Home Noticiário Internacional Israel vai alugar novos jatos de treinamento para substituir Skyhawks

Israel vai alugar novos jatos de treinamento para substituir Skyhawks

265
22

Em vez de pagar pelas aeronaves de treinamento, IAF fará locação de horas em jatos comprados pela Elbit e IAI

Questões financeiras e a diminuição dos orçamentos estão exigindo que a Força Aérea Israelense busque mecanismos inovadores de financiamento, uma vez que pretende continuar a modernização da sua frota de aeronaves envelhecidas.

O ministro da Defesa Ehud Barak deu sua aprovação provisória na semana passada para a compra de 20 caças “stealth” F-35 Joint Strike Fighters e a IAF está agora na fase final de apresentação oficial de um RFI (Request for Information) para os jatos de treinamento da Coreia do Sul e da Itália, que espera usar para substituir sua frota lendária de A-4 Skyhawk.

Conhecido pelos israelenses como o Ayit (Hawk), o Skyhawk chegou pela primeira vez em Israel em 1967, após a Guerra dos Seis Dias e foi o primeiro avião de combate que os Estados Unidos concordaram em vender a Israel. Ele serviu com destaque na Guerra do Yom Kippur, em 1973, e na Primeira Guerra do Líbano, em 1982.

Após a guerra, a IAF decidiu eliminar progressivamente a jato do serviço ativo e começou a usá-lo como um treinador avançado para cadetes na IAF no curso de piloto, depois de completar seu treinamento de vôo inicial em Fougas, que, recentemente, também foi substituído pelo turbo-hélice Beechcraft T-6.

A IAF está olhando seriamente dois candidatos para substituir o Skyhawk. O
primeiro é o italiano Alenia Aermacchi M-346 de treinamento transônico, usado
na Itália e Cingapura.

O Primeiro-Ministro italiano Silvio Berlusconi fez lobby pesado junto a Israel em
nome do fabricante do avião e este é visto como candidato líder dentro dos corredores diplomáticos, devido à estreita ligação do Primeiro-Ministro Binyamin Netanyahu com o seu homólogo italiano.

O principal concorrente do M-346 é o T-50 Golden Eagle feito na Coréia do Sul, em conjunto com a Lockheed Martin. O jato monomotor pode levar até dois pilotos em assentos em tandem, permitintido aos pilotos visibilidade superior. É considerado um dos melhores treinadores do mundo.  No ano passado, pilotos da IAF voaram para a Coréia do Sul e fim de examinar a jato.

O fechamento do negócio, no entanto, foi adiado, devido a condicionalismos orçamentários – particularmente à luz do acordo pendente do JSF, que deverá custar à IAF em torno de 2,75 bilhões dólares por 20 aeronaves, que começarão a chegar em Israel em 2015.

Assim, em vez de pagar pelas aeronaves de treinamento, o Ministério da Defesa decidiu abraçar a proposta da Elbit Systems e da Israel Aerospace Industries (IAI), que vão adquirir os jatos de treinamento e, posteriormente, farão a locação de horas de vôo para a IAF.

FONTE: The Jerusalem Post

NOTA DO PODER AÉREO: Taí uma solução que também poderia ser adotada pela Força Aérea Brasileira, já que os Xavante param de voar em outubro.

22
Deixe um comentário

avatar
22 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
papVaderEdcreekSabreJoão Gabriel Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gabriel from reu
Visitante
Gabriel from reu

Enquanto o F-x não sai, podiam fazer um T-x, agora que a inglaterra vai tirar os Bae hawk, EUA tem os Goshawk, a italia tem o MB-346 abriria um leque legal de treinadores avançados. e baratos.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…agora que a inglaterra vai tirar os Bae hawk,…”

A RAF está recebendo o Hawk T-2, derivado do Mk128 c/ glass cockpit p/, treinar os futuros pilotos de Typhoon e LightningII.

Tony
Visitante
Tony

é impressão minha ou está escrito ali 2,75 bilhões pelo F35? Vamos ver, vamos pagar 5,8 Bilhões para 36 jatos geração 4.5, 2.75+2.75- 5.5Bi por 40 jatos F35, interessante não?

Claro não estou considerando transferencia de tecnologia e pessoalmente não gosto do F35, mas é algo a se pensar!

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Uma vez esses aviões substituindo o A-4 na IDF-AF,eles não substituiriam os mesmos na nossa marinha ?

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…eles não substituiriam os mesmos na nossa marinha ?”

Essas aeronaves, salvo engano, não tem o gancho de parada.
E são mto mais velhas, que os nossos próprios exemplares.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

A possibilidade das FFAA brasileiras utilizarem um vetor “alugado” ainda está a anos de acontecer.

Infelizmente são coisas que já são normais no primeiro mundo, mas que ainda são impensáveis aqui.

General
Visitante
General

Tendência que deveria ser seguida pela MB

Groo
Visitante
Groo

Que empresário compraria as aeronaves e venderia horas para as FFAA brasileiras?

Em outros países o governo honra os contratos e se não pagar é só a empresa acionar o judiciário. Aqui na República das Bananas, mesmo ganhando uma ação judicial contra o governo, vc só recebe quando o governo quiser.

Aqui o governo não ia pagar e iria continuar voando – iria alegar “questões de segurança nacional”. Salvo se a empresa fosse ligada a algum figurão do governo, mas daí os custos desta ligação precisaria ser repassada ao custo das horas de voo.

Baschera
Visitante
Baschera

Como disse o Rodrigo, ainda não estamos neste estágio.

E depois, não há celulas disponíveis de M-346, T-50 ou Yak-130 para serem alugadas de imediato (ou no curto prazo).

Mas, tem aquela notícia (link acima, no pé da nota) de compra mesmo.

Eu soube que a FAB só começaria a discutir o assunto dos novos treinadores, depois de decidido o FX-2. Então a coisa vai longe…..

Sds.

Groo
Visitante
Groo

Baschera, acho que vc entendeu errado.

Os treinadores não erão alugados do fabricante ou das FFAA da Coréa do Sul, Itália ou Rússia. Eles serão comprados, novos, por uma empresa que, por sua vez, venderá horas de voo para a Força Aérea de Israel.

Justin Case
Visitante
Justin Case

Amigos,

Creio que o avião escolhido para desempenhar as tarefas que eram cumpridas pelo Xavante é o A-29.
Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

Galileu
Visitante
Galileu

Justin

matou a charada que de charada não tem nada, a FAB a anos dá a entender, que quem será e já é o substitudo do xavante é o ST.

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Mauricio,talvez eu tenha me confundido um pouco…rs

Eu e referia aos novos treinadores T-50 e ao M-346,se não seriam um bom substituto para os A-4..

Abraços!

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Para vocês verem.. Eu acharia mais importante do ponto de vista de ToT, investir pesadamente no Lift COM A EMBRAER ESCOLHENDO O PARCEIRO QUE FOR MAIS ADEQUADO, que ficar se matando com esta panacéia do FX2. Um pequeno avião supersônico, com aviônica de última geração feita pela Elbit/Aeroeletrônica e armas guiadas. Está muito mais dentro da capacidade do parque tecnológico brasileiro que ficar fingindo que a Dassault vai entregar algo de vulto do Rafale. O problema é que para os gênios do MD, isto é pensar pequeno. Retirando o viés ideológico vermelho dos apaniguados no MD, técnicamente falando grande parte… Read more »

Sabre
Visitante
Sabre

Denovo esse assunto, o treinador vai ser o F-5MF, e ponto final,dito e redito pelo Saito!

Sabre
Visitante
Sabre

Amigos, a não ser que ocorra um milagre até 2020/2025 vamos de ST e F-5MF e fiquem contentes se até lá tivermos pelo menos 24 FX totalmente Full, já como muitos sabemos doutrina não surgi do dia para noite, as vezes eu leio algumas pessoas criticando os Venezuelanos, pois não saberiam utilizar os Su30, isso por que já receberam a alguns anos, imagina quando recebermos os FX em 2014/2015, vamos levar uns 10 anos para deixa-los afiados!

Edcreek
Visitante
Edcreek

Olá,

Olha ai uns A-4 Skyhawk, se o FX2 não vingar podemos pegar os surrados caças Israelenses e modificar para o padrão M.

Brincadeira de mau gosto!!!!!e bota mau gosto nisso…..

Abraços,

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

A4 é com a turma de branco 😀 😀 😀 😀

Ed, cada país tem as FFAA que o Governo acha que precisa.

Tem países insignificantes em relação ao Brasil, com FFAA com altíssima tecnologia, mas nestes países os seus Governos dão a devida atenção ao assunto.

Alguém sabe o quanto sai a hora do A4 para a MB ?

Edcreek
Visitante
Edcreek

Olá, Rodrigo

Não sei qual o custo da hora de voo, porém a um tempo atraz tinha lido esse material muito interessante sobre o A-4 e o up-grade Brasileiro do avião.

O custo de modernização será de mais ou menos $ 8.8 Milhões de doletas a unidade, com previsão de extenssão da vida util do avião até o ano de 2025.

Ah informações interessantes, que quiser dar uma olhada:
http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MA4MB.pdf

Abraços,

Vader
Visitante

Sabre disse:
30 de agosto de 2010 às 9:40

“Denovo esse assunto, o treinador vai ser o F-5MF, e ponto final,dito e redito pelo Saito!”

Caro Sabre, isso SE (e nem preciso falar o tamanho do “se” que é) um dia vier um novo caça pra FAB.

Senão os pilotos irão treinar de STs mesmo e quem não gostar que peça baixa.

Sds.

PS: não sou “insider” e estou vendendo o peixe pelo preço que comprei, mas ouvi de um “passarinho” esse fds que o contrato de modernização dos “jordanianos” sai até o começo do ano.

Baschera
Visitante
Baschera

Vader disse: 30 de agosto de 2010 às 14:21 Sim… o contrato sairá logo…… poderia ter saído antes, mas o preço pedido pela “integradora”, inicialmente, foi um absurdo…… Groo disse: 29 de agosto de 2010 às 19:13 Não amigo, entendí certo…… conheço o processo de leasing….. mas reitero: não há células para o curto prazo (os Xavante e Impala só voam até dezembro ou antes…) e a FAB não está preparada (nem há legislação pertinente ) para que a força “terceirize” a compra ou alugue aeronaves. O que há é a terceirização de serviços de “check” e manutenção de algumas… Read more »

pap
Visitante
pap

ola

olha só? Uma chance para a marinha ter mais caças skyhawks, que pode-
riam ser usados tanto como reforço para o plantel de 12 que estão sendo
modernizados, como para integrarem um eventual segundo ou terceiro
esquadrão, que poderia ser no nordeste ou mm um no RJ.
Ou então, esses skyhawks poderiam ser “canibalizados”.
O mercados de aviaçao para a fab , a marinha e o exercito anda bem
interessante. Basta ter atitude e pode-se pensar em eurofighter ingleses,
F5 suiços, helicopteros russos…Não é para se pensar?