Home Tecnologia F-35 por US$ 200 milhões a unidade

F-35 por US$ 200 milhões a unidade

126
38
A  Defense Security Cooperation Agency notificou o Congresso americano sobre o interesse de Israel em adquirir o Joint Strike Fighter. De acordo com a DSCA, Israel quer permissão para encomendar 25 F-35As, com mais 50 opções, que poderiam ser F-35As ou F-35Bs STOVL.
O valor total do pacote – incluindo o equipamento de apoio, treinamento e sobressalentes, mas nenhuma arma – pode chegar a US$ 15,2 bilhões, se todas as opções forem exercidas – ou seja, mais de US$ 200 milhões por aeronave.
É interessante comparar com os valores de outros pacotes, como a venda de 72 Typhoon à Arábia Saudita, cujo valor inicial foi de GBP4,4 bilhões (US$ 7,8 bilhões), ou os AU$6 bilhões (US$ 4,8 bilhões) para o contrato da Austrália de 24 Super Hornets.
Israel também quer o direito de modificar os seus F-35 no país, para poder incorporar seu próprio hardware, inclusive armas. Israel também quer incluir tanques de combustível externos, o que até agora não está programado para os F-35 dos EUA e de outros países.
Abaixo, segue um vídeo sobre o F-35 e seu revolucionário sistema DAS (Electro Optical Distributed Aperture System).

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João-Curitiba
João-Curitiba
12 anos atrás

Isso não é pra quem quer. É pra quem pode….

Alfredo_Araujo
Alfredo_Araujo
12 anos atrás

Eu torço mto para q daqui a alguns anos algum maluco venha com uma geringonça patética q detecte esses avioes stelth !!!

Ja pensou o Tio Sam com uma frota de avioes obsoletos!!! Pq esses avioes Stelth sacrificam de tudo um pouco para ganhar a tal furtividade… sem essa furtividade eles sao avioes inferiores a um Su-35, TyphoonII, etc…

edilson
edilson
12 anos atrás

caro alfredo
veja bem o sistema que eles apresntam detecta tudo não é?
a triangulaçãod e sinais detecta torna-os obsoletos em termos da discrição.claro se você possuir sistemas para isto

Vassily Zaitsev
Vassily Zaitsev
12 anos atrás

Tecnologia e passoal preparado para fazer as futuras modificações Israel tem. 15 Bi, mesmo sendo Israel, Já é outra história. Mas como esse caça ficou caro de uma hora para outra sô, ôh inflação danada.

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Os caças de 5° geração não são inferiores a nenhum caça de geração anterior. Eles agregaram mais uma característica. Mais uma vantagem. Na verdade eles possuem todas as qualidades dos caças das gerações anteriores e mais um alto nível de “furtividade”. Se, por um passe de mágica, esta vantagem for neutralizada por um sensor milagroso, ele apenas deteriora esta característica e passa a ser comparável ao caça da geração anterior, brigando de igual pra igual. A tecnologia de superagilidade, alto nível de consciência situacional, fusão de dados, integração na rede digital, supercruiser, radares AESA, sistemas optrônicos de última geração, alto… Read more »

Bosco
Bosco
12 anos atrás

A “triangulação de sinais” só funciona na teoria. Na prática você tem alguns minutos (segundos?) para detectar um caça em aproximação que tem intenção de jogar uma arma de precisão stand off “fire and forget” no seu colo. E mesmo que um caça stealth seja detectado ele não poderá sem rastreado com eficiência e muito menos engajado pelos sistemas de armas. E em operações de “primeiro dia de guerra”, onde a capacidade de defesa aérea do inimigo não está degradada, um atacante “invisível” não se utiliza de nenhuma emissão passível de ser triangulada. Aquela história que tem radar que detecta… Read more »

Nelson Lima
Nelson Lima
12 anos atrás

Israel quer incluir tanques externos para aumentar ainda mais o enorme alcance do F35 pra que? Quem advinhar IRÃ ganhar um doce.

edilson
edilson
12 anos atrás

Caro Bosco,primeiramente gostaria de lhe parabenizar pela explanação, muito célere, porém não concordo com alguns pontos. 1- o que difere um 5G de um 4++ (como alguns gostam de tratar) é a capacidade stealth, no entanto se esta for quebrada(o que não é fácil) estão ambos no mesmo patamar. conforme o CEO da boeing esclareceu em sua entrevista publicada pelos colegas do poder naval. aquela indústria optou pelo desenvolvimento de sistemas ao invés de transformar o Super hornet num stealth. o que vai de acordo com a de que cada necessidade é uma necessidade, e lançam algumas perguntas. vale apena… Read more »

konner
konner
12 anos atrás

[” edilson em 02 out, 2008 às 8:26 “]

Sr. Edilson,

Brilhante concatenação !!

Seu raciocínio dedutivo está nutrido de genuína lógica.

BRAVO !! BRAVO !!!!! BRAVO !!!!!

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Edilson, concordo com tudo o que disse. Meu ponto é apenas que um caça de 5° geração tem tudo que um caça de 4° geração, de um 4°+, ou de um 4°++, somado a maior nível de furtividade. Ou seja, se o campo de batalha ficar ruim para ele (devido à triangulação de sinais ou radares anti-stealths) para os outros de geração anterior vai ficar pior. Só tenho um ponto do seu comentário que não concordo plenamente. A perda da manobrabilidade de um caça de 5° geração, mesmo que não consiga ser compensada pelo sistema de vetoramento do empuxo, não… Read more »

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Se um caça stealth perder sua relativa vantagem e puder ser facilmente detectado e rastreado por algum meio inovador, isto de modo algum o impossibilitará de voar e ser eficiente em combate.
Caças não stealths (de quarta, +, ++,+++ geração) continuam sendo requisitados, fabricados, comprados, voando e cumprindo satisfatoriamente suas missões apesar de serem “facilmente” detectados e rastreados pelos meios convencionais.

edilson
edilson
12 anos atrás

Caro Bosco. Apesar dos divergentes pontos de vista gostaria de parabenizá-lo pela capacidade de argumentação. devo dizer que é salutar poder trocar idéias desta forma e pessoas como o senhor angrandecem o debate. O senhor está certo no tocante a questionável capacidade de dogfighter no combate futuro. mas lembre-se, já conhecemos esta história. vietnã o começou assim e resultou no desenvolvimento do F-16 pois os “ônibus cheios de computador” (leia-se F-4) e armados com sparow consiguiam dificultosamente impor superioridade aos mosquitos vietcong, muitos críticos até afirmam que só o fizeram devido a superioridade numérica. Porque baseio-me neste argumento de que… Read more »

konner
konner
12 anos atrás

[” edilson em 02 out, 2008 às 10:30 “]

Olha aí !!!!

Fez de novo !

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Edilson, em um ambiente heterogênio em que caças de 5° geração (stealth, tripulado) e de 6° geração (stealth, não tripulado, superagilidade ?) estiverem combatendo, sem dúvida o combate será restrito ao alcance visual (já que ambos são stealths). Neste cenário, o caça não tripulado (6° Geração) terá significativas vantagens em relação ao de 5° geração, já que sem o fator “resistência humana” ele poderá exceder aos 9 Gs dos caças tripulados. Com sua agilidade aumentada, o caça de 6° geração (não tripulado) poderá fugir dos mísseis de quinta geração usando manobras evasivas, o que é impossível fazer atualmente com caças… Read more »

hélio
hélio
11 anos atrás

O MUNDO CISTÃO OCIDENTAL E TODO O ORIENTE EXTREMO. VAI ACORDAR UM DIA QUALQUER QUE SEJA ;O ,FUSO HORARIO E VAI OUVIR NOTICIAS ,COMO TEERÃ CAI DE QUATRO DIANTE , DE ISRAEL .COM CERTEZA O IRÃ NÃO VAI RETALIA POR TANTO , SUA BAIXA ESTIMA E SUA GRANDE CONFIANÇA NOS ARMAMENTOS RUSSO E CHINES OS DEIXARÃO NAS MÃOS ….ISSO VAI EXIGIR RESPOSTA MUITO ALEM DO Q SE ESPERA A COMUNIDADE INTERNACIONAL..O IRAN COM CERTEZA ESTA BRINCANDO COM FOGO E VAI PERDER TODA A SUA ESTRUTURA MILITAR .. A SIRIA SIM PAGARÁ UM GRANDE PREÇO PELA AFRONTA A ISRAEL ..E APOIO… Read more »

Ivan Carias
11 anos atrás

Caros, muito boa as considerações feito por todos. Porém as dúvidas referentes a furtividade é fruto da guerra da informação. A europa cometeu um erro ao desenvolver um caça de 4° geração e somente depois de bilhões de dólares investidos e anos de pesquisa se concientizou que sua melhor máquina de combate aéreo apresentava defasagem tecnológica, frente aos novas aeronaves norte-americanos e as futuros aeronaves russas. Tanto é que tanto a frança quanto o consórcio Eurofighter criaram muita polêmica para justificar a modernização de aviões de combate que ainda se quer tinha entrado em operação (me refiro as versões tranche… Read more »

Guilherme Moreno
Guilherme Moreno
11 anos atrás

Esse F-35 já se mostrou muito inferior a outros aviões chamados de 4,5 geração. Em simulação o Su-35 já venceu esse pequeno ai por 6:1. O typhoon, Rafale e Gripen NG parecem que têm performace muito melhor que esse F-35, dizem que o Typhoon chegou a vencer o F-22 em exercícios realizados nos EUA. Acho que Israel deveria estudar mais sobre o avião que está comprando, Arabia Saudita com o Eurofighter poderia vencer a batalha contra os Israelenses com os F-35. Se o Egito optar por um Rafale ou Gripen NG para o seu futuro caça, as coisas ficariam preocupantes… Read more »

trackback
11 anos atrás

[…] disso, o preço unitário deste moderno caça de 5ª geração ainda é um mistério, podendo atingir 200 milhões de dólares por unidade, o que geraria uma redução no número de […]

João-Curitiba
João-Curitiba
12 anos atrás

Isso não é pra quem quer. É pra quem pode….

Alfredo_Araujo
Alfredo_Araujo
12 anos atrás

Eu torço mto para q daqui a alguns anos algum maluco venha com uma geringonça patética q detecte esses avioes stelth !!!

Ja pensou o Tio Sam com uma frota de avioes obsoletos!!! Pq esses avioes Stelth sacrificam de tudo um pouco para ganhar a tal furtividade… sem essa furtividade eles sao avioes inferiores a um Su-35, TyphoonII, etc…

edilson
edilson
12 anos atrás

caro alfredo
veja bem o sistema que eles apresntam detecta tudo não é?
a triangulaçãod e sinais detecta torna-os obsoletos em termos da discrição.claro se você possuir sistemas para isto

Vassily Zaitsev
Vassily Zaitsev
12 anos atrás

Tecnologia e passoal preparado para fazer as futuras modificações Israel tem. 15 Bi, mesmo sendo Israel, Já é outra história. Mas como esse caça ficou caro de uma hora para outra sô, ôh inflação danada.

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Os caças de 5° geração não são inferiores a nenhum caça de geração anterior. Eles agregaram mais uma característica. Mais uma vantagem. Na verdade eles possuem todas as qualidades dos caças das gerações anteriores e mais um alto nível de “furtividade”. Se, por um passe de mágica, esta vantagem for neutralizada por um sensor milagroso, ele apenas deteriora esta característica e passa a ser comparável ao caça da geração anterior, brigando de igual pra igual. A tecnologia de superagilidade, alto nível de consciência situacional, fusão de dados, integração na rede digital, supercruiser, radares AESA, sistemas optrônicos de última geração, alto… Read more »

Bosco
Bosco
12 anos atrás

A “triangulação de sinais” só funciona na teoria. Na prática você tem alguns minutos (segundos?) para detectar um caça em aproximação que tem intenção de jogar uma arma de precisão stand off “fire and forget” no seu colo. E mesmo que um caça stealth seja detectado ele não poderá sem rastreado com eficiência e muito menos engajado pelos sistemas de armas. E em operações de “primeiro dia de guerra”, onde a capacidade de defesa aérea do inimigo não está degradada, um atacante “invisível” não se utiliza de nenhuma emissão passível de ser triangulada. Aquela história que tem radar que detecta… Read more »

Nelson Lima
Nelson Lima
12 anos atrás

Israel quer incluir tanques externos para aumentar ainda mais o enorme alcance do F35 pra que? Quem advinhar IRÃ ganhar um doce.

edilson
edilson
12 anos atrás

Caro Bosco,primeiramente gostaria de lhe parabenizar pela explanação, muito célere, porém não concordo com alguns pontos. 1- o que difere um 5G de um 4++ (como alguns gostam de tratar) é a capacidade stealth, no entanto se esta for quebrada(o que não é fácil) estão ambos no mesmo patamar. conforme o CEO da boeing esclareceu em sua entrevista publicada pelos colegas do poder naval. aquela indústria optou pelo desenvolvimento de sistemas ao invés de transformar o Super hornet num stealth. o que vai de acordo com a de que cada necessidade é uma necessidade, e lançam algumas perguntas. vale apena… Read more »

konner
konner
12 anos atrás

[” edilson em 02 out, 2008 às 8:26 “]

Sr. Edilson,

Brilhante concatenação !!

Seu raciocínio dedutivo está nutrido de genuína lógica.

BRAVO !! BRAVO !!!!! BRAVO !!!!!

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Edilson, concordo com tudo o que disse. Meu ponto é apenas que um caça de 5° geração tem tudo que um caça de 4° geração, de um 4°+, ou de um 4°++, somado a maior nível de furtividade. Ou seja, se o campo de batalha ficar ruim para ele (devido à triangulação de sinais ou radares anti-stealths) para os outros de geração anterior vai ficar pior. Só tenho um ponto do seu comentário que não concordo plenamente. A perda da manobrabilidade de um caça de 5° geração, mesmo que não consiga ser compensada pelo sistema de vetoramento do empuxo, não… Read more »

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Se um caça stealth perder sua relativa vantagem e puder ser facilmente detectado e rastreado por algum meio inovador, isto de modo algum o impossibilitará de voar e ser eficiente em combate.
Caças não stealths (de quarta, +, ++,+++ geração) continuam sendo requisitados, fabricados, comprados, voando e cumprindo satisfatoriamente suas missões apesar de serem “facilmente” detectados e rastreados pelos meios convencionais.

edilson
edilson
12 anos atrás

Caro Bosco. Apesar dos divergentes pontos de vista gostaria de parabenizá-lo pela capacidade de argumentação. devo dizer que é salutar poder trocar idéias desta forma e pessoas como o senhor angrandecem o debate. O senhor está certo no tocante a questionável capacidade de dogfighter no combate futuro. mas lembre-se, já conhecemos esta história. vietnã o começou assim e resultou no desenvolvimento do F-16 pois os “ônibus cheios de computador” (leia-se F-4) e armados com sparow consiguiam dificultosamente impor superioridade aos mosquitos vietcong, muitos críticos até afirmam que só o fizeram devido a superioridade numérica. Porque baseio-me neste argumento de que… Read more »

konner
konner
12 anos atrás

[” edilson em 02 out, 2008 às 10:30 “]

Olha aí !!!!

Fez de novo !

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Edilson, em um ambiente heterogênio em que caças de 5° geração (stealth, tripulado) e de 6° geração (stealth, não tripulado, superagilidade ?) estiverem combatendo, sem dúvida o combate será restrito ao alcance visual (já que ambos são stealths). Neste cenário, o caça não tripulado (6° Geração) terá significativas vantagens em relação ao de 5° geração, já que sem o fator “resistência humana” ele poderá exceder aos 9 Gs dos caças tripulados. Com sua agilidade aumentada, o caça de 6° geração (não tripulado) poderá fugir dos mísseis de quinta geração usando manobras evasivas, o que é impossível fazer atualmente com caças… Read more »

hélio
hélio
11 anos atrás

O MUNDO CISTÃO OCIDENTAL E TODO O ORIENTE EXTREMO. VAI ACORDAR UM DIA QUALQUER QUE SEJA ;O ,FUSO HORARIO E VAI OUVIR NOTICIAS ,COMO TEERÃ CAI DE QUATRO DIANTE , DE ISRAEL .COM CERTEZA O IRÃ NÃO VAI RETALIA POR TANTO , SUA BAIXA ESTIMA E SUA GRANDE CONFIANÇA NOS ARMAMENTOS RUSSO E CHINES OS DEIXARÃO NAS MÃOS ….ISSO VAI EXIGIR RESPOSTA MUITO ALEM DO Q SE ESPERA A COMUNIDADE INTERNACIONAL..O IRAN COM CERTEZA ESTA BRINCANDO COM FOGO E VAI PERDER TODA A SUA ESTRUTURA MILITAR .. A SIRIA SIM PAGARÁ UM GRANDE PREÇO PELA AFRONTA A ISRAEL ..E APOIO… Read more »

Ivan Carias
11 anos atrás

Caros, muito boa as considerações feito por todos. Porém as dúvidas referentes a furtividade é fruto da guerra da informação. A europa cometeu um erro ao desenvolver um caça de 4° geração e somente depois de bilhões de dólares investidos e anos de pesquisa se concientizou que sua melhor máquina de combate aéreo apresentava defasagem tecnológica, frente aos novas aeronaves norte-americanos e as futuros aeronaves russas. Tanto é que tanto a frança quanto o consórcio Eurofighter criaram muita polêmica para justificar a modernização de aviões de combate que ainda se quer tinha entrado em operação (me refiro as versões tranche… Read more »

Guilherme Moreno
Guilherme Moreno
11 anos atrás

Esse F-35 já se mostrou muito inferior a outros aviões chamados de 4,5 geração. Em simulação o Su-35 já venceu esse pequeno ai por 6:1. O typhoon, Rafale e Gripen NG parecem que têm performace muito melhor que esse F-35, dizem que o Typhoon chegou a vencer o F-22 em exercícios realizados nos EUA. Acho que Israel deveria estudar mais sobre o avião que está comprando, Arabia Saudita com o Eurofighter poderia vencer a batalha contra os Israelenses com os F-35. Se o Egito optar por um Rafale ou Gripen NG para o seu futuro caça, as coisas ficariam preocupantes… Read more »

trackback
11 anos atrás

[…] disso, o preço unitário deste moderno caça de 5ª geração ainda é um mistério, podendo atingir 200 milhões de dólares por unidade, o que geraria uma redução no número de […]

trackback
11 anos atrás

[…] Um órgão do congresso norte-americano chamado “Congressional Research Service” estimou que o programa F-35 necessitará de 246 bilhões de dólares para comprar 2456 aeronaves. Incluindo valores referentes ao desenvolvimento do programa nos últimos 12 anos, a estimativa do CRS é de que o custo médio de cada aeronave fique em torno de U$ 100.1 milhões. Outros estudos colocam o preço do mesmo entre U$ 49 milhões e U$ 200 milhões. […]

trackback
11 anos atrás

[…] Um órgão do congresso norte-americano chamado “Congressional Research Service” estimou que o programa F-35 necessitará de 246 bilhões de dólares para comprar 2456 aeronaves. Incluindo valores referentes ao desenvolvimento do programa nos últimos 12 anos, a estimativa do CRS é de que o custo médio de cada aeronave fique em torno de U$ 100.1 milhões. Outros estudos colocam o preço do mesmo entre U$ 49 milhões e U$ 200 milhões. […]