segunda-feira, abril 12, 2021

Gripen para o Brasil

F-X2: Embraer tem interesse na montagem dos caças

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Presidente de empresa também não se ilude com ‘tranferência de tecnologia’

A Embraer informou que tem interesse na montagem dos caças que a Força aérea Brasileira (FAB) pretende adquirir, o chamado projeto FX-2. “Ainda não está definido se a montagem do avião será feita no Brasil ou não. Mas se for, nós temos interesse“, disse [o presidente da Embraer Frederico] Curado. Anos atrás, a Embraer chegou a fazer parte de um dos consórcios interessados no contrato, em parceria com a francesa Dassault. Mas o projeto foi reformulado e hoje a Embraer participa apenas indiretamente, como receptora da tecnologia que deve ser transferida para o Brasil.

A Embraer já está em contato com os três consórcios que participam da disputa – a francesa Dassault Aviation, a americana Boeing Company e a sueca Saab -, em discussões sobre que tipo de tecnologia poderá ser transferida. “Não temos ilusão de que as tecnologias pelas quais o Brasil está mais interessado serão transferidas. Ninguém ensina o pulo do gato”, disse Curado durante um almoço da Câmara de Comércio Brasil-França. “Mas estamos conversando para ver como essa transferência poderá se dar.”

FONTE: O Estado de São Paulo

- Advertisement -

88 Comments

Subscribe
Notify of
guest
88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista

Essa foi na jugular, hein?!!!
Infelizmente é isso… Ninguém vai nos ensinar o “pulo do gato”, mas se adiquirirmos alguns “gatos que pulem”, já será um avanço!

João Curitiba

Para aprender o pulo do gato, só participando do desenvolvimento, tipo NG ou F3.

Ricardo

É coerente, pis não temos tecnologia para desenvolvimento de aviões de caça deste tipo. Somos atrazados agradecenos muito aos nossos politicos de ______a situação que chegamos. então montemos os nossos avioes

Omega

Os gringos jogam com a sorte, pq se o Brasil investir um pouco mais em educaçã, nas universidades e por fim nos nossos engenheiros, o país poderia adquirir tudo o que precisamos atravez de engenharia reversa. Os chineses não fizeram assim?

Francisco AMX

Agora os amigos que acreditam e TT, vão dizer o quê? que está falando é o CEO da EMBRAER.

Marco Antonio Lins

Mas isto é algo muito claro,não acredito que estas tres nações vai passar toda tecnologia dos caças !…Passariamos a ser concorrente deles.Pelo que eu li na compra Mil-35,transferindo tecnologia para o Brasil; talvez seja a grande esperança de conseguirmos da Russia!
Temos emcarar como um problema estrategico e não mercantilista ou politico.Tememos o que? Nos somos hoje uma nação que o mundo é que precisa de nós,somos o celeiro de alimentos,de agua ,minerio, e tantas outras coisa. Se eu estiver errado que se pronunciem.

Fabio

Não vejo por ai… Os paises desenvolvidos tem um arsenal nuclear espantoso. Porque eles iriam se preocupar com tecnologia de avião ? Existem armas muito mais letais e eficientes do que simples caças, mesmo os mais modernos.
Numa guerra de verdade de alguma potência duvido que meros caças fariam tanta diferença assim. Os caras tem misseis balisticos que apenas um, destruiria tudo abaixo do equador…

Fabio

Tava esquecendo…. O que um comentario destes ajuda o Brasil ? ou o projeto FX2 ???? Me parece ressentimento pelo projeto Mirage 2000 da Embraer não ter dado certo… Não entendo. falo isso pra depois precisar da ajuda do governo para vender avião la fora pros chineses ? Tem coisas que é melhor ficar calado.

fernando

acho que armas nucleares sao armas defasadas, quem tem coragem de usar??pois acabariam com os proprios que lancaram tambem, pois a radiacao atinge todos, mesmo indiretamente, cancer e varias doencas sao o minimo que pode acontecer…quanto aos cacas estou torcendo para que seja montado no brasil,pois podemos aprender alguma coisa..
sds a todos..

joao terba

É atraves de parceria séria que se consegue transferença de tecnologia,o Brasil tem de assumir essa parceria com a França,eles estão disposto a contruir o Rafale no país e no futuro exportar.

marcelo

acredito que no final do fx-2 acontecera uma compra de prateleira….pq o que eles querem no mundo de hoje ninguem vai tranferir…tecnologia

marcelo

ainda mais para uma empresa como a embraer…..que com o pouco que sabe ja faz um estrago no mercado de aviacao….agora ja penso ela com tecnoligia censivel na construcao de um aviao militar..vai fazer um estrago no mercado

AJS

É claro que nehum detntor de tecnologia de ponta, transferirá essa tecnologia, mas poderá transferir alguns onhecimentos que alavanquem a sofisticação da produção da Embraer.
Porém, é claríssimo que sem motor, nenhuma aeronave decola, se ,,,,,fora do pinico, é só fechar a exportação de motores pra cá, que a linha de montagem para, isso, de quaisquer aeronaves produzidas por aqui.

Paulo Renato

Isso todo mundo já sabe agora saiu de quem entende e está no meio.

Mas quem sabe tudo pode acontecer e sair alguma coisa que a Embraer possa ter no futuro.

Abs.

Sopa

Na minha opinião o pior erro do Brasil foi não se aliar a Rússia no projeto PAK-FA, nesse projeto sim, seria transferido a tecnologia, e ai não dependeríamos de outros países !

lucas lasota

Nunca e ngn transfere know-why. A essencia do offset nao e essa, mas sim compensacoes comerciais que podem envolver transferencia de tercnologia, mas nao sensivel.

Tava na hora de alguem falar a verdade.

marcos silva

Assim como o chile tem taxado o cobre para tornar as suas forças armadas mais bem equipadas da america latina,por que o Brasil não faz o mesmo com o pre-sal??Mais com certeza não o fara ! Sera necessario uma grande lição na sua soberania ! Para que o poder executivo acorde para a realidade mundial !!

Carlos Augusto

Pelo jeito parece que não vai haver transferência de tecnológia, se o Sr. Curado disse isso num almoço oferecido pelos franceses, então tá danado. Eu sempre gostei do Rafale, mas eu estou achando que talvez com a SAAB o Brasil consiga mais do que com a Dassault, os franceses se olharmos para a Helibras, são um osso duro de roer.

Sds

Hornet

4 pontos: a) Transferência de tecnologia é compra: tudo depende do que o Brasil comprará (em termos de transferência de tecnologia) e do que constará em contrato. b) capacitação em tecnologia, do mais “defasado”, é desenvolvimento em conjunto, com o mais “desenvolvido” (neste sentido, o amigo João-Curitiba está certíssimo). E isso pode ser feito com as futuras MLU do Rafale F-3, do Gripen NG e imagino até com uma provável MLU do Super Hornet (embora eu não consiga visualizar isso, no caso do Super Hornet…mas sei lá, eu que sou cego, deve ter um jeito). c) O Curado diz que… Read more »

Felipe Cps

Honestamente meus amigos, acho que nunca falei isso aqui, mas não gosto nada desse “aproveitamento tácito” que se fez, pela Embraer, da tecnologia a ser supostamente transferida no FX2. Parece “esquemão” e, aliás, não sei não se este favorecimento não é ilícito… É como se o governo americano chegasse para a Boeing, por exemplo e dissesse: “olha, tá aqui de presente a tecnologia, vocês agora tratem de nos manter atualizados, mas os lucros serão todos seus; e não se preocupem, porque quando precisarmos de aviões compraremos de vocês”. Já pensaram? Seria um escândalo nacional, a cocorrência cairia matando… Poxa, a… Read more »

Hornet

Zeke,

concordo contigo…tanto na questão dos custos de um caça como na questão dos fornecedores da Embraer.

Essas questões industriais/comerciais não podem ser simplificadas em nossos comentários (como por exemplo: o caçla X é mais barato…e o caça Y é mais caro…não é assim que funciona!), senão não entenderemos a escolha final da FAB e do MD.

Já estou até prevendo: o que vai ter de críticas à FAB e ao MD aqui no blog será uma festa. Já que só um caça será o escolhido…os “torcedores” dos 2 caças que ficarem de fora vão ficar uma fera….hehehe

abração

Hornet

Felipe,

concordo com vc também…

por isso que eu disse (acima) que poderia estar ocorrendo um descompasso entre os interesses da Embraer e os interesses da FAB.

Em primeiro lugar vem o interesse público e a FAB…se a Embraer for beneficiada no processo do FX2, muito que bem. Mas em primeiro lugar vem o interesse público do Brasil e a FAB.

abração

Hornet

melhor dizendo:

interesse público e a FAB pode não ter ficado claro.

o que quis dizer é: a FAB é o interesse público.

Ao contrário da Embraer, a FAB é de todos nós. E, portanto, primeiro vem a FAB, depois a Embraer.

abraços

Otavio

Olha a Embraer está praticamente “comandando” o FX-2! Sabe quando a FAB vai adqurir uma aeronave? Quando a Embraer decidir.Agora tem gente ae esperando que o a Boeing,Saab e Dassalt chege aqui com um HD cheio de dados e arquivos das aeronaves,e o Brasil depois de um mes ja estaria dominando os conhecimentos destes produtos! KKKKKKKKK…. E eu racho o bixo com tanto engenuidade e ignorancia 😀 É uma compra de U$ 2,2 bilhoes,não tanto pelo dinheiro investido,mas sim porque este caça servirá para muitos anos (+ de 25 anos,muitos de nós não estaremos mais aqui e eles provavelmente estarão… Read more »

Ricardo

Pra que ocorra transferência ocorra, é necessário que haja pessoal para recebê-la. Este não é exatamente o caso, a meu ver, da Embraer com seus 80% de peças e equipamentos produzidos em outros países. Lamentavelmente, é apenas algo um pouco mais que uma montadora. Com a Helibras nem se fala, é uma montadora pp dita. Não deveríamos optar por contratos com restrições de uso tecnológico como com a Rússia e França. Deveriamos usar o meio tradicional pela incorporação de empresas detentoras de patentes e assimilá-las. Ex. para produzir aviônicos é necessário um parque industrial para produção de semicondutores e engenheiros… Read more »

kaleu

Curado deveria se manter calado … 1º pq não deve ter acesso aos requisitos da FAB aos fabricantes e seus governos, 2º pq deve ter menor acesso ainda às propostas, e 3º pq a embraer foi a grande responsável por ter “melado” o FX-1 ao tentar fazer a FAB “engolir” o malfadado Mirage 2000-5 (já em fase de encerramento de produção). Janer, CEO da SAAB, disse em entrevista a T&D deste mês : – – “Transf de tecno somente ocorre verdadeiramente se houver desenvolvimento conjunto” … e isso é o que a SAAB está oferecendo ao Brasil no caso do… Read more »

kaleu

Além disso, Curado com esta Frase, contraditória, como bem mencionou o Hornet, pode estar tentanto “minimizar” a postura americana, com suas restrições a transf de tecno, protegendo assim os interesses da Embraer.

O que acha hornet ?

abraço
Kaleu

Alecsander

É engraçado eu estava fuçando no youtube, quando vi um vídeo muito interessante sobre uma empresa brasileira chamada Engesa, que por acaso era na época uma das maiores fabricantes blindados e tanques de guerra do mundo, nos anos 80 ela foi uma das pioneiras na conjunção e integração da mecânica com a eletrônica, o que permitia acertar uma alvo em movimento com estrema precisão. E entre 1983 e 1985 foi desenvolvido o Osário, um dos tanques mais modernos e sofisticados da época, desenvolvido apartir de grandes parcerias feitas mundo afora, e que estava pelo menos uma década a frente dos… Read more »

Alecsander

A Embraer é uma das empresas brasileiras com maior desenvolvimento tecnologico no mundo, e já que não temos um nivel tecnologico tão avançado como os países mais desenvolvidos, ela tem sempre que buscar novas formas de se sofisticar e atualisar, se não a empresa vai ficar para tras como a estinta Engesa. E a Embraer tem credito para isso, devido a sua grande importancia para a historia da aviação brasileira, tanto no pasado e presente, quanto no futuro.

Hornet

Kaleu, pode ser… Mas acho que ele está mesmo é protegendo os interesses de mercado da própria Embraer. Até acho justo, visto que ele é o presidente da empresa. Mas precisamos ter em mente que o FX2 é um projeto da FAB e do MD…ou seja, é dinheiro público que será investido. Neste sentido, acho que a Embraer tem que ser vista como uma empresa estratégica do Brasil e que será beneficiada ao final do processo…mas não podemos (e acho que a FAB não fará isso…espero!) colocar os interesses comerciais (geralmente mais imediatistas) da Embraer como prioritários no FX2…senão podemos… Read more »

Hornet

Kaleu, como vc bem lembrou…o FX foi “melado”, em grande parte, porque a Embraer queria enfiar goela abaixo da FAB o Mirage 2000-5. Por isso que é preocupante se a Embraer (de novo) querer decidir alguma coisa, agora no FX2… E pelo visto, os interesses comerciais da Embraer atualmente passam muito mais pelos EUA, que pela França ou Suécia…enfim… E isso faz sentido dentro da argumentação do Curado…o que ele descreveu foi a proposta do Super Hornet… A Boeing não propãe montar o caça aqui no Brasil? Sem muita transferência de tecnologia? Sem alguns dos códigos fontes (vetados pelo governo… Read more »

João DS

Hornet,

acho que agora você desvendou o pulo do “gato Curado”…

João DS

ou melhor dizendo:

Pegou o “gato Curado” no pulo!

Roberto CR

Ricardo em 31 mai, 2009 às 11:07 “Somos atrazados agradecenos muito aos nossos politicos de ______a situação que chegamos.” Acredito que culpar somente os políticos não justifica nossa situação frente a domínio sobre tecnologias sensíveis. Na verdade, se olharmos que durante o período em que o mercado brasileiro foi fechado à importação, praticamente nada foi desenvolvido, em termos de desenvolvimento tecnológico, no meio privado. De fato, o que ocorreu foi acomodação do empresariado nacional com o mercado interno cativo. Os políticos podem ter criado a situação, mas os empresários são tão ou mais responsáveis pela incapacidade tecnológica brasileira. As exceções… Read more »

Carlos Augusto

Se a maneira de pensar do hornet for certa, o Curado vai fazer dessa vez descer goela abaixo da FAB, o Super Hornet.

Abs.

Edmar

Caros Amigos.:

Os 3 concorrentes no atual FX2 estão com suas seguintes propostas:
“Dassault Rafale F-3” transferencia total de tecnologia e negociassões de possível montagem no Brasil…
“Saab Gripen NG” possivél transferencia total de tecnologia e possivél montagem no Brasil…
“Boeing F/A-18 E/F Super Hornet” não haverá transferencia total de tecnologia e será montado no Brasil…

Essas estão sendo as propostas até o momento…

Abraços.

Hornet

João DS,

“gato Curado” foi boa…hehehe

abração

Zero Uno

Que ninguém passa tudo em Transferência de Tecnologia, isso é ÓBVIO. Não temos ilusões quanto a isso. O que se discute é o que poderemos arrancar no máximo dos fabricantes neste projeto. É um pequeno avanço. Claro que não vão nos dar tudo. O principal que a FAB quer quer é o domínio – ou parte dele – do Software embarcado e outros que tais. TUDO, NINGUÉM vai nos dar.

Alecsander

Zero Uno

Muito bem colocado seu comentário, o mais coerente ate agora. A gente as vezes fica escrevendo um monte e não diz coisa com coisa, ou só diz um pouco do que quer dizer, como eu fiz acima rsrsrsrsrs…
O projeto FX-2 esta ai para isso, para nos dar um salto em termos de tecnologia, é claro que não vamos ficar com aquele nível tecnológico das potencias, mais esse negócios de ter tudo ou nada não é uma atitude muito coerente.

Douglas

é um absurdo ver tanta gente defender com unhas e dentes o pretenso “bom mocismo” de uma potencia estrangeira, no caso a França, tecendo loas sobre a suposta transf. de tec. que eles prometem (o que nunca ocorreu na história) e ao mesmo tempo atacar os interesses da empresa nacional tecnologicamente mais avançada, no caso a Embraer, chegando a insinuar que seus interesses colidem com os interesses da nação….

Não fosse a privatização da Embraer simplesmente não existiria mais industria aeronautica neste país.

provavelmente querem criar uma “Aerobras” para apinhá-la de incompetentes, as custas do contribuinte.

é de doer.

Douglas

Fato é que nenhum dos tres concorrentes irá transferir tecnologia como propagandeado por ai.

Lembro a notinha de meses atras sobre o projeto do subnuc. A transferencia será da ordem de “17%” do projeto inteiro, ou seja os outros 83% terão que ser criados aqui, ai é que mora o problema, pois apesar da propaganda, os royalties continuam bloqueados e o orçamento fixo não recebe reforço ha anos.

é capaz até de liberarem os royalties nesse período pré eleitoral como medida para arrebanhar votos. e só.

kaleu

Caro Douglas, Não houve intenção de “atacar os interesses” da Embraer, a menos, é claro, que ela coloque os interesses comerciais e dos seus acionistas acima dos interesses nacionais, como parece ser o caso, e, não me diga que a Embraer não faria isso, pois, já fez, no FX-1. O Gov tem privilegiado a Embraer como destino da eventual transf de tecno, então, a indignação é com o “entrometimento” do Sr. Curado com o que não lhe diz respeito, a saber, a decisão do FX-2. O CEO da Embraer ao exteriorizar suas opiniões pessoais, em clara intenção de beneficiar um… Read more »

kaleu

Ademais, Douglas, ninguem colocou em dúvida a privatização da Embraer.

Fabio

Não vejo por ai… Os paises desenvolvidos tem um arsenal nuclear espantoso. Porque eles iriam se preocupar com tecnologia de avião ? Existem armas muito mais letais e eficientes do que simples caças, mesmo os mais modernos.
Numa guerra de verdade de alguma potência duvido que meros caças fariam tanta diferença assim. Os caras tem misseis balisticos que apenas um, destruiria tudo abaixo do equador…

Flamenguista

Essa foi na jugular, hein?!!!
Infelizmente é isso… Ninguém vai nos ensinar o “pulo do gato”, mas se adiquirirmos alguns “gatos que pulem”, já será um avanço!

João Curitiba

Para aprender o pulo do gato, só participando do desenvolvimento, tipo NG ou F3.

Ricardo

É coerente, pis não temos tecnologia para desenvolvimento de aviões de caça deste tipo. Somos atrazados agradecenos muito aos nossos politicos de ______a situação que chegamos. então montemos os nossos avioes

Omega

Os gringos jogam com a sorte, pq se o Brasil investir um pouco mais em educaçã, nas universidades e por fim nos nossos engenheiros, o país poderia adquirir tudo o que precisamos atravez de engenharia reversa. Os chineses não fizeram assim?

Francisco AMX

Agora os amigos que acreditam e TT, vão dizer o quê? que está falando é o CEO da EMBRAER.

Combates Aéreos

Atingido, mas não abatido – 1

A foto acima mostra um Mirage IIIC de Israel logo após o mesmo pousar (ou melhor, planar para o...
- Advertisement -
- Advertisement -