Home Indústria Aeroespacial Silent Eagle: o F-15 stealth

Silent Eagle: o F-15 stealth

1720
301

MSF09-0028

Para quem achava que o F-15 Eagle estava com os dias contados, a Boeing lançou ontem o F-15 Silent Eagle (F-15SE). O Silent Eagle foi projetado especialmente para preencher os requisitos de clientes internacionais. O avião apresenta características stealth, com revestimentos e tratamentos específicos, como novos tanques conformais (CFTs), que permitem o transporte interno de armamento.
Dependendo da missão e o grau de ameaça, o cliente pode usar os CFTs para levar armamento ou combustível. O Silent Eagle poderá levar internamente mísseis AIM-9 e AIM-120, bem como bombas JDAM e SDB.
A nova versão tem as caudas inclinadas para fora, aumentando a eficiência aerodinâmica e sustentação, com menor peso. Um novo sistema de controle de vôo digital foi instalado para melhorar a confiabilidade da aeronave e reduzir o peso da célula.
A melhora na sobrevivência da aeronave é garantida pelo sistema BAES Digital Electronic Warfare System (DEWS), que trabalha em conjunto com o radar AESA Raytheon Advanced Electronic Scanning Array.
A Boeing completou um protótipo conceitual do tanque CFT/carregador interno e planeja o voo de teste no primeiro trimestre de 2010, incluindo um disparo de míssil.
O projeto, desenvolvimento e teste do sistema de transporte interno de armamento estão disponíveis como projeto colaborativo com um sócio internacional.

f-15-silent-eagle-1

FONTE e FOTOS: The Boeing Company

301
Deixe um comentário

avatar
293 Comment threads
8 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
56 Comment authors
EschFNGalantewelingtonMad Dog Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Hornet
Visitante
Hornet

Pois é, tá em tempo ainda…a Boeing não quer trocar o F-18 Super Hornet por esse aí da foto, para concorrer no nosso FX2. Já que ele foi “projetado especialmente para preencher os requisitos de clientes internacionais”…É bem o nosso caso. Somos clientes internacionais. E mais que isso, o FX2 almeja um projeto futuro a ser desenvolvido em parceria, não é? “O projeto, desenvolvimento e teste do sistema de transporte interno de armamento estão disponíveis como projeto colaborativo com um sócio internacional.” Tem a nossa cara este F-15 SE. Foi feito sob medida pra FAB… Muito melhor que o Super… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Pois é, tá em tempo ainda…a Boeing não quer trocar o F-18 Super Hornet por esse aí da foto, para concorrer no nosso FX2. Já que ele foi “projetado especialmente para preencher os requisitos de clientes internacionais”…É bem o nosso caso. Somos clientes internacionais. E mais que isso, o FX2 almeja um projeto futuro a ser desenvolvido em parceria, não é? “O projeto, desenvolvimento e teste do sistema de transporte interno de armamento estão disponíveis como projeto colaborativo com um sócio internacional.” Tem a nossa cara este F-15 SE. Foi feito sob medida pra FAB… Muito melhor que o Super… Read more »

Tiago Jeronimo
Visitante
Tiago Jeronimo

Apesar de ser um fã de carteirinha do F-15 tenh que admitir que apesar dos mísseis serem carregados internamente essa história de “silent” é mais propaganda:

-Apenas 4 AIM-120 podem ser carregados desse jeito.
-A Assinatura apesar de ser reduzida não vai fazer do F-15 stealth
-O design do F-15 com suas imensas entradas de ar de geometria variavel e seu imenso nariz sempre fizeram que o F-15 brilhe como uma arvore de natal nos radares.

É interessante notar o design das novas “caudas” inclinadas como no F-22.

Apesar dos pesares: Fora FX-2! Que venha o FX-3 com o Silent Eagle!

Tiago Jeronimo
Visitante
Tiago Jeronimo

Apesar de ser um fã de carteirinha do F-15 tenh que admitir que apesar dos mísseis serem carregados internamente essa história de “silent” é mais propaganda:

-Apenas 4 AIM-120 podem ser carregados desse jeito.
-A Assinatura apesar de ser reduzida não vai fazer do F-15 stealth
-O design do F-15 com suas imensas entradas de ar de geometria variavel e seu imenso nariz sempre fizeram que o F-15 brilhe como uma arvore de natal nos radares.

É interessante notar o design das novas “caudas” inclinadas como no F-22.

Apesar dos pesares: Fora FX-2! Que venha o FX-3 com o Silent Eagle!

Tiago Jeronimo
Visitante
Tiago Jeronimo

Desculpem o comentário duplo mas Hornet acho que o F-15 não foi oferecido porque apesar de tudo é avançado demais para uma rebubliqueta sul-americana e faria a balança pender demais pro Brasil no cenário sulamericano, pelo menos esse deve ser o que os EUA pensam

Porque apesar de ter sido superado pelo F-22, F-35, Su-35BM, Eurofighter(?) e Rafale(?) esse avião ainda é um dos melhores do mundo e pelo pensamento americano não merecemos tudo isso ainda por cima co transferência de ecnologia.

Uma pergunta que esqueci de fazer no comentário acima, será que ele recebeu cobertura RAM?

Tiago Jeronimo
Visitante
Tiago Jeronimo

Desculpem o comentário duplo mas Hornet acho que o F-15 não foi oferecido porque apesar de tudo é avançado demais para uma rebubliqueta sul-americana e faria a balança pender demais pro Brasil no cenário sulamericano, pelo menos esse deve ser o que os EUA pensam

Porque apesar de ter sido superado pelo F-22, F-35, Su-35BM, Eurofighter(?) e Rafale(?) esse avião ainda é um dos melhores do mundo e pelo pensamento americano não merecemos tudo isso ainda por cima co transferência de ecnologia.

Uma pergunta que esqueci de fazer no comentário acima, será que ele recebeu cobertura RAM?

Hornet
Visitante
Hornet

Como eu sou fã do F-15, já fui fuçar na internet e achei este link com mais fotos do F-15 SE:

http://www.flightglobal.com/airspace/photos/f-15se/default.aspx

se alguém se interessar e quiser ver…

abraços a todos

Hornet
Visitante
Hornet

Como eu sou fã do F-15, já fui fuçar na internet e achei este link com mais fotos do F-15 SE:

http://www.flightglobal.com/airspace/photos/f-15se/default.aspx

se alguém se interessar e quiser ver…

abraços a todos

Hornet
Visitante
Hornet

Tiago Jeronimo,

se for isso, então a Boeing pode esquecer o FX2, porque a “republiqueta sul-americana” quer parceria e não rédeas. E isso está no programa do FX2, é uma de suas condições.

Se os EUA não quiserem, não tem problema, os suécos e os franceses estão loucos de vontade de fazer essa parceria com o Brasil.

Se eu fosse o Jobim/Saito, não pensava duas vezes: quer negociar? são estas as condições. Não quer? então tem quem quer…bye, bye!!!…hehehe

mas apesar dos pesares, como vc bem disse:

“Fora FX-2! Que venha o FX-3 com o Silent Eagle!”…hehehehe

abração

Hornet
Visitante
Hornet

Tiago Jeronimo,

se for isso, então a Boeing pode esquecer o FX2, porque a “republiqueta sul-americana” quer parceria e não rédeas. E isso está no programa do FX2, é uma de suas condições.

Se os EUA não quiserem, não tem problema, os suécos e os franceses estão loucos de vontade de fazer essa parceria com o Brasil.

Se eu fosse o Jobim/Saito, não pensava duas vezes: quer negociar? são estas as condições. Não quer? então tem quem quer…bye, bye!!!…hehehe

mas apesar dos pesares, como vc bem disse:

“Fora FX-2! Que venha o FX-3 com o Silent Eagle!”…hehehehe

abração

Hornet
Visitante
Hornet

Deixando de lado o meu “fanatismo aeronáutico” pelo F-15 (hehe), acho que esta versão do F-15 foi feita pensando em mercados como Japão, Israel, Arábia Saudita, enfim, países que gostariam de ter o F-22, mas não o terão…ao menos não tão cedo. E aí vem aquele problema das “republiquetas” que o Tiago comentou acima…existem várias, para todo tipo e em determinados graus…o que eu acho um problema e um erro de estrátegia dos EUA para com seus aliados, mas enfim… E aí fica a questão: este F-15 será aceito por esses países? O Japão, por exemplo, se contentaria com um… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Deixando de lado o meu “fanatismo aeronáutico” pelo F-15 (hehe), acho que esta versão do F-15 foi feita pensando em mercados como Japão, Israel, Arábia Saudita, enfim, países que gostariam de ter o F-22, mas não o terão…ao menos não tão cedo. E aí vem aquele problema das “republiquetas” que o Tiago comentou acima…existem várias, para todo tipo e em determinados graus…o que eu acho um problema e um erro de estrátegia dos EUA para com seus aliados, mas enfim… E aí fica a questão: este F-15 será aceito por esses países? O Japão, por exemplo, se contentaria com um… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

É bastante interessante, mas não se pode chegar a qualquer conclusão sem dados de técnicos ou de vôo, ou seja, quando fará o 1° vôo ou se já o fez, qual motorização utilizará e quanto este irá melhorar a relação empuxo/peso e se trará alguma performance supercruise ou terá empuxo vetorado, se terá certa capacidade stealth realmente e o quanto haverá de redução em seu RCS frontal pelo menos, o que esta cauda inclinada representará em melhora na performance de manobrilidade, pois ao que parece realmente é um stealth “genérico” ou um paliativo para destinos como Japão e Israel, embora… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

É bastante interessante, mas não se pode chegar a qualquer conclusão sem dados de técnicos ou de vôo, ou seja, quando fará o 1° vôo ou se já o fez, qual motorização utilizará e quanto este irá melhorar a relação empuxo/peso e se trará alguma performance supercruise ou terá empuxo vetorado, se terá certa capacidade stealth realmente e o quanto haverá de redução em seu RCS frontal pelo menos, o que esta cauda inclinada representará em melhora na performance de manobrilidade, pois ao que parece realmente é um stealth “genérico” ou um paliativo para destinos como Japão e Israel, embora… Read more »

Lecen
Visitante
Lecen

Tiago Jeronimo, Você teria provas cabais dessa sua afirmação (aliás, repetida com gosto por muitas pessoas aqui do blog) de que os EUA querem fazer de tudo para que o Brasil não cresça internacionalmente? Por que para mim não passa de anti-americanismo. Hornet, eu acho mais provável que os $2 bilhões oferecidos pelo FX-2 não interessaram a Boeing para apresentar este F-15 como opção. Apenas isto. E também acredito que de maneira nenhuma a Boeing está querendo ter a ousadia de apresentar o F-15 como um caça de quinta geração. Ela quer apenas aumentar a vida útil de um produto… Read more »

Lecen
Visitante
Lecen

Tiago Jeronimo, Você teria provas cabais dessa sua afirmação (aliás, repetida com gosto por muitas pessoas aqui do blog) de que os EUA querem fazer de tudo para que o Brasil não cresça internacionalmente? Por que para mim não passa de anti-americanismo. Hornet, eu acho mais provável que os $2 bilhões oferecidos pelo FX-2 não interessaram a Boeing para apresentar este F-15 como opção. Apenas isto. E também acredito que de maneira nenhuma a Boeing está querendo ter a ousadia de apresentar o F-15 como um caça de quinta geração. Ela quer apenas aumentar a vida útil de um produto… Read more »

Lecen
Visitante
Lecen

Ah, e quem sabe uma parceria nesse projeto não tenha sido oferecida pela Boeing ao Brasil?

Ainda não sabemos os detalhes da proposta da empresa para o FX-2 (óbvio). Talvez tenhamos uma ótima surpresa…

Lecen
Visitante
Lecen

Ah, e quem sabe uma parceria nesse projeto não tenha sido oferecida pela Boeing ao Brasil?

Ainda não sabemos os detalhes da proposta da empresa para o FX-2 (óbvio). Talvez tenhamos uma ótima surpresa…

Sérgio
Visitante
Sérgio

Vou ter que atualizar a maquete, aproveitando que o meu neto danificou a bequilha. MAS… Como disseram anteriormente o custo é alto e tem toda a incognita dos sistemas embarcados, mas fazendo analogias, o F-5 também era sómente para exportação, mas algumas unidades usadas no Vietnã surpreenderam. Tivemos parcerias com a Northtop para fabricação de algumas empenagens – acho que a deriva, mas acho – e é um conceito ainda excelente para aeronave. Para produção em parceria seria um senhor aprendizado, para buscar aquilo que prescisamos – domínio de materiais/estruturas supesônicas, mas se fossemos aplica-las na construção de um projeto… Read more »

Sérgio
Visitante
Sérgio

Vou ter que atualizar a maquete, aproveitando que o meu neto danificou a bequilha. MAS… Como disseram anteriormente o custo é alto e tem toda a incognita dos sistemas embarcados, mas fazendo analogias, o F-5 também era sómente para exportação, mas algumas unidades usadas no Vietnã surpreenderam. Tivemos parcerias com a Northtop para fabricação de algumas empenagens – acho que a deriva, mas acho – e é um conceito ainda excelente para aeronave. Para produção em parceria seria um senhor aprendizado, para buscar aquilo que prescisamos – domínio de materiais/estruturas supesônicas, mas se fossemos aplica-las na construção de um projeto… Read more »

Edmar
Visitante
Edmar

F-15 para o Brasil, quem sabe..?

Edmar
Visitante
Edmar

F-15 para o Brasil, quem sabe..?

Abrivio
Visitante
Abrivio

Lecen,

Sua prova é o que estamos debatendo aqui:

Foi oferecido para o Brasil o F-18, enquanto está sendo preparado para os países aliados o F-15.

Todas as pessoas que não concordam com uma coisa são anti isso ou anti aquilo. Esse é o país dos que dizem sim, quem concordam com tudo.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Lecen,

Sua prova é o que estamos debatendo aqui:

Foi oferecido para o Brasil o F-18, enquanto está sendo preparado para os países aliados o F-15.

Todas as pessoas que não concordam com uma coisa são anti isso ou anti aquilo. Esse é o país dos que dizem sim, quem concordam com tudo.

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Alguns companheiros de blog falam MUITA besteira!

Amigos, porque que essa aeronave não foi apresentada no FX2? SIMPLES: PORQUE NÃO É UM CAÇA MULTIMISSÃO, É UM CAÇA DE SUPERIORIDADE AÉREA!

Ou seja, um caça “dedicado”, no velho estilo da Guerra Fria. Não serve para o que a FAB quer: superioridade aérea, interceptação, ataque ao solo, escolta aérea e terrestre, e vigilância/reconhecimento.

Além do mais é um remendo sobre uma plataforma decrépita, mais antiga ainda que o Super Hornet.

Quanta desinformação pessoal, assim fica difícil discutir com civilidade…

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Alguns companheiros de blog falam MUITA besteira!

Amigos, porque que essa aeronave não foi apresentada no FX2? SIMPLES: PORQUE NÃO É UM CAÇA MULTIMISSÃO, É UM CAÇA DE SUPERIORIDADE AÉREA!

Ou seja, um caça “dedicado”, no velho estilo da Guerra Fria. Não serve para o que a FAB quer: superioridade aérea, interceptação, ataque ao solo, escolta aérea e terrestre, e vigilância/reconhecimento.

Além do mais é um remendo sobre uma plataforma decrépita, mais antiga ainda que o Super Hornet.

Quanta desinformação pessoal, assim fica difícil discutir com civilidade…

Abrivio
Visitante
Abrivio

Na entrevista do carinha da Boeing, ele disse, não fui eu: “devemos superar trinta anos de desconfiança…”.

Os militares brasileiros no geral desconfiam dos americanos, por isso, proporcionalmente a sua importância mundial, as compras de equipamento novo e estratégico americano são pequenas.

A desconfiança cresce com esse anúncio. Novamente, por que ofereceram um equipamento para o Brasil e outro para o Japão, Israel… ?

resposta: porque para eles nosso time é de segunda (ou terceira) divisão.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Na entrevista do carinha da Boeing, ele disse, não fui eu: “devemos superar trinta anos de desconfiança…”.

Os militares brasileiros no geral desconfiam dos americanos, por isso, proporcionalmente a sua importância mundial, as compras de equipamento novo e estratégico americano são pequenas.

A desconfiança cresce com esse anúncio. Novamente, por que ofereceram um equipamento para o Brasil e outro para o Japão, Israel… ?

resposta: porque para eles nosso time é de segunda (ou terceira) divisão.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Felipe,

O Strike Eagle, do qual essa versão foi derivada, é uma aeroanave com capacidade ar-ar e ar-terra.

Site f-15estrikeeagle.com:

“The F-15E Strike Eagle is a dual-role fighter designed to perform air-to-air and air-to-ground missions with air-to-ground attack (especially deep interdiction missions) as its primary function. An array of avionics and electronics systems gives the F-15E the capability to fight at low altitude, day or night, and in inclement weather.”

QUANTA DESINFORMAÇÃO FELIPE, LEIA UM POUCO MAIS ANTES DE POSTAR, POR FAVOR. ASSIM, FICA DIFÍCIL DEBATER COM CIVILIDADE.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Felipe,

O Strike Eagle, do qual essa versão foi derivada, é uma aeroanave com capacidade ar-ar e ar-terra.

Site f-15estrikeeagle.com:

“The F-15E Strike Eagle is a dual-role fighter designed to perform air-to-air and air-to-ground missions with air-to-ground attack (especially deep interdiction missions) as its primary function. An array of avionics and electronics systems gives the F-15E the capability to fight at low altitude, day or night, and in inclement weather.”

QUANTA DESINFORMAÇÃO FELIPE, LEIA UM POUCO MAIS ANTES DE POSTAR, POR FAVOR. ASSIM, FICA DIFÍCIL DEBATER COM CIVILIDADE.

Edmar
Visitante
Edmar

Imaginem…

Um Mix de 24 caças “F-15” sendo 20 monoposto e 4 biposto e 36 caças “F-18” sendo 30 monoposto e 6 biposto.

Acho que ia ser legal.

Edmar
Visitante
Edmar

Imaginem…

Um Mix de 24 caças “F-15” sendo 20 monoposto e 4 biposto e 36 caças “F-18” sendo 30 monoposto e 6 biposto.

Acho que ia ser legal.

Lecen
Visitante
Lecen

Abrivio,

Que “aliados”? O da OTAN? O Japão? Israel? Arábia Saudita?

Você por acaso viu em algum lugar algum comunicado oficial da Boeing afirmando que esta versão do F-15 será vendida somente para Japão, Israel e Arábia Saudita e não para o Brasil por este ser… como você disse? Segunda divisão? Terceira?

Até agora, você apenas especulou e deveria deixar isto claro, ao invés de considerar como uma verdade incontestável.

Lecen
Visitante
Lecen

Abrivio,

Que “aliados”? O da OTAN? O Japão? Israel? Arábia Saudita?

Você por acaso viu em algum lugar algum comunicado oficial da Boeing afirmando que esta versão do F-15 será vendida somente para Japão, Israel e Arábia Saudita e não para o Brasil por este ser… como você disse? Segunda divisão? Terceira?

Até agora, você apenas especulou e deveria deixar isto claro, ao invés de considerar como uma verdade incontestável.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Felipe, É para os aliados Sr Felipe, leia um pouquinho e se informe: Site Areamilitar: “Os Estados Unidos têm sido criticados por vários países por recusarem vender o super sofisticado e secreto caça F-22 «Raptor» a países normalmente considerados aliados, como é o caso da Austrália e do Japão. Estes países, bem assim como a Coreia do Sul, estarão entre os principais alvos da Boeing na promoção do avião, mas a Arábia Saudita e Israel também se apresentam como mercados potenciais para uma aeronave que não será tão restringida em termos de exportações quanto o F-22 «Raptor». Não se espera… Read more »

Abrivio
Visitante
Abrivio

Felipe, É para os aliados Sr Felipe, leia um pouquinho e se informe: Site Areamilitar: “Os Estados Unidos têm sido criticados por vários países por recusarem vender o super sofisticado e secreto caça F-22 «Raptor» a países normalmente considerados aliados, como é o caso da Austrália e do Japão. Estes países, bem assim como a Coreia do Sul, estarão entre os principais alvos da Boeing na promoção do avião, mas a Arábia Saudita e Israel também se apresentam como mercados potenciais para uma aeronave que não será tão restringida em termos de exportações quanto o F-22 «Raptor». Não se espera… Read more »

Mirage
Visitante
Mirage

Caras, quanto eu mais leio os comentários desse blog mas eu gosto do latido do meu cachorro. Quanta bobagem.

F-15 para a FAB?? hehehehe ta falando sério?

Esse avião vai servir para os “estrangeiros” que estão namorando o F-22. E é uma lista considerável.

E eu continuo acreditando salvo aconteça algum milagre na economia, que o F-22 terá vida curta na sua produção, ele é caro até mesmo para os EUA.

Para a FAB seria interessante projetar um F-5 Silent Tiger.

hehehehe

Abraço

Mirage
Visitante
Mirage

Caras, quanto eu mais leio os comentários desse blog mas eu gosto do latido do meu cachorro. Quanta bobagem.

F-15 para a FAB?? hehehehe ta falando sério?

Esse avião vai servir para os “estrangeiros” que estão namorando o F-22. E é uma lista considerável.

E eu continuo acreditando salvo aconteça algum milagre na economia, que o F-22 terá vida curta na sua produção, ele é caro até mesmo para os EUA.

Para a FAB seria interessante projetar um F-5 Silent Tiger.

hehehehe

Abraço

Henrique Sousa
Visitante
Henrique Sousa

Putz, quantas possibilidades neste avião.

Se os russos que nunca operaram um avião stealth conseguiram reduzir o RCS da família Flanker, imaginem o que os norte-americanos, com mais de 20 anos operando este tipo de aeronave, conseguiram neste Eagle.

No site da Boing (vai lá que não é a fonte mais confiável do mundo, como não o são os sites de fabricantes…) diz que internamente seriam carregados tanto armamentos ar-ar como ar-solo.

Henrique Sousa
Visitante
Henrique Sousa

Putz, quantas possibilidades neste avião.

Se os russos que nunca operaram um avião stealth conseguiram reduzir o RCS da família Flanker, imaginem o que os norte-americanos, com mais de 20 anos operando este tipo de aeronave, conseguiram neste Eagle.

No site da Boing (vai lá que não é a fonte mais confiável do mundo, como não o são os sites de fabricantes…) diz que internamente seriam carregados tanto armamentos ar-ar como ar-solo.

Abrivio
Visitante
Abrivio

Fatos conhecidos: 1 – A Boeing não ofereceu o F-15 Silent no FX, apesar do primeiro vôo já ocorrer em 2010. 2 – O Super Hornet, apesar de estar em produção e permanecer em serviço por muitos anos, terá a companhia em breve do F-35 que assumirá a ponta de lança da US Navy. 3 – Vetar um caça e oferecer um caça naval no lugar já foi feito anteriormente pelos EUA, ao vetar o próprio F-15 ao Irã e oferecer o F-14 com restrições. 4 – Nossas restrições já admitidas pela Boeing: parte do código-fonte já foi vetado e… Read more »

Abrivio
Visitante
Abrivio

Fatos conhecidos: 1 – A Boeing não ofereceu o F-15 Silent no FX, apesar do primeiro vôo já ocorrer em 2010. 2 – O Super Hornet, apesar de estar em produção e permanecer em serviço por muitos anos, terá a companhia em breve do F-35 que assumirá a ponta de lança da US Navy. 3 – Vetar um caça e oferecer um caça naval no lugar já foi feito anteriormente pelos EUA, ao vetar o próprio F-15 ao Irã e oferecer o F-14 com restrições. 4 – Nossas restrições já admitidas pela Boeing: parte do código-fonte já foi vetado e… Read more »

Rodrigo Marques
Visitante
Rodrigo Marques

“”O Silent Eagle foi projetado especialmente para preencher os requisitos de clientes internacionais.””

Poderíamos ser um desses clientes,mas existe a exigência de tranferência de tecnologia.Apesar disso, eu proponho 12 desses para o 1º GDA sem vergonha de ser como compra de prateleira! Os outros 24 poderiam ser o SH, com transferência de tecnologia, mesmo que parcial e com o AIM 120 -aquele com o alcance “ruim” de 120KM…rs

Desculpem, sou fã do F-15

Rodrigo Marques
Visitante
Rodrigo Marques

“”O Silent Eagle foi projetado especialmente para preencher os requisitos de clientes internacionais.””

Poderíamos ser um desses clientes,mas existe a exigência de tranferência de tecnologia.Apesar disso, eu proponho 12 desses para o 1º GDA sem vergonha de ser como compra de prateleira! Os outros 24 poderiam ser o SH, com transferência de tecnologia, mesmo que parcial e com o AIM 120 -aquele com o alcance “ruim” de 120KM…rs

Desculpem, sou fã do F-15

klm
Visitante
klm

SENHORES E SO UM RED BULL QUE DERAO NO POBRE DO F 15 ANTES DE IR PRO STAND DO MUSEU .NO MESMO CAMINHO JA TO F 16 JA TAO PASSANDO DO TEMPO ESE SERA O FUTURO DO F 18 NAO SE ANIMEM COM PUCA COISA COM BURACOS NA FUSELAGEM E NOVA COR ETC HAHAHAHAHAHAHAH

hms tireless
Visitante
hms tireless

“Além do mais é um remendo sobre uma plataforma decrépita, mais antiga ainda que o Super Hornet.”

Sinto muito, mas esse comentário me parece que delaguém que nada entende de aviação militar.

hms tireless
Visitante
hms tireless

“Além do mais é um remendo sobre uma plataforma decrépita, mais antiga ainda que o Super Hornet.”

Sinto muito, mas esse comentário me parece que delaguém que nada entende de aviação militar.

Zero Uno
Visitante
Zero Uno

Pessoal. UM OFF-TOPIC IMPORTANTÍSSIMO!!! Defesanet 16 Março 2009 DN 13 Março 2009 Forças Americanas Querem o Super Tucano para missões de Forças Especiais (SoF) Andrew Scutro O novo Escritório de Guerra Irregular da US Navy (Irregular Warfare – IW) avaliou o ágil avião turbohélice brasileiro de observação e ataque, para prover um apoio aéreo aproximado “orgânico” (close air support) para as ações das Forças Especiais. O CENTRO DE GUERRA IRREGULAR (IRREGULAR WARFARE) DA U.S. Navy testou Embraer EMB-314 Super Tucano, apresentado aqui nas cores da Força Aérea da Colômbia para uso em missões de Forças Especiais (MAURICIO DUENAS / AGENCE… Read more »

Zero Uno
Visitante
Zero Uno

Pessoal. UM OFF-TOPIC IMPORTANTÍSSIMO!!! Defesanet 16 Março 2009 DN 13 Março 2009 Forças Americanas Querem o Super Tucano para missões de Forças Especiais (SoF) Andrew Scutro O novo Escritório de Guerra Irregular da US Navy (Irregular Warfare – IW) avaliou o ágil avião turbohélice brasileiro de observação e ataque, para prover um apoio aéreo aproximado “orgânico” (close air support) para as ações das Forças Especiais. O CENTRO DE GUERRA IRREGULAR (IRREGULAR WARFARE) DA U.S. Navy testou Embraer EMB-314 Super Tucano, apresentado aqui nas cores da Força Aérea da Colômbia para uso em missões de Forças Especiais (MAURICIO DUENAS / AGENCE… Read more »

Galante
Visitante
Member
Galante

Zero Uno, já demos essa notícia no Blog do Poder Naval no dia 14.03:

http://www.naval.com.br/blog/?p=6154

Por favor, não vamos desviar o assunto, mantenhamos o debate no escopo da notícia.