domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Notícias do F-X2 na Câmara

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

finalistas-f-x2

A audiência pública sobre os planos de transferência de tecnologia no processo de aquisição de caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), marcada para as 9h desta quarta-feira (14-10) no plenário 13 da Câmara, convidou as seguintes pessoas:

  • os ministros da Defesa e da Ciência e Tecnologia,, Nelson Jobim e Sergio Rezende;
  • o diretor-presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado;
  • o reitor da Universidade de Campinas (Unicamp), Fernando Ferreira Costa;
  • o diretor da Dassault International do Brasil Ltda., Jean-Marc Merialdo;
  • o diretor da Saab no Brasil, Bengt Janér;
  • o vice-presidente da Boeing, Robert Gower; e
  • o diretor-presidente da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil, Walter Bartels.

Seguem informativos da Câmara sobre a audiência:

Boeing promete transferir tecnologia e montar caças no Brasil

f18-super-hornet-foto-boeing

O vice-presidente da Boeing, Robert Gower, disse há pouco que os EUA vão transferir toda tecnologia do caça F-18 Super Hornet para o Brasil, se o País resolver comprar os 36 caças reaparelhar a Força Aérea Brasileira (FAB) da empresa americana. Concorrem com o Super Hornet, o Gripen, da sueca Saab, e o Rafale, da francesa Dassault. Segundo Gower, a aeronave da Boeing é mais moderna, econômica e segura das três.

O vice-presidente da empresa norte-americana participa de debate promovido pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática sobre a transferência de tecnologia no processo de compra dos aviões. A Boeing também prometeu transferir tecnologia para manutenção dos Super Hornet e montar os aviões no Brasil. As peças das aeronaves serão importadas.

A decisão norte-americana de transferir tecnologia é inédita. Desde o fim da 2ª Guerra Mundial, os EUA não transferiam tecnologia de nenhum equipamento militar em operação para outro país, no máximo ofereciam parceria para manutenção e uso. O congresso americano já aprovou a transferência de tecnologia. A Boeing também se comprometeu a construir um laboratório no Brasil para desenvolver tecnologia para construir aviões invisíveis a radares.

Empresa sueca diz que transferirá toda tecnologia pedida pelo País

gripen-ng

O diretor da Saab no Brasil, Bengt Janér, disse há pouco que a empresa irá transferir toda a tecnologia pedida pela Aeronáutica e pela Embraer se o País optar por comprar os caças da Suécia. Além disso, todas as aeronaves que serão compradas pelo governo brasileiro serão produzidas inteiramente no País.

O Brasil pretende comprar 36 caças para reaparelhar a Força Aérea Brasileira (FAB) e avalia o Grippen, da Saab, o F-18 Super Hornet, da americana Boeing, e o Rafale, da francesa Dassault. Janér participa de debate promovido pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática para avaliar a tecnologia oferecida pelas interessadas.

A Saab oferece também parceria com empresas brasileiras para o desenvolvimento das aeronovaes suecas. Pela proposta de Janér, 80% da estrutura física de cada aeronovave será construída no Brasil, inclusive das que serão vendidas na Suécia. Além disso, toda parte eletrônica dessas aeronaves será produzida no Brasil.

Os softwares serão produzidos em conjunto pela Saab e pela Embraer, o que significa que a empresa brasileira poderá, depois, produzir esses softwares sem a presença da Saab. A empresa sueca também se comprometeu a instalar no país um laboratório de tecnologia supersônica e outro para desenvolver tecnologia eletrônica.

Tecnologia de caça francês não envolve outros países, diz Dassault

rafale-03 

O diretor da Dassault International do Brasil Ltda., Jean-Marc Merialdo, informou hoje, em audiência na Comissão de Ciência e Tecnologia, que a França não necessitará de autorização de nenhum outro país para vender caças Rafale ao Brasil, pois domina toda a tecnologia para criação e evolução desses aviões.

O Brasil está negociando com a França a compra de 36 aviões de combate Rafale. Esse avião foi criado nos anos 80 para substituir sete aparelhos diferentes, entre eles o Mirage 2000 e o Super Etendard. O caça Grippen, da sueca Saab, e o F-18 Super Hornet, da americana Boeing, concorrem com o Rafale da Dassault. O governo brasileiro ainda não decidiu de quem comprará os aviões.

Merialdo disse ainda que o governo francês autorizou a Dassault a vender o Rafale e os sistemas de manutenção do avião com transferência de 100% da tecnologia.

FONTE: Portal da Câmara dos Deputados

- Advertisement -

80 Comments

Subscribe
Notify of
guest
80 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hornet

Aos poucos o pessoal vai transcrevendo o que os caras falaram e colocando na internet. Acabei de achar a transcrição do Bob Gowner. Aqui vai na íntegra: “The Boeing Company Declaração sobre Transferência de Tecnologia Senhores membros da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, desejo agradecer a todos pela oportunidade que me foi dada para dirigir-me aos senhores e descrever a proposta do Super Hornet da Boeing para a concorrência do programa F-X2. Eu sou Bob Gower, vice-presidente da Boeing para os programas Super Hornet e Growler, com sede na cidade de St. Louis… Read more »

Lucas

Cara já estou ficando nervozo com esta novela, escolhendo qualquer um dos vetores já é um grande passo para a força aérea, depois de toda a discução sobre qual avião é melhor e qual é pior é o que menos importa, pois este aviões serão usados para o desenvolvimendo de um outro avião nacional.
Abraço.

Caipira

mane em 14 out, 2009 às 17:22

Pois eu dúvido que a EMBRAER ou qualquer outra empresa brasileira tenha hoje, ou possa ter em curto prazo, mesmo com qualquer TIT (essa balela que inventaram pra comprar eqpto militar a preços exorbitantes)capacidade para FABRICAR um caça aqui no Brasil.
Mas é só opinião de um caipira né…posso estar errado.

Ricardo GF

Por mais que neguemos, uma vez mais nosso Presidente deu uma tacada de mestre ao pré-anunciar a “preferência” pelos Rafale, ainda que os mais ingênuos o critiquem pelo ato alegadamente inadvertido…TODAS as ofertas acabaram sofrendo melhorias que poderiam ser consideradas impensáveis no início do processo. O Brasil tem tudo para se dar MUITO bem com qualquer uma das aeronaves tendo em vista as ofertas revisadas…ainda que minha escolha continue sendo o Rafale pelo conjunto da cooperação e a disponibilidade concreta da aeronave. Parabéns, Brasil…só os eternos afetados pelo complexo de vira-latas não enxergam o país como o resto do mundo… Read more »

Caipira

cj em 14 out, 2009 às 17:35

Parceria com Tio Sam? Só se for a parceira CARACU – eles entram com a cara… e nós com o resto!!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

E olha que pode ser pior, imagina se eles entram com outra parte em vez da cara!!!!

kkkkkkkk

Felipe Cps

Pessoal, só lembrando que essas reuniões normalmente passam na TV Câmara (e reprisam). Nada como ver de fato o que os aras falaram neh?

Sds.

cj

Parceria com Tio Sam? Só se for a parceira CARACU – eles entram com a cara… e nós com o resto!!

Cantarelli

a boing promete montar os caças no brasil nosssa que salto tecnologico empresa que monta avioes ja temos que nos adianta montar outro modelo? fora SH!!!

Erich Hartmann

A frase que está a baila trazida pelo eminente ministro da defesa é “transferência irrestrita de tecnologia”…Boeng,Dassault e Saab começaram o seu “quem dá mais”…

Particularmente na minha ignorância no assunto confiaria mais na Saab pelo cumprimento de acordos recentes a outros países,mas como amante da aviação e desejando o melhor equipamento para nosso país desejaria muito que a Dassault cumprisse plenamente o que eles estão “vendendo”.

Super Hornet …alguém ainda acredita que os congressitas norte-americanos não irão eventualmente interferir maléficamente na Boa vontade da Boeng em nos fornecer algum nível de TT(ou TIT segundo Nelson Jobim…)?

mane

“Ou ele tá mentindo descaradamente nessa parte, ou na parte que os caças estarão operacionais em 2014….é muita cara-de-pau.”

Ele está correto. Todos os Gripen NG comprados pelo Brasil serão produzidos na Embraer. A SAAB é a única que oferece isto.

Os Gripen NG serão entregues a partir de 2014. Não vão aparecer os 36 ao mesmo tempo.

Caipira

Do tal do Bengt Janér da Saab:

“…Além disso, todas as aeronaves que serão compradas pelo governo brasileiro serão produzidas inteiramente no País…”

Ou ele tá mentindo descaradamente nessa parte, ou na parte que os caças estarão operacionais em 2014….é muita cara-de-pau.

Hornet

Nunão,

que eu sei também é isso. Trata-se daquela parceria Brasil-EUA para desenvolvimento do hipersônico. Mas essa parceria já existe, fora do FX2. Não precisa do Fx2.

É estranho colocar na pauta do FX2 uma parceria que já existe!!! Se for isso, é claro…

abração

ps. Representes da Unicamp estavam nessa reunião…depois vou ver se consigo saber de alguma “fofoca” de bastidores…se conseguir eu passo pra vc, ok?

Dr. Obivio

Alo…….., só existe uma razão lógica para eles quererem construir Stealths aqui….

É porque é MUITO CARO, eles querem alguem que AJUDE A PAGAR, QUE SEJA CONFIALVEL E QUE SEJA IMPORTANTE EM SUA REGIÃO, só por isso afinal a Venezuela ainda vai virar Iraque e o Brasil Arábia Saudita, e isso é lógico, é só esperar mais uns anos.

João Augusto
Francisco AMX

Felipe, falando em “muié maravia”, conhece aquela piada do banho de sol?: caso não vou “escrevinhá” Estava a Mulher Maravilha, nuazinha, sobre a “chapa” do Palácio da Justiça… estava lá, em pelo, de pernas abertas, frango assado,… foi quando apareceu o Super Homem… vendo a cena, de longe, cheio de tesão, pensou… Ela tá num banho de sol… distraida…Vou até lá, voando na velocidade da luz, dou uma rapidinha e ela nem vai perceber… Pensando… agindo… o SM executou a manobra! Eis que num gemido contido o Homem Invisível exclama: – Puts Mulher Maravilha! o que tu fez? senti um… Read more »

Asterix

Quando a esmola é muito grande, o santo desconfia….

Mabill

Parece que a empresa Francesa está um tanto evasiva na questão de transferência de tecnologia, insiste em mostrar os defeitos dos demais concorrentes e não se compromete em nenhuma declaração a transferir a tecnologia ao Brasil, até o jobim já reparou isso; continuamos na espera !!! sds.

Hornet

Felipe,

em tempo: mas será que vem a muié maravia junto com o avião?

aí nóis pode pensar em fazer negócio, sô!…hehehe

abraço cumpadi!

Baschera

Eita novelinha boa esta….. a cada dia um suspençe novo, uma novidadezinha acolá, outra alí….. mas casamento que é bom, nada.

Muito papo, quero ver as coisas claras e assinadas, comercial e diplomaticamente falando. Compromisso de estado.

Mas, fosse eu, não ia de Rafale. Não confio nos scargot…..

Até o próximo capítulo…… amanhã !!!

Sds.

Hornet

Felipe,

é verdade…kkkkk

Num querdito não!!!

abraços cumpadi

Francisco AMX

Mais do mesmo!

Felipe Cps

Cumpadi Hornet num sabe falá caipirês dereitcho! Fala “credita” quando o certo é “querdita”. E interiorr quando o certo é “entereor”. Eita nóis. Tenho qui ispricá tudo aqui, sêo.

E esse tar avinhão invisiver da Bóing deve di sê quinem aquele da muié maravia sêo. Bão dimais. Dá pa vê us pernão dela.

Abraço procêis.

ronaldo

esse rafale é muiti-missão mesmo, pra poder substituir 7 aviões…

Fabio Silva

os embargos acontecem e em muitas áreas não só na de defesa, não confio nos EUA… quanto ao comentário do Rodrigo: “A Dassault pode até transferir 100% da parte dela, mas não falam pela Thales e pela SNECMA.” concordo mas as tecnologias de radar e turbinas nenhuma das propostas está colocando a disposição, pelo menos não pra transferência de tecnologia necessária para a fabricação local, mas sim tecnologias apenas para a manutenção. Mas gurizada temos também que analizar a seguinte questão, o orçamento de defesa (atual) do Brasil é ridículo e não garantirá o desenvolvimento de novas tecnologias a partir… Read more »

Chacal

Boa Hornet rsrsrs

Se depende de americano vai ser “invisiver” mesmo!

Hornet

Òia cumpadi Chacal, eu que sou do interiorrr custumo creditar em caipora, em saci, até porque já vi todos eles.

Mas tá dificer de creditá nessa istória de avião invisíver.

Se nem pros cumpadi mais chegado dos americano, aqueles que eles bartizam os afilhado todo, os americano disponibiliza essa tar de invisibilidade…será que nóis seremo os contemplado? Passando na frente de ingreis, de japoneis e de israeleis?

Mas o que mode nóis vai fazer com um avião invisíver? Nóis precisa de um avião visíver, senão nóis não vê ele…hehehe

abração cumpadi!

Wesley

Os americanos voltaram a ativa huahuahu, eu não confio, mas duvido muito que em pleno seculo XXI ocorra algum tipo de embargo contra o Brasil posso estar sendo ingenuo, mas eles querem voltar a influenciar a america Latina, coisa que sem o Brasil não dá.acho que os franceses levaram essa, vamos esperar a analise tecnica da FAB que com certeza vai dar SH ou Gripen.De qualquer forma qualquer um que vier é lucro.

Rodrigo

A Dassault pode até transferir 100% da parte dela, mas não falam pela Thales e pela SNECMA.

Não é de hoje que a EMBRAER trabalha com a Boeing, na produção de componentes de materiais compostos, que são a base do Stealth.

Eu daria 100% de preferência ao Gripen, se fossem pelo menos 200 unidades já aprovadas, mas correr o risco de ficar nos 36 é muito complicado.

Cdr

F 18 Jáaaaaaaa!!!!

Felipe Cps

“A Boeing também se comprometeu a construir um laboratório no Brasil para desenvolver tecnologia para construir AVIÕES INVISÍVEIS A RADARES.”

Amigos, supondo que o DoD autorizasse algo do gênero, como é que eles vão nos repassar tecnologia stealth, se os dois aviões stealth do mundo são de fabricação, em sua maior parte, da Lockheed Martin, sua principal concorrente???

Virou briga de foice mesmo…

Sds.

Nunão

Hornet, tem que ver que, o que ele falou, foi transcrito para a reportagem por quem ouviu. Mas, mesmo assim, não é bem “construir aviões invisíveis no Brasil”, mas:

“A Boeing também se comprometeu a construir um laboratório no Brasil para desenvolver tecnologia para construir aviões invisíveis a radares.”

O que eu sabia até agora era a intenção de fornecer um túnel de vento hipersônico, já sobre a construção desse laboratório, é coisa nova, pelo menos pra mim.

Chacal

kkkkkkkkkkkkkk, tem gente que acredita em americano!!!!

Fabio Silva

O melhor seria um mistão rafale/gripen mas como isso não ocorrerá, o Rafale vai levar essa, mesmo com todo o estardalhaço que será causado por essa decisão.
Eu queria era ver as propostas e se realmente a Dassault vai liberar 100%.
Não vindo os embargos americanos, digo, SH já me dou por satisfeito…
abraços

Hornet

Sem nenhuma sacanagem…

Mas o que a Boeing quer dizer com “construir aviões invisíveis” no Brasil?

Trata-se de desenvolver tecnologia Stealth aqui no Brasil, é isso? Será?

Será que os EUA estão tão afins de vender esses caças ao Brasil que topariam até desenvolver tecnologia Stealth em conjunto com nós?

Se for isso, beleza! Uma mudança dos paradigmas americanos como nunca antes na história…daquele país…hehe

abraços a todos

Christiano

Os americanos até avião “invisível”já esta no pacote, essa concorrencia pode não dar em nada mas nunca na história os americanos “prometeram” tanto,é esperar pra ver.

Chacal

Se não for o Gripen o Brasil vai continuar atrasado nessa área de tecnologia por um bom tempo ainda!!

mane

O áudio da sessão de hoje já está disponível em http://imagem.camara.gov.br/internet/audio/Resultado.asp?txtCodigo=00015486.

R_Cordeiro

Sempre bem informado heim Hornet…ótima informação! se devemos nos aliar militarmente, que seja com o melhor no assunto. quanto aos vetos do governo americano… se não fossemos até um tempo atrás uma republica de bananas tal qual Honduras, não teriamos sofrido vetos. “Os negócios da Boeing são vibrantes e estaremos aqui hoje e amanhã, e estaremos presentes quando o caça que comprarem hoje for aposentado daqui a muitas décadas” isso tb pode ser considerado um ponto a favor, visto os boatos de instabilidade de SAAB e Dessault. Desconfio de uma TT ilimitada por 7 bilhões, mas se isso for verdadeiro,… Read more »

Hornet

Nunão,

tô sabendo. Não se preocupe.

Vou procurar mais tarde, de noite. No meu horário habitual…hehehe

Se achar coloco aqui.

aliás, uma correção no meu último comentário: “legar” = legal (tudo culpa do Felipe, que fica me ensinando a falar errado…hehehe)

abração

Nunão

Preocupado, eu?

Nem com o show de quinta eu tô preocupado, hehe.

Saudações!

dodloco

e isso ai hornet

Eric Hartmann

As cartas estão públicamente na mesa (se forem mesmo estas cartas…) dos três finalistas projeto FX2,tudo muito belo,bem apresentado,bem “negociado”(para não chamar vendido…) mas sabe como é o velho ditado popular “de boa intenção…”

Jonas Rafael

Não ficou claro pra mim se eles vão repassar os códigos fontes do sistema de armas. Só falam em “Integração de Armas” na lista das tecnologias. Isso pra mim é muito amplo. Tem que cuidar muito desses contratos aí com esses termos ambíguos. E isso vale pras três empresas!

Francisco AMX

O BOb tá fazendo seu papel! ele é da Boeing! nada de anormal! seria estranho ele falar a vedade e dizer que o SH apesar de ter um excelente radar, ser robusto, não será mais encomendado pela USNAVY depois de 2014…, nós sabemos o quanto os USA demoram para modernizar seus caças, como exemplo teremos os F-16B50 atualizados com um novo radar AESA… depois de 10 anos… e isso que eles são a maior potência do mundo! Dizer que o SH é a aeronave mais avançada aeronave do FX-2 é, no mínimo, simplista. O SH só recebeu os “adendos” como… Read more »

Bruno Rocha

João Augusto em 14 out, 2009 às 17:0

já ia falar sobre isso cara!
heheee

queria fazer aeroespacial lá, mas tenho minhas duvidas, arrumar emprego aqui em Belo Horizonte é impossivel para essa área.

Bruno Rocha

Wesley em 14 out, 2009 às 16:39

Existe América latina e América do Sul.
A América Latina é vendida dos americanos.
Mas a América so SUL é antiaméricana “indiretamente falando”.

Nunão

Hornet,

Se e quando achar, pode colocar as demais transcrições aqui.

Almeida

Fui só eu que notei que eles acabaram vazando os valores das propostas indiretamente? Dassault falou em R$ 7bi. Boeing soltou R$ 10bi para os off-sets, o que significam R$ 5bi para o total da oferta. E Saab manteve-se dentro dos R$ 4bi projetados. Cada vez mais eu gosto da proposta sueca e menos da francesa. Até os norte-americanos me parecem melhores agora, com toda essa mudança de diálogo e seriedade da proposta. Das 3 propostas, a menos detalhada para a imprensa, até agora, é a francesa! Boeing e Saab listaram tudo, item por item. A Dassault só se esquiva!… Read more »

Bruno Rocha

Chacal em 14 out, 2009 às 16:23

Você perdeu o filme, ta desatualizado dos últimos acontecimentios recentes.

Hornet

Nunão,

em tempo: “outra coisa”, quis dizer: outro projeto, outra parceria.

Por isso que acho que faz sentido. E se essa proposta estiver toda documentada, até que não está ruim, não.

O que achou?

Seria legar ler as transcrições dos demais concorrentes, mas só achei esta por enquanto…enfim…

abração de novo

Reportagens especiais

PAMA-SP 2014: Poder Aéreo no Domingo Aéreo – parte 4

Continuam no PAMA-SP quatro células de F-5E das oito aeronaves do tipo adquiridas da Jordânia e ainda não enviadas à Embraer - Chegamos...
- Advertisement -
- Advertisement -