segunda-feira, abril 12, 2021

Gripen para o Brasil

Embraer negocia parcerias para seu avião cargueiro

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

c390prontoeamx

Orlando Neto, vice-presidente: “Cargueiro deverá exigir contratação futura de pelo menos 2 mil funcionários diretos”

Jefferson Dias/Valor Online

O novo cargueiro militar da Embraer, o KC-390, será desenvolvido em regime de parcerias estratégicas, a exemplo do que foi feito nos seus programas de jatos comerciais. Em entrevista exclusiva ao Valor, o novo vice presidente da Embraer para o mercado de defesa e governo, Orlando Ferreira Neto, disse que a empresa já conversou diretamente com cerca de 30 países, potenciais parceiros industriais e tecnológicos do projeto.

“No estudo de mercado feito pela Embraer, em conjunto com a Força Aérea Brasileira (FAB), foram identificados 79 países com perfil para se tornarem parceiros de risco na parte industrial e tecnológica do KC-390”, disse Neto. Segundo fontes, vários países da América Latina, a África do Sul e a França estão entre os países aos quais a Embraer já apresentou o conceito e as necessidades da missão especificadas pela FAB para o novo avião.

O KC-390, disse Neto, é uma das apostas da empresa para o momento de crise, que obrigou a companhia a demitir 4,2 mil funcionários. “A nossa área de pesquisa e desenvolvimento foi preservada. Hoje, temos 400 engenheiros dedicados aos negócios de defesa. O novo cargueiro vai gerar uma necessidade de contratação futura de, pelo menos, mais 2 mil funcionários diretos”, afirmou.

Engenheiro aeronáutico pelo ITA, Neto assumiu essa divisão de negócios da Embraer em janeiro. No início de 2007, foi designado diretor de marketing e vendas para Ásia e Pacífico, em Cingagura.

Trata-se de um projeto de sete anos. A Embraer já iniciou com a FAB a fase de estudos preliminares e a busca de parcerias estratégicas. “Temos 12 meses para concluir esses estudos e definir a configuração do avião e mais 12 meses para fazer os detalhamentos iniciais”. O investimento previsto é de cerca de US$ 800 milhões, segundo fontes. A empresa não revela valores. O KC-390, avião de transporte logístico e reabastecimento em voo, vai disputar um mercado de 700 aeronaves, o que representa negócios da ordem de US$ 50 bilhões.

O pontapé inicial do projeto será em abril, com o anúncio da liberação de recursos iniciais de R$ 60 milhões. Segundo o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (Ceconfaer), a assinatura do contrato de desenvolvimento inicial do projeto, entre a fabricante e a FAB, deverá acontecer durante o evento da LAAD (Latin America Aerospace and Defense), a maior feira de segurança e defesa da América Latina, que ocorrerá de 14 a 17 de abril, no Rio. Para a Aeronáutica, o KC-390 tem elevado potencial de exportação e tornar o Brasil grande fabricante nesse segmento.

O plano de desenvolver um novo avião militar, o maior já montado pela Embraer até o momento, segue a mesma filosofia aplicada aos jatos comerciais. “A única diferença, neste caso, é que por se tratar de um programa de governo, os parceiros industriais estarão atrelados aos interesses do Brasil, sem deixar de levar em conta os objetivos comerciais da Embraer”, explicou.

O desenvolvimento de uma nova aeronave por meio de parcerias estratégicas, segundo Neto, traz uma série de vantagens para o fabricante e também para os fornecedores. Entre essas vantagens, o executivo cita o compartilhamento de custos e riscos, a criação de laços de longo prazo entre as indústrias, as forças armadas e os governos de diversos países, além de estabelecer cotas de participação nas vendas.

“Outra característica importante dessas parcerias é que elas propiciam um enriquecimento das especificações técnicas de um avião e a possibilidade de se fazer um produto mais adequado para as necessidades do mercado”. Para o programa do 145 a Embraer contou com a ajuda de quatro empresas parceiras e uma centena de fornecedores. O desenvolvimento dos jatos 170/190 mudou um pouco o conceito de parceria de risco e contou com 16 parceiros de risco e 22 fornecedores. “Nesse programa, o envolvimento e a responsabilidade do parceiro eram mais amplos”.

As dificuldades encontradas pela Embraer no mercado de aviação comercial, aumentou a importância do setor de defesa, que surge como uma alternativa estratégica para a empresa restabelecer forças e superar a crise. “A área de defesa da Embraer cresceu muito nos últimos dois anos e tem hoje uma dimensão bem diferente do que tinha há sete anos, devido a sua expansão mercadológica”, disse.

Até o terceiro trimestre de 2008 a área de defesa representava 8,8% da receita. “Vamos crescer muito mais em 2009 e o KC-390 terá um papel fundamental na expansão dos negócios da Embraer nessa área nos próximos 20 anos”.

Além do cargueiro, a área de defesa da Embraer sobrevive dos programas do avião de treinamento SuperTucano, que tem encomendas importantes da Colômbia, Chile, República Dominicana e da FAB; a modernização da frota de AMX e F-5 da Aeronáutica, o desenvolvimento de três aviões de vigilância aérea para a Índia e a venda de oito aeronaves de transporte de autoridades para governos. Destes, dois são do modelo 190 e serão usados no transporte de autoridades do governo brasileiro. A entrega dessas aeronaves está prevista para os próximos meses.

ARTE: Leonardo Jones <skyway2br@yahoo.com.br>

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Zero Uno

Um alento…

Quem sabe, parte dos 3.270 funcionários demitidos possam voltar para a empresa. Por isso, se deve dar impulso a um programa dessa magnitude. Me parece que agora, com a participação do governo, a EMBRAER possa decolar este avião. Espero que seja um sucesso de vendas para fortalecer ainda mais o setor de defesa da empresa. Isso certamente fará com que empresas nacionais também sejam subcontradadas deste programa gerando empregos e capacitação tecnológica neste ramo. O país precisa crescer nesta área.

joao terba

O congresso tem de aprovar com urgência a matéria para redução da carga tributária aqui no nosso país,sendo assim podemos disputar de igualdade com outros países na venda de equipamentos.um abraço.

Valtinho

Essa foto ficou muito boa!!!

Melk

Olá amigos, gostaria de fazer apenas uma observação, creio que seria muito melhor se a capacidade de carga do EMB 390 ficasse um pouco acima do C-130 Hercules, ou quando muito com a mesma capacidade de carga, acho pouco “apenas´´ 19 toneladas…

Saulo

axo q isso é uma montagm…. rs..
Finalmente o c390 vai sair do computador!

Virtualxi

Vem aí mais um sucesso de vendas da Embraer. Só que deveriam ter colocado um SU-35 reabastecendo, no lugar do nanico AMX.

Virtualxi

E detalhe…. na montagem é só impressão doida ou tem um Exocet no nanico AMX

Virtualxi

Agora parece mais o míssil anti radiação mesmo… hehehe

gaspar

sera que a Embraer/FAB pensaram numa versao com canhoes nas laterais ???

Dalton

Virtual…

É uma bomba ” paveway ” guiada a laser.

sds

Almeida

Como o design tem evoluído! Estou impressionado! Agora ele já não lembra em nada o E-190 do qual foi baseado.

Paulo Renato

Esperamos que saia a parceria com o governo Brasileiro, assim poderemos levantar a Embraer mas ainda e dar de volta os funcionários que foram demitidos, e essencial que os impostos sejam reduzidos para poder dá uma forma maior a empresa. Com certeza estaremos no topo da vendas com esse projeto do C390. O prejudica tudo é a burrocracia que demora em fechar logo o negócio. Ainda vai demorar uns 2 naos pelo menos para poder colcoar oo primeiro protótipo na pista, esse é o grande problema. Temmos condições de desenvolver outros projetos que poderiam dar muito sucesso, que seria um… Read more »

Capitao

Respondendo para os leigos: É uma montagem. O míssel é o anti radiação e não um exocet. A bomba guiada é brasileira. O caça é brasileiro. 19 toneladas é coisa pra caramba. Foram demitidos mais de 4000 funcionários e não 3270.
Um desses ” Spectre ” vai ser caro demais, um luxo só para americano.
Se informem melhor…
Fui

Hornet

A Colombia já se mostrou interessada no C-390. Mais que isso, está estudando junto ao MD do Brasil um meio de entrar como parceira no projeto. Ao meu ver, isso é muito bom.

abraços a todos

Zero Uno

Dalton….

Acho que é o Míssil MAR-1 (ANTI-RADIAÇÃO)…

Será que não?

João

BOMBA……………………

ACABA DE SER ANUNCIADO PELO PORTA-VOZ DA FAB A MODERNIZAÇÃO DOS MIRAGE III QUE ESTAVAM ESTOCADOS E A MODERNIZAÇÃO DOS MIRAGE F-2000.
OS AVIÕNICOS SERÃO OS QUE FORAM USADOS NO F-5M.

Jacubão

Acho que a EMBRAER já deveria estar projetando para o futuro, uma versão mais alongada do 390, que poderia ser um concorrente “direto” do futuro cargueiro japonês.

Sonho meu, soho meu…

Jacubão

Hiiiii… Foi mal galera.
Sonhei tanto que acabei escrevendo soho.

Desculpa.

RL

Até que se prove o contrario, para mim aquele artefacto que esta no pilone da asa esquerda do A-1 é o dito cujo, Míssil MAR-1 (ANTI-RADIAÇÃO).

Ulisses

Galera,também tem um Paveway no AMX.

E depois dizem que a FAB não tem…

Baschera

Senhores,
Em nota hoje divulgada o CECONSAER, da FAB,o Brigadeiro-do-Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez divulga que o contrato da fase inicial do projeto do C-390 deverá ser assinado durante a LAAD 2009.

Sds.

Leonardo J

Pessoal, a arte virtual é minha. Fiz final do ano passado para o Fórum Defesa Brasil. É o C-390 com o desenho atualizado e acompanhado por um A-1 armado com um MAA-1 Piranha, um MAR-1 e uma bomba com kit Lizzard. As armas nos pilones do A-1, bomba e mísseis tambem são artes minhas, logo não refletem as reais capacidades assumidas oficialmente pela FAB.

Muito obrigado pelos elogios em relação a qualidade da arte, me tomou muito tempo e trabalho, e é sempre bom ter esse esforço reconhecido.

Um abraço a todos.

Baschera

Desculpem, onde se lê “divulga” leia-se “confirma”….
Sds.

Roberto CR

“A única diferença, neste caso, é que por se tratar de um programa de governo…”

Desde quando o projeto virou programa DE governo?

Roberto CR

Pois é rapaz. Na base do Ctrl + deu pra ver que era uma Paveway, um Piranha e mais outro. Não tá muito carregado o AMX?

Wilson Johann

As notícias na área de defesa tem sidos boas. Temos que comemorar. Há muitos anos atrás, quando muitos dos leitores desse blog nem eram nascidos, creio que na década de 70, a Embraer divulgou o desenho/projeto de um avião de transporte, que não evoluiu. Esse C-390, pelo contrário, parece que vai mesmo. Se for tudo o que estamos vendo, será o melhor transporte/cargueiro da sua classe no mundo, como os E-Jets, e vai levar nossa indústria aeronáutica a novos patamares de desenvolvimento. Mercado garantido e muitas vendas. Basta ver o interesse de muitos países no projeto, como Colômbia, Chile, Argentina,… Read more »

Felipe

O projeto me parece ótimo, e ainda trazendo a vantagem de trazer novas parcerias…

Fora que já estava na hora deles pensarem em substituir os velhos C-130.

Valeu, abraços!

Baschera

Atenção, “A cobra vai fumar??? ”
Prezados,
(Possível matéria para o Blog…. Nunão, Galante…)

A Us Navy está estudando a possibilidade de comprar Super Tucanos EMB 314 para sua força de operações especiais, dentro do programa chamado “Imminent Fury” (furia iminente).
Segundo o capitão Marcos Mullins que é o diretor adjunto da US Navy para a guerra irregular, o ST é uma “fascinante máquina”.
Seria uma espécie de A-29N (Naval)….
Mais detalhes em…..

http://www.defensenews.com/story.php?i=3989450&c=AME&s=AIR

Sds.

Clêuber

Acho que o c-390 deveria ser oferecido como avião de transporte militar padrão para os países membros do Conselho de Defesa Sulamericano!Isso garantiria para a embraer, caso fosse aceito pelos menbros do Conselho de Defesa Sulamericano boas encomendas do C-390!Mas o Brasil necessita primeiro fazer sua pate!Espero que esse projeto sai o quanto antes do papel.
Valeu!

Rodrigo

Johann, interessante essa informação. Você tem mais detalhes sobre esse projeto?

Camilo

“Há muitos anos atrás, quando muitos dos leitores desse blog nem eram nascidos, creio que na década de 70, a Embraer divulgou o desenho/projeto de um avião de transporte, que não evoluiu.”

Vc deve estar se referindo ao Amazonas (pelo menos esse foi o nome que circulou na época), um quadrimotor turbohélice. Se a memória não falha seria o EMB-500.

Patriota

vem ai mais um sucesso da embraer se Deus quiser em breve na FAB.
os colombianos ja demonstraram interesse em participar do projeto
e adquirir algumas unidades alguem ai sabem de mais um possivel comprador?

Dalton

Zero…

Nao havia ampliado a foto antes de postar portanto so enxerguei a paveway no pilone ventral, mas no pilone subalar parece mesmo o missil anti-radiaçao sim.

abraços

Leonardo J

Gente, eu já esclareci…

É um MAA-1 Piranha no trilho, um MAR-1 no pilone externo da asa e uma MK-82 com kit Lizzard no pilone central. Não é Paveway.
Eu que fiz a arte gráfica, eu que desenhei os armamentos e o C-390.

Um abraço!

Melk

Baschera e amigos do Blog, realmente esta lá no site Defensenews a noticia sobre um projeto da Naval Air Systems Command e da Marinha americana, para a utilização do Super Tucano em guerra irregular, agora cá pra nós, os americanos são craques em fazer negocios ein, justamente neste exato momento de definição do FX2, “sai´´ ou melhor “vaza´´ uma noticia destas, sem contar que hoje o Presidente Lula esta “lá´´, que coicidencia ein…rsss, rapazz..

ANDRÉ

Finalmente o governo investiu em tecnologia aérea com e esse avião kc 390 com tecnologia totalmente nacional o BRASIL passa os eua tecnologia para aviçoes cargueiros de guerra o BRASIL se torna agora um dos principais paises a fabricar aviões altamente tecnologicos desse tipo parabéns a embraer e a FORÇA AEREA BRASILEIRA!!!!!!!!

JONATAN

COM ESSE CARGUEIRO A
BFORÇA AÉREA BRASILEIRA
evolui muito parabéns!!!!!!!!!!!!!!

RODRIGO

PARABENS A
FORÇA AEREA BRASILEIRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Zero Uno

Um alento…

Quem sabe, parte dos 3.270 funcionários demitidos possam voltar para a empresa. Por isso, se deve dar impulso a um programa dessa magnitude. Me parece que agora, com a participação do governo, a EMBRAER possa decolar este avião. Espero que seja um sucesso de vendas para fortalecer ainda mais o setor de defesa da empresa. Isso certamente fará com que empresas nacionais também sejam subcontradadas deste programa gerando empregos e capacitação tecnológica neste ramo. O país precisa crescer nesta área.

joao terba

O congresso tem de aprovar com urgência a matéria para redução da carga tributária aqui no nosso país,sendo assim podemos disputar de igualdade com outros países na venda de equipamentos.um abraço.

Valtinho

Essa foto ficou muito boa!!!

Melk

Olá amigos, gostaria de fazer apenas uma observação, creio que seria muito melhor se a capacidade de carga do EMB 390 ficasse um pouco acima do C-130 Hercules, ou quando muito com a mesma capacidade de carga, acho pouco “apenas´´ 19 toneladas…

Saulo

axo q isso é uma montagm…. rs..
Finalmente o c390 vai sair do computador!

Virtualxi

Vem aí mais um sucesso de vendas da Embraer. Só que deveriam ter colocado um SU-35 reabastecendo, no lugar do nanico AMX.

Virtualxi

E detalhe…. na montagem é só impressão doida ou tem um Exocet no nanico AMX

Virtualxi

Agora parece mais o míssil anti radiação mesmo… hehehe

gaspar

sera que a Embraer/FAB pensaram numa versao com canhoes nas laterais ???

Dalton

Virtual…

É uma bomba ” paveway ” guiada a laser.

sds

Almeida

Como o design tem evoluído! Estou impressionado! Agora ele já não lembra em nada o E-190 do qual foi baseado.

Paulo Renato

Esperamos que saia a parceria com o governo Brasileiro, assim poderemos levantar a Embraer mas ainda e dar de volta os funcionários que foram demitidos, e essencial que os impostos sejam reduzidos para poder dá uma forma maior a empresa. Com certeza estaremos no topo da vendas com esse projeto do C390. O prejudica tudo é a burrocracia que demora em fechar logo o negócio. Ainda vai demorar uns 2 naos pelo menos para poder colcoar oo primeiro protótipo na pista, esse é o grande problema. Temmos condições de desenvolver outros projetos que poderiam dar muito sucesso, que seria um… Read more »

Combates Aéreos

VÍDEO: Curvas de alto desempenho em combates aéreos

Este vídeo, o segundo da série, apresenta os aspectos aerodinâmicos para a realização de curvas em combates aéreos. Diferentemente...
- Advertisement -
- Advertisement -