quarta-feira, abril 14, 2021

Gripen para o Brasil

Aeronaves da FAB envolvidas na busca do Airbus A330

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Os aviões da FAB envolvidos na ação, segundo nota da Aeronáutica, são:

– 1 avião Bandeirante de patrulha marítima (P-95), que decolou de Salvador com destino a Fernando de Noronha-PE;

– 1 helicóptero Blackhawk (H-60), que está em voo prosseguindo para Natal-RN, e posteriormente para Fernando de Noronha-PE;

– 1 aeronave Bandeirante SR (SC-95), de Campo Grande (MS) para Natal;

– 1 aeronave Amazonas (SC-105) de busca e resgate, de Campo Grande (MS) para Natal;

– 1 helicóptero Super Puma (H-34), do Rio de Janeiro com destino a Natal;

– 1 aeronave Hércules (C-130) prossegue para Natal-RN, com a equipe do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (Parasar), unidade de elite para operações de busca e resgate;

– 1 aeronave Hércules (C-130), que estava em Las Palmas, com destino à Europa, foi acionada para efetuar a rota inversa do voo AFR 447.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Silva

Como faz falta o P3AM. Os bandeirantes não devem ter autonomia para efetuar esta busca. Ainda bem que temos Fernando de Noronha, para servir de base e poder reabastecer estes aviões e helicopteros.Não sabia que tinhamos um Sisdacta em Fernando de Noronha. Isto é correto, e a quanto tempo??

Abraços

Paulo

Aluisio

So uma coisa: pq o SC-95 baseado no MS?! Pra fazer B&R no mar do Paraguai? rs

alberto

A força aerea Brasileira poderia esta muito mas preparada pra esse tipo de busca temos pessoal muito competente pra isso o q falta e apoio de aeronaves pra tal fim. o P3 e obsoleto compraram uma aeronave velha que estava sem uso isso e inutil temos que modernizar e não viver sonhos de nossos antepaçados o Brasileiro e forte precisamos só de apoio.

Paulo Silva

Como faz falta o P3AM. Os bandeirantes não devem ter autonomia para efetuar esta busca. Ainda bem que temos Fernando de Noronha, para servir de base e poder reabastecer estes aviões e helicopteros.Não sabia que tinhamos um Sisdacta em Fernando de Noronha. Isto é correto, e a quanto tempo??

Abraços

Paulo

Aluisio

So uma coisa: pq o SC-95 baseado no MS?! Pra fazer B&R no mar do Paraguai? rs

alberto

A força aerea Brasileira poderia esta muito mas preparada pra esse tipo de busca temos pessoal muito competente pra isso o q falta e apoio de aeronaves pra tal fim. o P3 e obsoleto compraram uma aeronave velha que estava sem uso isso e inutil temos que modernizar e não viver sonhos de nossos antepaçados o Brasileiro e forte precisamos só de apoio.

Combates Aéreos

Guerra das Malvinas: 36 anos do desaparecimento do tenente Casco

Na Guerra das Malvinas, que completa 36 anos em 2018, o Poder Aéreo da Argentina provocou pesadas perdas à...
- Advertisement -
- Advertisement -