Home Aviônica Boeing e Elbit Systems assinam MOU para investimento em tecnologia no Brasil

Boeing e Elbit Systems assinam MOU para investimento em tecnologia no Brasil

482
38

A Boeing Company e a Elbit Systems assinaram um Memorando de Entendimento (MOU), que apoia o desenvolvimento de aviônicos no Brasil.

A Boeing selecionou a Elbit para fornecer o sistema de exibição de grande área (Large Area Display) que será parte de um sistema avançado de cockpit a ser oferecido em caças da Boeing, como o F/A-18E/F Super Hornet e a família F-15, incluindo o Silent Eagle.

Como um fornecedor chave para programas de aeronaves de caça da Boeing, a Elbit se comprometeu a investir no desenvolvimento de capacidades de aviônicos do cockpit em sua subsidiária no Brasil, a AEL Sistemas SA de Porto Alegre. Para ler o release completo clique aqui.

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Corsario137
Corsario137
8 anos atrás

MAGAVILHA!!!!

Já estaremos habilitados para produzir o Vespão na sua versão mais atualizada. Manda fogo Obama e faz uma proposta irrecusável, PLEASE!

JapaMan
JapaMan
8 anos atrás

Ótima, excelente notícia, como a Boeing não faria uma coisas dessas sem estar esperando algo em troca, creio que o Super Hornet tem chances de novo por aqui, devem estar preparando uma oferta irrecusável, e o que vai pesar também, vai ser alguns tampões enquanto os novos não chegam, até porque a Boeing é a única das três que possui capacidade de entrega em um curto prazo.

Ainda tenho esperanças de não dar LE JAQUE PODRÊ;

Sds

Marcos
Marcos
8 anos atrás

A Boeing eventualmente poderá fazer uma proposta com preços semelhantes aos negociados aos da USNavy.

Mas o problema é que quem manda é M.Lulá!!!

JapaMan
JapaMan
8 anos atrás

Marcos disse: 5 de março de 2012 às 12:59 A Boeing eventualmente poderá fazer uma proposta com preços semelhantes aos negociados aos da USNavy. Mas o problema é que quem manda é M.Lulá!!! Concordo com você Marcos, porém o que me dá um pouco de esperança é o simples fato de não ter como operar o Rafaleco, por seu alto custo, seria uma verdadeira bomba, isso poderia afetar a imagem do PT para as próximas eleições presidencias, eu acredito inclusive que a Boeing e o governo Americano devem preparar um algo a mais que só eles tem, minhas esperanças voltaram… Read more »

alphasr71a
alphasr71a
8 anos atrás

VEM NI MIM DILIÇA. Tomara que o governo abra os olhos, e não compre francês..

Daglian
Daglian
8 anos atrás

Vamo Obama, faz uma proposta daquelas vai!!!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

JapaMan

Para quem já comprou helicóptero por preço de caça e para quem já comprou submarino eletro diesel por preço de nuclear, comprar caça de 4ª geração por preço do de 5ª tá mole.

Depois o anti-americanismo ainda reina por aqui, mesmo que os chineses estejam tomando conta de tudo.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

E quais seriam os cutos operacionais de Gripen x F-18 x Rafale?

Ricardo Cascaldi
8 anos atrás

Marcos, você fez a pergunta mais esperada por alguns aqui….. daqui a pouco vai começar a enxurrada de contas de padaria e afins! Just like the old times! 😀

Mas apesar da notícia eu ando cético sobre o FX-2, vai dar francês pra variar.

🙁

Nick
Nick
8 anos atrás

Pelo menos o painel será fabricado por aqui 🙂 É bom a Boeing melhorar muito sua proposta, e torcer para o Obamis, fazer algumas compensações pela perda do LAS.

[]’s

JapaMan
JapaMan
8 anos atrás

Marcos:

Concordo com você, e sei das dificuldades, ainda mais em se tratando da PeTralha, a França é a queridinha, porém os custos de vôo de um caça como o Rafale são inviáveis, creio que a turma da marmelada só não anunciou a vitória do LE JAQUÊ, justamente por isso, é uma bomba, eles querem muito mandar mais dinheiro para seus amiguinhos Franceses, mas o custo operacional é que acaba estragando tudo, aquisição não é problema realmente, isso seria barbada.

Vamos torcer, mesmo que as cegas.

Abraço.

Ricardo Cascaldi
8 anos atrás

Interessante notar a nova “bunda” ( em linguagem de leigo) do Silent Hornet! Ainda acho que poderia estar mais “silent” mas OK, quem já fez YF-23, B-2, F-15 Silent Eagle e muito mais deve entender mais do que eu….

🙂

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
8 anos atrás

Ricardo,

Acho que você está confundindo um flap baixado com uma nova fuselagem traseira que não existe…

Almeida
Almeida
8 anos atrás

O Super Hornet block III vai dar um BANHO no Rafale F4. E custando muito menos.

Racionalmente, pela lógica, em todos os sentidos, deveria dar Super Hornet no FX-2. Mas como o PT e seus camaradas são completamente irracionais devido a sua ideologia que beira um culto ou religião, ou só pensam com seu próprio bolso, o Rafale ainda é o mais cotado por aqui. Infelizmente.

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Ah sim, o Super Hornet block II já dá um belo banho no Rafale F3.

DrCockroach
DrCockroach
8 anos atrás

Considerando estritamente o caca, acredito que deva ser a melhor opcao do FX-2.

[]s!

P.S.: Mas nao estah faltando um poster de mulher pelada nesta “garagem”? 🙂

Ricardo Cascaldi
8 anos atrás

Nunão, realmente falei besteira, não havia notado o flap! hehe! Acontece, mas iria ficar interessante se fosse o que eu havia pensado.

🙂

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Interessante

Até agora não apareceu ninguem defedendo a Le Jacke, será porque???

Edgar
Admin
8 anos atrás

Muitos me ironizaram quando afirmei e reafirmei que a Boeing levaria o FX-2, mesmo diante dos últimos acontecimentos como a “perda” temporária do LAS (que para mim não quer dizer nada) pela Embraer.

Não é à toa que a parceria militar está na pauta da visita da presidente[A] ao Obama no dia 09/04. Certamente Don Obama Corleone fará uma oferta irrecusável à nossa Chefe e assinaremos o contrato com a Boeing em definitivo.

Como sempre disse, quem viver verá.

Magal
Magal
8 anos atrás

Lembrar a todos que o MOU não menciona $$$$$ investido, assim como não menciona qual ‘hardware’ ou ‘software’ está sendo investido. Sendo assim é bom fazer como o curupira e ficar com os dois pés atrás porque isso pode ser uma coisa boa ou somente mais ‘espelhos’ para os índios tupiniquins. Além disso o Pres. da Área de Defesa da Boeing está no Brasil essa semana e esse tipo de acordo é mais do que esperado depois da confusão com o S Tucano. Acho o Super Hornet uma excelente solução, e em muitos aspectos ideal para o Brasil, mas não… Read more »

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

Marcos disse:
5 de março de 2012 às 16:04

tá com saudade né? Bem, prefiro o Rafale, mas o F-18 não é ruim não! Tem esse problema do LAS, mas se o Obamis der algo em troca, beleza! O que eu não quero de jeito nenhum, vou bater na madeira 3 vezes é Gripenito, o LIFT mais caro do mundo!!!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Há dois Marcos postando aqui.

Já havia notado isso em outros artigos.

Eu sou o Marcos das 12:59 13:32 13:33.

Depois tem o outro “Marcos” das 16:04.

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, boa tarde. Será que entendi direito? 1. A Boeing resolveu utilizar equipamentos Elbit em suas aeronaves. 2. A Elbit, em vez de fabricar o equipamento em Israel ou nos Estados Unidos, resolveu fazê-lo na subsidiária do Brasil. 3. A Elbit devido aos inúmeros projetos contratados pelas Forças Armadas brasileiras, deve ter ainda muito que implementar de offset de seus contratos passados e em curso. 4. A Elbit, em vez de contabilizar esses offsets como créditos na sua conta, vai doá-los para a Boeing no FX-2? 😯 Opções: 1. Meus dois neurônios erraram no raciocínio lógico; ou 2. Os israelenses… Read more »

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, Sobre a utilização de painel único, alguns comentários: A tecnologia para fazer um display único, seja em LCD ou LED já existe há muito. Por quê ainda não é utilizada essa solução? 1. Batente tecnológico: ainda não é possível fazer com que o foco da imagem seja semelhante ao “look out”, para uma transição mais suave do ambiente externo (ou HMD) para o interno. Por enquanto, isso só é possível com meios ópticos tradicionais. 2. Segurança de voo: uma pane no display único deixaria o piloto completamente desprovido de informações visuais, seja de sistemas utilitários como operacionais e de… Read more »

Nick
Nick
8 anos atrás

Caro Justin,

A questão do painel único me parece ultrapassada.

F-35: painel único
Sukhoi PAKFA : PAinel Duplo(o de série provavelmente será único)
F-18 E “BlockIII” :Painel único
Gripen NG: Painel único

Resumindo : projetos mais recentes estão partindo para o painel único com as óbvias vantagens de ter uma tela maior para a fusão de dados.

[]’s

Renato Oliveira
Renato Oliveira
8 anos atrás

Aí, mudinha, mais uma boa pra fechar com Vespão e detonar le jaquê. Mas pode ir de Gripen tb que fico de boa 😉

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Justin,

Os painés LCD com retroiluminação por LEDs são extremamente confiáveis e jamais falham por inteiro, de uma só vez. Eles vão paulatinamente perdendo pixels, o que pode ser monitorado e substituído em tempo. Além disso, os novos modelos permitem angulos de leitura muito maiores, diminuindo o problema do foco.

Ja foi o tempo dos paineis multiplos e HUDs, agora é painel unico e HMD.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
8 anos atrás

Adeus Le Jaque. Rsrsrsrsrsrs… Os Avionicos e uma parte do Santo Grau da industria aeronautica, a outra e o turbofan. Se vao passar/ensinar essa tecnologia ao Brasil o Le Jaque ja era. A Franca nao pode fazer isso porque seus avionicos sao americanos. Se depois da nova contra-oferta da Boeing, o GF comprar o Rapale, acho que deveriamos voltar aos tempos da guilhotina. Rsrsrsrsrs. Justin Case, O F-35 vai contar somente (nao vi nenhuma redundancia analogica) com um Display no cockpit. E ai, vai brigar ….rsrsrsrsrs. Voce sabe que o piloto do F-35 conta com HMDS, se por acaso houver… Read more »

juarezmartinez
juarezmartinez
8 anos atrás

ustin Case disse: 5 de março de 2012 às 19:06 Amigos, boa tarde. Será que entendi direito? Claro que entendeu. 1. A Boeing resolveu utilizar equipamentos Elbit em suas aeronaves. Qual o problema, a Navy, a USAF e US ARMY usam equipamentos e sistemas de procedência “Jerusalem”. 2. A Elbit, em vez de fabricar o equipamento em Israel ou nos Estados Unidos, resolveu fazê-lo na subsidiária do Brasil. Parece que sim, ou quem sabe isto seja apenas a ponta de um iceberg maior chamado KC 390 x USAF, quem sabe.. 3. A Elbit devido aos inúmeros projetos contratados pelas Forças… Read more »

Magal
Magal
8 anos atrás

O ideal é que o painel único seja acompanhado de HMD. É claro que existem riscos e certamente o uso de HMD facilita muito. Hoje existente só temos o F-35 com display único voando e sendo testado. O resto ou tem mais de um display ou não existe. Adaptar uma aeronave já existente para utilizar esse tipo de painel pode indicar inclusive um grande reprojeto do cockpit, pois muitas vezes a iluminação no cockpit não comporta esse tipo de representação gráfica da maneira mais eficiente possível. Uma aeronave de combate vai lidar com padrões de reflexão de luz e mudança… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Magal
8 anos atrás

Senhores, Quando era tudo “reloginho”, às vezes bastava um deles dar problema para se abortar uma missão, conforme o que dava pau. Então na minha opinião, indo lá na raiz da questão, tanto faz dar pau no mostrador inteiro (tela única) ou numa única função crítica à missão e que não pode ser mostrada (em mostradores analógicos antigos ou numa tela dentro de um painel com outras, caso não se possa trocar a informação para outra que esteja em funcionamento), para que esta seja abortada também. E para levar o caça pra casa após esse problema, normalmente há instrumentos básicos… Read more »

ricardo_recife
ricardo_recife
8 anos atrás

A Boeing mostra suas garras para a negociação. Pena que não é a lógica que impera, mas ….

Tinha dito antes que a AEL tem de ser visto com um elemento importante no FX-II. Certamente é um dos nossos mais importantes desenvolvedores de sistemas de defesa.

A SAAB já afirmou que, em relação ao Gripen E/F BR, que as “aeronaves serão fabricadas na Embraer e terão todos seus sistemas aviônicos produzidos pela Aeroeletrônica”.

Abs,

Ricardo

Justin Case
Justin Case
8 anos atrás

Amigos, É claro que ninguém colocaria um display único no avião se não houvesse uma saída para a segurança. Para todo sistema sensível, é requerido aquilo que se chama de “graceful degradation”, para evitar uma falha absoluta ou “catastrófica” do sistema. Isso pode ser conseguido, por exemplo, com algo que aparenta ser uma tela inteira (por ocupar toda a área), mas na realidade não o é. Ou sejam, vários equipamentos associados, com fontes de alimentação ou de geração de imagens separadas, etc. Dessa maneira, as tais economias resultantes do “equipamento único” estariam descartadas ou reduzidas. Essa é uma das causas… Read more »

Grifo
Grifo
8 anos atrás

Será que entendi direito? Caro Justin Case, pelo que eu entendi: 1. A Boeing precisa de offsets no Brasil como parte da sua oferta do Super Hornet. 2. A Boeing identificou uma empresa brasileira (AEL Sistemas) como destino destes offsets da Boeing. 3. Ambas as empresas assinaram um MOU para isto. 4. A Boeing divulgou uma release dizendo isto para todo mundo, quem sabe tentando colocar uma notícia positiva depois do desastre que foi o cancelamento da compra dos Super Tucano pela USAF. Eu não vejo isto diferente das dezenas de outros MOUs assinados pela própria Boeing e pelas outras… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Como diria o Bart Simpson:

Aí, caramba!!!

Como esses americanos são legais, vão arrumar um uso decente, p/ a oficina de aviônica lá de Porto Alegre!!!
Bem melhor que a “ToT irrestrita” de mim p/ eu mesmo, dos nossos “parceiros estratégicos”…

Antonio M
Antonio M
8 anos atrás

A hora de voô no F18 também não é barato, principalmente comparado ao que a FAB está “acosutmada” mas, de qualquer jeito a entrada de um novo vetor qualquer que seja ele vai provocar grandes mudanças para que possa ser operado. E outra questão: iremos de F18 para todos os tipos de missão? Eu ainda defendo a solução que utiliza mais de um tipo de aeronave e por isso que mesmo com a aquisição do F18, deveríamos operar o Gripen NG e de acordo com a necessidade utilizá-los onde são melhores. E não acho que seja impossível devido a briga… Read more »

Vader
8 anos atrás

Antonio M disse:
6 de março de 2012 às 9:22

Antônio, o “low” do “high-low” brasileiro já existe e está voando de monte:

Se chama EMB-314 Super-Tucano… 🙂

E reze para que ele não acabe se tornando o “high” da equação… 😉

Antonio M
Antonio M
8 anos atrás

Vader disse:
6 de março de 2012 às 18:35

srsrsrsrsrsrsr!!!!

Mas quem sabe no governo apareça alguém ousado o suficiente e proponha que nosso high seja uma versão melhorada do ST, o “Hiper Tucano” trocando as duas metralhadoras .50 por dois motores !!!!!!