Angola negocia Super Tucano, segundo jornal local

    223
    0

    super-tucano-linha-de-voo-foto-embraer

    O Ministério da Defesa de Angola está a negociar com a construtora aeronáutica brasileira Embraer a aquisição de seis aviões de reconhecimento e patrulha Super Tucano para reforçar a frota da Força Aérea, de acordo com o Novo Jornal.

    O periódico cita fontes militares para afirmar que o negócio está praticamente fechado e custará cerca de 62 milhões de dólares, valor que poderá ser acrescido de mais alguns milhões para dotar os aparelhos de equipamento militar.

    Em Maio de 2005, durante uma visita a Brasília, o Presidente José Eduardo dos Santos acordou com o seu congénere brasileiro Lula da Silva a concessão de uma linha de crédito de 580 milhões de dólares para financiar compras angolanas de equipamento diverso, nomeadamente aviões para fins comerciais, executivos e militares fabricados pela Embraer.

    Angola comprometeu-se, na ocasião, a liquidar a factura através do fornecimento de 20 mil barris de petróleo por dia.

    O Super Tucano é um avião a turbo-hélice produzido pela Embraer, há mais de 20 anos, e tem como principal missão operações de reconhecimento e patrulha, sendo a tripulação formada por dois pilotos e podendo transportar 1500 quilogramas de equipamento militar.

    A ser concretizado o negócio, adianta o Novo Jornal, a Embraer reforça a sua presença em Angola, onde já colocou o seu modelo Embraer 128 (sic), de 30 lugares, que integra as frotas de pequenas companhias que operam no mercado doméstico.

    FONTE: Portal do Governo da República de Angola  FOTO: Embraer

    Subscribe
    Notify of
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments
    RJ
    RJ
    11 anos atrás

    Somaram 8 na designação do Brasília (EMB-120), alguns aninhos no Super Tucano, que, aliás, pode carregar 1500 kg de ARMAMENTO, já que dentro dele tem rádio, computador de missão, assento ejetável, e diversos outros equipamentos militares que, juntos, devem pesar mais que isso.

    AJS
    AJS
    11 anos atrás

    Boa notícia, a clientela vai aumentando.

    RL
    RL
    11 anos atrás

    Nada de novidades.

    Este ST apenas segue a ordem natural das coisas….

    Assim como foi com o Tucano….

    Show essa noticia..

    Em breve teremos mais..

    É esperar e comprovar.

    Jacubão
    11 anos atrás

    É como eu disse em um artigo anterior sobre a possibilidade dos EUA adquirir o ST, “NINGUÉM RESISTE AO CHARME DO SUPER TUCANO”, sem dúvida uma aeronave única no mundo. Muitos vão falar do PILATUS, T-6, o projeto do novo BRONCO e etc, mas nenhum desses supera o nosso SUPER TUCANÃO.

    Everson
    Everson
    11 anos atrás

    Boaa, muito boa…
    Melhor ainda seria se a EMBRAER conseguisse autonomia dos EUA…quem sabe com o tempo…

    joao terba
    joao terba
    11 anos atrás

    África é o grande mercado brasileiro em todos os sentidos.
    abraço.

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Angola tem forças armadas ainda incipientes e, se vendermos produtos para elas agora, podemos ter um mercado cativo.

    As possibilidades são muitas: Super Tucanos, C390(s), caminhões militares, fuzis, misseis, lanchas de patrulha, etc… porque Angola é um país em franca reconstrução de praticamente tudo.

    Imagino que, decidido o FX-2 e eventualmente se possibilitando a montagem e aviões supersônicos aqui, idem.

    Há muitos brasileiros em Angola hoje, nas áreas de construção civil, logística, petróleo e mineração, o Brasil tem que aproveitar o momento e entrar em todas as áreas do país em que puder.

    Bonifácio
    Bonifácio
    11 anos atrás

    Caro Fábio Max, Para além dos atuais interesses brasileiros em Angola, há ainda um passado em comum. Angola foi reconquistada aos holandeses por tropas brasileiras em 1649, e por mais de cem anos foi administrada pelo Vice-Rei do Brasil. Para além disso, o Rio foi a sua metrópole desde a vinda dos Braganças para o seu território americano. Mais tarde, quando da fragmentação do império português, foi só por pressão britânica que Angola não se juntou ao Brasil. Tomara que o Brasil saiba aproveitar as oportunidades de se aproximar deste país irmão. A alternativa para eles é a exploração imperialista… Read more »

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    EUA avaliam compra do Super TucanoVirgínia Silveira, para o Valor, de São José dos Campos 24/04/2009 – Valor Econômico Indique | Imprimir | Digg | del.icio.us Tamanho da Fonte: a- A+ A Marinha dos Estados Unidos (US Navy) estuda a possibilidade de vir a adquirir quatro aeronaves Super Tucano, jato fabricado pela Embraer, para avaliação operacional dentro do Programa “Imminente Fury”, conduzido pela sua nova seção de Guerra Irregular (guerra contra insurgência). Um exemplar do turboélice brasileiro, segundo fontes ligadas a Embraer, já vem sendo testado há cerca de um ano, pela Marinha americana, para provar o conceito de aeronave… Read more »

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    Eu ia comentar o que o Goiano comentou. Vou so acrescentar: Pode estar ocorrendo uma venda casada junto com a Boeing. O ST seria parte da contra-partida na compra do SH F-18. A Embraer não tem muita saída já que depende muito dos aviônicos e dos motores americanos. Nos negócios não tem muito romantismo. A ida do Lula na Argentina não foi so para fazer negócios. O Brasil participa de uma ofenciva junto com os EEUU para isolar o Chaves e também a influência que o Irã está tendo em alguns países da América Latina, Inclusive o presidente do Irã… Read more »

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    completando…… aquela história dos “super-Tucanos naval”, que inclusive foi comentada por um Almirante da MB, tem tudo para ser verdade….

    Paulo Renato
    Paulo Renato
    11 anos atrás

    Caro Robson, Não acredito nessa possibilidade dos ST ser parte da compra dos SH F18. TB não gosto dessa ideia dos SH, os americanos não passam a tecnologia nenhuma e os armamentos que foram oferecidos ao Brasil não foi aceito, além dos embargos feitos pelo governo americanos aos armamentos, esse Fx quem leva na minha opinião é o Gripen NG, pelo custo e até mesmo pelo que se apresentou na LAAD 2009,muitos ficaram impressionados com o “carinha”. EM relação a parte Naval acho dificil o rasil adquirir alguma Nae convencional, vendo que as Nae´s Americanas tem um alto custo de… Read more »

    Democracia
    Democracia
    11 anos atrás

    Como eu queria que essa imagem não fosse montagem:

    https://1.bp.blogspot.com/_AxCuBauiBF0/SPvJI3OYzHI/AAAAAAAAApo/FqGdTRGKSjg/s1600-h/super+tucano+naval1.jpg

    Viva a República !!!

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Srs., Gostaria de saber se realmente procede a matéria que li há alguns dias. Segue abaixo : 30/03/2009 – 09:07 O super-Tucano genérico Por sergio g Mas os “blue eyes” tb são bons para copiar. Não só para impor sua tecnologia e cultura. Veja este caso: Os EUA estão formando uma força chamada COIN (counter insurgency) baseada em sua esperiência militar no Iraque e Afgan. Pois bem, necessitam de um avião turbohélice, com boa eletrônica embarcada, bem armado, barato e resistente. Existe um no mercado. É o EMB-314 super tucano. Pois bem. Não é que formaram um empresa, contrataram projetista… Read more »

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    Paulo Renato Temos a impressão que os americanos tem uma carta na manga. Como eu disse, não tem romantismo nos negócios. O sucesso dos Super Tucanos vão depender muito dos americanos que fornecem grande parte dos sistemas e o motor. Pelo que sei sei a Embraer não tem um plano “B” para os Super Tucanos. O próprio KC390 também dependerá dos americanos. Uma parceria com eles também não é inviável, já que os SH da USNAVY serão futuras peças de reposição dos novos operadores. Pelo que tenho visto a Boeing esta ofenciva com o SH no mercado. Quanto aos códigos… Read more »

    Leandro Mello
    Leandro Mello
    11 anos atrás

    Eu acho que a Fab poderia escolher uma opção High-Low pro FX2. Comprando agora umas 36 unidades do Rafale, com tudo que tenha direito, formando a ponta high do pacote (Eu acho que a França não transferiria toda tecnologia, mesmo ela afirmando que vai, para serem entregues entre 2010/14, formando ai 3 esquadrões: Anapolis – Substituindo os Mirage 2000 Canoas – Realocando os F-5M para outra base, no centro-oeste de preferencia Norte – Uma base em algum local da região norte, de preferencia perto da fronteira com a Venezuela. Lá por 2014 à 2020, uns 84 Gripens NG pra substituir… Read more »

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Robson,

    O pior de tudo é seu comentário tem o maior sentido. Quantas vezes já vimos isso acontecer? Nossas FA´s aceitarem imposições políticas “guela abaixo”. Sivam foi um exemplo. Basta comprar as pessoas certas porque que tem a caneta no final é o poder executivo.
    Se o Rafale não levar essa, será um dos piores negócios que o Brasil terá feito em muito tempo…

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Existem algumas matéria circulando falando sobre a contratação de Joseph Kovacs para desenvolver um “super tucano genérico” para os EUA. O nome da “nova” plataforma seria A-67 Dragon.

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Mandei alguns links mas acho que não apareceram no blog. alguem pode confirmar se é verdade essa informação.

    grato

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    Goiano, Tenho a impressão que o Rafale não está muito no gosto dos oficiais da FAB. Primeiro que é um caça muito caro e ainda não tem uma logística própria, pois está entrando em produção. A FAB descartou o SU-35 justamente pela dificuldades de fornecer peças de reposição e ainda ser protótipo. Criticar o SH não é muito correto, pois dos tres é o único comprovadamente em operação e os americanos já desenvolveram até a doutrina de operação. Não acredito que com o SH vai faltar peças para manutenção. Mas qual o problema? Não tem problema, pois com qualquer dos… Read more »

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Robson, Concordo com vc qto aos motivos da exclusao do su35 no entanto o mesmo nao pode ser aplicado ao Rafale (que não é protótipo e se encontra em operações de combate no afeganistao) pois a Franca é capaz para cumprir com contratos de manutenção. Quanto a doutrina de operação eu acredito que cada pais a desenvolve de acordo com suas caracteristicas politico/geograficas sendo o vetor apenas o meio de aplica-las. A mesma doutrina desenvolvida pelos EUA na aplicação do SH não será aplicada no Br. Isso seria um erro. Não sou critico do SH, pelo contrario, talvez seja ate… Read more »

    RodrigoBR
    RodrigoBR
    11 anos atrás

    Espero estar errado… Mas acho que eles estão “alugando” os Super Tucanos para fazer engenharia reversa e acelerar o desenvolvimento do A-67 Dragon! Comprar ou “alugar” em forma de leasing apenas 1 e passar 1 ano testando a aeronave? Não me admiro se daqui a 2 ou 3 anos sermos surpreendidos com o início da produção dos A-67 Dragon inclusive com uma versão naval e a EMBRAER “ficar chupando os dedos” vendo a exportação do mesmo para vários países do mundo. O primeiro a importar já vou cantar, será a Inglaterra! Espero estar errado, mas a EMBRAER que se cuide…… Read more »

    Roberto CR
    Roberto CR
    11 anos atrás

    Goiano

    Já havia visto esta notícia, e os sites, a cerca de 30 dias e comentei aqui inclusive, mas não achei mais nada sobre o tema depois disso. Aliás, quando soube da informação, a expressão que achei não foi genérico e sim pirata.

    Abs

    Vassili Zaitsev
    Vassili Zaitsev
    11 anos atrás

    Não sabia que o ST era um jato.

    Tb não sabia que ele era construido desde os anos 80.

    E muito meno que a Embraer algum dia fabricou aeronaves modelo 128.

    São + algumas das “pérolas da imprenssa especializada”.

    Paulo Renato
    Paulo Renato
    11 anos atrás

    Caro Robson BR, Pelo que sei existe um ineteresse muito grande da americana Boeing em participar do projeto do KC 390 que inclusive estaria dentro de uma grande proposta dos americanos. Não discordo em nenhum momento em qualidades do SH/F18, mas eles tem problemas sim emrelação a reposição de peças, por exemplo o caso dos C130 que levam meses para conseguir as peças necessárias para sua manutenção. A Saab já mostrou que cumpri com seus contratos quando vendeu e passou a tecnologia exigida no prleto da Africa do Sul. Acho sim que os americanos devem ter feito uma proposta ou… Read more »

    Vassili Zaitsev
    Vassili Zaitsev
    11 anos atrás

    E, ao que parece o preço do bixinho está subindo. Pois 62 milhões de dólares por 6 unidades = 10,3 milhoes por unidade.

    Os da Colombia custaram + – 9 milhões por unidade.

    Os da FAB menos ainda.

    abraços.

    Patriota
    Patriota
    11 anos atrás

    Exelente noticia

    a encomenda de Angola somada a uma possivel compra dos suecos
    vai ser algo importante ainda mais neste periodo de crise

    Baschera
    Baschera
    11 anos atrás

    Goiano, A notícia sobre o ST genérico não é nova. Acredito, pelo que lí, que não vai vingar, até por que o investimento em tempos de crise seria alto, demandaria tempo e não se tem interessados dispostos a pagar caro por um projeto já existem e provado. Se vc for ver já existe uma quase cópia do ST, o Hawker Beechcraft T-6A Texan II, que desbancou o ST no Iraque (foram comprados 20 und. a Us$ 10 milhões/Und.)obviamente por ser americano……nem preciso explicar. Nem o novo pilatus suíço impressiona, pois seu preço em euros é muito maior do que o… Read more »

    Tailhooker
    Tailhooker
    11 anos atrás

    Não se esqueçam da Indonésia.
    A qualquer momento sai mais esse contrato.

    Existe uma crença na Marinha sobre um possível desenvolvimento pela Embraer de uma versão naval do Super Tucano.

    Baschera
    Baschera
    11 anos atrás

    Enquanto isto….. para meu espanto….
    Dizem que a FAB estaria estudando a compra de oportunidade de pelo menos DEZ aviões AMX da AMI (Itália) para scrapp. Veremos…..

    Sds.

    joaquim
    joaquim
    11 anos atrás

    Angola não tem nem tec-teco….e vai comprar Super tucano

    Ricardo
    11 anos atrás

    Em vez de scrapp, porque não um novo squad no norte/nordeste ?

    O AMx ainda da para muito tempo…

    joaquim
    joaquim
    11 anos atrás

    Acho q a embraer nasceu virada pra Lua

    Nautilus
    Nautilus
    11 anos atrás

    Pô, notícia diz que o Super Tucano é fabricado há 30 anos pela Embraer. Confundiram com o Baby Tucano.
    Quanto a compra de 10 AMXs italianos para scrap, é bom lembrar que a FAB terá 10 AMX brasileiros mesmo para scrap, uma vez que dos 53 aviões, apenas 43 serão modernizados.

    RJ
    RJ
    11 anos atrás

    Só meia Dúzia? Os outros clientes compraram uma, duas dúzias de ST.
    A gente tá até pensando em criar uma embalagem para vender a dúzia, igual ovo!

    pinchas landisbergis
    pinchas landisbergis
    11 anos atrás

    Caro Bonifácio.

    Sábias palavras e fatos históricos que eu desconhecia.
    Blog também é cultura !!!

    um abraço,

    Paulo Renato
    Paulo Renato
    11 anos atrás

    Caro Robson, Não acredito nessa possibilidade dos ST ser parte da compra dos SH F18. TB não gosto dessa ideia dos SH, os americanos não passam a tecnologia nenhuma e os armamentos que foram oferecidos ao Brasil não foi aceito, além dos embargos feitos pelo governo americanos aos armamentos, esse Fx quem leva na minha opinião é o Gripen NG, pelo custo e até mesmo pelo que se apresentou na LAAD 2009,muitos ficaram impressionados com o “carinha”. EM relação a parte Naval acho dificil o rasil adquirir alguma Nae convencional, vendo que as Nae´s Americanas tem um alto custo de… Read more »

    RJ
    RJ
    11 anos atrás

    Somaram 8 na designação do Brasília (EMB-120), alguns aninhos no Super Tucano, que, aliás, pode carregar 1500 kg de ARMAMENTO, já que dentro dele tem rádio, computador de missão, assento ejetável, e diversos outros equipamentos militares que, juntos, devem pesar mais que isso.

    AJS
    AJS
    11 anos atrás

    Boa notícia, a clientela vai aumentando.

    RL
    RL
    11 anos atrás

    Nada de novidades.

    Este ST apenas segue a ordem natural das coisas….

    Assim como foi com o Tucano….

    Show essa noticia..

    Em breve teremos mais..

    É esperar e comprovar.

    Jacubão
    11 anos atrás

    É como eu disse em um artigo anterior sobre a possibilidade dos EUA adquirir o ST, “NINGUÉM RESISTE AO CHARME DO SUPER TUCANO”, sem dúvida uma aeronave única no mundo. Muitos vão falar do PILATUS, T-6, o projeto do novo BRONCO e etc, mas nenhum desses supera o nosso SUPER TUCANÃO.

    Everson
    Everson
    11 anos atrás

    Boaa, muito boa…
    Melhor ainda seria se a EMBRAER conseguisse autonomia dos EUA…quem sabe com o tempo…

    joao terba
    joao terba
    11 anos atrás

    África é o grande mercado brasileiro em todos os sentidos.
    abraço.

    Fábio Max
    11 anos atrás

    Angola tem forças armadas ainda incipientes e, se vendermos produtos para elas agora, podemos ter um mercado cativo.

    As possibilidades são muitas: Super Tucanos, C390(s), caminhões militares, fuzis, misseis, lanchas de patrulha, etc… porque Angola é um país em franca reconstrução de praticamente tudo.

    Imagino que, decidido o FX-2 e eventualmente se possibilitando a montagem e aviões supersônicos aqui, idem.

    Há muitos brasileiros em Angola hoje, nas áreas de construção civil, logística, petróleo e mineração, o Brasil tem que aproveitar o momento e entrar em todas as áreas do país em que puder.

    Bonifácio
    Bonifácio
    11 anos atrás

    Caro Fábio Max, Para além dos atuais interesses brasileiros em Angola, há ainda um passado em comum. Angola foi reconquistada aos holandeses por tropas brasileiras em 1649, e por mais de cem anos foi administrada pelo Vice-Rei do Brasil. Para além disso, o Rio foi a sua metrópole desde a vinda dos Braganças para o seu território americano. Mais tarde, quando da fragmentação do império português, foi só por pressão britânica que Angola não se juntou ao Brasil. Tomara que o Brasil saiba aproveitar as oportunidades de se aproximar deste país irmão. A alternativa para eles é a exploração imperialista… Read more »

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    EUA avaliam compra do Super TucanoVirgínia Silveira, para o Valor, de São José dos Campos 24/04/2009 – Valor Econômico Indique | Imprimir | Digg | del.icio.us Tamanho da Fonte: a- A+ A Marinha dos Estados Unidos (US Navy) estuda a possibilidade de vir a adquirir quatro aeronaves Super Tucano, jato fabricado pela Embraer, para avaliação operacional dentro do Programa “Imminente Fury”, conduzido pela sua nova seção de Guerra Irregular (guerra contra insurgência). Um exemplar do turboélice brasileiro, segundo fontes ligadas a Embraer, já vem sendo testado há cerca de um ano, pela Marinha americana, para provar o conceito de aeronave… Read more »

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    Eu ia comentar o que o Goiano comentou. Vou so acrescentar: Pode estar ocorrendo uma venda casada junto com a Boeing. O ST seria parte da contra-partida na compra do SH F-18. A Embraer não tem muita saída já que depende muito dos aviônicos e dos motores americanos. Nos negócios não tem muito romantismo. A ida do Lula na Argentina não foi so para fazer negócios. O Brasil participa de uma ofenciva junto com os EEUU para isolar o Chaves e também a influência que o Irã está tendo em alguns países da América Latina, Inclusive o presidente do Irã… Read more »

    Robson Br
    Robson Br
    11 anos atrás

    completando…… aquela história dos “super-Tucanos naval”, que inclusive foi comentada por um Almirante da MB, tem tudo para ser verdade….

    Democracia
    Democracia
    11 anos atrás

    Como eu queria que essa imagem não fosse montagem:

    https://1.bp.blogspot.com/_AxCuBauiBF0/SPvJI3OYzHI/AAAAAAAAApo/FqGdTRGKSjg/s1600-h/super+tucano+naval1.jpg

    Viva a República !!!

    Goiano
    Goiano
    11 anos atrás

    Srs., Gostaria de saber se realmente procede a matéria que li há alguns dias. Segue abaixo : 30/03/2009 – 09:07 O super-Tucano genérico Por sergio g Mas os “blue eyes” tb são bons para copiar. Não só para impor sua tecnologia e cultura. Veja este caso: Os EUA estão formando uma força chamada COIN (counter insurgency) baseada em sua esperiência militar no Iraque e Afgan. Pois bem, necessitam de um avião turbohélice, com boa eletrônica embarcada, bem armado, barato e resistente. Existe um no mercado. É o EMB-314 super tucano. Pois bem. Não é que formaram um empresa, contrataram projetista… Read more »