terça-feira, outubro 4, 2022

Gripen para o Brasil

Array

MiG-29 cai na Sibéria

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Um caça MiG-29 da Força Aérea da Rússia caiu perto do aeródromo de Domna (Sibéria Ocidental) por volta das 10:45 h do último dia 17 de outubro informou o serviço de relações públicas daquela força. O acidente ocorreu durante um vôo regular de treinamento e piloto ejetou e passa bem.

No ano pasado ocorreu uma colisão em pleno ar com dois MiG-29 russos e este ano dois caíram em incidentes separados no Kazaquistão e no Azerbaijão. Atualmente existem perto de 1.600 MiG-29 ao redor do mundo em operação.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Costa

O que faz um biturbina cair?Se é tudo redundante?
Alguma pane geral do sistema eletronico a bordo?
Nos aviões militares raramente ficamos sabendo o motivo….

Tailhooker

Ao contrário do que se possa imaginar, pouca coisa é redundante num avião para emprego militar, mesmo sendo bi turbina. O que existe como requisito de certificação militar, são conceitos de dissimilaridade e independência de sistemas, o que depende muito da época na qual o avião foi desenvolvido. Diferentemente das aeronaves comerciais, os requisitos para certificação de aeronaves militares são bem menos rígidos, já que o foco é o cumprimento da missão e não uso da aeronave para fins comerciais.
Espero ter esclarecido alguma coisa

Vassily Zaitsev

Acessando o DefesaNet, assisti um vídeo do 1º/19º GAV, Esquadrão Arara, em que mostra uma missão de ressuprimento de um pelotão de fronteira; missão essa executada por um C-105 Amazônas ( CASA C-295)

O que me impressionou foi a capacidade de pouso usando apenas uma pequena parte da pista, numa brilhante demonstração de “pouso curto”.

paulo costa

No site sistema de armas,tem um artigo que diz que existem varios sistemas redundantes no AMX,ate o terceiro grau,podemos concluir que deve variar de avião para avião. A seguir trechos da materia… O AMX tem um desenho convencional com fuselagem feita de alumínio, com pequenas partes de aço e material composto. Painéis plástico reforçado são usados para fechar partes internas da aeronave. A asa é derivada do Tornado usando o mesmo perfil de aerofólio, é montada a meia altura com enflexamento de 27,5 graus, equipada com grandes flaps Fowler e slats na borda de ataque. O sistema de controle de… Read more »

[…] 120, baseado em Domna (Sibéria) caiu a cinco quilometros da base no último dia 5 de dezembro. Recentemente uma aeronave do mesmo tipo, proveniente da mesma base também sofreu um acidente. Naquela oportunidade o piloto ejetou-se sem […]

Paulo Costa

O que faz um biturbina cair?Se é tudo redundante?
Alguma pane geral do sistema eletronico a bordo?
Nos aviões militares raramente ficamos sabendo o motivo….

Tailhooker

Ao contrário do que se possa imaginar, pouca coisa é redundante num avião para emprego militar, mesmo sendo bi turbina. O que existe como requisito de certificação militar, são conceitos de dissimilaridade e independência de sistemas, o que depende muito da época na qual o avião foi desenvolvido. Diferentemente das aeronaves comerciais, os requisitos para certificação de aeronaves militares são bem menos rígidos, já que o foco é o cumprimento da missão e não uso da aeronave para fins comerciais.
Espero ter esclarecido alguma coisa

Vassily Zaitsev

Acessando o DefesaNet, assisti um vídeo do 1º/19º GAV, Esquadrão Arara, em que mostra uma missão de ressuprimento de um pelotão de fronteira; missão essa executada por um C-105 Amazônas ( CASA C-295)

O que me impressionou foi a capacidade de pouso usando apenas uma pequena parte da pista, numa brilhante demonstração de “pouso curto”.

paulo costa

No site sistema de armas,tem um artigo que diz que existem varios sistemas redundantes no AMX,ate o terceiro grau,podemos concluir que deve variar de avião para avião. A seguir trechos da materia… O AMX tem um desenho convencional com fuselagem feita de alumínio, com pequenas partes de aço e material composto. Painéis plástico reforçado são usados para fechar partes internas da aeronave. A asa é derivada do Tornado usando o mesmo perfil de aerofólio, é montada a meia altura com enflexamento de 27,5 graus, equipada com grandes flaps Fowler e slats na borda de ataque. O sistema de controle de… Read more »

[…] 120, baseado em Domna (Sibéria) caiu a cinco quilometros da base no último dia 5 de dezembro. Recentemente uma aeronave do mesmo tipo, proveniente da mesma base também sofreu um acidente. Naquela oportunidade o piloto ejetou-se sem […]

Últimas Notícias

Força Aérea das Filipinas tem apenas 5 dos 12 caças FA-50 em operação

MANILA, Filipinas - Mais da metade dos caças leves FA-50 da Força Aérea das Filipinas (PAF) 12 estão atualmente...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -