quarta-feira, maio 12, 2021

Gripen para o Brasil

Salão de Le Bourget completa cem anos em clima de crise e tristeza

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

paris-air-show-2009-1

O Salão Internacional de Aeronáutica e Espaço de Le Bourget (norte de Paris), o maior encontro mundial do setor, abriu na segunda-feira sua edição centenária num contexto de crise, com a redução do tráfego aéreo e o adiamento ou anulação de compras de aparelhos, em meio à sombra do acidente com o voo AF447 Rio-Paris.O Brasil estará presente com a Embraer que, este ano, celebra 40 anos de existência e que trabalha num projeto de avião de transporte militar, o KC-390, em cooperação com a força aérea brasileira.

Os anúncios de contratos devem ser menos espetaculares, sobretudo se comparados aos registrados na edição 2007, durante o qual os grandes do setor, Airbus e Boeing, haviam anunciado 800 encomendas da ordem de cerca de 100 bilhões de euros.
A sombra do acidente com o Airbus A330 da Air France que fazia o trajeto Rio de Janeiro – Paris, com 228 pessoas a bordo, as dúvidas sobre o funcionamento de alguns equipamentos e as causas da tragédia ainda não elucidadas, deverão tirar o brilho da mostra.

“Será um Le Bourget mais calmo que o anterior”, estimou Mark King, presidente da divisão de aeronáutica civil do construtor britânico Rolls Royce, que fabrica reatores para os futuros aviões da americana Boeing (o B-787) e do europeu Airbus (A350).
Segundo o grupo de Indústrias Francesas de Aeronáutica e Espaciais que organiza a mostra, 2009 será o primeiro ano desde 2001 (ano dos atentados nos Estados Unidos) no qual haverá uma baixa no número de passageiros e de cargas transportadas.

Segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), o número de passageiros cairá 8% em comparação com 2008 e o transporte de carga, 17%.
Nas companhias aéreas, esta situação se reflete numa tendência a adiar a incorporação à sua frota de aviões encomendados, e até a anular os contratos à espera de tempos melhores.

No entanto, Airbus e Boeing esperam entregar em 2009 tantos aparelhos como em anos anteriores.
Outro sinal da situação deste ano é que os voos de demostração do 787 Dreamliner da Boeing e do avião de transporte militar da Airbus A400M não vão acontecer mais uma vez, em consequência de atrasos em seus programas de construção.

Outra apresentação estelar ausente será o do caça americano Raptor F-22 da Lockheed. Ao contrário do que acontece no setor aeronáutico, o espacial é um dos que melhor resiste à crise, devido, principalmente, ao desenvolvimento constante das telecomunicações por satélite, sobretudo a televisão e os programas governamentais.

O desenvolvimento da internet por satélite, única solução para algumas regiões isoladas, favorece também a boa saúde econômica do setor espacial, assim como o desenvolvimento das redes governamentais ou de empresas.
Outro sinal neste mesmo sentido são os oito contratos obtidos desde o começo do ano pela sociedade Arianespace, que comercializa o lançamento dos foguetes Ariane e Soyuz.

FONTE: AFP

- Advertisement -

20 Comments

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sopa

Alguem sabe me dizer que avião é esse da quinta foto que tem um cara de preto ? parece em EMB145.

Sds.

Baschera

Sopa,

Trata-se de um Bombardier BD-700 Sentinel R1 da Royal Air Force (RAF)ou ASTOR (Airborne Stand-Off Radar). Trata-se de uma palataforma Bombardier Global Express modificada pela Raytheon Systems Limited e usa o radar conhecido como ASARS-2 derivado do sistema aeroembarcado usado no U-2 da USAF.
Assim como a FAB usa o R-99 (parecido, não ??) no esquadrão Gavião, a RAF tem seus Sentinel R1 lotados no “Number 5(AC) Squadron”.

Sds.

Sopa

Baschera

Boa explicação !! e outra coisa é concorrente do nosso R-99 ?

Sds.

Robson Br

Uai, NÃO consigo logar no naval e no terrestre. Não reconhece o nome. Foi a 1ª vez que ocorre.

alberto78

Caro amigo galante estou com o mesmo problema de todos, só consigo entra nopoder aereo, naval e terrestre nada pesso que de uma olhadinha nisso pra mim.

Clésio Luiz

Tá ruim dos europeus assistirem uma demonstração do F-22. Ano passado ele não se apresentou em na feira inglesa e nesse ano cancelaram a apresentação dele na França. Seria legal ver ele e alguma variante do Su-27 no mesmo show aéreo. Mas no que depender dos americanos, parece que nunca vai acontecer…

Esse ano os Flanker não vão aparecer de novo e a Embraer também não está levando nada, de acordo com a página da feira:
http://www.paris-air-show.com/Essentialinformation/2009aircrafts/tabid/306/language/en-US/Default.aspx

Baschera

Sopa, Sobre o ASTOR, trata-se do equivalente inglês ao americano E-8 JSTARS. Sua função básica é apoio radar sobre o campo de batalha e seus arredores, provendo antecipadamente as forças de terra e de ar, toda a gama de condições atmosféricas, aquisição de objetivos móveis e estáticos das forças oponentes e imagens em tempo real. De certa forma é semelhante aos R-99, ao menos no objetivo de proporcionar imagens de alta resolução do campo de batalha em “gamas” de até 160 Km à uma altitude de até 47.000 pés. Seu raio de ação é de 12.000 Km e até 14… Read more »

Galante

Robson e Alberto. Verifiquei agora e nenhum de vocês tem perfil criado no Poder Naval. Peço por gentileza que tentem se registrar novamente.

alberto78

Com o mesmo nome e e-emial.

alberto78

Desculpa e-mail

Sopa

Alguem sabe me dizer que avião é esse da quinta foto que tem um cara de preto ? parece em EMB145.

Sds.

Baschera

Sopa,

Trata-se de um Bombardier BD-700 Sentinel R1 da Royal Air Force (RAF)ou ASTOR (Airborne Stand-Off Radar). Trata-se de uma palataforma Bombardier Global Express modificada pela Raytheon Systems Limited e usa o radar conhecido como ASARS-2 derivado do sistema aeroembarcado usado no U-2 da USAF.
Assim como a FAB usa o R-99 (parecido, não ??) no esquadrão Gavião, a RAF tem seus Sentinel R1 lotados no “Number 5(AC) Squadron”.

Sds.

Sopa

Baschera

Boa explicação !! e outra coisa é concorrente do nosso R-99 ?

Sds.

Robson Br

Uai, NÃO consigo logar no naval e no terrestre. Não reconhece o nome. Foi a 1ª vez que ocorre.

alberto78

Caro amigo galante estou com o mesmo problema de todos, só consigo entra nopoder aereo, naval e terrestre nada pesso que de uma olhadinha nisso pra mim.

Clésio Luiz

Tá ruim dos europeus assistirem uma demonstração do F-22. Ano passado ele não se apresentou em na feira inglesa e nesse ano cancelaram a apresentação dele na França. Seria legal ver ele e alguma variante do Su-27 no mesmo show aéreo. Mas no que depender dos americanos, parece que nunca vai acontecer…

Esse ano os Flanker não vão aparecer de novo e a Embraer também não está levando nada, de acordo com a página da feira:
http://www.paris-air-show.com/Essentialinformation/2009aircrafts/tabid/306/language/en-US/Default.aspx

Baschera

Sopa, Sobre o ASTOR, trata-se do equivalente inglês ao americano E-8 JSTARS. Sua função básica é apoio radar sobre o campo de batalha e seus arredores, provendo antecipadamente as forças de terra e de ar, toda a gama de condições atmosféricas, aquisição de objetivos móveis e estáticos das forças oponentes e imagens em tempo real. De certa forma é semelhante aos R-99, ao menos no objetivo de proporcionar imagens de alta resolução do campo de batalha em “gamas” de até 160 Km à uma altitude de até 47.000 pés. Seu raio de ação é de 12.000 Km e até 14… Read more »

Galante

Robson e Alberto. Verifiquei agora e nenhum de vocês tem perfil criado no Poder Naval. Peço por gentileza que tentem se registrar novamente.

alberto78

Com o mesmo nome e e-emial.

alberto78

Desculpa e-mail

Reportagens especiais

Momentos da história do AMX nos anos 80 em notícias do Estadão

Pesquisando no arquivo do Jornal O Estado de São Paulo, encontramos algumas notícias sobre o avião de ataque ítalo-brasileiro...
- Advertisement -
- Advertisement -