quarta-feira, abril 21, 2021

Gripen para o Brasil

Array

É viável o probe de REVO do KC-390?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

kc-390-detalhe

Todas as ilustrações do KC-390 apresentadas até o momento mostram a existência de um ‘probe’ de reabastecimento em voo (REVO) localizado na parte superior da fuselagem, logo acima da cabina. Esta configuração é bastante semelhante à configuração originalmente adotada para as versões militares do EMB-145. No entanto, após alguns estudos daquele projeto originalmente civil, concluiu-se que a posição sugerida possuía diversas desvantagens, além de representar um ponto estruturalmente crítico para a fuselagem.

Em relação ao KC-390, este possui uma seção frontal da fuselagem, especialmente o nariz, que guarda muita semelhança com a família ERJ-190. Portanto, é possível que a instalação de um ‘probe’ naquele ponto tenha as mesmas dificuldades estruturais enfrentadas pelo ERJ-145.

emb-145-mp

A introdução do ponto de REVO na parte superior da fuselagem como inicialmente sugerido para o ERJ-145 não é uma situação incomum. Aeronaves que originariamente não foram projetadas com capacidade REVO receberam modificações semelhantes e operaram satisfatoriamente. Alguns casos que ilustram esta situação são os E-2 Hawkeye operados por Israel (posteriormente transferidos para o México), o Handley Page Victor na sua versão B.2 e certas variantes do C-130.

Uma vez que o projeto do KC-390 encontra-se ainda no estágio de desenvolvimento, é possível avaliar outras possibilidades para REVO ou mesmo permanecer com a atual proposta e desenvolver uma estrutura compatível. A grande diferença do KC-390 sobre o EMB-145 é que o primeiro já nasceu como projeto militar e a opção pelo REVO está na sua concepção.

FOTO: Poder Aéreo / IMAGEM: Embraer

- Advertisement -

39 Comments

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tiago Jeronimo

Acho que o probe de revo é sempre uma vantagem a mais e também acho que eles não deviam ter sido descartados nos R-99A/B .

Raphael Barros

Eu não acho vantagem colocar probe em aviões grandes e sim tanques de combustível extras.

Claro é vantagem em bombardeiros e caças.

Xr

Acredito que a existência de probes para revo sejam vantajosas mesmo com a utilização de tanques extras. Talvez fossem utilizadas com pouca frequência, porém seriam vantajosas em missões “ultra-large-longas” (desconsiderando fadiga da tripulação).Não creio que o espaço que ocupariam suas tubulações fossem tão grandes ao ponto de permitir novos tanques(Opnião de um leigo, é claro).
Quando ao probe dos E-99A e R-99B vi, não sei aonde, que foram descartados devido à grandes dificuldades, problemas com pressurização dentre outros.Será verdade?

Fabio Siamas

O probe e menos importante para o reabastecedor, mas seria util para as versoes de carga, patrulha maritima e lancamento de paraquedistas.

F. Simas

Creio, como engenheiro, que acomodacao estrutural pode ser adequada no projeto que esta sendo desenvolvido.

Madvad

nao sei se tem tanta dificuldade. Outros aviões o tem aí sem problemas.

Paulistinha

opinião de leigo.. Não seria por causa da posição dos tanques internos no c-390 em cima (calombo da raiz da asas) e no 145 em baixo (repare que no 145 o prolongamento é o maior possível por fora da fuselagem, creio eu, para não comprometer a integridade com furos na dianteira da fuselagem).

abraços.

Mauricio R.

Creio eu que a viabilidade do design da probe de revo do KC-390 não é o principal problema deste projeto, mas tão somente a falta de encomendas expressivas, que lhe deem credibilidae. Pq até o momento somente a FAB pos o chamegão no papel, outros mto citados, Chile, Colombia, Suécia, França; necas de pitibiriba. ” nao sei se tem tanta dificuldade. Outros aviões o tem aí sem problemas.” Uma probe mal colocada pode levar ao ac receptor mto próximo do ac de revo, e do remuo que o seu arrasto gera podendo até dependendo das condições de voo, provocar uma… Read more »

Jony Costa

A EMBRAER não é boba, ela está de olho no mercado que não tem condições de comprar um C-130J e nem um A-400, e que deseja um transporte mais moderno e econômico do que as versões “E” e “H”.
Problemas no projeto são normais e certamente outros hão de aparecer.

Quantos aos parceiros e as encomendas o mesmo se verificou com a família dos E-Jets bem no início, e hoje vemos o sucesso que é.

Alecsander

Jony Costa

Concordo plenamente com você, e espero que a Embraer não pare de fazer investimentos no setor aeroespacial. E a inda não vi nesse blog um termo que agradasse a gregos e troianos, o pessoal é muito negativo.

Sentando a Pua

Da orgulho ver a EMBRAER neste projetos. Se vai ser viável ou não o REVO neste avião!!?? Aposto que sim. Ainda tem muito desenvolvimento pela frente.

tobí

Qual a dificuldade do probe ser extensivel ou semi extensivel, ou seja tenha um prolongamento que afaste da aeronave, diminuindo o risco de colisão???

RL

Tudo o que vem para SOMAR é válido.

Independentemente onde será instalado, penso que a aeronave tem que ter o PROBE DE REVO.

TOM

Sobre a viabilidade do probe de revo a Embraer pessoal especializado capaz de resolver esses tipos de quetões de projeto. O que eu gostaria de por em pauta e me parece interessante até mesmo para o projeto KC390 é caso a Dassault leve o FX2 se a Embraer não poderia fazer uso do sistema Spectra no KC390 tornando o avião mais protegido na arena moderna, mesmo que a Dassault não participe diretamente do projeto. Abraço pessoal.

Algol

Se o problema foi a adaptação nos R-99A/B que originalmente não foram projetados para ter sonda de reabastecimento em vôo creio que não haverá problemas com o C-390 se ele já for projetado desde o início para ter a sonda.

J. Simas

O conceito do KC-390 e’ excelente e as oportunidades de mercado sao inegaveis. No meu modesto conhecimento, o grande problema e’ aproveitar estas oportunidades sobretudo para os C-130 E e H de inumeros paises que vao ter de troca-los a curtissimo prazo 3-4 anos. E’ ai que temos o grande risco de perder as oportunidades ja’ que o desenvolvimento do aviao KC-390, ate sua fase operacional plena e comercializacao levara 7 anos. Caso a EMBRAER nao possa acelerar o processo de desenvolvimento, corre um serio de perder mercado para outros avioes menores (e mais baratos C-290 e Spartan) ou maiores… Read more »

Marcos T.

A ilustração é apenas uma concepção artistica, que tem como objetivo textar a reação do publico e dos possiveis futuros clientes e quem sabe conseguir algumas encomendas, no mundo automobilistico são usados os “concept cars” para isso, obviamente por questão de custo isso não é feito com aviões. Com o real desenvolvimento do projeto os problemas que certamente aparecerão serão resolvidos e modificações acontecerão, então caros amigos não estranhem se o projeto final for bastante diferente da ilustração que está sendo divulgada.
Palavra de Designer.

Fábio Max

Eu penso que esse avião será um sucesso comercial justamente porque sua concepção é feita para substituir os C-130 que estão por toda a parte no mundo.

Oa novos aviões de transporte dessa classe ou são muito maiores ou pouco acrescentam aos C-130, por preços que só são adequados ao mercado europeu.

Wolfpack

Pergunta, os probe de reabastecimentos foram mesmo descartados dos R99/P99? Se sim, isso é lastimável e é um ponto negativo da Embraer…

Tiago Jeronimo

Acho que o probe de revo é sempre uma vantagem a mais e também acho que eles não deviam ter sido descartados nos R-99A/B .

Raphael Barros

Eu não acho vantagem colocar probe em aviões grandes e sim tanques de combustível extras.

Claro é vantagem em bombardeiros e caças.

Xr

Acredito que a existência de probes para revo sejam vantajosas mesmo com a utilização de tanques extras. Talvez fossem utilizadas com pouca frequência, porém seriam vantajosas em missões “ultra-large-longas” (desconsiderando fadiga da tripulação).Não creio que o espaço que ocupariam suas tubulações fossem tão grandes ao ponto de permitir novos tanques(Opnião de um leigo, é claro).
Quando ao probe dos E-99A e R-99B vi, não sei aonde, que foram descartados devido à grandes dificuldades, problemas com pressurização dentre outros.Será verdade?

Fabio Siamas

O probe e menos importante para o reabastecedor, mas seria util para as versoes de carga, patrulha maritima e lancamento de paraquedistas.

F. Simas

Creio, como engenheiro, que acomodacao estrutural pode ser adequada no projeto que esta sendo desenvolvido.

Madvad

nao sei se tem tanta dificuldade. Outros aviões o tem aí sem problemas.

Paulistinha

opinião de leigo.. Não seria por causa da posição dos tanques internos no c-390 em cima (calombo da raiz da asas) e no 145 em baixo (repare que no 145 o prolongamento é o maior possível por fora da fuselagem, creio eu, para não comprometer a integridade com furos na dianteira da fuselagem).

abraços.

Mauricio R.

Creio eu que a viabilidade do design da probe de revo do KC-390 não é o principal problema deste projeto, mas tão somente a falta de encomendas expressivas, que lhe deem credibilidae. Pq até o momento somente a FAB pos o chamegão no papel, outros mto citados, Chile, Colombia, Suécia, França; necas de pitibiriba. ” nao sei se tem tanta dificuldade. Outros aviões o tem aí sem problemas.” Uma probe mal colocada pode levar ao ac receptor mto próximo do ac de revo, e do remuo que o seu arrasto gera podendo até dependendo das condições de voo, provocar uma… Read more »

Jony Costa

A EMBRAER não é boba, ela está de olho no mercado que não tem condições de comprar um C-130J e nem um A-400, e que deseja um transporte mais moderno e econômico do que as versões “E” e “H”.
Problemas no projeto são normais e certamente outros hão de aparecer.

Quantos aos parceiros e as encomendas o mesmo se verificou com a família dos E-Jets bem no início, e hoje vemos o sucesso que é.

Alecsander

Jony Costa

Concordo plenamente com você, e espero que a Embraer não pare de fazer investimentos no setor aeroespacial. E a inda não vi nesse blog um termo que agradasse a gregos e troianos, o pessoal é muito negativo.

Sentando a Pua

Da orgulho ver a EMBRAER neste projetos. Se vai ser viável ou não o REVO neste avião!!?? Aposto que sim. Ainda tem muito desenvolvimento pela frente.

tobí

Qual a dificuldade do probe ser extensivel ou semi extensivel, ou seja tenha um prolongamento que afaste da aeronave, diminuindo o risco de colisão???

RL

Tudo o que vem para SOMAR é válido.

Independentemente onde será instalado, penso que a aeronave tem que ter o PROBE DE REVO.

TOM

Sobre a viabilidade do probe de revo a Embraer pessoal especializado capaz de resolver esses tipos de quetões de projeto. O que eu gostaria de por em pauta e me parece interessante até mesmo para o projeto KC390 é caso a Dassault leve o FX2 se a Embraer não poderia fazer uso do sistema Spectra no KC390 tornando o avião mais protegido na arena moderna, mesmo que a Dassault não participe diretamente do projeto. Abraço pessoal.

Algol

Se o problema foi a adaptação nos R-99A/B que originalmente não foram projetados para ter sonda de reabastecimento em vôo creio que não haverá problemas com o C-390 se ele já for projetado desde o início para ter a sonda.

J. Simas

O conceito do KC-390 e’ excelente e as oportunidades de mercado sao inegaveis. No meu modesto conhecimento, o grande problema e’ aproveitar estas oportunidades sobretudo para os C-130 E e H de inumeros paises que vao ter de troca-los a curtissimo prazo 3-4 anos. E’ ai que temos o grande risco de perder as oportunidades ja’ que o desenvolvimento do aviao KC-390, ate sua fase operacional plena e comercializacao levara 7 anos. Caso a EMBRAER nao possa acelerar o processo de desenvolvimento, corre um serio de perder mercado para outros avioes menores (e mais baratos C-290 e Spartan) ou maiores… Read more »

Marcos T.

A ilustração é apenas uma concepção artistica, que tem como objetivo textar a reação do publico e dos possiveis futuros clientes e quem sabe conseguir algumas encomendas, no mundo automobilistico são usados os “concept cars” para isso, obviamente por questão de custo isso não é feito com aviões. Com o real desenvolvimento do projeto os problemas que certamente aparecerão serão resolvidos e modificações acontecerão, então caros amigos não estranhem se o projeto final for bastante diferente da ilustração que está sendo divulgada.
Palavra de Designer.

Fábio Max

Eu penso que esse avião será um sucesso comercial justamente porque sua concepção é feita para substituir os C-130 que estão por toda a parte no mundo.

Oa novos aviões de transporte dessa classe ou são muito maiores ou pouco acrescentam aos C-130, por preços que só são adequados ao mercado europeu.

Wolfpack

Pergunta, os probe de reabastecimentos foram mesmo descartados dos R99/P99? Se sim, isso é lastimável e é um ponto negativo da Embraer…

Marcelo Mariano

Caros amigos, Vamos deixar de besteira! O projeto KC-390 tem um imenso potencial para desdobrar-se em uma aeronave multi-função impar no cenário mundial neste futuro próximo. Vocês já pensaram que utilizando simples adaptações modulares, montadas em nível de hangar nas próprias unidades, o 390 poderia em pouco tempo ser transformado em Cargueiro, em Lançador de Paraquedistas, em Resgate, em Revo ou mesmo em um Gun-ship de respeito. Quanto ao probe Revo, será sem a menor dúvida de fundamental importância, representando um diferencial extremamente significativo (liberando espaço que seria tomado por tanques de combustível), principalmente para os mercados que a EMBRAER… Read more »

Reportagens especiais

Conhecemos de perto o Gripen 39-7, avião de testes de sistemas da nova geração do caça sueco

Nossa visita à Saab, além da apresentação do protótipo 39-8 do Gripen E, incluiu o hangar de aeronaves de testes...
- Advertisement -
- Advertisement -