quinta-feira, abril 15, 2021

Gripen para o Brasil

Entregue segundo protótipo do Bandeirante restaurado

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

prototipo_bandeirantes

A Embraer entregou no dia 25 de junho (quinta-feira), oficialmente, o segundo protótipo da aeronave EMB 110 Bandeirante ao Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB), localizado em São José dos Campos, Estado de São Paulo. O evento faz parte das atividades comemorativas dos 40 anos da Empresa, criada em 19 de agosto de 1969. O avião, restaurado pela Embraer no ano passado, ficará exposto em caráter permanente e marca a reabertura do MAB ao público, fechado temporariamente em função da mudança de administração, reparos e revitalização do acervo.

“O sucesso do Brasil em uma indústria tão competitiva como é a indústria aeronáutica, constitui motivo de justo orgulho para os brasileiros e desperta admiração e curiosidade em todo o mundo. Esta história tem suas origens na criação do CTA, então Centro Técnico de Aeronáutica, hoje Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial, na década de 1940 e no projeto do Bandeirante, aeronave concebida, projetada e construída na década de 1960 por engenheiros e técnicos do CTA. É com satisfação que contribuímos para manter vivo este passado e vemos o Bandeirante tornar à casa em que nasceu, após cuidadoso restauro”, disse Horacio Forjaz, Vice-Presidente Executivo da Embraer para Assuntos Corporativos. “A parceria entre a Embraer, MAB e a Fundação Santos Dumont é muito importante e permitirá que a população brasileira conheça alguns capítulos desta maravilhosa história, fruto da visão e determinação de homens que servem de inspiração às futuras gerações.”

O EMB 110 Bandeirante foi o primeiro avião produzido em série pela Embraer. Dos três protótipos originais (denominados EMB 100), o primeiro pertence ao acervo do Museu Aeroespacial (MUSAL) no Rio de Janeiro, e o terceiro se encontra em exposição permanente no Parque Santos Dumont, em São José dos Campos.

O segundo protótipo pertence à Fundação Santos Dumont e foi cedido para a Embraer. A Empresa reformou cuidadosamente a aeronave, tanto interna como externamente, conforme o projeto original. O trabalho foi concluído em outubro de 2008. Após ser exibido à imprensa e aos empregados da Embraer, o avião foi transferido para o MAB, onde fará parte do acervo da instituição.

Após 20 anos (1970-1990) de produção seriada ininterrupta e 498 unidades produzidas e entregues, em 16 versões diferentes, a fabricação do Bandeirante foi encerrada. Ainda hoje, mais de 300 unidades deste pioneiro avião brasileiro estão em operação.

“A Fundação Santos Dumont foi criada em 1956 e sua missão é resgatar a memória da indústria aeronáutica no Brasil”, disse o Major-Brigadeiro-do-Ar Engenheiro da Reserva José Vicente Cabral Checchia, presidente da Fundação Santos Dumont. “Ficamos muito felizes pelo fato do segundo protótipo do Bandeirante estar em boas mãos, recebendo o merecido cuidado e contribuindo para a divulgação da bela história da aviação brasileira.” “O Bandeirante é, além de marco inicial da indústria aeronáutica nacional, a concretização do ideal do Marechal Casimiro Montenegro Filho, pois toda a sua luta para a criação do CTA e do ITA, Instituto Tecnológico de Aeronáutica, foi para que o esforço dos engenheiros e pesquisadores culminasse nesta aeronave e na criação de uma indústria aeronáutica brasileira”, afirmou o Major-Brigadeiro-do-Ar Ronaldo Salamone Nunes, comandante-geral Interino de Tecnologia Aeroespacial. “Receber o segundo protótipo para compor o acervo do MAB significa honrar aqueles que foram os pilares para a realidade de hoje. Cabe ao CTA agradecer a iniciativa da Embraer e da Fundação Santos Dumont.”

Criado em 2004, o MAB está localizado nas instalações do CTA e ocupa uma área de 75 mil metros quadrados (equivalente a cerca de 15 campos de futebol). Entre 2004 e 2008, a instituição recebeu mais de 160 mil visitantes. O MAB reabrirá as portas ao público no próximo dia 27 de junho, sob a direção do CTA. A visitação é gratuita e acontece todos os finais de semana, das 9 às 17 horas, via acesso exclusivo, próximo ao Aeroporto de São José dos Campos, localizado a 90 km da capital paulista.

FONTE: Embraer

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Sopa

Se a Embraer tivesse seguido o rumo Militar e Civil hoje seriamos maior que a Northrop e talvez a Boeing com certeza !!!

Reaja Brasil !!!

Noel

Maior que a Boeing??? rsrsrsrsrs
Desculpe-me, não resisti a piada.
Sds

Sopa

Noel
E Talvez, se houvesse vontade dos políticos poderíamos ser sim, a Taurus é um exemplo, se com toda a má vontade ainda fazemos isso tudo, imagina se tivesse vontade !!

Sds.

André Castro

Sera que essa aeronave vai ficar exposta no tempo ? gastar com o restauro depois colocar ela a sol e chuva não seria mal censo ? Já fui no MAB parece que la dentro não tem espaço suficiente ,ache o museu +- ,so tinha algumas coisas interessante como a replica em tamanho real do VLS e dos veiculos sondas ,mas acho bom que o acervo do museu esteja aumentando .

Noel

Sopa, leva a mal não, mais o crescimento e o desenvolvimento de empresas aeronáuticas dependem é de mercado, no caso delas, os políticos tem muito menos peso. A EMBRAER só conseguiu crescer, quando entrou no mercado norte-americano, os odiados filhos de satã, com o Bandeirante, as encomendas feitas ao longo das últimas três décadas, pelas empresas americanas, é que mantem o volume de encomenda para suas linhas de produção. Essas mesmas linha de produção não se sustentam com o que é absorvido no mercado brasileiro, pois a quantidade de aeronaves é insuficiente, apesar de que vai melhorar com as aeronaves… Read more »

Henrique

Noel, Concordo com você. A FAB não tem capacidade de adquirir meios suficientes para produção de várias aeronaves militares. Porém, a EMBRAER já chegou a conclusão que se quiser crescer ou vai bater agora com Boing e Airbus de frente (o que já faz com alguns modelos) ou vai tenta expandir sua fatia no mercado militar. Exemplo é o KC-390. Potêncial de vendas externas existe. E acho, que talvez foi o que o Sopa quis dizer: o governo pode entrar para ajudar a financiar o desenvolvimento e pesquisa destes modelos. Como um agente incentivador. Porém, a idéia de produção tem… Read more »

Noel

É isso mesmo, Henrique.
Sds

Giovani

O EMB-110 Bandeirante é legal mas já deu o que tinha, precisamos de outro transporte leve como o C-212.
Falaram em produzi-lo localmente no PAMA-SP, mas a coisa deu pra trás. pena.

[…] iniciativa dá continuidade ao processo de restauro de aeronaves da Embraer iniciado em 2008 com o segundo protótipo do Bandeirante, avião originalmente projetado e construído no então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA), […]

Sopa

Se a Embraer tivesse seguido o rumo Militar e Civil hoje seriamos maior que a Northrop e talvez a Boeing com certeza !!!

Reaja Brasil !!!

Noel

Maior que a Boeing??? rsrsrsrsrs
Desculpe-me, não resisti a piada.
Sds

Sopa

Noel
E Talvez, se houvesse vontade dos políticos poderíamos ser sim, a Taurus é um exemplo, se com toda a má vontade ainda fazemos isso tudo, imagina se tivesse vontade !!

Sds.

André Castro

Sera que essa aeronave vai ficar exposta no tempo ? gastar com o restauro depois colocar ela a sol e chuva não seria mal censo ? Já fui no MAB parece que la dentro não tem espaço suficiente ,ache o museu +- ,so tinha algumas coisas interessante como a replica em tamanho real do VLS e dos veiculos sondas ,mas acho bom que o acervo do museu esteja aumentando .

Noel

Sopa, leva a mal não, mais o crescimento e o desenvolvimento de empresas aeronáuticas dependem é de mercado, no caso delas, os políticos tem muito menos peso. A EMBRAER só conseguiu crescer, quando entrou no mercado norte-americano, os odiados filhos de satã, com o Bandeirante, as encomendas feitas ao longo das últimas três décadas, pelas empresas americanas, é que mantem o volume de encomenda para suas linhas de produção. Essas mesmas linha de produção não se sustentam com o que é absorvido no mercado brasileiro, pois a quantidade de aeronaves é insuficiente, apesar de que vai melhorar com as aeronaves… Read more »

Henrique

Noel, Concordo com você. A FAB não tem capacidade de adquirir meios suficientes para produção de várias aeronaves militares. Porém, a EMBRAER já chegou a conclusão que se quiser crescer ou vai bater agora com Boing e Airbus de frente (o que já faz com alguns modelos) ou vai tenta expandir sua fatia no mercado militar. Exemplo é o KC-390. Potêncial de vendas externas existe. E acho, que talvez foi o que o Sopa quis dizer: o governo pode entrar para ajudar a financiar o desenvolvimento e pesquisa destes modelos. Como um agente incentivador. Porém, a idéia de produção tem… Read more »

Noel

É isso mesmo, Henrique.
Sds

Giovani

O EMB-110 Bandeirante é legal mas já deu o que tinha, precisamos de outro transporte leve como o C-212.
Falaram em produzi-lo localmente no PAMA-SP, mas a coisa deu pra trás. pena.

[…] iniciativa dá continuidade ao processo de restauro de aeronaves da Embraer iniciado em 2008 com o segundo protótipo do Bandeirante, avião originalmente projetado e construído no então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA), […]

Combates Aéreos

Ex-piloto de caça indiano dá mais informações sobre o combate de F-16 versus MiG-21 na Caxemira

Segundo o historiador militar e ex-piloto de caça indiano Arjun Subramaniam (@rhinohistorian no Twitter), o ataque de hoje da...
- Advertisement -
- Advertisement -