado em operações sobre a Líbia o veículo aéreo não tripulado MQ-9 “Predator B”, realizando missões ISR (Intelligence, Sourveillance, Reconnaissance – inteligência, vigilância, reconhecimento). Foram voadas aproximadamete 360 horas com o sistema.

FONTE / FOTO: Força Aérea Italiana (Aeronautica Militare)

*Foi mantida a grafia da nota original, com hífen.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo

boa notícia, apesar dos seus detratores, o AMX foi bem em todos os conflitos em que participou. Neste aqui, fez mais que o Gripen…(não por culpa do Gripen, mas por causo do governo sueco). Mas o fato é que um AMX faz 80% do que um Gripen é capaz de fazer…e os nossos modernizados farão ainda melhor.

Mauricio R.

Igualzinho aos Ghiblis de 1940-43, infernizando a vida do SAS.

Sagran Carvalho

Boa aeronave, grande projeto….pena foi que não a desenvolvemos… e acabou estagnada na FAB. O MLU dela está vindo com muito atraso.

Mauricio R.

Igual ao F-5, o MLU não se justifica mais, melhor gastar em um ac mais capaz.

Últimas Notícias

Pilotos russos usaram receptores GPS feitos nos EUA durante missões de combate na Síria

Pilotos militares russos usaram receptores comerciais GPS de navegação por satélite durante suas operações de combate na Síria, de...
- Advertisement -
- Advertisement -