Home Indústria Aeroespacial O apoio aos B-52: USAF exerce mais uma opção de contrato com...

O apoio aos B-52: USAF exerce mais uma opção de contrato com a Boeing

517
9

A Boeing informou na última terça-feira, 22 de fevereiro, que a Força Aérea dos EUA (USAF) exerceu uma opção de contrato para que a empresa continue apoiando o bombardeiro B-52 Stratofortress. A opção, no valor de 21,7 milhões de dólares, faz parte de um contrato do Programa de Apoio de Engenharia (Engineering Sustainment Program (ESP) recebido pela Boeing em 2009. No total, o ESP tem duração de 10 anos e custos de 750 milhões de dólares.

Segundo Mike Houk, gerente da Boeing para o apoio à frota de B-52, trata-se da segunda opção exercida pela USAF no acordo ESP, que inclui o contrato inicial e nove opções. Segundo Houk, essa opção “permite que continuemos apoiando nosso cliente mantendo, modernizando e atualizando o B-52, para garantir que o avião continue a cumprir sua missão.”

O acordo inclui projetos e apoio de engenharia, além de serviços técnicos de apoio para a modernização e manutenção do B-52H e de seus compontentes, equipamentos de testes, além do laboratório de integração de sistemas. O trabalho será realizado nas instalações de Wichita e Oklahoma, assim como nas Bases Aéreas de Edwards e Barksdale.

FONTE: Boeing  FOTOS: USAF (Força Aérea dos EUA)

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
9 anos atrás

Interessante notar como a USAF nunca procurou mudar remotorizar os B-52. Ela fez isso com outras aeronaves (como o C-5), modificações que aumentaram o alcance e reduziram os custos de manutenção. Pelo que eu ouvi falar, os custos seriam proibitivos. Mas se tivesse sido feito a uns 20 anos atrás, na época da remotorização do KC-135, eu acho que os custos já teriam se pago.

Nautilus
Nautilus
9 anos atrás

O B-52, quando deixar o serviço, em 2040, terá ficado em operação por mais de 80 anos.

Observador
Observador
9 anos atrás

Nos EUA quando se arruma um avião antigo, é “otimização de recursos”.

Aqui é “jogar dinheiro pela janela”.

Darkman
Darkman
9 anos atrás

Esse cara é espetacular, ainda vai durar um bom tempo na USAF.

Abs.

Groo
Groo
9 anos atrás

Tinha um estudo da USAF sobre substituir os dois motores de cada suporte por um único turbofan. Deve ter ficado caro.

joseboscojr
joseboscojr
9 anos atrás

Os motores originais do B-52 eram turbojets.
A versão “H” recebeu turbofans, o que acarretou uma melhora considerável em alcance e economia de combustível.

Groo
Groo
9 anos atrás

A idéia era colocar 4 Rolls-Royce RB211 nos B-52H.

tplayer
9 anos atrás

De longe o avião militar mais bem sucedido da história.

Observador
Observador
9 anos atrás

Sempre que vejo este avião eu lembro do filme “Dr. Fantástico: Como Aprendi a Parar de Me Preocupar e Amar a Bomba” (Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb).

Quem esquece aquela cena do cowboy montado na bomba atômica, acenando eufórico com o seu chápeu?

Só quem é jovem e não viveu sob o espectro do armagedon nuclear para deixar passar em brancas nuvens aquele filme.