terça-feira, setembro 21, 2021

Gripen para o Brasil

Tá barato pra caramba!

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Mais Super Hornet para a US Navy

A US Navy fechou hoje o tão esperado contrato plurianual com a Boeing, no valor de US$ 5 bilhões de dólares, para o fornecimento de 124 jatos F/A-18EF Super Hornet e sua variante Growler de ataque eletrônico.

O negócio vai fornecer à Aviação Naval 46 F/A-18E, 20 F/A-18F Super Hornet e 58 EA-18G, após a Marinha dar à Boeing US$ 5,2 bilhões para converter o “contrato de aquisição antecipada” em um acordo de preço fixo.

Esta última compra de Super Hornet permitirá à Marinha completar seu programa de aquisição de 515 unidades do Super Hornet e 114 Growlers até o final do ano fiscal de 2013, de acordo com um anúncio de 28 de setembro.

FONTE: DefenseNews

- Advertisement -

209 Comments

Subscribe
Notify of
guest
209 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joel

Nesse preço pode embrulhar e mandar pra ca.

Parece liquidação da Casas Bahia….

Pro inferno gripen e Rafale.

Fabio

Comprem logo os sapatos para a FAB que anda se chinelo furado a decadas… Deixemos essa historinha mexicana de TT correr em paralelo. A FAB precisa do equipamento urgentemente. Desenvolvimento e projetos deixemos pros estudantes e engenheiros.
FABIO, DIGITAR EM MAÍUSCULAS É PRERROGATIVA DOS EDITORES SÓMENTE.

ZE

515 Super Hornet para a US Navy;

114 Growler para a US Navy;

24 Super Hornet para os australianos.

Ainda tem os Emirados, Brasil, Índia…

Realmente dá inveja, não só da ESCALA, como da tecnologia embarcada nesse maravilhoso caça (no que pese aquela ladainha que o caça é velho, lento, vem de um país endemoniado etc etc etc).

[ ]s

Cor Tau

O pobre prefere um copo de vinho a um pão porque o estômago da miséria necessita mais de ilusões que de alimento….

ALDO GHISOLFI

Lembro quando começou o FX… todo mundo detonava o SH! Nada como um dia depois do outro, hoje quase todos querem a máquina por aqui, inclusive no São Paulo, se possível. Num post, onde levantei a possibilidade de investirmos tudo numa compra do maior número possível de SH, para que pudéssemos investir num vetor de 5ª geração, dizia que achava que se assim fosse possível, estaríamos dando um salto tecnológico imenso, que nem sabia se tínhamos condições de acompanhar. DioSanto!… levei tanto pau que até parei de postar por uns dias. E agora? O FX continuou, o ufanismo deu ligar… Read more »

Luiz Padilha

Pois é, enquanto isso o F5 continuará carregando o piano. Fazer o que?

Vader

Bela foto. Parece com o “Jordaniano” ali embaixo…

ALDO GHISOLFI disse:
28 de outubro de 2010 às 5:27

“Lembro quando começou o FX… todo mundo detonava o SH! Nada como um dia depois do outro, hoje quase todos querem a máquina por aqui, inclusive no São Paulo, se possível”

Verdade.

Sds.

Daniel Rosa

ALDO GHISOLFI disse: 28 de outubro de 2010 às 5:27 Como diriam algumas pessoas, “O mundo é redondo… e dá muitas voltas…!” Eu particularmente torço pelo NG, mas sendo um forum de discuções, onde o que são postadas são tão somente opiniões pessoais sobre um assunto vinculado, acho que podemos, e devemos discordar. Isso engrandece o debate, e a meu ver gera conhecimento, a dúvida gera a necessidade de busca de informações. Mas, não se pode faltar com o respeito, que sem sombra de duvidas a maioria aqui é merecedora. Sua ideia sobre “autoridades” lerem nossos posts é fantástica! Seria… Read more »

Ricardo

Não paro de dar risadas sobre o título “Tá barato pra caramba!”. Galante, pára com isso. Genial, boa sacada.

jomado

Qualquer coisa menos a “JACA”(rainha de hangar).

Alex

bem, e nós com 36 possíveis jacas, só poderemos ir a feira domingo de manhã….

Antonio Alvarenga

Esse preço não é válido para exportações.
Ele não inclui os equipamentos GFE (Government Furnished Equipment) que, no caso do F-18, são pelo menos os motores, o radar, o sistema de guerra eletrônica e alguns ítens do sistema de armamento.
Além disso, para exportação, incide uma taxa de administração do governo dos EUA.
Mesmo assim, é um preço muito competitivo.

Nick

Se a opção for comprar uma “prateleirada”, O Super Hornet seria a melhor opção tranquilamente.

Interessante, fazendo uma conta de padaria, 124 SuperHornerts/Growler valem por 36 Rafales. (claro que há diferenças entre as propostas, mas mesmo assim…)

[]’s

Rodrigo

E vem aí o Block III.

Ricardo_Recife

Este preço de 5 bilhões de dólares os 124 jatos F/A-18EF Super Hornet e Growler é resultado de duas coisas: um é feito em casa (para estrangeiro certamente é mais caro) e segundo, o aperto das contas públicas americanas. Não está embutido neste preço compra de novos mísseis e bombas

Gostaria de saber quanto ficaria isto via Foreign Military Sales (FMS)/DCSA. Normalmente os preços via FMS são muito bons, o México está recebendo três BlackHawks, Israel vai de F-35 Lightning II, India de Javellin, etc… Uns 72 F-18 SH via FMS para a FAB não seria nada mal!

ALDO GHISOLFI

VADER e DANIEL: é como dizia aquela ovelhinha lá de Bagé no meio do bando de zorros: “não tá morta quem peleia”! A conta que faço é a do Nick, claro que com os olhos bem abertos. Acho que, enquanto estivermos na peleia, discutindo, dando pau e elogiando, nem tudo está perdido; acho que até mesmo politicamente poderemos mostrar nossas opiniões, porque também não acredito que nem todas as autoridades não acessem nossos posts -elas devem ter um aspone e aspone sempre está a postos-. Também concordo contigo Daniel, discordar é preciso e preciso é sempre fundamentar a discordância. Grandes… Read more »

Latino

E no´s ainda de f-5m buaaaa !!!

Colt

US$ 41.935.483,87 por unidade.
Quanto tá o Rafale mesmo? Alguem aí sabe COM CERTEZA (e com link para a fonte), o valor da unidade do caça francês?

Manock

Colt,

o Rafale basicão, sem tapete, sem luz de teto e sem retrovisor na direita, sai por 60 milhoes de euros… rsrsrsrs

Manock

Dinho

Esse sim é meu preferido, mas… Tecnologia de ponta, já testado e aprovado, com escala, vários países como usuários, etc. Até entendo a preocupação com a transferência de tecnologia, que neste caso seria apenas a “necessária”, mas podem ter certeza, somente após algum tempo é que daremos conta da oportunidade perdida. Imagine optar por um caça bem mais caro, ou embarcar em um projeto incerto, e depois de algum tempo, continuarmos com um avião sem escala, e descobrirmos que a tão anunciada transferência de tecnologia não era tão total assim, e nem diferente da do SH. Vamos lá FAB, pés… Read more »

Paulo Silva

Esse é o cara!!!Um caca atualizado tecnologicamente e com escala para ninguém botar defeito.Serviria como uma luva na FAB e futuramente na MB em seu “novo” PA A-13.Pelas leituras por aí, o preco estimado para o SH é de U$55 milhões de dolares fly way.Os nossos F5M já passaram o tempo de se aposentarem.

Abracos

Paulo

Fábio Mayer

Certamente custariam bem mais caros para o Brasil porque:

a) Teríamos que comprar lotes dos armamentos adequados;
b) Teriamos de importar ferramental de manutenção, que os EUA já têm;
c) Teriamos que treinar pilotos e pessoal de manutenção, tarefa mais fácil para quem já opera a aeronave;

Mas é fato que a proposta da Boeing, vista aqui no blog, era bem atraente…

Ricardo_Mga

É na reta final do FX-2, dalhe noticia boa do SH e do NG.

Edu Nicácio

Manock disse: 28 de outubro de 2010 às 8:31 “o Rafale basicão, sem tapete, sem luz de teto e sem retrovisor na direita, sai por 60 milhoes de euros” Ops… O custo de PRODUÇÃO do Rafale é de 101 milhões de Euros. Não tem como a França vendê-lo por 60 milhões sem PESADOS subsídios… No mais, o Brasil, para fazer valer o acordo de cooperação assinado recentemente com os EUA poderia muito bem adquirir pelo menos 60 dessas belezuras, via FMS, com financiamento a perder de vista (15 anos) e com juros módicos (tipo, 4% ao ano)… Equipariam Anápolis (12… Read more »

Humberto

Se o Brasil decidisse comprar o F-18, com certeza os 36 seriam BEM mais caro que a dos gringos, pois com a primeira compra vem toda a infra-estrutura necessaria (desde bancadas de testes a manuais de como apertar o parafuso direito da tampa do sistema ……. passando por peças de manutenção, spares etc etc), treinamento dos pilotos, mecanicos e por ai vai..Já a partir de um possível (veja bem possível, não provavel) segundo e terceiro lote o preço tende a cair e bem.. É uma pena que a soma de um antiamericanismo e uma aliança estratégica (nem vou entrar no… Read more »

Carlos Augusto

A verdade é que a FAB merece o F-5M, agora precisa acrescentar a letra “E” de eternamente.

Rodrigo

Manock disse:
28 de outubro de 2010 às 8:31

O valor passado pela Assembléia Nacional Francesa é de 143 milhões de euros..

Paulo

Acredito que os EUA jamais venderiam ao Brasil uma quantidade maior do que uns 50 SH, para não desequlibrar a “balança do poder” na Al.
Se quisermos mais, teremos de ou comprar noutro fornecedor ou produzir aqui mesmo.

Leonardo

Enquanto isso no Brasil:

Vem aí o FX-3!!!

Manock

Edu Nicácio,

foi uma piada!

Manock

HARM

Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem, mas realmente… como ficaria a tal de transferência de tecnologia??? Tenho certeza que se perguntado, o Nelson Jobim vai vir com a ladainha de que embora mais barato a transferência de tecnologia não acontece nos moldes requisitados ( como se a Dassault fosse entregar tudo de mão beijada). Enfim – política 10 estratégia 0.

Abraços.

Gbeck

Pra mim é sonho querer o SH com os petralhas bolivarianos sentando no colo do Chaves, Fidel e daquele Iraniano idiota. Depois reclamam dos possíveis e prováveis embargos. Mas esse SH é uma bela de uma nave. Definir se determinado caça vem ou não vem por razões políticas é o fim da picada. Se formos falar em preço, armamento integrado e manutenção, é SH sem sombra de dúvida. Um avião pra compra e usar, sem esquentar a cabeça.

Francisco AMX

Isso daria um pouco mais que 40 milhas a unidade? não acredito nisso não! apesar de eu tecer críticas ao SH, sobre suas deficiências aeronáuticas e sua vida com final próximo, 2025/2030, frente a Gripen e Rafale, mas tb tecer elogios quanto a robustez, poder de fogo e aviônica, este valor não é real… pois se for veremos o mundo inteiro usando SHs muito em breve… até para “passear” rsrsrs – como já disseram: embrulha e manda uns 500 par cá! dá até para revender para a AL toda! rsrsrs O que mais me impressiona no SH é seu poder… Read more »

Vader

Colt disse: 28 de outubro de 2010 às 8:20 “Quanto tá o Rafale mesmo? Alguem aí sabe COM CERTEZA (e com link para a fonte), o valor da unidade do caça francês?” 101,1 milhões de euros o preço unitário de produção. 142,3 milhões de euros o preço unitário (de venda). Para nós, se excluirmos os 19,6% de imposto (VAT), o que supostamente ocorreria na exportação, dá respectivamente 81,28 milhões de euros o preço unitário de produção e 114,40 milhões de euros o preço unitário (de venda). Em dólar (euro a US$ 0,73), isso dá, respectivamente, US$ 111,23 (produção) e US$… Read more »

Rodrigo

Francisco AMX disse: 28 de outubro de 2010 às 9:33 Este é o valor puro da célula, sem ferramental, bancadas, manuais e etc.. A USN já tem tudo isto, não precisa de mais. Para nós estavam cotados a US$55 milhões, não é uma diferença tão expressiva. ———————————————————– Se fossemos comprá-los via FMS e sem os extras pagaríamos isto também. Pena que a falta de visão do nosso Governo nos deixará com mais F5. É bom lembrar que seguindo as atuais CNTP orçamentárias nem o SH, nós temos condições de operar, mesmo o valor de operação terrestre sendo bem menor que… Read more »

Vader

Francisco AMX disse:
28 de outubro de 2010 às 9:33

“este valor não é real… pois se for veremos o mundo inteiro usando SHs muito em breve… até para “passear” rsrsrs”

Chico, possivelmente este não seja o valor “limpo” dele pra exportação, mas não deve ser algo muito distante disso não.

O segredo?

ESCALA DE PRODUÇÃO!

Nada mais.

Tendo escala de produção qualquer coisa fica barata. De uma torradeira a uma nave espacial.

Não tendo escala por melhor que seja o produto a vaca vai pro brejo. Não tem milagre que dê jeito.

Abs.

Sopa

Pessoal, pra quem não tem nada qualquer “coisa” é bom, menos os F-5. Vide o caso dos EC´s foi porque o governo não investiu no desenvolvimento de um heli aqui com a Helibras. precisamos de qualquer um vetor desses pra ontem que seja o mais barato pra suprir o abismo que a FAB e MB tem. Aí depois sim investir num projeto de desenvolvimento, NG, PAKA, qualquer um que traga ToT. o que não pode é essa lenga lenga da FAB do GF do Brasil dos Brasileiros, quem quer corre atras não fica esperando, vide Coréia do Sul o quanto… Read more »

RL

Acho que para uma compra “tampão” de uns usadinhos para a FAB + MB seria interessante, cujo objetivo seria prover meios mais capazes ás duas forças.

Ai o FX2 ou sei lá em qual versão será, poderia ser discutida a tal de TT, seja no de quarta ou de quinta geração.

Se bem que, se demorar mais, estaremos discutindo um FX “Skywalker”, e quem vai decidir será o ministro Yoda, junto ao Darth Vader, Imperador e por ai vai.

Sopa

Vader disse:
28 de outubro de 2010 às 9:45

“Não tendo escala por melhor que seja o produto a vaca vai pro brejo. Não tem milagre que dê jeito.”

Me lembra o Osório !!

GSV

Rodrigo disse: 28 de outubro de 2010 às 9:39 Francisco AMX disse: 28 de outubro de 2010 às 9:33 “Este é o valor puro da célula, sem ferramental, bancadas, manuais e etc.. A USN já tem tudo isto, não precisa de mais. Para nós estavam cotados a US$55 milhões, não é uma diferença tão expressiva.” Caro Rodrigo se algum dia um militar americano sonhar em dizer que já “possui tudo” para a USN é ateado fogo em praça pública e este preço inferior veio após qual anuncio…. dou lhe uma… dou lhe duas… … … Quase USD 80 bi em… Read more »

Adler Brediks Medrado

É tão fácil pra eles…

Vader

GSV disse: 28 de outubro de 2010 às 10:02 “Por isso que tenho a opinião que o Gripen não emplaca uma escala dessas, mesmo com horizontalização… Desmembramento… Bi-partição ou sei lá qual outra estratégia… seus componentes são americanos e suas fabricas tb estão lá nos EUA…” Uai, mas se é americano desfruta da mesma escala americana! Num entendi essa… No mais, lembro ao amigo que o motor do Gripen é americano (produzido pela Volvo sob licença) e que só o motor responde por cerca de 30% do custo do caça. E por sinal é o mesmíssimo motor deste que aí… Read more »

Lucius Clay

Sou favorável a compra do SH, mas se a proposta francesa for boa mesmo na transferência de tecnologia certamente o aprendizado brasileiro irá trazer frutos maravilhosos para o nosso país, por isso que sinto mas nem tanto se a gente não fechar com os americanos… Sem dúvida é um produto maravilhoso, mas se conseguirmos evoluir o Rafale, e baratea-lo por que não? Teremos oportunida e acesso a diversos dados de pesquisa da aeronave; parece-me que o do Gripen também ofereceria oportunidades interessantes, conhecimento que ainda não temos, e em breve poderíamos reconstruir esses aviões do nosso jeito, isso me parece… Read more »

GSV

Vader disse: 28 de outubro de 2010 às 10:16 “qualquer outro caça do mundo “bater” a escala americana é missão quase impossível. O propósito da SAAB com o Gripen não é esse, mas apenas ser uma alternativa ocidental aos produtos gringos. A alternativa que a Dassault era com a família Mirage, mercado este que ela jogou na lata do lixo com seu Rafale.” Com uma pequenina diferença… o Mirage teve 3 “guerrinha” para mostrar sua performance… já o Gripen apenas é usado na Otan e alguns safaris… E sobre a Escala não vou debater pq vc é perito… mas mesmo… Read more »

Humberto

Creio que além da escala da fabricação dos caças, existe também a escala na fabricação dos componentes que podem ser utilizados em mais de um caça, isto sem contar que os gringos horizontam os fornecedores ao máximo (pois a concorrencia FORÇA a diminuição dos valores). Outras variáveis como o Dólar mais em conta, o valor investido em desenvolvimento já pago também tem um grande peso. Ou seja, além de ser o caça mais em conta (concordo com o Rodrigo sobre o orçamento) o mesmo é o desenvolvimento / aprimoramento de caças que já foram e estão sendo utilizados em combate.… Read more »

Ditmar

Mesmo se que não ocoram grandes nesta venda para o governo americano no momento sempre existirão as atulizações destes equipamentos no futuro, ou seja, quanto mais SH no mercado mundial maior sera o mercado para prestação de serviços no futuro.

Numa visão de longo prazo são serviços garantidos no futuro….

Ditmar

Digo: “ocorram grandes lucros”

Leo

Vader,

Você ainda não desistiu de tentar confundir os participantes deste blog?

http://www.senat.fr/rap/a08-102-5/a08-102-516.html

Sds

Vader

GSV disse:
28 de outubro de 2010 às 10:44

“creio que o SH excluindo sua escala não deixa a desejar em nada… e ainda pode no futuro receber o +++ (furtividade)”

Sem dúvida. Aliás um Silent Super-Hornet seria show hein?

Sds.

Vader

Leo disse: 28 de outubro de 2010 às 11:02 Prezado este custo de 70 milhões de euros é excluído o desenvolvimento e vc sabe disso; além do mais esses valores são de 2008: de lá para cá já aumentaram. Mas ainda que fosse isso, dá US$ 95 milhões de dólares por aparelho. Dá pra comprar 2,26 Super-Hornet para cada Rafale. Mais que o DOBRO! Ou seja: com 36 Rafales dá pra comprar 81 (OITENTA E UM) Super-Hornet´s!!!! E estamos falando só do custo de aquisição dos aviões PELADOS. Não estamos falando de financiamento, juros, armas, pods, equipamentos, bancadas, manuais, manutenção… Read more »

Últimas Notícias

Pintura comemorativa nas aeronaves da RSAF no 91º Dia Nacional da Arábia Saudita

O 91º Dia Nacional da Arábia Saudita contou com a apresentou das aeromaves Eurofighter Typhoon, Tornado, F-15C Eagle e...
- Advertisement -
- Advertisement -