domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Tecnologias do PAK FA

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O video diz que o T-50 terá cinco “arrays” de radar, um AESA de 1.500 módulos , dois “sub-arrays” laterais de banda X e dois “arrays” decimétricos de banda L nas extensões leading edge.

Também é dito que o objetivo do T-50 será provocar o combate no alcance visual com o F-22.

- Advertisement -

132 Comments

Subscribe
Notify of
guest
132 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fuzila

O desenvolvimento e a o emprego de aeranaves de quinta geração em outras forças aéreas no mundo, irá mudar novamente o panorama dos combates aéreos.

Potencialmente o combate entre essas aeronaves será sempre dentro do alcance visual, até o advento de outros meios de detecção a distância mais eficientes que os sistemas atuais.

Os mísseis WVR mais uma vez serão as vedetes e o canhão integrado terá seu valor, até porque quando os mísseis acabam só o canhão salva …

Sopa

Quinta Geração, usando aqueles paraquerdas, alguem me explica isso ?

Att.

Sopa

“PARAQUEDAS”

luiz-sp

Vou adorar ver o pak-fa fazer alguns exercicios simulados com o f-22 e f-35 ( ja foi falado e relatado sobre o f-35 que alguns pilotos não gostaram do que viram pois ele é lento e não é tão rapido em suas manobras ), mostrando que a diferença entre russos e americanos não esta tão longe assim, outra coisa como já sabemos da manobrabilidade dos caças russos, enfrete a caças do mundo ocidental e os canhões do pak-fa derrubando alguns f-22.

Alex Nogueira

Se o PAK-FA conseguir levar o combate para o alcance visual já está de bom tamanho, ai nem precisa ser tããããão tecnológico assim. De qualquer forma, mesmo que o PAK seja menos avançado, já é o suficiente para trazer uma nova realidade para o combate aereo. USA 01 x 01 Rússia. Jogo empatado.

Alex Nogueira

Realmente a Rússia não está para brincadeiras. Se tudo o que disseram no vídeo se concretizar ( o que não dúvido) o mundo vai ter uma reviravolta no setor aeronáutico. Preparem-se para ver os EUA reabrir a linha de produção do F-22. A propósito, os PARAQUEDAS são obviamente para ajudar a freiar a aeronave na pista, seja por que a pista é curta, seja por que está coberta de gelo/neve ou seja por segurança, pois em caso de erro não corre-se risco do protótipo que custou milhões se espatifar em algum canto da pista.

Carlito

Mesmo sendo uma hipótese improvável, não custa sonhar com a participação do Brasil neste projeto e ver alguns esquadrões da FAB equipados com este magnífico caça.

Bosco

Se é pra trazer o combate pro alcance visual pra que tanto radar e pra que o decimétrico?
Tudo bem os radares laterais para se contrapor a ameaças convencinais de maneira mais eficiente, mas os decimétricos deveriam ser eficientes a distâncias além do visual contra ameaças stealths “como reza a lenda”. Se não, pra que tê-los?

Rogério

Bosco,

Só um palpite, acho que a idéia é os dois lados caças se detectarem o mais longe possível, mesmo não podendo travar seus mísseis, e tentarem decidir no visual mesmo.

De qualquer forma, é bom os russos correrem, porque a aposentadoria do F-22 já tem data marcada.

[]s

Bruno Rocha

Fuzila em 30 mar, 2010 às 11:18 Você está falando do “sistema de radar eletro magnético”. É uma hipótese de como poderiam ser os radares do futuro, feitos para detectar outras aeronaves furtivas e si “camuflar”. É como se a aeronave gerasse ao seu redor um “campo de força” que usaria recursos de “Campos Magnéticos” para “curvar” o sinal do radar. 1. Por que curvar? O curvatura seria uma forma de “emissão e recepção”, mas não como as do radares comuns, onde o “retorno” deveria voltar diretamente para o radar como um efeito de “espelho”. 2. Emissão e Recepção? Uma… Read more »

Bosco

Rogério,
é provável que esteja certo.
Teoricamente isso daria condições ao caça russo de ter um alerta antecipado e tomar a iniciativa. O problema é que o RWR do F-22 pode detectá-lo, e o ideal, se espera encontrar uma ameaça stealth, é se manter em “silêncio” fazendo uso de sensores passivos e linkado a um sensor ativo externo (AWACS, outro F-22 na retaguarda, etc).
Mas sem dúvida seria um instrumento a mais disponível ao Su-50 (?).
Um abraço.

MA

Os radares laterais -também- não serviriam para detectar mísseis se aproximando a uma maior distância? Afinal, RWR não é 100% confiável.
Afinal, esse PAKFA não vai ser ruim não ein.

Bruno Rocha

Fuzila em 30 mar, 2010 às 11:18

Terminando o posta anterior.

Verdadeira Furtividade

Essa tecnologia poderia possibilitar a verdadeira furtividade a radar. Pois a tecnologia eletromagnética poderia “distorcer” e “reorganizar” o sinal desse mesmo radar que eu te falei.

Além de ser invisível a radares comuns de hoje.

Quem investir nessa tecnologia e a evoluir, teria total controle dos céus.

_________________________________________________

Uma pena o Brasil não investir em novas tecnologias.
Sinto que os nossos militares/autoridades tem muito medo de seremos primeiros, deixando como sempre, os ricos irem na frente. Não é a toa que somos conhecidos como “soft power” (fraco).

Edmar

Caros Amigos.:

Realmente um ótimo avião.
O “PAK FA T-50” vai ser um adversário a altura do “F-22 Ráptor”, isso se o avião Russo ainda não for melhor!

Como se diziam alguns amigos a tempos atras.: …logo vai começar uma nova guerra fria…

Abraços.

Fabio Mayer

kkkkkkkk A Rússia dá uma poucas informações sobre um projeto e já aparecem anti-americanos dizendo que ele é superior ao F-22 e ao F-35, e que os pilotos não gostaram do F-35, e que o custo do PAK-FA será parecido com o de um F-16, fugindo dos valores astronômicos dos demais caças da atualidade. Sejamos francos: Os russos produzem ótimos aviões e ninguém duvida que o PAK-FA será um vetor altamente capaz e TALVEZ, melhor que o F-35 e o F-22 ATUAIS. Mas os americanos estão UMA DÉCADA E MEIA à frente deles no desenvolvimento de aviões com estas características.… Read more »

João Paulo Caruso

Bosco será que os russos tem idéia de como o F-22 reage aos diferentes comprimentos de onda, pode ser que o Pak consiga detectá-los com radares decimétricos, mas se o T-50 não tiver uma assinatura extremamente baixa talvez isso não adiante muito. Não sei mas acho que o PAk ainda vai ter que evoluir muito, só de olhar da para ver que ele ainda está longe de ser stealth como o F-22 e o F-35. Por enquanto parece que os americanos vão detectar e atirar bem antes. Os Estados unidos tem muito mais experiência com radares AESA, é difícil acreditar… Read more »

Bosco

Bruno,
igual a lente gravitacional provocada pelos motores warp que perturbam o continuun espaço tempo e que provoca uma curvatura na onda de gravitons que se desloca mais veloz que a luz e que pode ser percebido por um detector de massa potencial?
AH! Não entendi não. rsrsrs

Bosco

João, muito provavelmente o “investimento” dos russos em dotar seu caça de sensores mais elaborados seja mesmo para compensar uma possível maior “assinatura” de modo a pelo menos igualar as chances. MA, existem sistemas ativos de detecção de aproximação de mísseis, embora sejam pouco comuns (sei de um francês para cargueiros e de um russo). O normal é usar nesses sistemas (MAWS) sensores passivos (IR/UV). Em geral os sensores ativos usam frequências facilmente atenuadas pela atmosfera (milimétrica) para não alertarem os RWR alheios a grandes distâncias. Mas sem dúvida esses radares laterais poderiam fornecer um alto grau de consciência situacional… Read more »

Felipe Cps

Tá, tá bom, apareceu o matador de F-22 e F-35… Mas vão deixar o cockpit com cara de aeronave de 4a geração (pelo menos) ou vai continuar com a cara do do Super-Tucano?

PAK-“FUI”…

Bruno Rocha

Bosco em 30 mar, 2010 às 13:20 Bosco em 30 mar, 2010 às 13:20 Bosco, não sou nenhum físico maluco mas veja. O Campo magnético da terra é uma espécie de “barreira/escudo contra certas radiações colares”. Ela é interligada pelos polos Norte e Sul. Como eu falei, uma energia ou um corpo poderia interferir nesse campo magnético fazendo com que ele sofresse “deformações”. Você pode ver nas imagens a ligação entre o Norte e o Sul por esse campo magnético. https://rbrebello.files.wordpress.com/2008/12/mag.jpg https://www.apolo11.com/imagens/2010/campo_magnetico_terrestre.jpg https://pj2012sequaz.files.wordpress.com/2009/03/marf1.jpg https://pj2012sequaz.files.wordpress.com/2009/03/marf1.jpg Obs: A Aurora é causada pela perturbação no campo magnético da Terra. Imagine um caça com um… Read more »

Bruno Rocha

É por isso que o Brasil não evolui, é tudo “bom de mais” para nós.
Não é atoa que os cientistas vão tudo para os Estadus Unidos. Lá é que os cientistas “malucos” são valorizados. O resutado você vê aí.

Bruno Rocha

Na verdade, eu nem deveria ter falado isso aqui, pois poderia ganhar dinheiro com essa ideia.
Trabalhar na NASA…

😛

1berto

A cara do Cockpit importa pouco, todo mundo olha os caças russos e diz “Com estão atrasados”, curiosamente foram eles que inventaram muitas soluções realmente úteis como a mira no capacete e foram eles também que venderam a tecnologia de empuxo vertical do F-35… Só tenho
algo a dizer… Se eles conseguirem mesmo levar o F-22 para dog-fight, pode esquecer o F-22 não foi feito para dog-fight.

Alfredo.Araujo

“1berto em 30 mar, 2010 às 14:11

o F-22 não foi feito para dog-fight.”

Como não??
Q aviões vc ja viu fazendo a tal manobra da cobrinha?
Sukhois e o tal do F22 q nao manobra bem…

Caipira

Ei Bosco,

O pessoal do CERN na europa conseguiu produzir finalmente um mini bigbang vc viu?

Aos demais amigos do blog desculpas pelo off-topic.

João Paulo Caruso

1berto em 30 mar, 2010 às 14:11 Olha eu acho que o F-22 tem uma capacidade boa para o dogfight, inclusive o YF-22 venceu YF-23, que era mais rápido e mais stealth, justamante porque era mais ágil, entre outras coisas. Também ele iria ser fabricado em grande quantidade, cerca de 780 unidades, e a USAF não iria comprar um caça para repetir os mesmo erros da guerra do vietnam. Na verade esta guerra foi extremamente importante para o desenvolvimento das novas gerações de caças americanos, o F-16 é um bom exemplo. Existem vídeos na web que mostram o Raptor fazendo… Read more »

Cor Tau
Abdala

Parabéns para Rússia e Índia por este excelente projeto.Quanto a esta bela máquina vir a ser um “matador de Raptor” ainda é cedo para dizer, provavelmente ambos estarão em pé de igualdade no fim das contas, apesar da torcida contra nossos irmãos do Norte ser forte na terra de Macunaíma.
Talvez alguém aqui possa esclarecer uma dúvida, o Brasil não tinha sido convidado para participar no desenvolvimento do PAK FA?

Francisco AMX

Ué…, pensei que para desenvolver um caça precisaria da “pirotecnia” “hollywoodiana”… estas instalações “simples” dos russos são capazes de fazer algo? segundo o Sr. José Alencar, é tudo fundo de quintal… como podem ter feito um caça sequer nesta “vida”??? e agora como ousam desenvolver um caça de 5geração??? estes russos são mentirosos mesmo! e estas imagens que o mundo todo viu do Pak50 voando? (ele não existia – como eles ousam?!!!) – agora vem com essa?? Sr. José Alencar o que o sr. acha? pode? seria verdade? estas imagens são tudo fruto da “oposição” montagens..??? Voltando a realidade, eu… Read more »

Galileu

Tem tanta coisa sobre a russia que a gente nem imagina, estamos no quintal americano….

Imagina na época da urss, sabiamos menos ainda.

Outra coisa, não é de hoje que o brasil não segura seus gênios, pode não parecer mais antes era pior, bem mais iam para fora do pais.

Paulo Costa

A tecnologia Stealh,esta mais desenvolvida do que o de sensores, e radares?Pelo comentario os aviões não stealh serão interceptados a media e longa distância.Mira no capacete e misseis IR serão mais usados entre os Stealth´s.Ondas de radar retornam mais em cavidades, nas entradas de ar dianteiras as ondas se propagam ate as palhetas do compressor,paredes revestidas com material proprio antiradiação e nas palhetas do compressor inicial reduzem bem o retorno.Nas saidas traseiras,as palhetas de saida ,as que tocam tudo,ficam ao rubro, acredito que existem materiais antiradiação que resistem bem as altas temperaturas,as palhetas do bocal de fluxo de alguns aviões… Read more »

Nick

Imaginando que o T-50 consiga atingir um rcs próximo do F-35, e também consiga ter uma assinatura infravermelha baixa(dificil acreditar com aquelas turbinas expostas), e tendo como objetivo, trazer a arena de combate para digamos, como ele poderia fazer isso? O F-22A Raptor em modo “furtivo” busca suas “presas” mais ou menos como um tubarão, usando seu APG77 no modo LPI, capaz de detectar um alvo de 5m2 à 350km. Se a furtividade do PAKFA for a mesma do F-35, degradará o capacidade do APG77 em 87%. Traduzindo seria capaz de detectar o PAKFA à distancia de 50km aproximadamente. Se… Read more »

Rodrigo Marques

Francisco AMX

“”estas instalações “simples” dos russos são capazes de fazer algo? segundo o Sr. José Alencar, é tudo fundo de quintal… como podem ter feito um caça sequer nesta “vida”??? e agora como ousam desenvolver um caça de 5geração???… “”

Acho que ele duvidou da qualidade da produção seriada russa. E ele não está sozinho nesta desconfiança.

Abs

tyrion

Se concretizando o que foi exposto vai haver uma mudança total de paradigma iniciando uma nova corrida tecnologica entre as potencias.

MA

Bosco, míssel anti-míssel até vai… Afinal, um míssel pequeno e agil como um R73 poderia engajar um míssel de longo alcance maior. Mas Lasers de alta-energia companheiro… F-35 será um caça exceletne, mas se comparar a um Tie Fighter eu já dúvido muito! hahahaha É requerida energia demais e aparelhos bem grandes para produzir um feixe de laser com capacidade de destruir um míssel no ar! Acho impossível com a tecnologia humana atual pelo menos. Valeu o exclarecimento sobre os sistemas passivos atuais, mas acrescentando que o radar traseiro do Flanker tem como -uma das funções- um alerta atecipado para… Read more »

Alex Nogueira

As pessoas tem que entender que o T-50 divulgado é somente o 1º PROTÓTIPO do futuro caça russo de 5º geração, É OBVIO que muita coisa vai mudar, seja PREÇO, seja COCKPIT, seja MOTOR……… se for melhor do que o RAPTOR ÓTIMO! se não for ÓTIMO TAMBÉM, pois de qualquer maneira vai ser o PRIMEIRO caça de 5º da Rússia! E O MAIS IMPORTANTE O PRIMEIRO A VENDA! Veja que ótimo, até o Brasil vai poder comprar 😀 isso é o que importa, se é o único a venda então com certeza será o melhor para nós, e se o… Read more »

Alex Nogueira

AH ia me esquecendo, para aqueles que idolatram os aviões americanos e que acham o RAPTOR invencível, bom, contentem-se, pois mesmo que seja um arranhãozinho, o T-50 já arrancou do RAPTOR e dos americanos. Para a indústria de um país que estava desacreditado até que a Rússia está fazendo bonito :O

Bosco

MA, o laser não precisa destruir o míssil e sim cegá-lo. Os mísseis com seeker de formação de imagem típicos da “quinta geração” são praticamente imunes aos flares e só sua destruição física ou seu “cegamento” é eficaz como contra medida no caso de serem lançados dentro da NEZ. Tal tecnologia (uso de lasers para cegar um míssil guiado por calor ou um posto de controle de míssil guiado por CLOS/beam rider laser) já existe e está operacional há alguns anos e sendo usada principalmente em aviões de transporte. Eu usei indevidamente o termo “laser de alta energia” e o… Read more »

Bosco

Quanto aos mísseis SRAAM serem usados como mísseis anti-mísseis também está sendo cogitado e sem dúvida está sendo desenvolvido.
A capacidade dos mísseis atuais (all-aspect, HOBS, etc) irá se unir aos sistemas de defesa automáticos (SPECTRA, IDECM, etc) para incrementar a capacidade de defesa de uma aeronave de forma até então inusitada.
Um abraço.

vassili

Para quem fala que o Pak-FA será superior ao raptor, eu digo apenas uma coisa: para os russos, esta é a primeira empreitada neste campo tão complexo, e principalmente, muito caro financeiramente……….. Pelo que eu saiba, os russos não possuem um complexo como o Skunk Works em operação. Nem mesmo o dinheirama todo que os EUA fizeram “jorrar” nas décadas de 70 e 80 em projetos de tecnologia stealth. Devemos lembrara que desde o ano de 1981 o F-117 ja realizava seus voos testes, ou seja, 29 anos de diferença. O Pak-FA vai mudar em alguns quesitos??????????? acho que sim,… Read more »

Cor Tau

Sukhoi PAK FA…………Custo unidade em torno de 100 milhões……Custo do programa 8~10 bilhões………

F-22 Sauro……Custo por unidade 159.9 milhões….Preço de venda estimado pelo Government Accountability Office dos E.U.A 361 milhões de dólares estando embutido o preço dos custos com a pesquisa……Custo do projeto chega a 62 bilhões de dólares…..

Melhor em combate não sera(Talvez seje superior em alguns aspectos)……Mas sera pau a pau………E custando uma fração dos Hiper…Mega…Ultra….Supra…..SSSSSSSSSSUUUUUUUUUUUUUUUUUPPPPPPPPEEEEEEEEEEEEERRRRRRRRRRRRR f22 sauro e f35 light…………..Os mais……Os melhor……….Os escambal……Caças existentes…….

Tornar o simples complicado é fácil…..Tornar o complicado simples é criatividade….As únicas desgraças completas são as desgraças com as quais nada aprendemos……………

Sukhoi

A Rússia com os seus futuros PAK FA, Su-35 e outros.
EUA com F-22, F-18 e cia.

Enquanto isso, no Brasil… (som de grilos ao fundo).

Justin Case

Amigos,

Concordo com o Vassili.
Não se pode endeusar o T-50 e começar a comparar com o F-22.
O Raptor foi concebido há duas décadas e só agora seu desempenho operacional está sendo alcançado.
Não podemos imaginar que a tecnologia americana ficou estacionada todo esse tempo, esperando os russos avançarem.
A Rússia ainda tem muito caminho a percorrer para se equiparar novamente aos americanos (mas está muito à frente do Brasil nessa área, infelizmente).
Vamos esperar que esse F-X nos traga algumas tecnologias críticas, para que possamos abreviar algumas etapas do nosso caminho.
Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

lucas lasota

Vassili,

e a India, onde entra nessa tua explicacao?

Bosco

Nick, não esqueça que o F-22 tem também um RWR (ALR-94) que também pode ser usado no modo “ofensivo”, buscando alvos no modo “furtivo”. Sem dúvida o F-22 não é o caça americano para se contrapor a um caça “stealth”, pelo menos não a versão “A”, caso contrário teria pelo menos um IRST e mais alguns mísseis WVRAAMs. O F-22A foi feito para ser superior aos caças de quarta geração que o antecederam e em relação ao Su-50 ele apenas “da pro gasto”, deixando por conta do treinamento e da tática uma possível vantagem. Para obter superioridade tecnológica inquestionável sobre… Read more »

MA

Bosco, agora entendi o que quis dizer. Contudo não necessariamente é necessário um emissor de feixes de laser para essa função, o Shtora por exemplo consegue realizar o jamming de “laser rangefinder” com a emissão de ondas IV, que creio ser útil para “cegar” mísseis guiados por calor também. Contudo, quanto aos lasers, dúvido muito que cinco anos apenas após a introdução do F35 existam lasers capazes de destruir objetos que sejam tão portáteis. As limitações são mais físicas que qualquer coisa, um laser com essas capacidades necessita de quantidade absurda de energia, só se conseguirmos desenvolver métodos mais eficientes… Read more »

Tito

O tal do T-50 nem bem voou e já é no mínimo pau a pau com o Raptor e F-35 se não for melhor.
Nem voou direito e já tem custo do projeto e preço definido, enquanto o Gripen Ng ( coitado ) não se sabe nem se existe.

Os “nossos” Russos são melhores que os outros;)

(Só mesmo lendo alguns comentários para poder dar umas boas risadas)

Bosco

Bruno,
só agora li seu comentário endereçado a mim.
Sou leigo em física mas acho difícil que o campo magnético consiga curvar uma onda eletromagnética como o feixe de um radar. Isso só aconteceria na presença de uma grande mass,a por conta da gravidade, tipo um “buraco negro”. rsrs
Bruno, você conhece um sensor usado para detectar submarinos chamado de MAD (detector de anomalias magnéticas)? Ele usa esse princípio que você falou.
Um abraço e me desculpe a brincadeira sobre o “buraco negro”. Eu sou igual a você e tenho a mente muito imaginativa.
Um abraço meu caro.

Cor Tau

Pau a Pau talvez…………..Mas dara conta do recado concerteza……..Por bem menos……….Os 6G logo virão……..

Bosco

MA,
o Shtora é usado para bloquear o sensor de rastreio do beacon infravermelho de um míssil guiado por sistema CLOS. Ele não tem capacidade de bloquear (cegar) um sensor com “formação de imagem”.
A única forma que conheço é através de uma laser mesmo. E alguns mísseis possuem defesa inclusive contra esse “cegamento” através da disposição do sistema de “espelhos”.
No final vai sobrar apenas a destruição física dos mesmos.
Um abraço.

Reportagens especiais

Viggen, I’m your son!

Quando os primeiros caças Saab Viggen começaram a ser entregues à Força Aérea Sueca em 1971, já se pensava...
- Advertisement -
- Advertisement -