segunda-feira, junho 27, 2022

Gripen para o Brasil

Parceria entre Embraer e EADS não foi descartada

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Executivo da empresa brasileira afirma que está aberto para conversações

Dias após a European Aeronautic Defence & Space (EADS) ter negado qualquer acordo de cooperação com a Embraer, a empresa brasileira pode estar interessada em um acordo de cooperação com EADS. Tudo dependerá do tipo de projeto que a companhia européia, que controla a Airbus, tem em mente. O vice-presidente de Inteligência de Mercado – Aviação Comercial da Embraer, Luiz Sérgio Chiessi, afirmou a empresa está aberta para conversações com a Eads. “Mas isso depende do que eles querem colocar na mesa. Eu gostaria realmente de saber”, afirmou.

No início do mês, o executivo-chefe da Eads, Louis Gallois, disse que estava interessado no trabalho com a empresa brasileira. “Nós temos um grande respeito pela Embraer”, afirmou Gallois, acrescentando: “Estamos ansiosos em procurar formas de parceria”. Mas depois negou qualquer negociações com a empresa.

A companhia brasileira está buscando novos produtos para expandir sua participação no mercado regional de jatos, disse Chiessi. O executivo reafirmou que a decisão pode ser anunciada até o final de ano.

Segundo ele, a Embraer colocou de lado a idéia de produzir novas aeronaves turboprop movidas por motores de rotor aberto eficientes por enquanto. Vários obstáculos técnicos, como questões de segurança e de ruído, ainda têm que ser superados antes que os motores de rotor aberto sejam adotados pelas companhias aéreas.

A ampliação do catálogo para incluir uma aeronave nova e maior, que competiria potencialmente com os aviões com um único corredor da Airbus e da Boeing, também não é o foco principal da empresa, afirmou o executivo. Em vez disso, segundo o executivo, a Embraer está buscando uma “evolução” da sua gama atual de jato regionais, agregando desenvolvimentos tecnológicos, como novos motores e uma nova asa, mas mantendo a mesma fuselagem.

A Embraer prevê uma recuperação de suas entregas de aviões comerciais a partir de 2011, dois anos depois de declínio devido à desaceleração econômica. “No ano que vem, nós veremos uma recuperação real das entregas”, garantiu Chiessi. A taxa anual de entregas caiu para 120 no ano passado, de um pico de cerca de 160 em 2008, e será de cerca de 90 em 2010, destacou o executivo. Ele prevê que as entregas poderão aumentar para entre 140 a 160 em 2012 e disse que está confiante que a Embraer será capaz de manter sua participação de mercado de cerca de 45% no segmento de aeronaves com entre 60 e 120 assentos.

Chiessi afirmou ainda que a Embraer está em conversações com as autoridades chinesas sobre a transformação de sua linha de montagem em Harbin, na China, que atualmente produz jatos ERJ 145, para fabricar aviões ERJ 190. A demanda mundial por aviões comerciais de 30 a 120 assentos deve alcançar cerca de US$ 225 bilhões nos próximos 20 anos. O potencial total das vendas de aeronaves em 20 anos poderá atingir aproximadamente 7 mil unidades, incluindo 2.895 aviões nos próximos 10 anos e 3.980 no último semestre do período previsto.

A demanda será parcialmente conduzida pela substituição de aeronaves antigas que estão sendo aposentadas e pela adoção pelas companhias aéreas de novas tecnologias, como motores mais eficientes, em seus esforços para reduzir os custos operacionais.

FONTE:
Monitor Mercantil

LEIA TAMBÉM:

- Advertisement -

1 Comment

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Andre_Oliveira

Com a perspectiva de crescimento da economia brasileira e a possível dificuldade no desenvolvimento econômico europeu, não é impossível imaginar uma fusão estratégica entre EADS e Embraer para o desenvolvimento conjunto das próximas gerações de jatos com capacidade entre 150 e 250 passageiros..Seria uma ótima alternativa..

Últimas Notícias

Rússia lança barragem de mísseis na Ucrânia

As forças russas lançaram um ataque de mísseis de cruzeiro em larga escala em locais em toda a Ucrânia...
- Advertisement -
- Advertisement -