terça-feira, abril 20, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Nem P-3C, nem Atlantique 2, nem AWACS. R-99 é a solução

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

r-99b-11

Dizem que são nos momentos ruins que extraímos grandes lições. O que aconteceu com o voo AFR 447 da Air France na noite de domingo para segunda-feira foi uma tragédia de grandes proporções cuja origem será fruto de uma longa investigação. Mas podemos sair de cabeça erguida no desempenho dos trabalhos de busca e salvamento (SAR).

Quando o Comando da Aeronáutica recebeu a informação do desaparecimento do voo AF 447, foram tomadas as medidas de praxe, como o acionamento das unidades e dos órgãos competentes para o desenvolvimento das atividades de busca e resgate.

Em um sinistro como esse o Esquadrão Pelicano (2º/10º GAv) é logo acionado e em pouco tempo estará voando na direção indicada pelo comando da coordenação do resgate. O esquadrão está passando por mudanças no momento, sendo que os Bandeirantes especializados em SAR estão sendo substituídos pelos C-105 “Amazonas”. Foi exatamente esta última aeronave empregada no caso do voo AF 447. Após a conclusão dos trabalhos, o pessoal do esquadrão poderá fazer uma melhor avaliação do desempenho do novo equipamento, como ele pode ser melhorado e qual a sua influência na condução dos trabalhos.

O emprego dos Bandeirulhas do 1º/7º GAv (baseado em Salvador-BA) também já era previsto uma vez que esta é a unidade de esclarecimento marítimo da FAB mais próxima do local do desaparecimento.

Outra aeronave da FAB cuja participação era dada como certa na campanha de busca e salvamento era o C-130 Hercules. Este avião já mostrou do que é capaz em missões desse tipo, não só nas mãos de pilotos brasileiros, mas ao redor do mundo também. A FAB possuía uma versão específica para busca e salvamento denominada SC-130E. No entanto, esta versão já estava bastante desatualizada e quando teve início o programa de modernização dos Hercules na FAB, os remanescentes foram elevados para o padrão C-130H e concentrados no Rio de Janeiro (Galeão e Afonsos).

Pelo lado francês foi mobilizado, de imediato, um Breguet Atlantique 2 e um Dassault Falcon 50M. Posteriormente a França solicitou a ajuda dos EUA, que enviaram um Lockheed P-3C Orion, e incorporou um AWACS do ‘Armée de l’air’ à equipe de busca. A Espanha também passou a ajudar nas buscas.

Entra em cena o ‘Guardião’

Com menos destaque e uma certa dose de desconfiança, a FAB decidiu também utilizar uma aeronave R-99B, pertencente ao 2º/6º GAv – Esquadrão Guardião. Era a primeira vez que este tipo de avião seria empregado em uma operação de busca desta magnitude e sob os holofotes do mundo todo. Seria possível empregar uma aeronave desenvolvida para o SIVAM na busca de destroços em alto-mar?

O R-99B de matrícula FAB 6751 passou a operar a partir de Fernando de Noronha. Às 22:35h do dia 1º de junho a aeronave decolou do pequeno aeródromo daquela ilha. As horas passavam e as notícias sobre indícios não apareciam. Nada foi dito oficialmente, mas corria o temor de que a FAB não fosse capaz de localizar a aeronave ou os seus destroços. Surgiu uma certa desconfiança, tanto interna como externa. Mas a equipe de coordenação da missão de busca e resgate não perdeu o foco.

r-99b

Já era madrugada do dia 2 de junho quando o R-99, em uma de suas varreduras com a utilização do radar de abertura sintética, identificou alguns “retornos”. Estes indicavam a existência de materiais metálicos e não metálicos flutuando no oceano. A escuridão da noite não permitia a identificação visual dos “retornos”, mas suas posições foram marcadas e a busca foi replanejada.

No dia seguinte, um Hercules da FAB decolou e avistou alguns destroços sobre o mar, além de uma mancha de óleo. Era a confirmação dos “retornos” identificados pelo R-99.

O sucesso da primeira missão foi seguido de um outro resultado positivo. Na madrugada de terça para quarta-feira, por volta das 3:40h, mais alguns destroços foram detectados sendo que um deles possuía cerca de 7 m de diâmetro. Também foi identificada uma mancha de óleo de 20 km de extensão. Quando clareou o dia, um Hecules da FAB sobrevoou o local e confirmou novamente o que o R-99 “viu” durante a noite. Não havia mais como negar. O uso do R-99 na operação foi uma das decisões mais acertadas e uma das surpresas mais gratas. Surpresa para muitos, menos para o pessoal do próprio Esquadrão Guardião, que nunca deixou de acreditar na qualidade do material que dispunha.

r-99b-21

Dedicação e competência nunca faltaram aos aviadores da FAB. Juntando-se estes ingredientes com equipamento no estado da arte, o resultado não poderia ser diferente. Infelizmente sobreviventes não foram encontrados até o momento. Mas é certo de que o R-99 poderá salvar muitas vidas no futuro. Esta é a lição deste trágico acidente.

Parabéns à FAB pelo trabalho e à Embraer, pelo desenvolvimento desta fantástica máquina.

FOTOS: FAB

- Advertisement -

242 Comments

Subscribe
Notify of
guest
242 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Virtualxi

Um país que pode e deve construir, mesmo que empregando parte da tecnologia não nacional, uma aeronave de patrulha marítima deve fazê-lo pelo simples motivo único e universal… INTELIGÊNCIA. Um país nunca deve, em hipótese alguma, comprar uma sucata em frangalhos, em um certo deserto gringo, gastar muitos reais na reforma e nele colocar equipamentos modernos que custaram muitos milhares de reais, pelo simples motivo único e universal… É BURRICE. O R-99 mostrou que a Embraer tem competência mais que suficiente para desenvolver produtos, juntamente com seus parceiros de mercado,iguais ou melhores que qualquer outro existente por aí. Eu vivo… Read more »

Das Profundezas Abissais

Parabéns ! Pouco para a grandiosidamente da missão, mas é o meu alacance máximo, ao contrário do “Guardião” !

Zorann

E kd as encomendas do P-99 que poderiam substituir nossos Bandeirulhas com inumeras vantagens? Teremos mais encomendas de R-99, ou ficaremos somente nessas?

Esse é o nosso problema. Fabricamos ótimos equipamentos e não compramos ou compramos em numero insuficiente.

Já imaginaram como seria importante termos mais um esquadrão ‘guardião’ na Amazonia e deslocarmos o atual mais para o sul?

Joca

E ainda tive que ler aqui, nesse mesmo blog, comentários de um certo membro que dizia que a FAB era incompetente, que se dependessemos dela não teríamos resultado nenhum nas buscas e que apenas os franceses ou outro país competente poderia fazer algum reconhecimento dos destroços. Ver que o trabalho da FAB está sendo tão bem feito só me enche de orgulho, pois eu tinha plena certeza de que a FAB, mesmo que limitada em recursos, seria a responsável pelos resultados positivos nessa operação. Espero que esses que duvidaram, que fizeram pouco da Força Aérea Brasileira e de seus competentes… Read more »

Henrique Sousa

A mesma FAB que gerou o R-99, esta adquirindo o P-3AM.

Devemos ter nossas opiniões e claro, mas não temos pq duvidar das decisões dos nossos profissionais.

Quanto à aeronave, logo que começaram as notícias sobre o acidente, já postei aqui perguntando sobre o emprego do R-99B nas buscas, pq suas características se encaixavam na operação.

Creio que poucos paises no mundo possuem aeronaves deste nível. Uma prova de que nossa FAB sabe onde colocar seus poucos recursos.

Edmar

Caros Amigos.:

Isso vale para alguns que dizem queas aéronaves nacionais não são boas.
A “Embraer” constroi aéronaves de ótimas qualidades e o “R-99” é um exemplo.

mcv

Fantastico!!!Fantastico!!!!A FAB e a Embraer estao realmente de Parabens e o mundo agora sabe disso!!!!
sds!

Valtinho

Bem que a versão de patrulha maritima poderiam ser adquiridos, não tenho duvidas que são tão eficientes como qualquer outa aeronave concorrente!!!

Mineiro

Se não me falha a memória o Brasil só possui três R-99B e 5 R-99A, não é isso? Me corrijam se estiver errado. Taí uma grande demonstração de que o Brasil precisa, de no mínimo, mais 10 aeronaves de cada tipo. Espalhada por todo o Brasil. Bravo Zulu Guardião.

Ulisses

Gente,o P-99 não deu certo pelo seu curto alcance,e os P-3 acredito eu que é um quebra galho,até o desenvolvimento de um patrulha nacional.

Tem uns(1,2,3,4,5…)que dizem que o P-3 são sucata,então vocês que dizem isso deveriam saber que a única aeronave melhor do que essa “sucata” são os P-8 da Boeing,mas já expliquei o resto ai em cima.

Carlos Emilio Di Santis Junior

A FAB tem que adquirir mais unidades do R-989B e do R-99A. esses aviões são fumdamentais para aumentar a eficiência de detecção e inteligencia para missões taticas e de salvamento.

Marcelo Martins

Um excelente avião!!! Dou meus parabéns à FAB e a Embraer.
Se a FAB for experta, pode capitalizar em cima desse triste episódio alegando que o R-99 e a versão marítima são de extrema importância para o país e solicitar verbas adicionais para mais aparelhos!

J Curitiba

Haja ufanismo!

thiago

BOM TRABALHO ESQUADRAO GUARDIAO

RL

Sem palavras.

Apenas emoção e sentimento de orgulho no coração e na mente.

Nessas horas nem da pra pensar em criticas a essa ou aquela aeronave até pq o R-99 desbancou todos. Também quebrou determinados paradigmas e nos remete a um futuro certo.

Paulo

Concordo com todos, mas vejamos assim: A FAB esta adiquirindo uma plataforma dos anos 50 de certo modo bem confiavel e ainda usado por muitas forças aéreas, com sistemas bem atuais fica uma ótima arma. Mas convenhamos que pelo que Temos de Embraer tinhamos que continuar e a melhor desenvolver o P-99 que acredito que tinha que investir nesse potencial, como foi mostrado aprova o R-99, que acredito que depois dessa lição que vimos o P-99 não ficará esquecido. Grande Abraço a todos. PS. Minha primeira participação no forum, mas já sou leitor a quase um ano. Gosto muito de… Read more »

Mauricio.R

“O R-99 mostrou que a Embraer tem competência mais que suficiente para desenvolver produtos…”

Nenhum dos radares e nem o flir são produtos da Embraer, aliás sequer são produtos de alguma empresa brasileira.
Assim, troque-se a plataforma e a capacidade permanecerá.

“Alguns infelizmente ainda vivem nos anos 50 com seus P-3………”

E mesmo sendo uma aeronave dos anos 50, tem mais volume de cabine, autonomia e um belo porta-bombas; o que nenhuma das “novidades” da Embraer possui.

Almeida

BRAVO! BRAVO! Para a FAB e para a Embraer! Esse evento trágico demonstrou, com ENORME exatidão, o que eu e alguns amigos do blog já sabíamos: P-99 SIM, P-3AM NÃO! Confio na capacidade da FAB em nos manter seguros e a salvo de todo tipo de problema, mas temos que admitir, sim, com responsabilidade, que algumas decisões as vezes são erradas. Acertaram em cheio ao identificar a missão/necessidade e ao buscar na Embraer uma solução para o SIVAM. Erraram feio em achar que as soluções da mesma empresa não serviriam para o P-X. Vamos aos fatos: FAB descarta projeto P-99… Read more »

Almeida

Aos que alegam maior autonomia dos P-3 eu respondo: Primeiro, o acidente em questão aconteceu no PIOR lugar possível, bem no meio do caminho, distante tanto de nossa zona SAR quanto da zona SAR seguinte. E, mesmo assim, o R-99 localizou os destroços no primeiro dia de operação, antes de todos. A autonomia dele é mais do que suficiente. Segundo, de que adianta ficar 10 horas sobrevoando o Oceano Atlântico procurando destroços com um binóculo (vide foto do Atlantique 2 em operação neste mesmo blog) se um radar SAR varre a mesma área em 30 minutos? De que adianta 18… Read more »

Mauricio.R

No mais parabéns ao Esquadrão Guardião, por saber tirar mto bom proveito dos SENSEROS, instalados na plataforma da Embraer. Infelizmentre a falta de discernimento p/ entender o que é da capacidade da suite de sensores instalada e da capacidade da plataforma que a transporta, turva o debate. Se neste episódio do ac da Air France, no qual o Esquadrão Guardião esbanjou capacidade e profissionalismo, sabemos por episódios anteriores, notadamente a não seleção do P-99 e a concorrência ACS, das limitações fisicas a que a plataforma ERJ-145 está sujeita. Demérito da plataforma??? Não necessáriamente pois é um ac que não se… Read more »

Almeida

Re: Mauricio.R em 03 jun, 2009 às 17:45 Sim Mauricio, e você ainda se esqueceu das turbinas que são da GE ou Rolls-Royce, etc. Mas, pior do que isso, você esqueceu de que o projeto das aeronaves de inteligência da Embraer trouxeram avanços tecnológicos e empregos para o nosso país, independente de onde tenham vindo seus componentes. No Mundo atual, globalizado, nem mesmo os EUA projetam e fabricam 100% de seus artigos militares. O que importa, hoje, é o know-how da integração. É termos, aqui no Brasil e não na Espanha, o pessoal que escreve o software para os nossos… Read more »

marujo

Vai ser difícil a FAB não incorporar mais R-99 e viabilizar o P-99 depois do bom desempenho na busca de destroços da aeronave francesa. O P-99 certamente tem alcance menor que o P-3M, mas muito maior que os nossos atuais P-95. Pelo que consta os Bandeirulhas não estão se saindo muito bem nesta empreitada.

Mauricio.R

Correção:

aonde se lê SENSEROS, leia-se SENSORES.

Cantarelli

Talves quando sair o KC-390 de pra se pensar em uma versao naval que achan?

Mauricio.R

“Mas, pior do que isso, você esqueceu de que o projeto das aeronaves de inteligência da Embraer trouxeram avanços tecnológicos e empregos para o nosso país, independente de onde tenham vindo seus componentes…”

Almeida,

É de fato, a Embraer fez os furos e os rasgos na célula do ERJ-145, direitinho aonde lhes mandaram fazer.

Angelo Nicolaci

Estou Orgulhoso de nossa FAB e de Nossa Embraer, e disso que eu falo, nossos guerreiros são imbativeis, mesmo com parcos meios e varias contenções de recursos, eles cumprem sua tarefa melhor que muitos ao redor do mundo. E nossa industria que muitos dizem ser incapaz de atender nossas necessidades deu um show!!! Nosso R-99 se mostrou ser uma plataforma muito util e eficaz, mesmo realizando uma tarefa que não é a sua especialização, pois foi pensada para atuar sobre os céus da amazonia monitorando o solo, mas sobre o mar mostrou nossa capacidade tecnica e a ousadia de nossos… Read more »

RodrigoBR

Acho que o R-99B é uma aeronave “quase fantástica”, pois não possui grande autonomia e deveria possuir no mínimo capacidade REVO! Almeida, concordo com vc. Vc sabia que possuimos um dos melhores ou senão o melhor sistema de imageamento por radar do mundo, exportado para vários países? Foi desenvolvido pela ORBISAT, uma empresa 100% brasileira! Esta empresa é a mesma que desenvolveu o Radar SABER-60. Ou seja, uma empresa que detém alta tecnologia em sistemas radar. O que falta é a FAB sentar com a EMBRAER e a ORBISAT e integrarem o sistema no próximo R-99B! De preferência usando o… Read more »

Almeida

Re: Mauricio.R em 03 jun, 2009 às 18:07 Poderíamos ter escolhido, assim como os EUA no ACS (que diga-se de passagem não vingou de qualquer maneira), a plataforma ERJ-190 também proposta pela Embraer como resposta às críticas de baixa autonomia do ERJ-145. Não existe motivo plausível para se comprar sucata no deserto do Nevada ao invés de fabricar plataformas novas aqui. Quando a disponibilidade dos P-3AM, que ainda nem entraram em operação por conta das dificuldades encontradas pela EADS-CASA em sua modernização, for finalmente revelada, com suas asas comprometidas por fissuras já identificadas na frota norte-americana, veremos se eram sucata… Read more »

Mauricio.R

“É termos, aqui no Brasil e não na Espanha, o pessoal que escreve o software para os nossos sistemas e plataformas.”

A Embraer não escreveu código algum p/ os radares do R-99A, pois não são seus produtos, mas de terceiras empresas.
No mais coube a Atech escrever o software de interface console-sensores das aeronaves ISR da Embraer.

Aliás é o mesmo papel, que esta fundação desempenha no projeto P-X.

Almeida

Re: Mauricio.R em 03 jun, 2009 às 18:12 Seu comentário maldoso sobre a Embraer mostra seu total desconhecimento do que é a indústria militar e de aviação global e do Mundo em que você vive. Você faz o que da vida, caro Mauricio? Provavelmente, dado seu comentário, aperta parafusos em alguma fábrica ou trabalha com burocracia em alguma repartição pública. Eu sou Engenheiro de Computação, Mestre em Análise de Sistemas, PhD em Sistemas de Análise de Sinais e trabalho, orgulhosamente, na Embraer. Te garanto amigo, o pessoal que faz furos lá na linha de montagem tem mais currículo e é… Read more »

Omega

Apesar da tristeza profunda pelo acidende, parabéns à FAB, e à Embraer e ao Brasil.
Quanto ao debate de qual opção é melhor: R-99B ou P-3 Orion, acho que a FAB dez a escolha certa pelos Orions no momento. Futuramente parece que a Embraer está planejando um EMB-170 com equipamento de vigilância, vide R-99, devido à autonomia.

RodrigoBR

Maurício.R,

Eu também acho que nós devemos desenvolver toda a família de R-99A, R-99B e P-99. Possuimos empresas capacitadas para isso, ATECH, ORBISAT, EMBRAER, etc. Seria a glória ter quase todo o miolo das aeronaves desenvolvidas por empresas brasileiras. Muitas partes das aeronaves da EMBRAER são importadas, inclusive as mais importantes: turbinas, toda a parte eletrônica, etc. Isso tem que começar a mudar! Exportamos X Bilhoes em aeronaves, mas importamos “quase X” correspondente ao seu “miolo”. E o lucro? E o conhecimento da tecnologia? Está tudo lá fora ainda…

Espero que essa situação se inverta nos próximos 10 anos…

Mauricio.R

“…a plataforma ERJ-190 também proposta pela Embraer como resposta às críticas de baixa autonomia do ERJ-145.”

Almeida,

Não adianta, é engenharia aeronaútica e não plastimodelismo…

Então o ERJ-190 é outra “novidade”, “perna curta” e de “pouco folego” da Embraer, p/ se medir contra a “sucata no deserto do Nevada”, que ainda assim lhe é superior.
A FAB não tem a minima obrigação, de adquirir tdo santo cacareco que a Embraer lhe pretende empurrar.
A FAB tem sim a obrigação de avaliar e selecionar aquela plataforma que cumpre c/ as necessidades estabelecidas pela força.

Mauricio.R

“Seu comentário maldoso sobre a Embraer…”

Almeida,

Sua arrogância é bem tipica da Embraer.
Se acha a ultima bolacha do pacote, não adimita qq critica e menos ainda concorrência.
Lhes falta humildade e argumentação p/ rebater as criticas recebidas.
Sou um piloto de caça frustado, a FAB foi justamente operar Mirage e ainda por cima uso um óculos fundo de garrafa daqueles.
Mas curto material bélico como hobby, acompanho mercado, tecnologias e tendências e estou bem longe de ser o dono da verdade.
Ah, tb sou operador de console maiframe na IBM.

marcandrey

hehehehehehe o pessoal daqui é 8 ou 800… Quando é para descer a lenha eles descem msm!!!! Deixam mais para baixo que bunda de grilo, agora quando vão elogiar!!!! Como disse o J Curitiba Haja ufanismo!

Bravo Esquadrão Guardião Bravo!!!!

Igo

Almeida,

Esqueça o P-99 para ASW, pois ele tem sérios problemas para vôos a baixa altitude e não tem onde colocar bomb bay. Por isso a FAB adotou o P3C. O P-99 pode ser usado para ASuW, mas acredito numa versão P-390 para isso.

Sds,

Igo

Mauricio.R ,

Foi-se o tempo em que a Embraer não escrevia código. O Linkbr2 é prova de que eles querem desenvolver tudo.

Sds,

Mauricio.R

“O Linkbr2 é prova de que eles querem desenvolver tudo.”

Escrever qq escreve, quero ver se funciona…

Bosco

Nesses eventos é que observamos como a tecnologia é inadequada. Era para existir aeronaves anfíbias de longo alcance como equipamento obrigatório em grande número. Uma pena o desinteresse da indústria por essa linha de aeronaves. Para busca e salvamento elas seriam de grande utilidade e os russos possuem coisas boas como o A-42. Também considero urgente o desenvolvimento de “aeronaves compostas” ou convertiplanos com capacidade de pouso/decolagem vertical e vôo pairada, como o dos helicópteros, mas com grande alcance (3 a 4 X) e pelo menos o dobro da velocidades destes. Há vários estudos a respeito e na próxima década… Read more »

Bosco

Correção: “que irão” e não “que irá”.

Wolfpack

Ontem me desculpei no Blog Naval pelas criticas na demora de reação das autoridades aeronáuticas. Parabéns a FAB e ao R99, uma pena que a FAB não disponha de mais unidades desta aeronave fantástica e de sua versão ASW.

lucas lasota

Meu coracao bateu mais forte quando vi o destacamento do R-99 pra area de pesquisa. Sabia que ele nao nos deixaria na mao…rs Mauricio R. Como ja debatemos em antigos topicos sobre o C-390, os EC -725, o FX, o cerne da questao eh: Quando nos vemos um mercedes CLK ou uma BMW M 3, eh logico que ligamos a ideia do produto final a empresa “montadora”, sabendo que toda a producao nao foi escalonada, devido a ordem economica atual. Diferente nao pode ser com a Embraer. Toda a integracao dos sistemas eh de autoria da “montadora” (em sentido largo).… Read more »

zocca

e esse tipo de maquina que nos orgulha, e nas mãos de quem entende ai e covardia, muito diferente da noticia sobre a corveta caboclo, e esse tipo de ferramenta que nos queremos para nossas forças armadas, bonita, boa e moderna,pessoas qualificadas para operar todo tipo de equipamanto moderno nos temos, E DINHEIRO TODOS SABEMOS QUE TEMOS DE SOBRA, O QUE TA FALTAMDO E SO VONTADE POLITICA MESMO. PARABENS A TODOS OS ENVOLVIDOS NESSA BUSCA

Hornet

marcandrey em 03 jun, 2009 às 18:55

acho que está mais para -8 ou 8 milhões…pois ou somos os piores do mundo, a lata de lixo das nações, o “país que não deu e nem nuca dará certo” (sabe-se lá que pode significar o “dar certo”) ou a “oitava maravilha do universo” (incluindo os possíveis universos paralelos), o país “abençoado por Deus e bonito por natureza”…Mas que beleza!…hehehe

O mais engraçado é que eu acho que o Brasil não é nem uma coisa e nem outra…mas fazer o quê?

Vamo que vamo!!!

abraços

Ducca

“… Dedicação e competência nunca faltaram aos aviadores da FAB.”

É bom lembrar, para que não haja injustiças, que no 2º/6º GAv – Esquadrão Guardião, bem como em toda a FAB, se trabalha em equipe. A dedicação é dos oficiais aviadores, mas também dos oficiais, suboficiais, sargentos, cabos e soldados dos diversos quadros que estão, desde o momento do acionamento do acidente, empenhados dioturnamente no bom cumprimento da missão, sempre na esperança de achar alguém ainda com vida para ser resgatado.

Então: Parabéns à Força Aérea Brasileira.

Ducca

Em tempo,

a nossa solidariedade aos familiares dos passageiros e tripulantes envolvidos nesse trágico acidente. Que Deus console a todos.

Esdras

Parabéns a FAB e as suas tripulações, alémd a Embraer.
O P-3BR virá e sem duvida será um vetor muito eficiente, mas é hora de planejar os futos ASW made in brasil……seja ele com a plataforma do ERJ145, C-390 ou ERJ-170.

konner

Definitivamente, a plataforma do Embraer ERJ 145, não atende aos requisito da FAB. Em 2005 – – O Comando da Aeronáutica encomendou à Embraer um estudo sobre a possibilidade de desenvolvimento de um novo avião de patrulha marítima, que substituirá, num prazo de 15 anos, a frota de P-3 Orion, atualmente em fase de modernização. Em função de acordos internacionais, a FAB tem a responsabilidade de prestar apoio e socorro (SAR) aos movimentos aéreos e marítimos que trafeguem na área sob sua jurisdição, a qual se estende desde nosso litoral até o meridiano 010º W, no meio do Atlântico Sul.… Read more »

SxMarcos

“Escrever qq escreve, quero ver se funciona…” Porra Maurício.. tudo isso é ódio no coração? Brincadeiras a parte, concordo em partes com o pensamento. Realmente para quem não conhece, desenvolvimento de protocolo parece coisa de outro mundo, mas não é. Não digo que seja fácil, mas tbm, com pessoas capacitadas, não é muito difícil. Tem se falado que o Linkbr2 é focado em segurança. Pode ser bom, pode ser perfeito, mas se não for utilizado de forma inteligente, integrando tudo o que pode, não servirá para nada. Podíamos ter feito como a França que utiliza plataforma Microsoft no gerenciamento de… Read more »

Robson Br

Praticamente todo material militar produzido pela Embraer foi especificado pela FAB. O sucesseso dos Tucanos/Super Tucanos, R99 AeB…etc deve muito a FAB. Criticar a FAB pelo P-3M Orion é uma grande injustiça, pois em caso de guerra o R-99B não cumpriria sua missão em mar. O P-3M é uma plataforma de esclarecimento e ataque tanto em superfície como anti- submarina. Mais uma vez a FAB acertou. As células dos P3 adiquiridos foram todas revitalizadas e remotorizadas. Seus sensores são o que existe de mais moderno. Poderia ser instalado em ERJ145? Não sei. Lembramos que os sensores do R-99B são importados.… Read more »

Reportagens especiais

Cavanaugh Flight Museum – parte 3

O CFM mantém vários “warbirds” em condições de voo que fazem apresentações em ocasiões especiais e eventos comemorativos. Nesta terceira parte de nossa visita...
- Advertisement -
- Advertisement -