Northrop Grumman e a Força Aérea dos EUA apresentam o B-21 Raider, a primeira aeronave de sexta geração do mundo

PALMDALE, Califórnia – 2 de dezembro de 2022 – A Northrop Grumman Corporation (NYSE: NOC) e a Força Aérea dos EUA revelaram o B-21 Raider para o mundo hoje. O B-21 se junta à tríade nuclear como um dissuasor visível e flexível projetado para a Força Aérea dos EUA cumprir suas missões mais complexas.

“A equipe da Northrop Grumman desenvolve e fornece tecnologia que avança a ciência, olha para o futuro e o traz para o aqui e agora”, disse Kathy Warden, presidente, diretora executiva e presidente da Northrop Grumman. “O B-21 Raider define uma nova era na tecnologia e fortalece o papel dos Estados Unidos de entregar a paz por meio da dissuasão.”

O B-21 Raider forma a espinha dorsal do futuro do poder aéreo dos EUA, liderando uma poderosa família de sistemas que oferecem uma nova era de capacidade e flexibilidade por meio da integração avançada de dados, sensores e armas. Seus recursos de sexta geração incluem discrição, vantagem de informações e arquitetura aberta.

“O B-21 Raider é uma prova das vantagens duradouras da América em engenhosidade e inovação. E é a prova do compromisso de longo prazo do Departamento de construir capacidades avançadas que fortalecerão a capacidade da América de impedir agressões, hoje e no futuro. Agora, fortalecer e sustentar a dissuasão dos EUA está no centro de nossa Estratégia de Defesa Nacional”, disse o secretário de Defesa Lloyd J. Austin III. “Este bombardeiro foi construído sobre uma base de forte apoio bipartidário no Congresso. E por causa desse suporte, em breve iremos pilotar esta aeronave, testá-la e depois passar para a produção.”

O B-21 é capaz de se conectar em rede através do campo de batalha para vários sistemas e em todos os domínios. Apoiado por um ecossistema digital durante todo o seu ciclo de vida, o B-21 pode evoluir rapidamente por meio de rápidas atualizações de tecnologia que fornecem novos recursos para superar ameaças futuras.

“Com o B-21, a Força Aérea dos EUA será capaz de deter ou derrotar ameaças em qualquer lugar do mundo”, disse Tom Jones, vice-presidente corporativo e presidente da Northrop Grumman Aeronautics Systems. “O B-21 exemplifica como a Northrop Grumman está liderando a indústria em transformação digital e engenharia digital, entregando mais valor aos nossos clientes.”

O B-21 Raider é nomeado em homenagem aos Doolittle Raids da Segunda Guerra Mundial, quando 80 homens, liderados pelo tenente-coronel James “Jimmy” Doolittle, e 16 bombardeiros médios B-25 Mitchell partiram em uma missão que mudou o curso da Segunda Guerra Mundial. A designação B-21 reconhece o Raider como o primeiro bombardeiro do século XXI.

A Northrop Grumman é uma empresa de tecnologia focada em segurança global e descoberta humana. Nossas soluções pioneiras equipam nossos clientes com os recursos necessários para conectar, avançar e proteger os EUA e seus aliados. Impulsionados por um propósito comum de resolver os problemas mais difíceis de nossos clientes, nossos 90.000 funcionários definem o que é possível todos os dias.

FONTE: Northrop Grumman

Subscribe
Notify of
guest

91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues

E oque, exatamente, essa aeronave tem que a qualificaria como a legítima primeira aeronave de 6° geração do mundo?
Não diziam que a 6° geração teria armas de energia dirigida e controladas por IA?

Marcos

Quem define o que é de 6° geração???
Por acaso não seria a USAF ???
Se a USAF diz que é uma aeronave de 6° geração, esta dito…kkk

Palpiteiro

Neste caso seria melhor se fosse uma aeronave de sétima geração, ou oitava.

Underground

1ª g.: B17
2ª g.: B29 (pressurizado)
3ª g.: B52 (jato)
4ª g.: B1 (supersonico)
5ª g.: B2 (furtivo)
6ª g.: B21 (?)

Topol

Seguindo essa premissa um TU-95 seria então um bombardeiro de 2ª geração?

Underground

Como disse um outro ai, quem designa as gerações são aqueles que estão na vanguarda.
No caso do TU95 pode-se colocá-lo em 3ª geração.

Guizmo

IA integrada

MFB

Quem define é quem está na vanguarda. Simples assim.

Agressor's

Deve ser bom igual o F35…kkkk… 😛

MFB

A sala fo jardim de infância é a número 6, primeiro andar, logo após a cantina. Ok?

Henrique

Alta capacidade de processamento de dados e comunicação, IA integrada, stealth aprimorada, armamentos com mais capacidade BVR, possibilidade de voo remoto, o piloto agora é um analista/gerente de software que junto com a IA do avião interpreta a situação do campo de combate para resolver o problema

Maurício Veiga

O anterior já faz isso há muito tempo…

Paulo Montezuma

Acho que são aquelas que são baseadas nos Transformers

Walsh

Essa negócio de “geração” é só marketing.

Agressor's

E porque essa gente gasta tanto dinheiro com esses elefantes brancos se eles são covardes e só fazem guerra contra países mais fracos? rs

Caio Marcio

Não sabia que Alemanha, Itália e Japão eram países fracos.

pangloss

Talvez porque não haja país mais forte. Só um palpite.

Agressor's

Então estão esperando o que pra salvar o povo de lá da Coreia do Norte ?

Last edited 2 meses atrás by Agressor's
pangloss

Mas a Coreia do Norte não é um paraíso de prosperidade? O que você sabe sobre a Kimland que nós não sabemos?

bjj

Acho que está havendo uma confusão com os caças de sexta geração, coisa que o B-21 não é. Embora classificar gerações seja um pouco difícil, o B-21 deve ser a sexta geração de sua categoria, ou seja, de bombardeiros estratégicos.

Willber Rodrigues

A 5° sabemos que é marcada pelo foco em capacidade stealth e pela capacidade de combate em rede, coisa que as gerações anteriores não tiveram.
Quais características marcariam um 5° pra um de 6 ° geração?

Segatto

Já vem com sistema Android embutido e tik Tok

Antunes 1980

Sexta geração seria um vetor stealth, integrado a todo o campo de batalha (terra,ar e mar), supersônico e completamente autônomo (inteligência artificial)?

Last edited 2 meses atrás by Antunes 1980
elgilson@gmail.com

E assim, mergulhamos em uma nova era!
Coitado do Brasil!

Antunes 1980

O Brasil ainda utilizada aeronaves de hélice para defender seu espaço aéreo.
Pensem nisso.

Pablo

A sim, vamos desenvolver uma aeronave de 10° geração, que dispara laser, que anda na velocidade da luz para interceptar os cesnas dos traficantes.

Rinaldo Nery

E serve muito bem pra missão pra qual foi concebida! O que tem a ver a propulsão com isso?

Agressor's

Até que enfim os eua fez outro avião problemático para o pessoal parar de mete o pau no abacaxi(f35), né coronel? 😀

Last edited 2 meses atrás by Agressor's
Pablo

Como tu sabe que é problemático?

Willber Rodrigues

Se o turbo-hélice cumpre bem o papel por uma fração irrisória do custo de hora/voo de um caça a jato…qual o problema?

glasquis7

Apresento a vc o Celera 500 L. Uma aeronave conceito. traz enormes avanços tecnológicos tanto no sistema de propulsão quanto ao design da estrutura e as suas soluções aerodinâmicas e flutter . Isso sem contar nos sistemas embarcados.

Ainda não está disponível comercialmente pois as suas avançadas tecnologias ainda devem ser certificadas nos EEUU.

A sua propulsão é a hélice e isso não tira nem diminiu a avançada tecnologia empregados nela.

Matheus

Brasil é uma piada, mesmo com os gripados não tem soberania aérea na América do Sul, nosso gripado de perto é muito pequeno, não parece ter superioridade nenhuma.

Sequim

Coitado? É uma aeronave conceito que ninguém sabe direito o que realmente faz. A USAF vai jogar no lixo seus F-16? Não. Vai jogar no lixo seus F-35? Não. Vai jogar no lixo seus F-22? Não. Então menos. Bem menos.

MFB

Aeronave conceito? Kkkkkkkkk

Santamariense

Sequim, o B-21 vir a entrar em operação, ou não, não interfere em nada na vida dos F-16, F-35, F-22…agora, na vida dos B-2, B-1, ah….nisso interfere, sim.

Gilson Elano

Bom dia!
Quando falei ‘coitado do Brasil’, me referi a questão tecnológica, o quanto estamos atrasados nessa.

Agressor's

Alvo de centenas de milhões de dólares! 🙂

B-52 vai ver a aposentadoria desse também. Anotem ai…

Last edited 2 meses atrás by Agressor's
Andre

Se formos atentos para ver que apenas um outro país, além dos EUA, foi capaz por em operação um avião de 5gen, e apenas 5 países no mundo são capazes de construir totalmente um avião de 4gen, estamos na média.

MFB

O resto é só resto mesmo…

Agressor's

Não se divulga nada, não sabemos nada, mas a propaganda estadunidense garante que é “top”. Um ralo para lavar dólares. Mas sabemos com certeza que os eua vai levar “democracia” pra muitos lugares, com esse brinquedinho…

Marcos

E o seu M1TO tanto idolatra esse país. rs

Alfredo

Daqui a pouco a Rússia anuncia uma de 7a geração, a Turquia uma de 8a e China de 9a geração.

Kkkkkkkk

Up The Irons

Aposto 2 reais que a China irá aparecer com uma cópia até 2025!

Luís Henrique

A China já tem. O H-20. Em julho desse ano foi anunciado que o 1o voo do H-20 esta próximo.
Eu acredito que o H-20 deverá entrar em produção e operação quase no mesmo tempo do B-21.
Só não sei se a China conseguirá atingir as mesmas capacidades do B-21 ou se será um bombardeiro mais próximo do B-2 em termos de capacidades.

Last edited 2 meses atrás by Luís Henrique
Underground

Creio que o H-20 esteja mais próximo do B-2.
Quem assistiu ontem ao vivo a apresentação doB-21, foram tratados muitos tópicos do que será essa aeronave.

Agressor's

Logo a China lança um bombardeiro idêntico com o nome “Type 22″…. kkkkkkkkk… 😛

Andre

O da Rússia deve ser fruto da parceria com o Irã, tipo o su75.

Bardini

Isso é o que eles apresentam. Imagina o que esses caras tem escondido…

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Esteves

Pois é. Controle e voo remoto, compartilhamento total com os sistemas de Defesa. Um vetor além do F35.

O que esses caras tem escondido é muita tecnologia. Não é uma plataforma acabada. Pode e vai evoluir integrando-se às novidades.

Quem tem, tem.

Rafael

Bardini, não sei se é algo que te desperta interesse, mas uma equipe da Universidade da Carolina do Norte meio que liberou sua pesquisa sobre os RAMs cerâmicos. Junto com as turbinas de ciclo adaptativo, está lançada a base da sexta geração, que, aparentemente, não sofrerá dos mesmo males da quinta.

A pesquisadora chefe chama Chengying “Cheryl” Xu. Peço escusas por não postar link.

Agressor's

Alvo para o S-500…

Felipe Morais

caramba cara, conseguiu dormir na última noite?
Pelo visto, o anúncio te impactou bastante.
Qualquer coisa, melatonina!

Caio Marcio

Realmente!
Percebe-se que ele ficou bem transtornado com a notícia.

Leandro Costa

Até hoje eu não vi fotos ou apresentação daquela suposta versão do Black Hawk que pegou o Bin Laden.

Jodreski

Fora que a guerra na Ucrânia deixou claro ao mundo a importância dos vetores stealth. Mais de 100 dias de guerra e a Rússia não pode usar sua aviação como deseja visto que seus caças são frequentemente atacados por posições SAM dos Ucranianos. Em 1991 os EUA já possuíam essa capacidade e por conta disso anularam as forças iraquianas. Sem os B-2 e os F-117 as perdas americanas seriam bem significativas, assim como as Russas vem sendo.

Leandro Costa

Não, ainda seriam bem menores do que a que os Russos estão tendo. Na verdade até que não, porque o número de surtidas seria muito maior e portanto as perdas totais seriam maiores, mas proporcionaolmente bem menores. Os Russos nunca treinaram SEAD. Nunca. Nunca treinaram com pacotes. Nunca treinaram integração à tropas em terra ou designação móvel de alvos. Os Americanos fazem SEAD desde 1966. Mesmo sem as aeronaves Stealth eles continuariam fazendo seus ataques e com atividade frenética dos weasels.

Krest

O que esse sead faz?

Leandro Costa

SEAD = Suppression of Enemy Air Defences (Supressão de Defesas Aéreas Inimigas), ou seja são aeronaves com eletrônica, armamento e doutrina que objetivam a destruição ou anulação de defesas antiaéreas, sejam radares, baterias de mísseis, etc., seja via tarefa de escolta de aeronaves atacantes ou mesmo em missões próprias.

José Machado

A pergunta é: o que o faz diferente do RQ-170 Sentinel? Ou do Okhotnik? Fora a carga bélica, parecem estar na mesma categoria, haja vista autônomos, IA, Stealth, software aberto…
Pra custar US$ 200 bi, tem que entregar muiiiiiiita coisa, mas muita mesmo. A indústria bélica americana ficou viciada em cifras estratosféricas com péssima relação custo-benefício.

Maurício.

Na minha opinião, eles estão meio que seguindo os passos europeus nessa questão, por exemplo, os novos projetos da marinha americana, no quesito preço, estão bem elevados. Tem um pessoal que sempre crítica os franceses nessa questão, vamos ver se num futuro, também vão criticar os americanos…

Bruno Vinícius

Cada unidade do B-21 irá custar entre 600-700 milhões de dólares, isso é menos da metade do valor de um B-2. Para o que entrega, é um valor fenomenal.

Agressor's

Sabemos que ele nunca será capaz de sobrevoar os céus da Rússia ou China…

Last edited 2 meses atrás by Agressor's
Gilson Elano

E precisa?

Guizmo

Criança, os céus da China desde 1942, os da Rússia, várias vezes noas anos 50 e 60

Alan Santos

Em 1942 eram os alemães com o Gotha GO 229 e o ME 262 …a lias o F117 é posterior ao MBB Lampyridae dos anos 80 …portando vanguarda ” é relativo , e o primeiro helicóptero viável também é alemão, Focke-Wulf Fw 61 …

Leandro Costa

F117 é anterior ao Lampyridae. O primeiro vôo do Have Blue foi em 1977.

Thiago A.

… embora o conhecimento técnico demostrado pelos alemães seja impressionante e importante, o que realmente importa é quem foi capaz de entregar uma plataforma pronta para a linha de produção e opera-la de verdade, mostrando toda a viabilidade do conceito.

Leandro Costa

Também. Isso não tira o mérito dos alemães, claro. Mas realmente foram os americanos que viabilizaram isso antes.

Carlos Campos

A equipe da Northrop Grumman desenvolve e fornece tecnologia que avança a ciência, olha para o futuro e o traz para o aqui e agora…. essa empresa é mesmo uma casa de inovação, YF23, o B2 são alienígenas para a época que foram apresentadas

Mirão

Depois do F-35 e dos Zunwalt, eu tenho minhas duvidas sempre que os EUA soltam um brinquedo novo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tomara que eles tenham aprendido a lição e não tenham usado um freio fabricado na China dessa vez kkkkkkkkkkkkkkkkkk

diogocld

Achei a cor curiosa, esperava que fosse preto como o B-2. Descobriram um material para pintura stealth mais eficiente?

Donald

Esse é um novo revestimento. Já apareceu fotos de F-22 e 35 com essa mesma cor.

Andre

Aposto um caixa de cerveja que entra em operação antes do pepino da sukoi.

Se o Da Lua quiser, aposto uma caixa com cada alter ego dele que ele ressucitar.

Maurício.

Você tem grande chance de ganhar essa aposta, só não sei se ele pagaria…rsrsrs. Mas eu também aposto uma caixa de Toddynho (como alguns falam…rsrsrs) que a primeira vítima dele vai ser um país do nível de um Panamá e de uma Sérvia, como foi com o F-117 e B-2, quem tem que se preocupar também são as montanhas, principalmente as do Afeganistão, quando os americanos forem caçar alguns barbudinhos de AK e sandália em algum rincão desse mundo…rsrsrs.

Andre

Só não aposto porque acho que a quantidade de países que vão de um Panamá até uma Sérvia, ou mesmo o Iraque de 1991, é muito grande. Em poder militar, no que a Sérvia ou o Iraque tinham nos anos 1990, devem ter uns 170 países ou mais.

Maurício.

Ah, você é esperto, você sabia que perderia a aposta, já que esse B-21 nunca atacaria uma Rússia, uma China, ou até mesmo uma Coreia do Norte…

Marcelo

Ele voa?

Samuel R.

Provavelmente vai servir para chutar a cabeça de ms uma galinha morta , lá pelas bandas do Oriente Médio kkkkkk

Bruno Vinícius

Se o planejamento da USAF para adquirir 100 unidades (número que pode subir para 145) se concretizar, será um salto enorme (quiçá equivalente ao que foi o B-52 em sua época) para a força de bombardeiros americana.

P.S. um par de B-21s carregado de SDBs consegue destruir qualquer sistema de defesa aérea do planeta (ou uma formação blindada inteira)

Last edited 2 meses atrás by Bruno Vinícius
Jefferson Ferreira

Tá na cara que isso se deu, porque China está pra apresentar o seu bombardeiro stealth

SmokingSnake 🐍

Não tem nada de novo para ser de 6ª geração, ainda é capaz de ser pior que o B-2. Para ser de sexta geração teria que ser hipersônico e ter proteção ativa com armas de energia direcionada, desse jeito poderia sobrevoar qualquer país.

pampapoker

Sabe a diferença,ele não e fabricado pela Lockheed Martin.

Walsh

Como o pessoal perde tempo com essa discussão sem fim de “geração”, gente, isso não é um termo técnico, é apenas uma simplificação pra brincar de Super Trunfo. Tenho 50 anos e leio sobre aviação desde os 15 anos, antigamente esse negocio de geração era coisa de nota de roda pé. Com o F-22 e o F-35 isso virou uma ferramenta de marketing, afinal só esta aeronaves eram de “5ª geração”. Agora todo fórum tem essa discussão sem fim sobre se “esta” aeronave é de que geração, como se isso fosse algo serio. Gente isso é só propaganda, desencanem.

Leonardo

Com o avanço tecnológico dos radares cada vez maior, será que ainda é interessante investir mais dinheiro em tecnologia stealth passiva…??

Bruno Vinícius

Todas as grandes potências do mundo acreditam que sim…

Fato é que uma aeronave stealth SEMPRE terá uma vantagem sobre uma que não é. Se um F-35 for detectado a 100 km, um caça de quarta geração será detectado, pelo mesmo radar a 800+km. Outrossim, ter uma assinatura menor aumenta drasticamente a efetividade da interferência eletrônica.

Last edited 2 meses atrás by Bruno Vinícius
Leonardo
Bruno Vinícius

Até isso aí sair do laboratório e entrar em operação ainda vai um bom tempo. E, como toda tecnologia em sua infância, levará ainda mais tempo para amadurecer (o alcance por enquanto – mesmo em laboratório – é extremamente limitado se comparado ao de radares convencionais contra aeronaves não VLO).

https://spie.org/news/quantum-radar?SSO=1

P.S. pesquisadores chineses também expressaram dúvidas quanto ao nível de desenvolvimento da tecnologia

https://www.scmp.com/news/china/article/2054501/can-chinas-quantum-radar-become-even-more-powerful-scientists-may-have

Last edited 2 meses atrás by Bruno Vinícius
Bosdesniavranka

Segue o jogo… Ainda continuam ditando as regras. No dia que ver esses caras a copiar um avião chinês dou o braço a torcer.

Cansado

E o F35 será a primeira aeronave da sétima geração…é que são tantos problemas que, quando resolver tudo, a sexta geração já vai estar sendo aposentada kkkkkkk

Bruno Vinícius

Tão problemático que todo mundo que pode comprar, compra. E vale lembrar que mais F-35s são produzidos em um mês do que a Rússia produziu SU-57s até agora.