quinta-feira, março 4, 2021

Gripen para o Brasil

Rafale na França: 60 para a Marinha e a Força Aérea

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Rafale - elemento - foto Armee de lair - Sirpa air

O ministro da defesa da França, Hervé Morin, aprovou em reunião do comitê ministerial nesta quinta feira, 12 de novembro, a encomenda de 60 aviões de combate Rafale para a Marinha Francesa (Marine Nationale) e Força Aérea Francesa (Armée de l’Air). A encomenda já estava prevista na lei de finanças de 2009, elevando para 180 o número de aeronaves encomendadas do Rafale. As aeronaves deverão ser entregues equipadas com nova antena ativa de radar e melhorias no sistema de autoproteção.

As datas de entrega dos aviões serão ajustadas em função de contratos de exportação, de forma a otimizar a organização da linha de produção para as necessidades francesas e para as dos países com os quais a França propõe uma parceria no programa Rafale.

Antes do final do ano, o contrato deverá ser notificado aos principais fabricantes envolvidos no programa, a Dassault Aviation, Thales, Safran e MBDA, pela Direção geral de armamento (Direction générale de l’armement – DGA). A encomenda deverá beneficiar por volta de cem empresas de vários portes.

O Rafale está em serviço na Marine Nationale desde 2004 e no Armée de l´air desde 2006, e vem realizando missões operacionais a partir do navio-aeródromo Charles de Gaulle e no Afeganistão.

FONTE: Ministério da Defesa Francês    FOTO: Força Aérea Francesa /Sirpa Air

- Advertisement -

45 Comments

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Francisco AMX

Pois é… e nem a França iria comprar mais… pelo que diziam alguns amigos aqui do blog… Ah, olha só! não é que o Rafale “avoa” sem tanques externos?! 🙂 Aliás que linda foto! já pensaram ele nas cores de superioridade aérea da FAB?! show! Armado com 2 micas e 4 meteors + aqueles gigantescos tanques, que serão alijados assim que o spectra determinar, reduzindo o RCS significativamente. E se for para um CAP mais furtivo, apenas 2 Meteors na fuselagem + 2 micas nas pontas da asas, sem cabide sub-alar e sem tanques extras, ficando parecido com a foto… Read more »

Felipe Cps

Caraca, Francisco, não é que o bicho “avua” mesmo sem tanques externos? Resta saber quantos metros…

E quantos “avinhoezinhos” naum???? Será que não vai desequilibrar o poder na Europa não? Se eu fosse o britânico ou o alemão tava apavorado, rsrsrs…

No mais, até onde me consta nem MICA nem METEOR fazem parte da proposta das rainhas do hangar francesas.

Mas realmente ficaria bonito com as cores da FAB… desde que não custassem 100 MILHÕES DE EUROS CADA, o mesmo preço do Eurofighter Typhoon Tranche 3, o segundo melhor avião de caça do mundo…

Abs broe.

Wilson "Giordani" de Souza

Pois… 100 milhões de Euros cada, 9 mil Euros a hora de vôo… haja orçamento para a FAB…

[]s

Francisco AMX

Felipe, a imagem não “fala” que ele custa 5 milhões, nem que ele é rainha de hangar, eo que a hora vôo custa tanto, a imagem é clara! ele vôoa, e muito, sem tanques externos também! só isso! o que falei foi baseado na imagem! ah e existem várias destas! eu fico muito satisfeiro em assistir os vídeos do Rafale manobrando com manobra, com seus imensos tanques! coisa que nem todos são capazes de fazer! e demonstra a alta capacidade e robustez do projeto! isso é claro, visível, tem fotos e vídeos para confirmar! já o preço? onde está o… Read more »

Francisco AMX

Mas para lembrar os amigos, antes que me “pauleiem” demais, eu ficaria bem contente com a escolha do SH, não tanto pelo caça, mas acredito que se o Molusko e o Jobin e cia, escolherem o SH é pq os USA mudaram de fato sua postura conosco e vice versa! dae o Rafale, que é um grande caça, que me desculpe! 🙂 mas o SH passa a ser o avião que o F-22 terá que disputar eficiência! rsrsrsr e não terá para ninguém no “pedaço”
ENTENDIDO SEUS RADICAIS DE DIREITA!? 🙂

Abraços

flaviodepaula

Francisco AMX em 13 nov, 2009 às 13:01 Relaxa com o Felipe, ele sempre fala que o Rafale custa X, que a hora de voo custa Y, mas nunca diz a fonte….rsrsr, já perguntei isso dele em outros posts. Ele sempre vem com a conversa de que o Jornal A falou, que o jornal B desmentiu, que o jornal C disse….Mas fontes oficiais não tem. Quero que este FX2 acabe logo e nós possamos ver o real preço dos 3 concorrentes. A turma contra o Rafale só fala em preço, como se alguém soubesse o preço exato que consta no… Read more »

Felipe Cps

Obrigado Nunão! Tomou Flavião? (brincadeira, rsrsrsrs) 🙂 No mais, o preço de aquisição do Rafale de 100 MILHÕES DE EUROS saiu no “Liberátion”, e quando alguém (não me lembro quem) questionou o preço e afirmou que este seria menor porque subsidiado, a Dassault NEGOU PEREMPTORIAMENTE! Ou seja, o preço é este mesmo. Pode variar um pouquinho pra mais ou menos, mas não muda muito disso. Essa conta meus amigos, alguém vai ter de pagar. E vai ser “a gorda” (nós)… De maneira que se engana quem quer, ou quem tem motivos para enganar os outros (os governistas de plantão por… Read more »

flaviodepaula

Nunão em 13 nov, 2009 às 13:22, Nunão, valeu, dessa eu não lembrava. Felipe Cps em 13 nov, 2009 às 13:45 Pô colega, nessa eu tomei mesmo oh, rss Mas ainda falta a fonta oficial que o Rafale vale 100 milhões de euros. “A Dassault nunca disse o preço do Rafale na concorrência, o que ela negou doi o preço dado pelo jornal. Alias, jornal sempre tem dessas, ficar espalhando boatos e mentiras. por isso não gosto deles, rs Mas os indícios são muuuuuuuito claros no sentido de que o preço da aeronave francesa é inacessível para a realidade de… Read more »

Francisco AMX

Agora falando em Design!

O Rafale perto dos outros 2 parece ser uma espaçonave! olhem que linhas mais bacanas e limpas! este caça sem os cabides deve voar como poucos no mundo….

Hornet

O Le Liberation fez a mesma coisa que os jornais brasileiros costumam fazer: especulou. 9,8 mil euros a hora vôo é muito diferente do que estavam dizendo sobre os custos do Rafale (9,8 mil euros é cerca de 14 mil dólares, e não 24 ou 30 mil como diziam). E se o valor do Rafale oferecido ao Brasil for idéntico ao valor que a França o compra, será de 50 milhões de Euros cada, cerca de 74 milhões de dólares. E 74 milhões de dólares não são cem milhões. Existe uma diferença aí. No entanto, são esses os valores que… Read more »

Ivan

Hornet,

A questão é equilibrar os pontos.
Vamos ter que aguardar.

Por via das dúvidas estou de olho nos possíveis caças leves do mercado… Sei lá, melhor me manter informado. He he he…

Abç,
Ivan.

Robson Br

putssss

dois posts seguidos do rafale no “poder aéreo” e sem críticas editoriais….rsrrsrsrsrs

Agora tenho certeza…….

mas como disse o (Ivan em 13 nov, 2009 às 16:59):
“”Por via das dúvidas estou de olho nos possíveis caças leves do mercado… Sei lá, melhor me manter informado. He he he””

ZE

Hornet em 13 nov, 2009 às 16:25 “O Le Liberation fez a mesma coisa que os jornais brasileiros costumam fazer: especulou. 9,8 mil euros a hora vôo é muito diferente do que estavam dizendo sobre os custos do Rafale (9,8 mil euros é cerca de 14 mil dólares, e não 24 ou 30 mil como diziam).” Caro Hornet, quem disse que a hora de voo do Rafale era de 35.000 Euros foi a Cour des comptes (uma espécie de Tribunal de Contas da União). Como disse em meu post: ” Senhores, tudo é questão de escala. Preço, prontidão… É questão… Read more »

Thierry

ZE your only arguments against the Rafale are price (false-I ‘ll explain later)and scale comparison between french air force and navy “market” and F 18 US “market” First,let me say that if Brazil had really wanted to buy american,they should have jumped on some experienced F16, ready on stock at the manufacturer, at discount prices and I think more adapted for Brazil than the F18 SH.Or Brazil should have joined what USA has the best now for the future;the test F35 but at which price and when? and being the number 6 or 9 on the waiting list( after UK,Italy,Turkey,Australia,etc… Read more »

Francoorp

Sempre muitas polêmicas neste FX2, FX2 no qual eu mesmo tinha prometido não postar mais até o final dos finais, fim ao ultimo gongo, mas neste caso do novos 60 Rafales…Bem deverão fazer algo a mais para aumentar a produção, pois a Dassault tem capacidade para produzir até 25 Rafale por ano, na planta de montagem final de Mérignac. ZE: Nós estamos comprando também (embutido no preço) as tecnologias que serva à indústria nacional, não somente o produto final. O custo de hora vôo pode abaixar graças a escala…como você mesmo citou, lembrando que nesta escala entra também a produção… Read more »

Tales

Hornet: “Para variar”, foi muito bem colocada tua ponderação. A discussão que ora se trava acerca do preço do Rafale faz-me lembrar muito do que se discutiu durante o programa AMX. Lembro que, lá pelos idos dos anos 80, a “mídia” chegou a brincar com o programa AMX, afirmando que a aeronave resultante desse deveria receber o designativo de F-32, porque custaria o “dobro” do F-16 (2 x 16 = 32). No entanto, por volta de 1990 era noticiado que o A-1 custava em torno de US$16milhões. E foi graças ao AMX que a Embraer adquiriu a capacidade e a… Read more »

Francoorp

Thierry:

“Brazil select France and vice versa.Like a marriage in a way.For the best or the worst” , it’s true, now the FX2 , F-18 the end in this “shopping”, Gripen NG, SAAB is not aircraft disponible before the 2018… Dassault the favorites to Brasilian government , and is the END of discurss!!!!

The marriage for the best!

SDS

Hornet

Zé,

então, pode ser da forma que for. Mas não é bem esse o ponto chave do FX2.

Ivan,

esse equílibrio está sendo negociado. É pra isso que se tem técnicos analisando as propostas e políticos negociando.

O Brasil está dando preferência total para a França por “N” motivos. Mas principalmente por motivos geopolíticos. Preços e custos são negociados. Posicionamento geoestratégico já é mais complicado de negociar. E como interessa tanto ao Brasil como a França um novo realinhamento geopolítico no mundo, então…

abração

Ivan

Hornet,
Chegou cedo no blob, normalmente sua noite começa de madrugada.
Brincadeira amigão.
O Baschera, Casag e Justin também na área.
Abç,
Ivan.

baschera

A diferença de preços entre o Rafale e o F/A-18 não é de 40%, segundo Jean-Marc Merialdo, diretor da Dassault no Brasil.

Bem…é quase isto…em percentual. A conta é de um colega de outro fórum :

RESUMO
Dólar comercial (em R$)..1,7200
Euro (em R$) …………. 2,5655
Libra (em R$) …………. 2,8686

A CONTA
F/A-18 SH……. US$ 54 milhões x 1,72 = ……. R$ 92.880.000,00
RAFALE………. EU$ 50 milhões x 2,56 = ……. R$ 128.250.000,00
——————————————————————–
DIFERENÇA ……………………………….. R$ 35.370.000,00

% DE DIFERENÇA EM RELAÇÃO AO PREÇO DO F/A-18 SH : – 38,08%

Sds.

Ivan

Baschera,

A noiva francesa tá ficando mais simpática… e liberal.
Já tá querendo mostrar tudo,
toda a tecnologia embarcada e de produção.

O Francoorp já casou… o Hornet também.

Sei não amigo, o caso é sério.

Abç, Ivan.

P.s.: continuo procurando um LIFT / Caça Leve, tipo uma namorada…

baschera

Ivan,

“continuo procurando um LIFT / Caça Leve, tipo uma namorada…”

Tem um novo, pelo menos para mim…. é o FTC-2000 Mountain Eagle fabricado na China e que é um derivado do MiG 21.
Veja foto no link abaixo :

https://www.military-today.com/aircraft/jl9.jpg

Sds.

Ivan

Chinês não, por favor…

Ivan

Mas se for da Índia tem jogo…

Baschera,
O Delta Tejas da HAL tá ficando muito arrumado.
O preço em rúpias não deve ser lá muito caro.
‘Tá’ merecendo uma visita.
Certamente poderia usar tanto a F-414 como a M-88 ECO.
Abç,
Ivan.

Hornet

Ivan em 13 nov, 2009 às 20:40

É que meu fuso horário é do Japão…hehehe

Não tenho culpa que o Brasil está no fuso horário errado…hehehe

abração

Ivan

Hornet,

Hoje esperei vc retornar, mas já vou dormir.
Meu fuso horário é nordestino mesmo.

Em tempo,
A conversa do Almirante Edouard Guillaud está muito interessante.
Acho que ele bobeou na questão dos armamentos, pois a MBDA é européia e não francesa, mas estam chegando.

Uma boa concorrência é saudável.
O saldo final será positivo.

Abç,
Ivan.

Hornet

Ivan, sim, a entrevista em o Globo com o Almirante Edouard Guillaud está muito interessante. Aliás, boa parte do que venho falando faz tempo está lá…enfim… Mas acho que ele não bobeou não. A MBDA é Européia (e a França, até que provem o contrário, ainda fica na Europa…hehe) e integra o consórcio do Rafale. Além disso, a MBDA tem capital majoritário francês e seu presidente (chefe executivo) é francês: Antoine Bouvier. Portanto, não houve nenhuma derrapada, não. Está tudo em casa. Vou aproveitar a deixa e colocar o link com a entrevista do Almirante Edouard Guillaud aqui para quem… Read more »

Thierry

Hornet, what a story for France to have the impoliteness to walk on long american territory and have the pretention to propose another solution than invariable Pax Americana(Pax Americana= satellite control, fleet around,permanent bases here and there, exclusive orders to their industrial military complex, creation of regional tensions once every 10 years here and there -in order for their suppliers to be able to replace broken equipment at war) Hopefully Brazil and France made a good deal.USA remains an ally and a neighbour friend but the World is large and we want other options and multiple cross links Multi-lateralism is… Read more »

Hornet

Thierry,

France is very bold…And Brazil, very naughty…hehehe

That’s only a joke! Of course.

The multi-lateralism is not the future, it is necessary to create some future. Otherwise, the present will be eternal.

You are totally correct!

abração

Ivan

Hornet, Temos divergências, diferentes ângulos de visão muitas vezes, mas no que interessa quase sempre convergimos. Também acredito que o mundo precisa ser multi-lateral imediatamente, não apenas no futuro, mas sempre. Também acredito que uma parceria estratégica Brasil-França possa ajudar neste objetivo. Espero que na França exista mais gente que acredite nisso, além do Thierry, Edouard Guillaud e Sarkozy. Contudo é essencial que isto se dê SEM ANTI-AMERICANISMO. Seria tolice excluir os EUA da equação estratégica brasileira. Tolice das grandes, pois nem a França… e nem a China o faz. Vejo os EUA como um amigo ricaço e fortão que… Read more »

Hornet

Ivan, deixa eu explicar aos colegas o que significa de fato essa idéia de “anti-americanismo”: essa é uma ideologia construída de forma “religiosa”, com um fundo de fanatismo forte no meio. Essa visão foi se construíndo ao longo do século XX, mas se fortaleceu e ganhou de fato “ares religiosos” (missionários) na época da guerra-fria. O que prega (no sentido religioso missionário) essa ideologia? Que, ou se é totalmente a favor dos EUA ou se é totalmente contra. Ou se é amigo e se aceita tudo o que os EUA são e fazem (e portanto se chegará a salvação eterna);,… Read more »

Justin Case

Muito bom o “post”, Hornet.
Foi uma aula. Obrigado.
Abraço,

Justin

Ivan

Hornet, Primeiramente preciso dizer que quando falei de antiamericanismo não me referia a você. Na verdade NÃO ME REFERIA A NINGUÉM em particular, mas ao sentimento que por vezes se instala, possivelmente oriundo das doutrinas do tempo da Guerra Fria, alimentada pelas lideranças que se beneficiavam disso. Estas lideranças estavam tanto dentro dos EUA, como fora dele, pois era conveniente para muitos, particularmente lideranças com traços totalitários, e ainda é, simplificar a vida de forma maniqueísta entre ou bem e o mal, quando o bem é quem está 100% comigo e o mal é quem está 100% contra mim. Contudo… Read more »

Hornet

Meu caro Ivan, eu não escrevi achando que vc pense assim ou coisa do tipo. Só usei sua deixa pra esclarecer o sentido do “anti-americanismo”. Apenas isso. Maniqueísmo é um conceito geral, o que quis fazer foi explicar a origem específica deste maniqueísmo que envolve um aspecto ideológico contruído historicamente. O “anti-americanismo” é uma ideologia maniqueísta, mas nem toda ideologia maniqueísta se dá como “anti-americanismo”. É claro que os EUA não inventaram o maniqueísmo, apenas alimentaram (ainda alimentam) uma forma específica dele. E sobre a França ficar na Europa… poxa! estava só brincando com vc, não leve a sério. (até… Read more »

Hornet

Ivan,

hehe..estou rindo aqui: acho que tivemos um pequeno momento de “diálogo entre surdos”.

Vc não escreveu pra mim, e eu não escrevi pensando em vc, embora estivéssemos comentando um para o outro diretamente…e ficou confuso por causa disso…hehe

Mas acho que já está tudo nos eixos de novo. Se achar que não está me fala.

Agora, vc não gostar de Jack Daniels é terrível!!! Só falta falar que não gosta do Miles Davis também…hehehe

abração

ivanildotavares

Este Blog está muito instrutivo. É muito legal aprender lendo os posts aqui. Fico feliz também com o respeito, o carinho que alguns participantes apresentam uns para com os outros como, por exemplo, o Hornet e o Ivan. O Nunão, como sempre muito feliz nas colocações, o flaviodepaula, etc. Além do alto nível das explicações, ponderações, etc. Interessante também o interesse do Thierry. Para mim o Blog está bem melhor.

Saudação a todos.

motta_eiras

Pra quem quiser ver e ouvir a entrevista do embaixador americano q está rolando no UOL é possivel perceber um certo desanimo americano, embora a entrevista tenha sido muito mal conduzida pela reporter.
Não há qq menção clara do q será transferido e contrapartidas , apenas a insistencia de que a boeing é a melhor empresa do mundo e q a perda da concorrencia em nada afetará nossas relações e futuros acordos. Entrevista em ritmo de bye bye Brasil.

Sds

Ivan

Hornet, “Diálogo entre surdos”. Adorei esta metáfora, vai ‘p’ro caderninho’… kkkkkkkkk. Inicialmente o mais importante: Eu escrevi apenas que o Jack Daniels é muito forte, não é o meu preferido, mas mesmo assim tenho uma garrafa em casa, justamente para os amigos. Não me condene por esta não ser minha primeira opção, mas a sua garrafa está guardada. Quanto a Miles Davis tá tudo ótimo… Em tempo, sou fã do Mickey Mouse e gosto muito do Asterix. Quanto a questão tipo “Europa, França e Bahia” um esclarecimento entre surdos. Entendi a brincadeira da primeira vez, logicamente. Mas a questão dos… Read more »

Hornet

Ivan, hehe…entendi! O que eu sei é que a MBDA faz parte do consórcio Rafale. Ou seja, é o consórcio que está oferecendo o Rafale (junto e com o apoio e o aval do governo francês) etc. e tal. Eu acho que não podemos levar ao extremo essa situação de pedir permissão pra um ou para outro, porque senão logo estaremos tendo que pedir permissão pro Paraguai (hehe). Ou pra Taiwan…hehehe O que eu penso sobre isso são duas coisas: o controle político da empresa é francês e o interesse comercial supera outros pontos (pois a emnpresa sabe que se… Read more »

Ivan

Hornet,
De qualquer forma vou estudando um plano B, pós FX-2.
Talvez um Mako com turbinas M-88 ECO, quem sabe?
Abç,
Ivan.

Ivan

Nunão, O Mako era uma boa idéia mas morreu, acredito que por inanição. Quanto ao assunto LIFT / Caças Leves estarei sempre que possível provocando discussões. Este assunto vai aquecer realmente após a definição do FX-2, particularmente quando começarem a fazer a conta da hora de vôo versus orçamento. Como o provável vencedor será o Rafale e sua hora é caríssima, até pela conjuntura operacional, será invitável um LIFT para treinar e um Caça Leve para compor a frente de batalha. Quanto ao Golden Eagle a minha restrição é simples: Tomada de ar baixa, risco de ingeção de objetos estranhos,… Read more »

Justin Case

Amigos,

A interface homem-máquina das aeronaves modernas está cada vez melhor.
Os recursos de simulação ajudam a dominar a máquina e seus sistemas Até mesmo o ambiente de ameaças pode ser simulado.
Nesta conjuntura, a utilidade de lead-in fighters passa a ser discutível.
Até mesmo a Suécia pensa em sair de um treinador primário – ou nada – para o Gripen.

Justin.

Combates Aéreos

Canhões ou Mísseis?

Traduções inéditas por Roberto F.Santana “Os mísseis ar-ar deram aos nossos caças uma grande vantagem sobre o MiG-17, que tinha...
- Advertisement -
- Advertisement -