sexta-feira, agosto 19, 2022

Gripen para o Brasil

Soyuz coloca em órbita dois satélites após primeiro lançamento a partir de Kourou

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Dois satélites de navegação ‘Galileo’ foram colocados em órbita esta semana por um foguete russo Soyuz lançado da base francesa de Kourou, no Guiana Francesa, no último dia 21 de outubro. Estes dois satélites, de um total de 30 planejados, permitirão que a Europa seja menos dependente do sistema norte-americano GPS.

O lançamento do dia 21 marcou também o primeiro evento com este tipo de foguete a partir da base de Kourou, que geralmente opera com foguetes Ariane V mais pesados. O lançameno do Soyuz a partir de Kourou possibilita o lançamento de cargas mais sensíveis das agências europeias sem a necessidade de usar a base no Kazaquistão. Por outro lado também são cargas muito leves que, em outro caso, significaria a subutilização do Ariane V. O local de lançamento está muito mais próximo da linha do Equador do que Baikonur no Kazaquistão, permitindo que a Soyuz transporte cargas mais pesadas em função da rotação da Terra.

Estão programados 14 lançamentos de foguetes Soyuz a partir da base de Kourou, de acordo com a Arianespace que comercializa o Soyuz na Europa, incluindo cargas militares.

O Soyuz já realizou mais de 1.700 lançamentos nos sites de Baikonur e de Plesetsk na Rússia. O próximo lançamento do Soyuz a partir de Kourou está marcado para dezembro deste ano.

O Ariane V e o Soyuz em breve terão a companhia do foguete Vega, um novo projeto europeu feito para transportar cargas leves. O primeiro lançamento do Vega deve ocorrer no início de 2012.

FONTE: Flight Global

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Poder Aéreo

Enquanto isso, no Brasil …

Centro de Barreira do Inferno lança foguete de treinamento

O Foguete de Treinamento Básico (FTB) da Operação Barreira V foi lançado com sucesso no  Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), no Rio Grande do Norte.

“O foguete atingiu uma altura máxima de cercaa de 32 km e caiu a  cerca de 15 km da linha do litoral, que era a área esperada de dispersão da queda do foguete. O objetivo desta operação é deixar os servidores do centro capacitados para as operações de lançamento e rastreio para a próxima operação, em que serão comemorados os 40 anos de cooperação tecnológica entre a Alemanha e o Brasil”, explicou o diretor do CLBI, Coronel Luis Guilherme Silveira de Medeiros. Ouça a entrevista

Além do lançamento, houve o rastreamento do foguete, com carga útil tecnológica, mas sem carga útil científica.

A Operação Barreira V envolve direta ou indiretamente 200 servidores entre civis e militares do CLBI. Participam da Operação a Agência Espacial Brasileira (AEB), Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), Instituto de Fomento Industrial (IFI), 3º Distrito Naval, Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e AVIBRAS.

FONTE: CLBI

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DrCockroach

Enquanto isso, no Brasil II…

José Genoino, assessor especial do ministério da Defesa e réu no processo do mensalão por corrupção ativa e formação de quadrilha, será agraciado com a Ordem do Mérito Aeronáutico.

A distinção será distribuída na quarta-feira, na Base Aérea de Brasília, com a possível presença de Dilma Rousseff, e em outras cidades, em comemoração ao Dia do Aviador, anteontem. Genoino deve receber a galhardia no grau comendador, a terceira mais elevada entre os cinco graus.
Por Lauro Jardim

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/genoino-nas-alturas/

Isto eh brincadeira?…

[]s!

Giordani RS

É Dr. Baratinha…me dá meu DDT que vou me sufocar um pouquinho…

Marcelo

1700 lançamentos! Deve ser o foguete mais usado da história, de longe.

Eduardo RA

Esqueram de colocar os fogos de artifício na ogiva. Pelo menos seria um bonito espetáculo.
Agora sem pilhéria: o programa espacial brasileiro já beira o ridículo. A “opnião pública” é alienada e sempre foi induzida a considerar o programa como ilusão, como se não fossemos capazes, uma megalomania, etc.
Pode ser que precise de mais seriedade do que o brazilian way of business permite. Não dá pra ser tanto “nas coxas”.

Dario

Pena que não é o VLS. Torço p/ o Brasil dominar por completo uma dia a tecnologia dos mísseis e seus sistemas.

Dario

Eduardo
Concordo. Defendo que as FA’s precisam se aproximar MAIS da sociedade civil e procurar administrar seus programas com maior foco nos resultados e retorno dos investimentos, através de parcerias estratégicas junto a iniciativa privada. Veja o caso da parceria da Embraer na área de satélites.

asbueno

A Base de lançamento da barreira do Inferno existe desde o final da década de 60. Os esforços iniciais indianos datam do mesmo período. Hoje eles lançam satélites e enviam sondas à Lua. Não precisariam os de bilhões, mas de um projeto viável, pessoas capacitadas em número suficiente e um orçamento também suficiente para a manutenção do projeto. Alguns milhões por ano e poderíamos estar vivendo um outro momento.

Dario

Uma das fções da AEB ( agência espacial brasileira ) é buscar meios e recursos para alavancar nosso programa. Como em vários exemplos conhecidos no serviço público, a AEB possui a maior parte de seu pessoal desqualificado, despreparado e sem qualquer interesse.

Últimas Notícias

B-52, JAS Gripen e F-35 em missão conjunta sobre a Noruega

Hoje cedo, caças suecos e noruegueses escoltaram bombardeiros estratégicos americanos B-52 sobre o território norueguês. Esta é a primeira...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -