Home Indústria Aeroespacial Boeing e Elbit estão colaborando em projeto de simulador do Super Hornet

Boeing e Elbit estão colaborando em projeto de simulador do Super Hornet

519
2

O projeto  ‘distributed simulation’ deve estabelecer bases para futuras colaborações tecnológicas com a indústria do Brasil, segundo a empresa norte-americana

Em nota anunciada a partir de Santiago (Chile), onde está ocorrendo a Feira Internacional de Ar e Espaço FIDAE, a Boeing afirmou que está colaborando com a Elbit Systems num projeto chamado “distributed simulation” (simulação distribuída), que deverá conectar um simulador do Boeing F/A-18E/F Super Hornet, em St. Louis (EUA), com o simulador do laboratório de aviônicos da AEL, em Porto Alegre (Brasil). O anúncio foi feito na terça-feira, 27 de março.

Esse esforço, segundo a empresa, coloca juntas as experiências da Boeing e da Elbit de forma a demonstrar a atual tecnologia de simulação e de redes, assim como as capacidades do Super Hornet. A demonstração deverá também explorar o potencial para outras colaborações tecnológicas, como a interoperabilidade do Super Hornet com caças brasileiros. Espera-se que o projeto “distributed simulation” seja completado em meados deste ano.

Ainda segundo a nota, a Boeing e a Elbit Systems estão desenvolvendo um plano robusto para trocas de tecnologia nas áreas de simulação e de apoio a aviônicos, visando o programa brasileiro F-X2. Neste mês, a Boeing e a Elbit assinaram um memorando de entendimento que apoia o desenvolvimento de capacidades avançadas de aviônica no Brasil, que serão introduzidas à AEL Sistemas. A Elbit foi selecionada para fornecer o sistema LAD (Large Area Display – tela de grande área) que será parte de um sistema avançado de cockpit (cabine) a ser oferecido em caças da Boeing – incluindo o F/A-18E/F Super Hornet e a família F-15, que inclui o Silent Eagle. Como um fornecedor-chave dos programas de caça da Boeing, a Elbit, por meio da Boeing, está investindo no desenvolvimento de avançadas capacidades em aviônica, na AEL Sistemas.

Recentemente, representantes da Elbit se encontraram com a equipe do Super Hornet da Boeing, em St. Louis, para iniciar o delineamento dos planos de trabalho de desenvolvimento dos aviônicos avançados e da tela de grande área (LAD). Os engenheiros brasileiros e suas contrapartes da Boeing esperam criar uma relação forte de trabalho, que agregará valor à indústria brasileira e à FAB.

As duas equipes também já começaram a explorar potenciais oportunidades para outros sistemas e atividades de apoio que poderiam beneficiar a AEL Sistemas e a indústria brasileira, tanto no curto prazo quanto ao longo do ciclo de vida da aeronave.

Segundo o vice-presidente da Boeing para os programas F/A-18 and EA-18 , Mike Gibbons, “trabalhando juntos nos aviônicos das aeronaves de hoje, os engenheiros da Boeing e da Elbit serão capazes de traçar um plano para o futuro. Esses esforços colaborativos dão oportunidades para o crescimento internacional da Boeing e de nossa cadeia de fornecedores global.”

FONTE: Boeing

NOTA DO EDITOR:será essa a “parte crítica do projeto” que a representante da Boeing no Brasil, Donna Hrinak, disse em entrevista (clique aqui para acessar) que foi colocada na proposta do Super Hornet para o F-X2, como oportunidade para o Brasil produzir? Segundo a executiva, a parte crítica (que não foi revelada) seria destinada a todos os F-18 –  se a Marinha dos EUA (USN) quisesse comprar a aeronave, teria que ser com a parte brasileira.

VEJA TAMBÉM:

2 COMMENTS

  1. Growler Electronic Warfare Aircraft – Long Lead Item Equipment Purchase

    (Source: Australian Department of Defense; issued March 29, 2012)

    Minister for Defence Stephen Smith and Minister for Defence Materiel Jason Clare today announced that the Government would spend more than $19 million to purchase long lead item electronic equipment for the potential conversion of twelve of Australia’s F-18 Super Hornet’s to the EA-18G Growler variant.

    In 2009, the Government made the decision to wire 12 Super Hornets for potential conversion to the Growler configuration at a cost of $35 million.

    Growler is an electronic warfare system that gives the Super Hornet the ability to jam the electronics systems of aircraft and land-based radars and communications systems. The Growler electronic warfare aircraft was used very effectively by the United States Navy during air operations in Libya last year.

    The long lead items are systems and equipment that are required for any potential conversion of Australia’s existing Super Hornets and include:
    –Electronic systems;
    –Antennas; and
    –High Frequency modulation receivers

    The decision to purchase this equipment has been made now to ensure Australia continues to have potential access to the Growler technology. A final decision on whether Australia converts some of its Super Hornets to Growler configuration will be made after exhaustive assessment by the Government this year. This purchase ensures Australia will continue to have access to specific technologies needed to make any such conversion.

    The purchase of this equipment is being made through the United States Foreign Military Sales process. As part of this process, a Letter of Request formally requesting the purchase has been delivered to the United States.

    If Australia converts some of its Super Hornets to Growler configuration it will be the only country in the world, other than the United States, operating such aircraft.

    -ends-

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here