Home Sistemas de Armas Poster das armas do Rafale em alta resolução

Poster das armas do Rafale em alta resolução

432
9

Agora sim! Clique na imagem para baixar o poster das armas do Rafale em alta resolução.

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Falta um míssil SRAAM mais barato que o MICA-IR e falta um míssil anti-radiação.
Cadê o ARMAT?
Também o Exocet tá meio anacrônico.
Estranho como os franceses não desenvolveram um míssil antinavio a partir do ASMP-A como foi proposto no passado com o ANF.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
9 anos atrás

Olhando essa imagem eu lembrei do criativo esquema de armas do Mirage III. Ele tinha dois tanques de combustível subalares feitos para transportar armas. Um deles tinha um lançador de foguetes na frente e o outro transportava 4 bombas de 100kg nas suas laterais.

Giordani RS
Giordani RS
9 anos atrás

Realmente, se tem uma coisa que ninguém pode negar(salvo os torcedores) é que o Rafaele é muito bonito! Eu classificaria em 2º lugar na minha lista de belos da aviação de caça, atrás somente do Drakken.
Eu Lembro do tempo em que comprava os posters da aviagrafica para emuldorar e ficar horas a fio fitando-os…e hoje, a informática disponibiliza com um simples acesso e com resolução muito, mas muito superior. Admirável Mundo Novo…

Com toda a certeza vou transformar em poster…só mais um…hehehe…valeu Galante!

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá, joseboscojr o Armat não será integrado, segundo os Franceses esse tipo de arma não é necessario já que o “serviço” pode ser feito de outra forma. Toda via pode ser criada uma versão de AASM que está em estudo. O Exocet dispensa apresentações é mais bem sucessido missel anti-navio da historia, o unico a antigir um navio Amaricano e afundar dois navios Ingleses no estado da arte da epoca, mas o fato é que ele nunca parou no tempo e sofre atualizações constantes ao meu ver não é anacronico. Sobre o missel mica, no caso especial dos Franceses possuem… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Se se considerar o nº de cascos inimigos afundados, em especial na Guerra do Yom Kippur, o Gabriel israelense é prá lá de mais bem sucedido, que o peixa voador francês. Os israelenses afundaram 5 navios sírios (3 X FAC-M; 1X FAC-T e 1 X varre-minas) em batalha. O “Atlantic Conveyor” , 2º navio afundado por Exocet nas Falklands, era uma navio mercante. Tanto os mísseis Harpoon americano, como o Otomat franco/italiano, usam turbina, como forma de propulção desde o início. Algo que somente agora no MM-40 Block 3, foi incorporado ao design francês. Qnto ao MICA em especial a… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Ed, Sem dúvida o Exocet fez história, mas seu êxito na Guerra das Malvinas se deu contra navios desprotegidos. Nenhum contava com um sistema de defesa de ponto eficiente (Sea Wolf), apta a enfrentar esse tipo de ameaça. Só hoje está disseminado nos meios de superfície uma capacidade consistente de defesa contra mísseis sea-skimming pequenos como o Exocet, o que já tem obrigado a busca de soluções mais ousadas, tais como furtividade e velocidade supersônica. Quanto à fragata Stark, embora o Exocet mereça todos os méritos, a mesma também não contava com um sistema de defesa de ponto cobrindo o… Read more »

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Mauricio R. não dá para comparar os novissimos navios estado da arte Ingleses com os navios de porte inferior Sirios. Sobre o mica a outra versão disponivel, sem qualquer problema de alcançe…..

Bosco realmente o alcançe deveria ser um pouco maior, mas não chega a ser critico ao meu ver.

Abraços,

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Dá p/ comparar e mto, pois o que conta é a influência da ação no contexto dos combates.
O afundamento do CT HMS “Sherfield”, nem novíssimo e nem estado da arte, não impediu a derrocada argentina.
Enquanto que o afundamento dos 5 navios, removeu a marinha da Síria do conflito.

edcreek
edcreek
9 anos atrás

Olá,

Mauricio R. se for para levar para esse lado, a guerra foi definda em terra e não no mar, a força Siria era irrelevante.

Sobre a guerra das malvinas, não há que questionar….

Abraços,