Home Desafio Poder Aéreo ‘Desafio Poder Aéreo’ 140

‘Desafio Poder Aéreo’ 140

216
25

140

25 COMMENTS

  1. Prezado ricardo_recife,

    Que bela foto do cockpit do B-24 você nos mostra!
    Porém, a foto do desafio não é o B-24.
    Onde estará o nosso amigo Franco Ferreira, eu achava que ele iria acertar sem muita demora.

    Keep trying friends, keep trying.

  2. FF perguntaria:

    – Qual o número de série da aeronave?
    – Qual a posição geográfica, rumo e altitude na hora da foto?
    – Nome completo e posto dos tripulantes?
    – O que estão conversando os dois lá na frente?

  3. Caro Roberto

    Serie esta raspada a posição geográfica é cabeceira da pista da fabrica do B24, nome dos tripulantes da foto, jony, piloto patente capitão, co-piloto jonh, 1 tenente e 3 é o zé 1 sargento navegador, o que eles estão falando trata do programa da criação de uma aeronave da UNASUL.

  4. Se bem que no livro “Azul sem fim”, de Stephen E. Ambrose, é afirmado que as cabines dos B-24 (e suas variantes, por conseqüência…) eram muito apertadas, que não parece ser o caso deste desafio…

  5. Pelo espaço na cabine, chuto que é um hidroavião, mais especificamente o PBM-5 Mariner. A armação da cabine o o espaçamento entre os pilotos reforçam minha hipótese.

  6. Rafael: andei pelos PBYs, DOUGLASs e CONVAIRs e não consegui identificar. Andei pelos Heinkel, Dorniers. Andei pelos ingleses, inclusive pelo período da guerra fria, idem.

    Apesar da foto muito escura, este desafio está poderoso.

    Muito bom.

  7. Amigo Rafael, acho que é um quadrimotor, ver instrumentos em colunas numeradas (as últimas seriam “3” e “4”…) no painel do engenheiro de vôo…

    Outro detalhe é o “parabrisa” frontal com 3 seguimentos: só lembro do B-24, do C-130 e do B-52 com essa configuração…

    Mas hidroavião é uma boa sugestão, devido aos mecanismos de abertura do cockpit bem acima dos pilotos (pelo menos parecem ser…). Me sugerem que estes abrem para linha central da cabine…

    Tá difícil…

  8. Prezados colegas,

    Alguns de vocês estão “quentes”.
    Darei algumas dicas:
    Esse avião, durante a Segunda Guerra Mundial, esteve várias vezes no Brasil, em especial, Natal no Rio Grande do Norte, tenho um livro com uma foto de um “encalhado” nas praias de Salinas, próximo de Belém, no Pará.
    O avião tinha uma característica muito pouco conhecida, seus dois motores internos tinham hélices de quatro pás e eram capazes de reverso, já as hélices dos motores extenos, não eram reversíveis e tinham três pás.
    Só existe um exemplar sobrevivente e está num museu nos EUA.

    Bem, agora é só dizer o nome.

  9. Roberto,
    Estava quase certo de que era ele, depois de sua dica (vc praticamente entregou) ficou claro:Short Solen: Consolidated PB2Y Coronado.

  10. Roberto,
    Estava quase certo de que era ele, depois de sua dica (vc praticamente entregou) ficou claro: Consolidated PB2Y Coronado.

  11. Prezados,

    Gostaria aqui de fazer aqui uma menção a um leitor do Poder Aéreo, que apesar de não ser assinante, é leitor assíduo do site.
    Ele, não podendo comentar, mandou um e-mail(ontem,18:49) com a resposta certa para um dos editores, e acertou (também)
    .Meus parabéns.

  12. Serve um meio-acerto? Pois eu sabia que era um hidroavião =P

    Piada à parte, eu nem lembrava do Coronado, e a armação do para-brisa do PBM-5 Mariner é bem parecida.

  13. Aliás, esses hidro barrigudinhos da USN, o Sunderland e o BV-222 eram o maior barato!

    Tenho dois deles da coleção “Bombardeiros da IIGM”: o Sunderland e o BV-222 (Esse último, meu favorito).

  14. Rafael M. F. disse:
    9 de abril de 2013 às 0:14
    “Aliás, esses hidro barrigudinhos da USN, o Sunderland e o BV-222 eram o maior barato!”

    Pois é Rafael. Sempre achei. Imagine como deveria ser legal viajar num Boeing 314 da Pan American de Miami até o Rio de Janeiro.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here