quinta-feira, maio 13, 2021

Gripen para o Brasil

Array

Caças bizarros que quase vingaram parte 4

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

saunders-roe-sr-a1-foto-barriga

Saunders-Roe SR.A/1: o baiacu a jato

Novamente o apelido de um caça desta bizarra série do Blog do Poder Aéreo é uma licença poética deste autor. Mas, convenhamos, as fotos não desmentem a semelhança com o dito peixe, e se levarmos em conta que o novo integrante da série é um hidroavião, não devem restar dúvidas de que o britânico jato e o simpático baiacu nadavam pro mesmo lado em design.

saunders-roe-sr-a1-foto-decolagem

A idéia surgiu em 1943, ditada pelas necessidades do teatro de operações do Pacífico na II Guerra Mundial, e a princípio não era ruim: unir as vantagens da velocidade que poderia ser obtida com os novos motores a jato com a capacidade dos hidroaviões de não dependerem de pistas em terra, produzindo um hidroavião de caça que superasse qualquer inimigo de motor a pistão.  Ruim foi o “timing”.

O contrato para três protótipos com as especificações talhadas para a proposta da Saunders-Roe até que não demorou muito, sendo assinado em maio de 1944, quando o destino da Guerra no Pacífico ainda parecia bem longe de ser definido (o caminho da vitória sobre os japoneses estava traçado, mas imaginava-se que o final chegaria bem depois do que efetivamente chegou). A guerra acabou antes que o primeiro dos protótipos voasse, isso numa época em que o desenvolvimento de aeronaves se media em meses, dadas as circunstâncias, e não em anos. Quando o protótipo número 1 voou, em julho de 1947, o caça que poderia ter vingado dois anos antes já estava ultrapassado pela história, pela geopolítica e pelo próprio desenvolvimento aeronáutico.

saunders-roe-sr-a1-foto-colorida

Não obstante, os outros dois protótipos foram construídos e voaram, em abril e agosto de 1948, com motores cada vez mais potentes para melhorar o desempenho do “gordo” jato (começando com 2 turbojatos Metropolitan Vickers F2/4 Beryl de 1.465 kgp no primeiro exemplar e chegando a 1.746 kgp no terceiro). A velocidade máxima de 824 km/h, que seria competitiva anos antes, já era amplamente superada às vésperas dos anos 50. Se bem que, olhando suas asas retas e grossas de 14,04 m de envergadura e a fuselagem “gorda” com 15,24 m de comprimento, que acomodava 4 canhões de 20mm no nariz, é até surpreendente que atingisse esse desempenho.

saunders-roe-sr-a1-3-vistas

Mas o fato é que simplesmente não restava mais, na época em que voaram os protótipos, nenhum requerimento operacional para um hidroavião de caça, e nem mesmo uma retomada do interesse por parte dos britânicos pelo tipo, durante a guerra da Coréia, impediu que o projeto fosse abandonado em 1951. Curiosamente, o mesmo ano em que um outro hidroavião a jato era encomendado do outro lado do Atlântico, pela US Navy. Um projeto muito mais gracioso do que o desajeitado baiacu britânico, e que também foi fadado ao fracasso por não ter necessidades operacionais que o justificassem (dizem que seu desenvolvimento foi motivado mais por “ciúme” da US Navy em relação à USAF). Trata-se do Convair FY-1 Sea Dart, que já foi objeto de artigo na versão anterior do Blog do Poder Naval, que você pode acessar clicando aqui.

Para ver o artigo o anterior desta série, clique aqui.

- Advertisement -

24 Comments

Subscribe
Notify of
guest
24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vassily Zaitsev

Feio que dói esse SR/A-1. Como “menos feio”, fico com o Convair Sea Dart, que parece um Mirage III com dois motores.

Democracia

Ele me lembrou o grumman goose, e familia, de patrulha.

Viva a República!!!

Gabriel

perdoem o comentário mais alguem sabe quando deverão ser entregues
os novos helicopteros russos adquiridos pela FAB?

Democracia

Gabriel,

Os novos helicópteros mil mi-35 deverão chegar por volta de 2011 e 2012,segundo a revista ASAS.

Viva a República!!!

Luciano Baqueiro

Olá Nunão,

boa lembrança, mas ao analisar esta ave rara no quesito ‘cinturinha’, me veio a mente uma pergunta : onde vc buscou inspiração p/ esta escolha, seria vossa pessoa torcedora de um certo time paulista que contratou um certo jogador que se identifica tanto c/ o futebol que a própria cintura é igual a da bola ? Me explique que “Fenômeno” é este ???

Luciano Baqueiro

Se me permitem, p/ os que não conhecem, gostaria de sugerir um video c/ um anfíbio a jato muito mais gracioso :

http://www.youtube.com/watch?v=QowTqmxYZ1Q

ViniciusModolo

Convenhamos…os britânicos sabem fazer esses aviões “exóticos”…

Nunão

Luciano, Não torço para o time que vc imaginou não, hehe… E, apesar do apelido meio portuga, também não sou torcedor da Lusa. A inspiração desse post também não veio do desacinturado jogador (apesar de que o baiacu aí em cima até que tem uma cinturinha sim, no “degrau” do casco…). De qualquer forma, o fenômeno já me inspirou um dia desses, mas foi num outro post, num outro blog: http://www.naval.com.br/blog/?p=2217 Mas enfim, como baiacu é peixe, fica a dica pra vc descobrir pra que time eu (e alguns outros editores muito boa gente dos blogs) torço. Saudações! PS- notei… Read more »

Excel

“Baiacu a jato” Nome perfeito. Não poderia imaginar outro nome melhor do que isso.
Aliás, em design de avião a jato os ingleses são de extremo mau gosto, é só checar todos os aviões a jato que eles tem criado até hoje para se ter uma idéia.

Luciano Baqueiro

Nunão, tenho muito respeito pela história do seu time, só não sei porque ninguém conta p/ torcida que baleia ( mascote ) não é peixe, é mamífero, rs, rs. Como sou sãopaulino, que tal um amistoso ( detesto essa coisa absurda que é a violência e troca de insultos entre torcidas no que deveria ser apenas e tão somente uma diversão ), lembra do meu último desafio que fiz no último post da saga dos Caças Bizarros, continua sem resposta. Relembrando : – Qual a relação entre : . O filme ‘E o vento levou’ – um dos maiores sucessos… Read more »

Vassily Zaitsev

Se o Nunão morar em Santos, nem precisa perguntar qur time ele torce. Se consequi adivinhar, beleza; caso contrario, seria aquele que nada, nada, e morre na praia afogado?

abraços.

Obs: o Campeonato Paulista vem ai e ja fiz meu pedido aos jogadores do MELHOR TIME DO PLANETA: O SÃO PAULO. Que os zagueiros literalmente quebrem a canela do Fenomeno, para que o time dos favelados encerre o ano na pindura. E, de preferencia, na SEGUNDA novamente.

trackback

[…] a filosofia da série do Nunão sobre aviões de caça bizarros, apresentamos desta vez um avião militar que não é […]

Vassily Zaitsev

Feio que dói esse SR/A-1. Como “menos feio”, fico com o Convair Sea Dart, que parece um Mirage III com dois motores.

Democracia

Ele me lembrou o grumman goose, e familia, de patrulha.

Viva a República!!!

Gabriel

perdoem o comentário mais alguem sabe quando deverão ser entregues
os novos helicopteros russos adquiridos pela FAB?

Democracia

Gabriel,

Os novos helicópteros mil mi-35 deverão chegar por volta de 2011 e 2012,segundo a revista ASAS.

Viva a República!!!

Luciano Baqueiro

Olá Nunão,

boa lembrança, mas ao analisar esta ave rara no quesito ‘cinturinha’, me veio a mente uma pergunta : onde vc buscou inspiração p/ esta escolha, seria vossa pessoa torcedora de um certo time paulista que contratou um certo jogador que se identifica tanto c/ o futebol que a própria cintura é igual a da bola ? Me explique que “Fenômeno” é este ???

Luciano Baqueiro

Se me permitem, p/ os que não conhecem, gostaria de sugerir um video c/ um anfíbio a jato muito mais gracioso :

http://www.youtube.com/watch?v=QowTqmxYZ1Q

ViniciusModolo

Convenhamos…os britânicos sabem fazer esses aviões “exóticos”…

Nunão

Luciano, Não torço para o time que vc imaginou não, hehe… E, apesar do apelido meio portuga, também não sou torcedor da Lusa. A inspiração desse post também não veio do desacinturado jogador (apesar de que o baiacu aí em cima até que tem uma cinturinha sim, no “degrau” do casco…). De qualquer forma, o fenômeno já me inspirou um dia desses, mas foi num outro post, num outro blog: http://www.naval.com.br/blog/?p=2217 Mas enfim, como baiacu é peixe, fica a dica pra vc descobrir pra que time eu (e alguns outros editores muito boa gente dos blogs) torço. Saudações! PS- notei… Read more »

Excel

“Baiacu a jato” Nome perfeito. Não poderia imaginar outro nome melhor do que isso.
Aliás, em design de avião a jato os ingleses são de extremo mau gosto, é só checar todos os aviões a jato que eles tem criado até hoje para se ter uma idéia.

Luciano Baqueiro

Nunão, tenho muito respeito pela história do seu time, só não sei porque ninguém conta p/ torcida que baleia ( mascote ) não é peixe, é mamífero, rs, rs. Como sou sãopaulino, que tal um amistoso ( detesto essa coisa absurda que é a violência e troca de insultos entre torcidas no que deveria ser apenas e tão somente uma diversão ), lembra do meu último desafio que fiz no último post da saga dos Caças Bizarros, continua sem resposta. Relembrando : – Qual a relação entre : . O filme ‘E o vento levou’ – um dos maiores sucessos… Read more »

Vassily Zaitsev

Se o Nunão morar em Santos, nem precisa perguntar qur time ele torce. Se consequi adivinhar, beleza; caso contrario, seria aquele que nada, nada, e morre na praia afogado?

abraços.

Obs: o Campeonato Paulista vem ai e ja fiz meu pedido aos jogadores do MELHOR TIME DO PLANETA: O SÃO PAULO. Que os zagueiros literalmente quebrem a canela do Fenomeno, para que o time dos favelados encerre o ano na pindura. E, de preferencia, na SEGUNDA novamente.

trackback

[…] a filosofia da série do Nunão sobre aviões de caça bizarros, apresentamos desta vez um avião militar que não é […]

Reportagens especiais

Show de Warbirds no Cavanaugh Flight Museum

O Cavanaugh Flight Museum, que fica em Dallas no Texas, volta e meia realiza eventos especiais com Warbirds, para fotografias...
- Advertisement -
- Advertisement -