Home Operações Aéreas Mirages franceses e Gripens suecos interceptam avião russo

Mirages franceses e Gripens suecos interceptam avião russo

554
30

Mais uma interceptação de um avião russo foi realizada, sobre o Báltico,por aeronaves Mirage 2000 franceses desdobrados na Lituânia, com direito a participação de caças Gripen provenientes da Suécia. A missão ocorreu em 14 de junho passado, mas só foi informada uma semana depois pelo Ministério da Defesa da França.

Segundo o informe, um avião russo, em trânsito da Rússia para o enclave de  Kaliningrado, não estava emitindo sua identificação pelo transponder, e foi dada a ordem de decolagem e interceptação para dois Mirage 2000 C que operam a partir da base  Siauliai, na Lituânia, como parte do revezamento de países da OTAN para manter a defesa aérea dos três países bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia). A rede de radares dos três países, que segundo a nota cobre todo o espaço aéreo do Báltico, capta as aeronaves e, se necessário, caças são acionados para interceptar.

Após a interceptação do Ilyushin russo pelos Mirage 2000 franceses, o mesmo também foi interceptado por dois caças Gripen suecos, pois a aeronave seguia um plano de voo ao longo da fronteira com o espaço aéreo da Suécia. Os dois caças suecos acompanharam a aeronave russa até o limite do espaço aéreo de Kaliningrado, quando então voltaram à Suécia. Em seguida, os dois caças franceses voltaram à sua base na Lituânia.

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da França

NOTA DO EDITOR: reparar que o Mirage 2000 francês que aparece na foto do alto (provavelmente feita pelo seu ala) está equipado com tanques externos de grande capacidade sob as asas, configuração que privilegia missões de maior duração. Já os dois caças Gripen aparentemente carregam apenas um tanque externo cada, sob a fuselagem, o que normalmente caracteriza  uma configuração que privilegia o desempenho na interceptação, em detrimento do alcance. Reparar também que, para acompanhar a baixa velocidade do avião russo, o Mirage voa com um ângulo de ataque um pouco maior que o do Gripen. Ambos têm asas em delta, mas os canards ativos deste último permitem manter essa baixa velocidade sem a necessidade de apontar o nariz tão acentuadamente para cima (característica compartilhada pelo sucessor do Mirage, o Rafale, que como o Gripen dispõe de canards ativos).

30 COMMENTS

  1. O avião russo parece ser um Ilyushin Il-38, provavelmente uma versão de guerra eletrônica, como sugeriu o Soyuz.

    Se os amigos observarem o mapa do Mar Báltico, vão perceber que Kalinigrado (antiga Königsberg da alemanha), é uma cidade em um enclave russo entre a Lituânia e a Polônia.
    Para o avião russo, em provável missão de reconhecimento eletrônico, sair da região de São Petersburgo e chegar à Kalinigrado terá que atravessar o Golfo da Filândia e passar próximo à costa da Filândia, Estônia, Letônia, Lituânia e Suécia. Além de se aproximar da Polônia.

    Segue link para um mapa:
    http://www.europa-mapas.com/mar-baltico.htm

    Sei que ninguém notou, mas gosto muito de mapas… he he he

    Fica claro para qualquer um quanto é quente o leste do frio Mar Báltico.

    Sds,
    Ivan, o Antigo.

  2. Olá,

    Vader não força. o avião está longe de ser um lixo. O todo poderoso e seu adorado Estados Unidos está usando um avião praticamente identico a esse na Libia nesse momento, o P-3C da Marinha americana, se eles que são a elite podem usar porque os Russos não? veja que a missão norte-americana é em cenario real, enquanto os Russos são apenas para provocação e teste de defesas da Otan.

    No mais é bom ver o grande Urso dizendo que está vivo, desde que fique nisso…..

    Abraços,

  3. Pode ser que o Ilyushin Il-38 em questão não tenha transponder.

    Pode ser que o transponder estivesse com defeito…

    Entretanto eu apostaria que o transponder estava desligado e com todas as demais antenas ligadas para gravar sinais de radar, comunicação e todo o espectro eletromagnético naquele setor do Mar Báltico.

    Não se iludam com a aparência do avião.

    Há muitos anos a Suécia fá usou um C-47 recheado de instrumentos ELINT na mesma região… e parece que o avião caiu… ou foi derrubado.

    Sds,
    Ivan.

  4. O problema é que tem cara que insiste em xingar qualquer coisa que venha da Russia , por pura ideologia. Como disse o Locutus :

    “Uma visão… estreita” ( TNG)

    Quem insiste que a Russia acabou nega-se ideologicamente a enxergar a realidade de que eles estão voltando. Claro que não na escala soviética, mas, estão por aí… lentamente se reorganizando…

    É um excelente avião, exatamente como o edcreck falou, o qual como sempre nos iluminando com uma visão livre de doutrinas pró-Washington.

    Se os russos fizeram de proposito para testar as defesas da Otan ou se o transponder estava com defeito, não sei. Ou de repente as duas coisas juntas…

    AAhh os veelhos tempos… nossos gigantescos quadrimotores atazanando a Otan…

    Agora voltaram a fazer o mesmo ! kkkkkkkk !!!

    De quebra serve como exercício para os tão atarefados pilotos da Otan e suecos…

    Sds

  5. Olha só como são as coisas não! Estamos tão acostumados em termos aparelhos “fracos” , que esta foto nos faz pensar…….Dois A-29 ST , ficariam “Munitos” na foto , Não? Pelo menos não ficariam com os bicos mirando estrelas…..

  6. Derruba uns dois aviões russos como retaliação que eles param com essa palhaçada de ficar importunando os vizinhos.

    Se aviões militares europeus e americanos (e até mesmo chineses) começarem a passear perto das fronteiras russas, os russos não gostarão.

  7. Pois é, se fosse um P 3 Elint da navy no espaço aéreo Russo, seguramente os “bonzinhos” teriam mandado pousar sob pena abate imediato, mas como eles podem s outros não, então….

    grande abraço

  8. Bem que um dos pilotos de Gripen poderia ter o pai no C47 ,e o irmão no Catalina abatidos……E estar “núm péssimo dia” , daí mandavá pau no ELINT, detonava os Mirage e alejava o companheiro…..Meu seria o MÁXIMO……

  9. LuppusFurius disse:

    Dois A-29 ST , ficariam “Munitos” na foto , Não? Pelo menos não ficariam com os bicos mirando estrelas…..

    O problema maior neste caso não é acompanhar o avião interceptado. É ter a potência necessária para chegar rapidamente ao local e interceptar a aeronave suspeita.

  10. Ola LuppusFurius

    “…….Dois A-29 ST , ficariam “Munitos” na foto , Não? Pelo menos não ficariam com os bicos mirando estrelas…..”

    Um A-29 só apareceria nesta foto se a tripulação do Ilyushin deixa-se. Já que existe uma diferença de velocidade maxima de ambos, (675 km/h x 557 km/h), bastaria o avião russo acelerar para deixar o A-29 para trás.

    Isto sem considerar o que o Poggio colocou sobre a velocidade necessária para ganhar altura e chegar rapidamente até o alvo.

    Em 2004 (o A-29 estava entrando em serviço) a a defesa aérea da Amazonia era realizada pelo T-27, um P-3 americano dotado de radar de mapeamento geologico, sobrevoou a Amazonia durante horas em uma rota diferente da autorizada

    http://moraisvinna.blogspot.com/2008/09/avio-de-mapeamento-geolgico-americano.html

  11. Olá,

    Eheheheh, quero ver o pais “saco roxo” para derrubar aeronave Russa a Otan se borra até hoje deles, imagina os Suecos, são os primeiros a enfiar o rabo nas pernas e vazar com medo de ser abatido como no passado.

    Abraços,

  12. Do jeito que a Otan européia atua na Libia, incapaz de vencer em tres meses o Kadafi, acho pouco provavel que conseguiria reunir coragem para bater de frente com os russos.
    Quando da agressão da Georgia, sequer falaram alguma coisa, só ficaram falando ” ÁÁii o Putin é um grosso ! úúii ! To di mal, táá !!”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk !!!!!

    é bem capaz que tenha sido um aviso norte americano, e não sos sistemas euripeus, que tenha levado esses caças a decolar.

    Seria também insanidade abater um avião de um país que abastece a Europa com gás e petróleo e que tem a terceira maior reserva financeira mundial, metade delas em euros…

    A Guerra Fria acabou…

  13. Wagner disse:
    4 de julho de 2011 às 17:35

    Se lesse o que falei veria que eu disse “lixo soviético” porque essa porcaria ainda é herança da URSS.

    Quanto a abater: pessoal, sinceramente, abater os lixos soviéticos da Guerra Fria que equipam a pré-falimentar e mafiosa Rússia vai acabar com o treinamento da OTAN… 😉

    Oras, pra que isso? Que ameaça que representa pra Europa Ocidental esses trambolhões estúpidos e pesadões voando pra cá e pra lá?

    Sinceramente: UE e Rússia hoje são ALIADOS! A Rússia não sobrevive a UM INVERNO sem os Euros da UE, e esta morre de frio sem o gás russo. Então senhores, PAREM COM ESSA TOLICE de abater isso, e derrubar aquiloutro: isso aí tudo é PREVIAMENTE COMBINADO! Há ao menos um ACORDO TÁCITO para que os russos voem sem transponder e a OTAN intercepte-os.

    Isso não quer, absolutamente, dizer que “a Ursa voltou” ou bossas do gênero. As coisas são o que são Srs., e a Rússia JAMAIS será o que a URSS foi.

    Saudações.

  14. “”e a Rússia JAMAIS será o que a URSS foi.””

    Quer dizer então que além de clarividente e engenheiro aeronáutico, vc também é um grande economista, Vader ?

    SABE PQ VC ESTÁ ERRADO ???

    VAI NESSE SITE AQUI :
    http://www.russobras.com.br/economia.php

    Vou usar caixa alta:

    DADOS ECONÔMICOS INDICAM QUE A RUSSIA VAI SIM VOLTAR A SER UMA GRANDE POTÊNCIA, ESSE É SEU DESTINO NATURAL.

    SE JÁ FOI A SEGUNDA SUPER-POTÊNCIA MUNDIAL, VOLTARÁ A SER UMA DAS MAIS PODEROSAS.

    QUASE TODOS os índices econômicos e sociais russos MELHORARAM SIGNIFICATIVAMENTE desde que o KGB voltou ao poder. Não é propaganda minha, É FATO, que pode ser visto nesse e em outros sites econômicos.

    A RUSSIA pertence ao time dos Brics, não está lá a toa, e foi posta ali POR ECONOMISTAS NORTE-AMERICANOS, nenhum deles russófilo.

    Salvo uma nova catástrofe econômica mundial tipo setembro de 2008, a Rússia, TAL COMO A ANÁLIDE DOS DADOS INDICA, irá resolver seus problemas gradualmente e voltara ser uma super-potência.

    Pq ??

    Pq, dentre todos os povos do planeta, eles é que tem uma das maiores capacidades de recuperação, tal como já provado pela história deles.

    NÃO TEM NADA A VER COM UFANISMO. A

    A História, e os dados econômicos, provam isso.

    De fato, as coisas são o que são. E A RÚSSIA inevitavelmente voltará a seu poderio. Tem população grande, mão de obra mais qualificada que muitos outros países, enorme mercado consumidor, e recursos naturais quase que auto-suficientes. Nenhum país da terratem tantos rcursos quanto eles.

    Querem mais um exemplo: a agricultura russa, devastada pelos incêndios ano passado, já se recuperou e está voltando aos indices originais. Isso em apenas uma ano.

    Que a Russia ainda tem crônicos problemas, claro que tem. A bagunça da era Yeltsin foi bem severa. Mas, tudo indica que vão conseguir se superar.

    SUBESTIMAR A CAPACIDADE DO POVO RUSSO É UMA ATITUDE LAMENTAVELMENTE GROSSEIRA, PRECONCEITUOSA, FRUTO DE PROFUNDO DESCONHECIMENTO DE DADOS HISTÓRICOS E ECONÔMICOS E MOVIDA UNICA E EXCLUSIVAMENTE POR NEUROSES IDEOLÓGICAS.

    O URSO JÁ ESTÁ DE VOLTA, resta agora intensificar o combate a pobreza, corrupção e baixa taxa de natalidade. E o governo russo está fazendo isso.

    Como se o Kremlin dependesse da opinião dos outros para demonstrar a grandeza de seu povo… que ridiculo…

  15. Olá,

    Basicamente amerinazadus desde criança por top-gun, heheheh

    A Russia não é a URSS, menos ainda o Brasil….

    Abraços,

  16. Poggio e Soyuz, muito obrigado pela atenção , e pelo esclarecimento….
    É que escutei de um Senador que o A29ST, já seria suficiente para a caracteristica dos vôos na Amazonia….
    Ok?! Valeu Galera…..!!!

  17. [“”e a Rússia JAMAIS será o que a URSS foi.””

    Quer dizer então que além de clarividente e engenheiro aeronáutico, vc também é um grande economista, Vader ?

    SABE PQ VC ESTÁ ERRADO ???]

    Nenhum país que já foi um império e deixou de sê-lo voltou a sê-lo, vide Egito, Roma, Grécia, Mongólia, etc. Outros tomam seu lugar. E a Rússia ainda tem que crescer muito, assim comos os outros BRIC’s.

    Os europeus dependem dos russos e os russos dependem dos europeus. Relação de simbiose.

  18. Vai ser difícil a Rússia ter mais influência econômica do que tem hoje.

    Há algum tempo conversei com um executivo europeu de um grande grupo multinacional. Ele disse textualmente que “a Rússia não é ambiente de negócio”.

    Vou dar um exemplo prático disto.

    Tem uma empresa brasileira do setor de alimentos (não vou dizer o nome) que exporta regularmente para a Rússia em grande quantidade. Toda semana se extravia um conteiner, ou a carga “estraga” e precisa ser substituída pela empresa, ou “vaza” óleo sobre o conteiner e estraga a carga…

    É claro que a carga extraviada nunca mais aparece e tampouco as cargas estragadas pelos mais diversos motivos são devolvidas ou inspecionadas.

    Isto porque é tudo mentira. É um “pedágio” que a empresa brasileira inclusive já se resignou a pagar.

    Eu conheço uma liderança empresarial brasileira (não posso falar mais que isto) que viaja regularmente para lá e tem uma impressão péssima não apenas da situação que falei, mas especialmente da infra-estrutura da Rússia, a qual considera sofrível.

    A Rússia tem os mesmos problemas do Brasil e ainda sofrre com o fato de estar em declínio populacional.

    Estes dois países estão condenados a um papel secundário na economia mundial, serão meros fornecedores de matérias-primas, nada mais.

    A grande vantagem da Rússia sobre o Brasil é sua força militar, incluindo a sua indústria de defesa. E é só.

  19. Wagner disse:
    5 de julho de 2011 às 9:36

    Prezado Wagner, conforme o próprio link que V. Sa. enviou (de um site notoriamente russófilo, diga-se de passagem), a continuar na mesma toada em 50 anos a Rússia não terá nem mesmo POPULAÇÃO!!!

    Lembrando que NENHUM país sem mercado interno conseguirá ser potência global no futuro próximo. Nesse sentido, é mais provável que o Brasil, com todos seus perregues, se torne uma potência global, do que a Rússia. Se tivesse que apostar em alguém, ponho mais fé em China, Ìndia (esses dois são quase uma certeza) e alguns países muçulmanos (samicas o Irã?) do que na Rússia.

    Conforme vejo a coisa, a Rússia vai continuar na mesma balada, reciclando seus lixos da era soviética, lutando para ter um poderio militar à altura do seu território, e para não deixar seu arsenal nuclear cair na obsolescências, e mantendo a ponta ou, mais provável, o segundo ou terceiro lugar, em uma ou outra tecnologia bélica.

    Mas JAMAIS será de novo o que a URSS foi. E não adianta tapar o sol com a peneira nem me chamar de “americanizado”, conforme fez o Edcreek. Não irá mudar os fatos.

    Mas quem viver verá. Não perco mais meu tempo discutindo com prosélitos (V. Sa.) ou antiamericanos (o nobre Edcreek).

  20. “O avião russo parece ser um Ilyushin Il-38, provavelmente uma versão de guerra eletrônica, como sugeriu o Soyuz.”

    IL-20M Coot A aeronave ELINT dotada de SLAR, entre outros sensores equivalente direto do EP-3 Aries, igual a aeronave que colidiu c/ um caça chinês alguns anos atrás.
    O IL-38 May é o equivalente soviético/russo do P-3 Orion.

  21. Há algum tempo atrás eu vi um estudo que um país em desenvolvimento querer ser uma potência mundial, teria que possuir três atributos:

    – extensão territorial superior a dois milhões de quilômetros quadrados;
    – população de mais de cem milhões de habitantes;
    – PIB superior a 1 trilhão de dólares.

    Aqui estão descritos os BRICs e o México.

    Os demais países Argentina, África do Sul, etc. podem chegar a ter uma boa qualidade de vida para a sua população, mas não participarão das decisões importantes no mundo.

    Mesmo os países desenvolvidos que não atendam a estes critérios verão a sua influência diminuir dia a dia.

    E a Rússia, com sua população decrescente, arrisca-se a sair deste clube e a perder relevância no cenário mundial

  22. As missões militares mque estiveram na Russia voltaram9sem excessão) decepcionas com o que viram em termos de infra estrutura industrial.

    Grande abraço

  23. Observador disse:
    5 de julho de 2011 às 11:02

    Correto vosso comentário. No entanto, não se esqueça de que a Rússia é o segundo, senão o primeiro, exportador mundial de energia, compreendendo aí, gás e petróleo, nada muito diferente do Brasil, mero exportador de commodities agrícolas e futuramente, veremos…, da commoditie petrolífera também.

    Sds.

  24. Uma coisa que temos em comum com a Rússia: Lá se toma mais vodka do que água….. e aqui também, só que em vez de vodka, nós tomamos é pinga mesmo….. blaghhhhh.

    Tutti sani !!!

    Sds.

  25. Caro Baschera:

    Simj, eu sei disto, tanto é que coloquei os dois acima (Brasil e Rússia) como exportadores de matérias-primas, seja produtos agrícolas, minérios ou combustiveis.

    O problema que estes setores empregam relativamente pouca gente, geram um fluxo de dólares para dentro do país que invabiliza a indústria local e, no caso particular do petróleo, leva à corrupção generalizada.

    E sobre a vodka e as semelhanças conosco, só posso dizer que é comum para os russos fazerem reuniões de trabalho com bebidas alcoólicas. E não são as reuniões internas não: geralmente reuniões com visitantes e/ou com fechamento de grandes negócios são regadas à vodka.

    Como um país vai para frente deste jeito eu não sei.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here