Você sabia que… (1)

    189
    31

    Curiosidades sobre o míssil AIM-4D Falcon

    Barra de Cinco Pixels

    AIM-4D_Falcon-foto-PA

    • o míssil norte-americano AIM-4D Falcon carecia de espoleta de proximidade e passavam zunindo no ouvido do inimigo sem explodir?
    • nenhum pitolo da USAF queria utilizar o Falcon durante a Guerra do Vietnã porque ele simplesmente não acertava nada (só no caso de um golpe de muita sorte)?
    • o AIM-4D custava o dobro de um Sidewinder?
    • poucas pessoas se lembram do Falcon quando ele é mencionado? (já o Sidewinder …)

    31
    Deixe um comentário

    avatar
    31 Comment threads
    0 Thread replies
    0 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    26 Comment authors
    DefourtkwhvelascoIlya EhrenburgRicardo_RecifeElizabeth Recent comment authors
      Subscribe  
    newest oldest most voted
    Notify of
    Tito
    Visitante
    Tito

    Hahaha, tinham que torcer para ele entrar na tubeira do inimigo, senão baubau.

    Míssil do tipo “dispare e reze”

    Abs.

    Cor Tau
    Visitante
    Cor Tau

    É……Realmente este ai era fire and forget 🙂 …………….

    Skill
    Visitante
    Skill

    Cadê os americanizados de plantão para defender este “foguete não guiado”?…

    Heheheheeh..

    Pedro
    Visitante
    Pedro

    NOTA DE EDITOR: COMENTÁRIO EXCLUÍDO POR CONTER PROPAGANDA POLÍTICA, DESINFORMAÇÃO E NÃO ESTAR RELACIONADO COM O TEMA PROPOSTO

    claudio (rj)
    Visitante
    claudio (rj)

    Complexo Militar-industrial rulez.

    Wolfpack
    Visitante
    Wolfpack

    Foi fabricado pela Hughes Aircraft, a mesmo dos AIM-54 Phoenix, por sinal, alguém sabe do índice de sucesso dos Phoenix em combate, Iran x Iraque, ou nos ataques dos Americanos a Líbia????

    robert
    Visitante
    robert

    é por isso que existe muito pouca informação sobre esse

    diz q as primeiras versões do Sparrow tb nao prestavam.

    Poderia dar uma boa matéria falando dos misseis ar-ar americanos e suas historias ( desenvolvimento, uso,etc…). E depois dos misseis americanos podiam fazer dos russos.

    Branda
    Visitante
    Branda

    Falcon e Atoll… que dupla, hein?

    Fabio Mayer
    Visitante
    Fabio Mayer

    É a tal coisa americanos e russos se copiavam mutuamente… até nos erros!

    Alex Nogueira
    Visitante
    Alex Nogueira

    Americanos do norte também erram hehehe. Até que esse míssil é bem parecido com o AIM-54 Phoenix. Gostaria de dar a sugestão para, caso alguém tenha uma tabela contendo o alcance dos principais mísseis, para posta-la, seria muito útil, principalmente para acompanharmos a evolção dos mesmos.

    Vader
    Visitante
    Vader

    Podre.

    jose adelino
    Visitante
    jose adelino

    Isso só prova que nem sempre eles acertam de 1a. . Nós deviamos aprender com isso e desenvolver nossa propria tecnologia, mesmo que inferior no 1o. momento. Faz parte do desenvolvimento de tecnologia.

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Realmente o AIM-4D Falcon (e todas as versões) eram simplesmente desastrosas. Um estudo da USAF mostrou que o míssil era o mais complexo de disparar dentro do seu arsenal. Não acertavam nada e quando passavam perto não explodiam, por não ter algo básico, uma simples espoleta de proximidade.e por isso tinha que conseguir um acerto direto. Nestes testes muitos passaram a menos de 7 metros do alvo sem explodir. Um piloto para disparar o Falcon tinha que decidir cerca de 90 segundos antes, uma loucura, mesmo para os poucos recursos da época. Só dava para engajar bombardeiros pesados em vôo… Read more »

    Renato
    Visitante

    O que é bom o gringo fatura o que é ruim ele esconde.

    Tecnocop
    Visitante
    Tecnocop

    É Falcon… até nisso vc não prestava pra nada!!!.

    Rogério
    Visitante
    Rogério

    É, a Suiça gastou grana a toa para colocar o radar Hughes e os Falcons nos seus Mirage III.

    []s

    Mauricio R.
    Visitante
    Mauricio R.

    “…diz q as primeiras versões do Sparrow tb nao prestavam.”

    Para saber como o Sparrow se comportava, pelo menos no Vietnan, leia:

    “Linebaker The untold story of the air raids over North Vietnan” por Karl J. Eschmann
    O autor é veterano do conflito, havendo servido em na USAF.

    Giordani RS
    Visitante
    Giordani RS

    A prova cabal de que o conhecimento é “empírico”…

    Lembro de uma entrevista de um Brigadeiro, lá pelos Anos 80 do Século passado, e se não me engano foi no jornal hoje, aonde ele justificava o cancelamento do AAM Piranha: “…Com o valor de um piranha, dá pra comprar dúzias de AIM-9B Sidewinder…”
    Ele ainda foi bem claro: AIM-9B!!!
    Para os EUA chegarem nos níveis dos AAM Atuais, foi preciso passar por esta verdadeira porcaria que foi o Falcon…

    tyrion
    Visitante
    tyrion

    As industrias Hughes ganharam muito dinheiro com os dois irmaos so que o phenix se saiu bem melhor…mas devemos lembrar que esta dupla nasceu para armar o f111 e no final acabou armando os bons e velhos tomcats e durante muito tempo na guerra fria era a principal defesa da frota.

    fullcrum
    Visitante
    fullcrum

    Mas o brigadeiro esqueceu que dúzias de aim-9b seriam tecnologia obsoleta e que desenvolver tecnologia sempre é mais caro, além do mais naquela época não poderíamos comprar algo muito melhor. O piranha atual não dever ser muito melhor que o pynthon 3-opinião de leigo, mas o know-how e capacidade de produzir tal artefato, aí sim tem seu valor, e o projeto segue seu curso…

    Bosco
    Visitante
    Bosco

    Senhores,
    vocês estão esquecendo que esses mísseis eram do início da década de 50?
    Chega a ser cômico ler alguns comentários que insistem em ver de forma equivocada o conteúdo do post e subvertem completamente a informação que a mensagem quer passar criando um “contexto” completamente disforme.
    Eles foram os primeiros do mundo a tentarem fazê-lo. Antes só haviam canhões e metralhadoras.
    Não se pode do “nada” fazer um AIM-9X ou um MICA. Há de se passar por fases iniciais. A isso se chama “curva de aprendizado”, que é intrínseco da limitação humana, que não costuma evoluir por saltos e sim de forma linear.

    Elizabeth
    Visitante
    Elizabeth

    Um pedaço de um artigo meu antigo, pro site Defesanet, que fala porque os primeiros projetos de mísseis eram tão ruins. No inicio dos anos 80, a força aérea da África do Sul colocava seu primeiro míssil doméstico em serviço, o V3-Kukri, um pequeno AAM (Air Air Missile) guiado por infravermelho bastante limitado em sensibilidade e com apenas 4000m de alcance. Aquele míssil cujo desenvolvimento fora iniciado em meados dos anos 70, pelo então Institute of defense Reserarch, poderia seguramente ganhar o titulo de pior AAM do mundo em produção na época. Como todo primeiro projeto nacional de míssil, o… Read more »

    Ricardo_Recife
    Visitante
    Ricardo_Recife

    O R-530 da Matra que equipava os Mirage III era outra porcaria. Os mísseis apresentavam uma taxa de falha de quase 70%. A Marine francesa retirou os seus de serviço após vários explodirem depois de terem sido lançados. O índice de vitórias do R-530 é decepcionante, somente Israel (2) e Paquistão (1) conseguiram derrubar outros aviões utilizando este míssil francês.

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Ricardo,

    Por favor, verifique se há como entrar no chat do AEREO mais tarde?

    Abç,
    Ivan, do Recife.

    Ivan
    Visitante
    Ivan

    Bosco,

    Vc tem razão mais uma vez.
    Mas como quem está sempre investindo em tecnologia, como os EUA, sempre ‘dá p´ra aproveitar’ alguma coisa, ou algum conhecimento.
    Do corpo do Falcon surgiu o Maverick, este sim, um sucesso.

    Abç,
    Ivan.

    Ilya Ehrenburg
    Visitante
    Ilya Ehrenburg

    Olá Elisabeth.

    Pela sua intervenção, se dúvidas tinha, as perdi. És a brilhante engenheira Elisabeth Koslova!
    Saiba, que sou fã das suas participações nos fóruns militares brasileiros, dos quais andas ausente. O seu tom ponderado, elucidativo e informativo, como uma professora em ação, me encanta, e aposto, a outros também.

    Por favor, volte a ser assídua nos Fóruns DB (Defesa Brasil) e BM (Base Militar), além dos blogs da Trilogia (Poder Aéreo, Naval e Forças Terrestres). Nós, os vossos órfãos, te suplicamos.

    Elizabeth
    Visitante
    Elizabeth

    Grata pelos elogios Ilya Ehrenburg

    Mas não tenho planos de voltar a frequentar nenhum forum, ficando apenas comentando algumas noticias nos blogs da trilogia.

    kwhvelasco
    Visitante
    kwhvelasco

    Pena que nem sempre se compreende que a evolução tecnológica tem como preço fixo as falhas e os desastres. A URSS e os EEUU mantinham uma certa paridade tecnológica militar, tanto nos acertos quanto nos erros. Logo, coisas como o AIM-4D e os Atoll são perfeitamente factíveis e seguem uma lógica impecável – falha, aprendizagem e acerto. Claro que os EEUU foram e são mais eficazes em ocultar os erros sem despezar as ações erradas do que a URSS – Mandar engenheiros que falharam em projetos para os urais não é um meio eficaz de estímulo…

    Defourt
    Visitante
    Defourt

    Eu te compreendo perfeitamente querida Elizabeth. E Sinto o mesmo. Mas seja qual for o motivo central, agregue-se a isso a queda do nível e do tato social dos novos tempos. Sendo os valores morais, educacionais etc. invertidos e ainda assassinados pela mediocridade dos novos “dias”. O termo “Honra” agora é apenas um nome qualquer (superficial) usado em letreiros comerciais (com ou sem neon) e totalmente fora de sua real vocação e sentido. Fui um dos primeiros, e tenho orgulho disto, de verificar a sua forma ELEGANTE e EDUCADA forma de DEBATER. Foi por isso que naquele dia me permiti… Read more »

    Defourt
    Visitante
    Defourt

    Descontraindo:

    Não se faz mais comentaristas de blog como antigamente…

    Mas antigamente não existia comentaristas de blog…

    Ops! É verdade!

    defourt
    Visitante
    defourt

    Poxa vida!

    Ela vem aqui, fala com o Ilya e não me dá um “oi”…