Home Força Aérea Brasileira Avião da FAB chega ao Brasil com militares e pesquisadores de estação...

Avião da FAB chega ao Brasil com militares e pesquisadores de estação brasileira

407
0

Na madrugada de hoje (27/02), chegaram ao Brasil 45 brasileiros que estavam na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), na Antártida, parcialmente destruída por um incêndio na madrugada do último dia 25 de fevereiro. O grupo foi transportado de Punta Arenas, no Chile, até a Base Aérea do Galeão (BAGL), no Rio de Janeiro, e pousou pouco antes da 1h desta segunda-feira. Horas antes, às 21h30, quatro pesquisadores do grupo desembarcaram em Pelotas, no Rio Grande do Sul.

O grupo que partiu de Punta Arenas era composto por 30 pesquisadores, 12 servidores civis do Arsenal da Marinha do Brasil, um alpinista, um representante do Ministério do Meio Ambiente e o 1º Sargento Luciano Gomes Medeiros, ferido durante o incêndio. O militar ferido foi encaminhado ao Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro.
Uma aeronave C-130 Hércules do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transportes (1º/1º GT), Esquadrão Gordo, realizou o transporte de Punta Arenas até Base Aérea do Galeão.

Dezenas de familiares e amigos dos servidores e pesquisadores aguardavam ansiosamente pela chegada da aeronave no terminal de passageiros do Correio Aéreo Nacional (CAN) do Galeão. Enquanto esperavam, a esposa, dois filhos e dois netos do soldador Vicente José Francisco de Paiva, 56 anos, servidor civil da Marinha do Brasil, relembraram o momento em que receberam a notícia. “Recebemos um telefonema de uma pessoa da Marinha dizendo que havia acontecido o incêndio. Apesar de nos terem informados que ele estava bem, ficamos apreensivos até ouvir a voz dele”, afirmou Aline Paiva, filha do soldador. Vicente estava na estação brasileira há três meses e tinha o retorno previsto para fim de março. “Ele me passou tranquilidade no telefone, agora é só esperar”, afirmou Léia Martins, mulher de Vicente. Quando chegou, Vicente foi abraçado e beijado pelos netos. “É altamente gratificante voltar para casa depois de uma tragédia como essa e ser recepcionado pela família. É muito bom saber que houve empenho das bases de outros países na Antártida em nos ajudar a apagar o fogo, mesmo com o frio e o passar das horas na madrugada”, afirmou Vicente.

O biólogo Bruno Pereira Mais, de 30 anos, estava na estação para realizar pesquisas para sua tese de doutorado, com mais dois pesquisadores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). “Ele está muito abalado com tudo o que aconteceu, ele estava acordado e presenciou tudo, o fogo, as explosões. O Bruno viu os dois militares que morreram entrando para combater o fogo e não voltar mais, ele mesmo ajudou no combate ao fogo”, disse a mãe do pesquisador, Sônia Maria Pereira. Junto com demais familiares de Bruno, o grupo somava 10 pessoas. Apesar das cenas que presenciou, Bruno não descarta a possibilidade de retornar à Antártida. “Logo que cheguei lá, já tive vontade de voltar, mas preciso terminar minha pesquisa”, relatou.
Outra aeronave C-130 do 1º/1º GT decolou da BAGL, por volta das 23h30 de domingo, com destino ao Chile, para trazer ao Brasil os corpos dos dois militares da Marinha que morreram na EACF, o Suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e 1º Sargento Roberto Lopes dos Santos.

Reconstrução

O Ministro da Defesa, Celso Amorim, compareceu ao desembarque dos Brasileiros na Base Aérea do Galeão, acompanhado do Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Julio Soares de Moura Neto, e do Comandante do Terceiro Comando Aéreo Regional (III COMAR), ao qual a BAGL é subordinada, Major Brigadeiro do Ar Luiz Carlos Terciotti.
Na entrevista que concedeu minutos antes do desembarque, Celso Amorim, externou o reconhecimento aos civis e militares que atuavam na EACF. “A minha presença aqui hoje, a presença do governo, é um sinal de reconhecimento da importância do trabalho que os cientistas e demais pessoas que estavam lá vinham realizando, um trabalho que é motivo de orgulho para todos nós; é e símbolo daquilo que está na nota da Presidenta Dilma Roussef, que é a continuidade do programa Antártico, as providências para a imediata reconstrução da Base. Nós vamos continuar com este programa, que é muito importante” afirmou. O Ministro disse ainda que a partir desta segunda-feira (27/2) seriam tomadas providências para a imediata reconstrução da Estação, que teve cerca de 70% de sua estrutura destruída.

FONTE: Agência Força Aérea/COMAER III

LEIA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments