domingo, dezembro 5, 2021

Gripen para o Brasil

Andrade Gutierrez e Thales firmam parceria para atender mercados de Defesa e Segurança

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Anúncio da criação da joint-venture, que será uma Empresa Estratégica de Defesa, ocorre durante visita do premier francês ao Brasil

 

Rio de Janeiro, 2 de janeiro de 2012 – O grupo Andrade Gutierrez, com 63 anos de experiência em áreas como construção, telecomunicações, concessões, energia e gestão em saúde, se associou ao grupo francês Thales, líder mundial em tecnologia nos mercados de defesa, segurança, aeroespacial e transportes, com presença em mais de 50 países, para criar uma joint-venture. A nova empresa possibilitará somar competências para atuar no setor de defesa e segurança, oferecendo soluções para o desenvolvimento e gestão de sistemas complexos de monitoramento e comunicação civis e militares, o que inclui atuação em segurança urbana, em grandes eventos como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, infraestruturas críticas, setor de óleo e gás, entre outros.

O anúncio foi feito durante a recente visita do Primeiro-Ministro francês, François Fillon, ao Brasil. A parceria garante ao Brasil transferência de tecnologia, investimento em pesquisa e inovação, além da geração de empregos. A iniciativa dos dois grupos é ainda flexível para acomodar futuras novas parcerias na indústria.

A joint-venture será constituída entre a Andrade Gutierrez Defesa e Segurança e a Thales com base nas premissas do governo brasileiro, estabelecidas na Medida Provisória 544, de 29 de setembro de 2011, para a criação de uma Empresa Estratégica de Defesa (EED): pessoa jurídica credenciada pelo Ministério da Defesa, com sede no país e controle nacional do capital votante. A formação da joint-venture está também em sintonia com a parceria estratégica na área de defesa firmada pelos governos brasileiro e francês, em 2008.

“A decisão da Andrade Gutierrez em criar uma empresa de defesa e segurança segue a estratégia do grupo de diversificar os negócios, iniciada em 1990, em busca de oportunidades de crescimento e rentabilidade”, explica Giovanni Foragi, Presidente da Andrade Gutierrez Defesa e Segurança.

“A estratégia global do grupo Thales é compartilhar tecnologias, estabelecer bases industriais locais e desenvolver parcerias operacionais e de P&D, iniciativas alinhadas à política de investimento do governo brasileiro”, garante Laurent Mourre, Diretor Geral da Thales no Brasil, onde já conduz a subsidiária Omnisys, sediada em São Bernardo do Campo (SP).

O Grupo Andrade Gutierrez tem comprovada competência em gestão e logística de projetos grandes e complexos, e obras civis, na operação de sistemas de comunicação públicos e redes de satélites. Já a Thales, presente no Brasil há mais de 40 anos, possui expertise em equipamentos sensores (radares, optrônicos, sistemas de satélites de observação, radar e ópticos), sistemas de comunicação (rádios táticos, comunicações via satélites etc.), sistemas C2, C4I com inteligência e processamento de informação e criptografia, entre outros. No âmbito da segurança, a Thales traz como referência o sistema de vigilância urbana Ciudad Segura, desenvolvido e operacionalizado pela empresa na Cidade do México, um dos maiores do mundo do gênero com mais de oito mil câmeras e sensores.

A joint-venture alavancará as competências tecnológicas de ambos os grupos para oferecer as melhores soluções a projetos de grande porte. Participar do crescimento do setor de Defesa e Segurança, principalmente no desenvolvimento e implantação de sistemas de controle e monitoramento de áreas estratégicas, é um dos objetivos prioritários da associação entre Andrade Gutierrez e Thales.

Sobre o Grupo Andrade Gutierrez

O Grupo Andrade Gutierrez tem mais de 60 anos de atuação e se situa entre os maiores conglomerados empresariais privados da América Latina. Engloba negócios diversificados, como Engenharia e Construção, Concessões, Telecomunicações, Geração de Energia, Fundos de Investimento e Serviços de Saúde. Hoje, a companhia acumula projetos realizados em mais de 30 países e participa como investidora em empresas como Oi e Contax (AG Telecom), e CCR, Sanepar, Water Port, Quiport, Aeris e Cemig (AG Concessões), esta última incorporada à carteira em 2010. Novos negócios surgiram nos últimos anos, como Geração de Energia e Serviços de Saúde. São linhas de oportunidades sinérgicas, em áreas distintas, mas dentro de uma estratégia global, colocando o Grupo Andrade Gutierrez no patamar que hoje ostenta. www.agsa.com.br

Sobre a Thales

Líder mundial em tecnologia nos mercados de Defesa & Segurança e Transporte & Aeroespacial. Em 2010, a empresa gerou uma receita de 13,1 bilhões de euros, com 68 mil funcionários em 50 países. Com seus 22.500 engenheiros e pesquisadores, a Thales tem a aptidão única de projetar, desenvolver e implantar equipamentos, sistemas e serviços adaptados aos mais complexos requisitos de segurança. A Thales tem um alcance internacional excepcional, com operações em todo o mundo, trabalhando diretamente com clientes como parceiros locais. www.thalesgroup.com

FONTE: CDN

- Advertisement -

6 Comments

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daglian

Ah, a famigerada ToT… quando pensaremos em DESENVOLVER tecnologia??

Uitinã

Eu não entendo o por que dessas empresas como Thales, BAE System, Elbit e outras empresas veem no brasil, um país totalmente desinteressado em sua soberania e patriotismo o que eles vem lá de fora que nós que vivemos aqui dentro não vemos, será que estes grupos conseguem ver um futuro promissor na areá de defesa por estas bandas.

asbueno

Uitinã,

Talvez eles vejam aquilo que sabemos que existe mas não enxergamos claramente: facilidades “corruptivas”.

Todavia é uma oportunidade de robustecimento de uma empresa nacional.

Mauricio R.

Tá mais parecendo a junção da fome, c/ a Europa em crise novos negócios terão que ser encontrados em algum lugar, c/ a vontade de comer, empresa nacional quer parceiro tecnológico p/ diversificar atividades e de quebra abocanhar alguns belos nacos de 2 grandes eventos esportivos que ocorrerão em breve, no Brasil.
Belas oportunidades p/ se venderem algumas caixas-pretas, somente isso.

Dario

Isso se chama ” estratégia “, através de uma visão, planos e cálculos de risco de que o Brasil não poderá mais deixar de investir em segurança e defesa. Eu acredito muito nesta situação, apesar da nossa geração estar desacreditada. Infelizmente, independente de todos os problemas e dificuldades existentes hoje, somos um povo extremamente imediatista e não paramos frequentemente para pensar e executar o futuro, pensando nas próximas gerações, e quando fazemos, na maioria dos casos, perdemos a janela do futuro. Se fosse eles, faria a mesma coisa. Talvez, a gente não veja em vida estes investimentos, mas o trabalho… Read more »

Arlsan

Odebrecht, Andrade Gutierrez… os franceses sabem fazer negócios no Brasil.

Últimas Notícias

Irã diz que explosão acima de Natanz faz parte de treinamento militar

A explosão relatada coincide com uma crise nas negociações sobre o programa nuclear do Irã A mídia iraniana no sábado...
- Advertisement -
- Advertisement -