sábado, outubro 16, 2021

Gripen para o Brasil

Array

RAAF: o ‘porco’ mostra sua força…

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F111- australiano max enflexamento - foto RAAF

F111- australiano max enflexamento - foto 2 RAAF

…e a ‘vespa’ mostra seus ferrões.

Hornet australiano com mísseis - foto RAAF

Hornet australiano com mísseis - foto 2 RAAF

Para os fãs dessas aeronaves nas cores da RAAF – Royal Australian Air Force (Real Força Aérea Australiana), o site daquela força disponibiliza belos “papéis de parede”, alguns dos quais podem ser vistos nas fotos desta matéria.

Para os que estranharam os nomes, o F-111 tem o afetuoso apelido de “porco” devido à sua capacidade de “caçar  à noite fuçando rente ao mato”, graças ao acompanhamento do terreno pelo radar. Já o nome do F/A 18 “Hornet” pode ser traduzido como vespa, ou vespão, embora o aumentativo seja mais apropriado hoje a seu sucessor, o Super Hornet.

E falando em sucessor, mas prosseguindo nos apelidos, as fotos de cima já estão virando história e as de baixo também deverão começar a virar,  com os planos em andamento da RAAF de substituir o “porco” pelo “vespão” e, iniciando na próxima década, a “vespa” por um tal de  “relâmpago 2”, que apesar do fulminante apelido está um tanto atrasado. E, conforme a intensidade desse relâmpago se comprovar e os recursos da RAAF aguentarem seu considerável choque, ele também deverá queimar a “super vespa”, numa futura descarga.

FOTOS: RAAF

- Advertisement -

17 Comments

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco

Bem lembrado o radar de seguimento do terreno do F-111 que ficava abaixo do radar de ataque. A semelhança do Tornado IDS vale lembrar. Coisa do passado já que agora, com os radares de varredura eletrônica, não é mais necessária a separação física dos radares para fazer o serviço. Se bem que existem outros métodos mais eficientes de permanecer colado ao solo do que os que usam um radar e a bem da verdade, a tática de usar o mascaramento do terreno já não é mais eficaz na maioria dos cenários, principalmente tendo em vista os caças e os aviões… Read more »

casag

Estes porcos na verdade são selvagens e muito ariscos.
Os que soltaram no Vietnan estão esperando voltarem até agora…
Voar colado ao chão é um fio de navalha.

Bosco

Interessante o armamento do F-18 da terceira foto. 6 ASRAAMs e 6 AMRAAMs.

Felipe Cps

Bosco, ajudae: contei 4 AIM-120 AMRAAMs nos cabides duplos interiores, 4 ASRAAMs nos cabides duplos exteriores, mas o míssel da ponta das asas não me parece nem um nem outro (não parece ASRAAM pois tem uma só faixa cinza e tb parece menor).

Confere ou falei bobagem? 🙂

Abs.

Felipe Cps

Que coisa linda esse F-111. Parece um “Tornadão”… 🙂 E o “vespinha” não deixa de ter seu charme tb. Feliz a Austrália…

Sds.

Dalton

Oi Felipe…

enquanto o Bosco não volta…acho que posso ajuda-lo. Vc não contou com os 2 que estáo sendo levados ventralmente, um de cada lado.

quanto aos asraam, são identicos, apenas as tais faixas cinzas perderam a tinta.

sds

Bosco

Felipe,
pra mim é o ASRAAM nas pontas das asas.
Você esqueceu de contar com os dois AMRAAMs sob a fuselagem ao lado do tanque ventral.

Bosco

“Perderam a tinta foi boa”.rsr…
Um abraço aos dois.

Bosco

Boa Nunão.
Nunca tinha me atentado ao fato relativo as faixas.

Felipe Cps

Valeu Dalton, Bosco e Nunão, é verdade, não tinha observado o AMRAAM no ventre. E realmente acontece de munição perder a cor indicativa (aqui no Brasil acontece muito, porque munição da DO dura 20 anos, rsrsrs).

E Nunão: essa da cor azul eu já sabia, rsrsr, cansei de atirar granada de bocal azul no EB… E aqui no Aéreo cansei de ver nossos F-5, AMX, etc, “armado” com “mísseis” inteirinhos azuis… 🙂

Abs.

alfredo.araujo

Eu queria saber o pq dos F-111 sempre aparecerem soltando “fogo pelas ventas”…

Felipe Cps

Alfredo: na 2a imagem, salvo melhor juízo é “resto” de combustível que vazou do pós-combustor, em alguma retomada ou freada. Na 1a imagem é o pós-combustor acionado, apenas (esta aeronave, por ser mais antiga, não tinha a redução de assinatura IR que o F-22, por exemplo, tem).

Me corrijam se disse bobagem, pls.

Sds.

Tomcat

Felipão,

Isso é uma fanfarronice que o F-111 permite fazer: “dump and burn fuel”. Como o duto de alijamento de combustível fica entre os bocais, se o piloto “abrir a torneira” e ligar o afterburner, esse é o resultado!

Até agora, só vi essa manobra no ar. Não há registros de churrascos feitos desta forma! 🙂

Abraços

Últimas Notícias

ESPECIAL: A Força Aérea Sueca durante a Guerra Fria

A Força Aérea Sueca (Svenska flygvapnet ou somente flygvapnet) foi criada em 1º de julho de 1926, quando as...
- Advertisement -
- Advertisement -