domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

Array

General japonês é demitido por texto sobre 2a Guerra

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

TÓQUIO (Reuters) – O Ministério da Defesa do Japão anunciou nesta sexta-feira que vai demitir o comandante da Força Aérea do país por ele ter dito que o Japão foi uma vítima dos Estados Unidos na 2a Guerra Mundial, e não um agressor de países asiáticos durante o conflito.

O texto do general Toshio Tamogami, publicado em uma página da Internet, pode provocar ira na China e na Coréia do Sul, onde as memórias da guerra e da colonização japonesa ainda são profundas.

“Eu acredito que é impróprio que o chefe da força aérea demonstre uma visão claramente diferente da visão do governo”, disse o ministro da Defesa, Yasukazu Hamada, a jornalistas. “Por essa razão, é inapropriado para ele se manter em sua posição e eu vou demití-lo”, acrescentou.

Em 1995, o Japão expressou seu remorso pelos atos de guerra, e voltou a se desculpar novamente uma década depois.

Uma reportagem da agência de notícias japonesa Kyodo citou o primeiro-ministro do país, Taro Aso, dizendo que o texto, no qual o general nega que o Japão tenha sido o agressor da China, foi inapropriado.

Impasses pela história da guerra geralmente estremecem as relações entre Pequim e Seul, embora a relação com a China tenha se estreitado nos últimos dois anos de ambos lados por conta da prioridade de aprofundar o comércio e o investimento.

“Mesmo agora, há muitas pessoas que pensam que as agressões do nosso país causaram um sofrimento intolerável para os países da Ásia durante a Guerra da Ásia Oriental”, escreveu Tamogami no texto, publicado em inglês e japonês.

“No entanto, nós precisamos reconhecer que muitos países asiáticos adotaram uma visão positiva da Guerra da Ásia. Isto é certamente uma acusação falsa para dizer que nosso país foi um agressor”, disse ele.

Tamogami disse ainda no texto que as ações militares do Japão na China foram baseadas em um tratado, e que a colonização japonesa na península sul-coreana de 1910 a 1945 “foi próspera e segura”.

Tamogami também rejeitou o veredicto de um tribunal aliado que condenou os líderes militares do Japão por crimes de guerra, após a derrota de Tóquio em 1945.

Visões semelhantes são compartilhadas por alguns estudiosos e políticos japoneses de direita. Mas governos japoneses sucessivos, incluindo o de Aso, tem defendido um marco de desculpas para as pessoas, principalmente na Ásia, que sofreram sob as regras de colonização do Japão.(Reportagem de Linda Sieg)

FONTE: Reuters Brasil

- Advertisement -

126 Comments

Subscribe
Notify of
guest
126 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hornet

Poxa! João,

eu ia falar alguma coisa sobre o General japonês e vc posta essa boa notícia. Deixemos o General nipônico para uma outra oportunidade….rs.rs.rs.

Acho que vou dar uma pesquisada na net também pra ver se tem mais notícias sobre o PND…

um forte abraço

Paulo Costa

Infelizmente somente me lembro de algo positivo do Japão
na Segunda Guerra,militarmente inovaram em algumas areas,
foi que quando sairam da Indonesia,deixaram
bastante armamento para os habitantes,e estes fizeram um levante
contra a Holanda,que na epoca dominava a area,então a
America avisou que se a Holanda insistisse na guerra de
ocupação,não teria acesso ao Plano Marshall para a Europa,
então a Indonesia surgiu como nação livre…

Vassily Zaitsev

O General lá dos confins do juda colocou seu ponto de vista na Internet e, olha no que deu: levou um pé no Ás de copa; foi direto para a rua.

Vamos instalar essa mesma política no trio Naval, Aéreo e Terrestre????????????????? em uma semana, o Galante, desiludido, fecha tudo e vai bater às portas da Transpetro pedindo emprego, KKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!

De vez em quando aparece cada comentário que serve para dar muitas gargalhadas.

Hornet

Boa Vassily!

apoiado.

Só não sei se o Galante vai gostar da idéia…hehehehe

abraços

Herik

Concordo com o general nipônico. Primeiro, essa história de “moçinho e vilão” é apenas o ponto de vista das nações vitoriosas. Não houve bem ou mal e sim interesses políticos e econômicos. E muitos desses correspondiam, naquele momento, ao de outros países orientais, como próprio general afirmou. Segundo, esse nacionalismo exacerbado do pós-guerra deriva-se da propaganda que as ex-colônias fizeram para legitimar o próprio regime, condenando o imperialismo e, logicamente, a colonização. Fato semelhante ocorreu no início do Brasil República, quando o governo promoveu uma propaganda muito forte contra o regime anterior, a Monarquia, com medo de que essa voltasse.… Read more »

Henrique

Herik,

seu comentário faz sentido, já quem ganha a guerra conta a história. No caso do Japão que perdeu, fica do lado do mau.

Virtual XI

Os Japoneses atacaram a base naval de Pearl Harbor, ou seja, atacaram um território dos EUA com sua força aérea matando soldados e civis e, como disse o general, “o Japão foi uma vítima dos EUA”. Os Japoneses mataram centenas, milhares, nunca se saberá ao certo, de chineses quando da ocupação deste país e, mataram centenas e milhares de pessoas nas ilhas invadidas no pacífico e, como disse o general “o Japão foi uma vítima dos EUA”. Agiu certo o Japão como nação na voz de seu Ministério da Defesa. Parabéns e nada mais certo que o “Olho da Rua”… Read more »

Corsario-DF

Só para lembrar aos senhores que em guerra, do outro lado está o inimigo. Tudo bem que o japão e alemanha mataram milhões de pessoas, provocando um Holocausto no mundo todo, mas estavam em guerra. Diferentemente de Stalin e Mao Tsé Tung que aniquilaram a maior parte do seu povo, em tempo de PAZ… E não é só os Alemães e Japoneses e que mataram civil não!!! Só lembrar Hiroshima e Nagasaki, duas cidades varridas do mapa, pelo bondoso e pacificador Tio Sam. O Herik e o Henrique fizeram comentários corretos, pois a verdade possui três lados, o meu, o… Read more »

Herik

Olá Virtual XI, O que você disse é fato, mas é fato também que os americanos premeditavam o ataque Japonês. Um pouco antes, os EUA retiraram todos os oficiais de alta patente, como também as frotas mais importantes de Pearl Habor. Era evidente que a presença americana no pacífico seria um entrave para as pretensões coloniais Japonesas. Eles não sabiam quando, mas sabiam que um ataque era certo. Veja bem, os chineses foram alvos do imperialismo Japonês, como os japoneses dos EUA na era meiji, e os americanos dos ingleses. E todos, sem exceção, se tornaram imperialistas. E dentro dos… Read more »

Excel

Concordo com aqueles que defendem a ideia de que a historia tem versoes diferentes, mas concordar com a hipocrisia desse japones sem-vergonha que posa de vitima por que nao consegue aceitar a realidade de suas acoes, com isso nao consigo concordar. Esse japa e outros de seus “colegas” do execito japones eram daqueles que gritavam “Banzai” durante a segunda guerra mundial e repetiam como um mantra religioso a tal da historia do imperio de mil anos dos japoneses. Cade o altruismo dessas acoes? Esse tipo de atitude demonstra aquilo que os coreanos classificam como complexo de inferioridade dos japoneses. Ate… Read more »

André de POA

Caros Herik e Henrique, concordo que os vencedores fazem a história, mas não tem como negar que eles fizeram atrocidades tremendas e algumas delas até piores que os alemães e seus campos de concentração.
Apenas como um de varios exemplos os amarelos eram lideres disparados no domínio da guerra bacteriológica com farto uso de cobaias humanas e até cidades inteiras para aprofundar seu conhecimento. Enquanto os ingleses contaminavam ovelhas numa ilha secreta e distante para ver o que acontecia os Japoneses já faziam a vivissecção em chineses para ver o que acontecia “por dentro” com os ditos cujos ainda agonizantes.

Alte Makarov

É o que dá professores de história comunistas nas nossas escolas… NENHUMA NAÇÃO É INOCENTE. Dito isto, muitos analistas de RI concordam que o Japão só poderá normalizar suas relações com seus vizinhos quando fizer as pazes com sua história e admitir seu papel na Segunda Guerra. Japão e Alemanha desencadearam guerras de CONQUISTA SEM PRECEDENTES na história da humanidade. Não venham comparar com a corrida colonial do imperialismo tardio do século XIX! OS líderes japoneses já viam a guerra com os E.U.A. chegando DÉCADAS ANTES DE PEARL HARBOR, e entraram na luta com os olhos abertos e acreditando que,… Read more »

Masa

Devemos lembrar que os EUA e a Espanha quase acabaram com os indíos na America e todos, inclusive o Brasil, tratavam os negros como animais e ninguém achava errado naquela época. Todos nós sabemos que nem sempre o que é inaceitável hoje era no passado, certo? Senhores, os valores mudam com o tempo, devemos olhar o passado com a ótica dos valores daquela época, devemos também lembrar que nem todos os valores morais são iguais em todos os paises, por exemplo: até hoje certos paises mulçumanos, a mulher é considerando um ser humano inferior ao homem. É claro que hoje… Read more »

André de POA

Comentário corretíssimo caro Alte Makarov.

Ulisses

A unica coisa que eu acho injusto é os EUA terem jogado aquelas bombas atomicas pelo seguintes motivos: 1-Os EUA até hoje usam a desculpa de que jogaram as bombas para “acabarem com a guerra mais cedo”.Isso é uma mentira porque uma hora ou outra os japoneses iam se render.com uma FFAA totalmente destruída e desestruturada acha que eles iriam ter como reagir,ah para com isso! 2-Além de matar milhares de inocentes,isso provocou danos gravíssimos a atmosfera,e a radiação mata algumas pessoas até hoje! 3-E a ONU,recentemente criada na época,o que fez,NADA!Não considerou crime de guerra.Os nazistas mataram 6 milhões… Read more »

LeoPaiva

Penso que devemos sempre analisar a história de forma imparcial, coisa muito difícil para esse militar japonês, negar as atrocidades cometidas ou tentar justificá-la com motivos fracos é uma prática facilmente detectável. Olhando um pouco para o nosso umbigo, após a guerra do Paraguai era difícil achar uma criança do sexo masculino maior que 14 anos lá no Paraguai, foram exterminados por nós e pelos nossos hermanos, mas, nós é que contamos a história da guerra e os motivos torpes que nos levaram a ela ficam meio escondidos entre estórias de heroísmo. O general japonês deveria, assim como nós também,… Read more »

Alte Makarov

Errado, camarada Ulisses. E vou expor o porque: Por traz do bombardeio das cidades japonesas havia um calculo racional de estrategia militar, decisao politica e relacoes internacionais. O parque industrial japones nao era densamente concentrado em uma area geografica detertminada. Nestas cidades existiam pulverizados varias oficinas de pequeno e medio porte, que contribuiam para o esforco de guerra japones; do qual a populacao civil É E SEMPRE SERÁ PARTE INTEGRANTE, nessa era de guerra industrial de massa. Havia ainda a necessidade de convencer o governo japones da futilidade de resistencia, que os japoneses haviam demonstrado ao recusar uma proposta de… Read more »

Marine

Alte. Makarov,

Excelente analise! Os leigos sempre sao os primeiros a condenar sem terem nocao das coisas…So gostaria que pudessem ler em detalhe sobre a “Operation Downfall” e dissesem se essa seria a melhor opcao entao.

sds.

Hornet

Eu ia postar alguma coisa sobre esta matéria, quando o assunto do PND veio á tona…depois acabei até esquecendo de falar do general japonês… Eu penso assim: todo ato histórico pode ser justificado e explicado. O fato de, por exemplo, Hitler ter criado sua máquina de assassinato em massa pode ser explicado em termos históricos. As duas guerras mundias, de um modo geral, podem ser, já foram e continuam sendo muito bem explicadas em termos históricos. Mas explicar e compreender não significa justificar tais coisas. Cito aqui um trechinho do professor Eric J. Hobsbawn, um dos maiores e mais respeitados… Read more »

Ulisses

mesmo assim acho errado aquela atitude.

Iuri Korolev

1) A decisão de ataque a Pearl Harbour foi uma das decisões militares mais burras de todos os tempos. Empurrou para a guerra os EUA, que já tinham falado que não iam entrar, por vários motivos. O Eixo perdeu a guerra aí, pois os EUA já eram a maior potência industrial do mundo. 2) Na batalha de Midway os japoneses demonstraram outra burrice estratégica, pois conseguiram perder uma guerra quando tinham muito mais recursos (porta-aviões, etc.) do que os americanos. 3) O povo japonês ouvia no rádio as falas de Hiroito de joelhos como se ele fosse o enviado divino.… Read more »

Hornet

Amigo Iuri, vc tem toda razão. Do ponto de vista da estratégia militar, atacar Pearl Harbor foi uma lance de “gênio”…rs.rs.rs. Mas vc já reparou que, em termos de estratégias e táticas militares, a II Guerra é um prodígio de “genialidades”… Além do ataque japonês a Pearl Harbor, dá pra listar mais algumas “proezas”: – A tal linha Marginot do franceses (ou seria “Imaginot”? Imaginot que dava pra conter o avanço alemão com aquilo…hehe); – A abertura de duas frentes (a frente ocidental e a oriental) pelo “gênio” da raça ariana, mais conhecido na Moóca como “Zé Bigodinho”; – A… Read more »

Iuri Korolev

Amigo Hornet 1) Quanto à invasão da Rússia pelos nazistas foi a 2ª decisão mais estúpida de todos os tempos pois a Rússia sempre teve um Exército muito forte e estava determinada a não entrar na guerra, por várias razões, a maior delas é que ela estava muito debilitada economicamente após a revolução bolchevista. Foi uma grande burrice de Hitler, sendo que a Alemanha tinha generais de altíssimo nível. 2)Quanto à França dizem que houve corrupção (Petain), mas foi melhor do que um banho de sangue. Mas, putz, você ver os nazistas levarem todas obras de arte do Louvre deve… Read more »

Marine

Hornet, Bem lembrado! So descordo com o exemplo britanico em Dunkirk…O erro anterior deles foi o que lhes colocou naquela posicao, mas dando em vista os apuros em que se colocaram a retirada de dunkirk foi um sucesso pois salvou a enorme maioria dos homens – com o custo da perca de todo o material da “BEF” British Expeditionary Force. O importante a lembrar e que a dificuldade britanica na epoca era falta de pessoal pois o imperio britanico estava espalhado por todo mundo. A propria RAF se preocupava muito mais com a perca de pilotos treinados do que com… Read more »

Hornet

Marine, é verdade, a situação obrigou os ingleses a sairem do jeito que sairam, e vendo pelo lado que vc comentou, até que a saida teve um certo sucesso. De qualquer modo, foi um momento em que a guerra (a luta contra o nazismo) precisava e muito das forças inglesas e elas sofreram grandes perdas ali (refletindo, inclusive, na participação restante dos ingleses na Guerra – perderam muito material bélico)…talvez pudesse ter sido melhor planejada a ação toda, desde o início para que algo assim não tivesse ocorrido…mas enfim, o “talvez”, assim como o “se”, não entra em campo e… Read more »

LeoPaiva

Penso que o Alte Makarov está correto, As pessoas sempre fazem a seguinte pergunta, foi certo matar centenas de milhares de mulheres e crianças para forçar a rendição e poupar soldados? Estudos da época mostraram que o número de americanos mortos na Operation Downfall chegaria a 1,2 milhão e 10 milhões do lado japonês, e que mais 7 bombas atômicas poderiam ser usadas de forma tática durante esse processo. Ou seja, o remédio foi amargo, mas a doença poderia ter sido bem pior. Jamais defenderei que se jogue um artefato nuclear de qualquer tamanho sobre civis, entretanto, na época, não… Read more »

Hornet

Iuri,

no caso das obras de arte, certamente detonaram com a moral dos franceses. E o que o Hitler queria fazer com a òpera de Paris, se tivesse sido levado adiante, certamente ia detonar ainda mais…mas para o bem da cultura, Hitler não teve tempo de “destruir” a Ópera de Paris e nem cusar maiores estragos com a cultura européia (além das que ele causou, que não foram poucas…mas podia ter sido pior, caso esse “doido” não tivesse sido barrado pelos aliados)…enfim…

um forte abraço

Marine

LeoPaiva,

Nessa concordo com vc em tom e grau….rsrsrsrrs
Mas nao se acostume hein! hehehehe

LeoPaiva

Marine, estava pensando a mesma coisa, rs rs, finalmente falamos a mesma língua em alguma coisa.rs rs

Hornet

Leo Paiva,

no que se refere a Dunkerke, o amigo Marine já me deu o “puxão de orelha” e já relativizei minha posição…dá uma olhadinha acima.

um forte abraço

AJS

Herik.
Certamente o hoje general era um pirralho ou nem era nascido ainda à época da IIGM.

Walderson

Galera, concordo com a demissão do general. Concordo com a galera que foi contra o que ele disse em gênero, número e grau. Que estavam em guerra não se discute, mas vários acordos éticos, digamos assim, foram descumpridos pela Alemanha, Itália e Japão. Para a galera que concorda com o general japonês, só posso dizer que lamento que os senhores pensem assim, pois esqueceram-se de um pequeno detalhe: quem começou os ataques. Quem começou foi Alemanha e Japão. Inclusive, depois do ataque a Pearl Harbour, o almirante que o idealizou e o conduziu falou: temo termos acordado um gigante. Se… Read more »

Vassily Zaitsev

Iuri Korolev dia 03, 16:47hs, Em 1941, a Rússia tinha um exército poderoso??????????????? nem tanto assim. O que tinha de bom era o seguinte: território amplo (quanto mais os alemães entrassem dentro da Rússia, mais distantes ficariam de suas bases de suprimentos); e o clima, que os russos estavam mais que acostumados. Esses sim foram os fatores predominantes que fizeram o “império dos mil anos” ruir. No começo, o exército russo simplesmente apanhou. Ah, esqueci de falar da tática de “terra arrasada”, que consistia em destruir tudo que fosse aproveitável durante a retirada. Fora esses fatores descritos, o exército russo… Read more »

João-Curitiba

Senhores Desculpem só chegar agora nessa discussão apaixonante. Não foi só na África que o Adolf mandou resistir até o último homem. Em Stalingrado também. Ali morreram centenas de milhares de soldados alemães que poderiam ter retraído em segurança e que seriam úteis posteriormente. A linha Maginot foi concebida conforme conceitos da I GG. Com a nova doutrina das blitz krig, não deu pro cheiro. Também em Dunquerque o ataque maciço dos panzer varreu os franceses e ingleses para a costa. Foi uma luta desigual e a retirada foi um dos episódios mais horóicos da guerra. “Nunca tantos deveram tanto… Read more »

LeoPaiva

Ok caro João-Curitiba, valeu pelo acréscimo.

Entretanto, sempre achei que a citação de Churchill se referisse a RAF durante a batalha da Inglaterra., e quanto ao Japão pedir auxílio a Rússia, você está correto e era pouco provável que obtivesse sucesso pois sempre foram inimigos históricos, havendo o Japão derrotado a Rússia no começo do século na guerra da Manchúria, e esta tinha declarado guerra ao Japão no mesmo dia da segunda bomba.

Sds.

Hornet

O Churchil era um político que gostava de charutos e de criar boas frases…

a frase: “Nunca tantos deveram tanto a tão poucos”, foi uma homenagem aos pilotos da RAF. Foi dita no contexto da Batalha da Inglaterra, em que os Spitfires e os Hurricanes botaram pra correr os aviões da Luftwaffe.

abraços a todos

AJS

Leo Paiva e João-Curitiba. Saudações. De fato, a frase de Churchill referiu-se aos pilotos da RAF durante a Batalha da Inglaterra. A linha Maginot foi contornada, nada valeu. Conforme o livro Ascenção e queda do III Reich, o Serviço Secreto do Exército alemão, informou a Hitler, que a Russia contava com aproximadamente 200 divisões na área de contato, porém, o Serviço Secreto pessoal de Hitler, informou que na área havia em torno de 120 divisões russas mal equipadas, fazendo com que ele ordenasse “desmobilização” de diversas divisões, pois bem, no decurso da 1ª semana de hostilidades, o Exército alemão já… Read more »

paulo costa

Guerras fazem parte da nossa historia,na primeira morreram 15 milhões,e na segunda dizem 50 milhões inclusive civis. Gostaria de dizer algo do ponto de vista militar,sem as tragedias,e maldades da segunda guerra.A Alemanha na guerra inovou nas taticas e doutrinas,se preparou antes,Hitler que era autodidata,foi cabo na primeira guerra chegou ao poder por capacidade, e era bom em ofensiva militar,mas na defensiva,ou recuo,não era com ele. Existiam varios bons generais,Rommel,Guderian,Rundsted,Model, Bock,etc,mas o grande estrategista era o general Erich von Mainstein,que sempre estava no QG do alto comando,inclusive tem filmes com ele sugerindo ações e Hitler concordando com ele. Mainstein planejou… Read more »

LeoPaiva

Saudações a todos, é muito fácil para nós hoje imaginarmos muitos “se” que poderiam ter alterado o resultado da guerra, se não tivessem criado a frente oriental, se tivessem investido mais nos U-boats, se tivessem investido mais em caças do que em bombardeios teriam dobrado a Inglaterra, se tivessem reabastecido melhor o norte da África, se não tivessem transferido tantas peças de Flak 88 para a frente ocidental talvez segurassem por mais tempo os blindados russos e por aí vai, mas, o difícil era explicar isso tudo para o Zé bigodinho, que escreveu Mein Kampf mas esqueceu de ler Suntzu… Read more »

Marine

Paulo Costa, excelente comentario! Quanto aos que comentaram sobre o Exercito Vermelho, realmente eram numerosos mas pelo menos no inicio da Op. Barbarossa nao tinha “sprit de corps”, tinham a moral baixissima! Por isso nas primeiras semanas os Alemaes ja haviam capturado centenas de milhares e destruido dezenas de divisoes…A surra foi tao feia que muitos na lideranca alema chegaram a pensar que a russia ja estava derrotada e que seria outro passeio como foi na Franca. so nao contavam com a capacidade russa de receber baixas inimaginaveis e continuar lutando…militares sabem que uma unidade que recebe 50% de baixas… Read more »

João-Curitiba

Senhores Realmente, acho que me equivoquei sobre a frase do Churchil. Vou tentar puxar pela memória sobre o que ele disse da retirada de Dunquerque. Eu tenho ela em algum livro, só não lembro qual. Quanto ao exército russo, ele só funcionava sob ameaça de fuzilamento. Eles ganharam pela quantidade. Além disso, EUA e Inglaterra mandavam milhares de toneladas diárias de equipamento via Mediterrâneo. Eu tenho também num livro a descrição completa do que era mandado diariamente. A eficiência das forças russas era diretamente proporcional à entrega das mercadorias. Se ocorria algum atraso causado pelo inimigo, a força do avanço… Read more »

Hornet

Eu estava lendo os posts dos amigos e muitos se referiram ao fato de a Alemanha ter tido vários bons generais durante a Segunda Guerra…Não sei se se deve ao que eu disse acima ou não, mas preciso corrigir uma coisa…eu escrevi algo assim: Hitler deveria ter ouvido Hommel, seu único general lúcido “naquela ocasião”, referente ao desambarque da Normandia. Faltou o “naquela ocasião”… Não quis dizer que somente Hommel fosse o bam, bam, bam…claro, existiam outros. Embora, no meu ponto de vista, Hommel tenha sido o melhor deles todos. Aliás, já que o assunto tomou essa direção, eu faço… Read more »

João-Curitiba

Caro Hornet

Esticando um pouquinho a sua citação do Eric Hobsbawm na mesma página 15, e em referência ao que você escreveu logo acima, todos nós que vivemos o século 20 vamos querer julgar o nazismo. O difícil será compreendê-lo.

Abraços

Hornet

Amigo João-Curitiba, Não sei..eu até que compreendo o Nazismo, ao menos o “Nazismo Histórico”. Sou historiador de profissão, já estudei e muito bem esse tema, embora o nazismo não seja o meu tema de pesquisa na Universidade. Existem várias facetas do Nazismo que ainda são estudadas e pesquisadas…não é um tema fácil, nisso vc tem razão. Mas numa visão mais global sobre o que levou o surgimento do Nazismo, ou melhor, o que possibilitou o surgimento do Nazismo num país como a Alemanha (uma das culturas mais poderosas do mundo), já existem vários estudos que servem como referência para se… Read more »

Hornet

Amigo João-Curitiba, Ops…Acho que só agora entendi o que vc quiz dizer, apesar de vc ter avisado da citação do Hobsbawm no seu post, não havia entendido direito o sentido do comentário…agora que olhei no livro, acho que entendi o que vc quis dizer com a “esticação” da citação… É verdade, o Hobsbawm joga ao mesmo tempo com a necessidade do conhecimento histórico e com a necessidade do posicionamento ético do historiador. Nessa brincadeira, segundo ele, temos que ter o distanciamento do pesquisador, para não julgar os fatos ocorridos mas sim compreendê-los, e também temos que ter o posicionamento ético… Read more »

João-Curitiba

Prezado Hornet Ler um comentário seu é para mim uma aula de história. E você resumiu em poucas palavras o motivo pelo qual o povo alemão se deixou iludir pelo canto da sereia do Hitler: “(inflação, crise social, nacionalismo exacerbado, humilhação pelo tratado de Versalhes etc…nada disso serve de justificativa para a existência do nazismo, embora tais questões sivam como parte da compreensão de sua existência histórica)”. Agora, de fora e de longe, é bem fácil condenar o povo alemão. Mas na época, em plena crise de 29, desemprego generalizado e os demais problemas acima citados por você, ele encontrou… Read more »

Manfred Von Richthofen

Existem muitos componentes religiosos no Nazismo, por isso ele conseguiu converter corações e mentes de forma avassaladora. Hitler era um orador excepcional também e hipnotizava as multidões. É só ver os filmes da época.
Quando você tira Deus da vida das pessoas e consegue colocar o Estado no lugar, é possível ao líder fazer com que o povo o siga praticamente em qualquer coisa.

LeoPaiva

Marine, simples mas verdadeiro o seu comentário sobre a Barbarrossa.

Estou concordando muito contigo, será que peguei sem querer o papelzinho do helicóptero e me converti?rs rs.

Sobre o Rommel, ele era um militar limpo, ou seja, livre das ideologias nazistas, o Norte da África era livre de Gestapo, SS, campos de concentração, e discursos inflamados.Muitos veteranos, muitos anos após o término da guerra, ainda exibiam com orgulho o símbolo da palmeira, talvez por estar livre das vaidades palacianas ele tenha sido morto pelos próprios compatriotas que sempre o invejaram.

Walderson

Caro João,

concordo contigo quanto às aulas do Hornet. Tb gosto muito dos comentários do amigo.
Um abraço.

João-Curitiba

Prezado LeoPaiva. Uma vez eu li não lembro aonde (é sempre assim) que o Rommel chegou ao oficialato não via academia, mas por promoções por mérito. Não posso dizer se isso é verdade. E vem daí o desprezo com que os demais oficiais o tratavam. Fora é claro que ele era mestre em sair vitorioso em situações em que estava inferiorizado numericamente, mas sabia mover suas tropas com maestria. Daí o mito Raposa do Deserto. E quando virou o queridinho do Hitler, então foi um tapa na cara dos “colegas” de caserna. O Hitler precisava de um herói vindo do… Read more »

Combates Aéreos

Combate aéreo Índia-Paquistão: um relato minuto a minuto da batalha aérea de Abhinandan

As evoluções da manhã de 27 de fevereiro duraram 16 minutos, desde o momento em que os jatos paquistaneses...
- Advertisement -
- Advertisement -