quarta-feira, novembro 30, 2022

Gripen para o Brasil

Japão mira rede de 50 satélites para rastrear mísseis inimigos

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O Japão planeja implantar uma rede de 50 satélites compactos em uma órbita baixa da Terra para rastrear mísseis hipersônicos de próxima geração capazes de escapar dos atuais sistemas de defesa, segundo várias fontes.

O sistema de constelação de satélites que está sendo considerado pelo Ministério da Defesa também será útil se for aprovada uma legislação para dar às Forças de Autodefesa a capacidade de atacar bases de mísseis inimigas.

Os satélites, projetados para trabalhar juntos de maneira coordenada e integrada, farão passagens frequentes sobre alvos específicos, dando ao Japão uma janela adicional para avaliar se as unidades militares inimigas estão se preparando para montar uma ação hostil, disseram fontes do governo e da coalizão governista.

“Se o Japão adquirir a capacidade de atacar bases inimigas, os satélites serão úteis para coletar informações sobre os alvos de seus ataques”, disse uma fonte do governo.

Assim que o sistema de satélite estiver instalado, um teste de verificação também será realizado para detectar e rastrear mísseis hipersônicos que continuam mudando de curso à medida que voam acima de Mach 5, cinco vezes mais rápido que a velocidade do som.

O Ministério da Defesa está procurando especificar a estrutura da constelação de satélites no próximo Programa de Defesa de Médio Prazo para o período fiscal de 2023 até o ano fiscal de 2027.

O plano de defesa é um dos três importantes documentos de segurança programados para modificação até o final do ano.

Os planos prevêem que os satélites sejam lançados um após o outro durante o período do programa de defesa. Estão sendo discutidos planos para que organizações privadas lidem com a operação.

Combinado com o uso de imagens obtidas por satélites privados, bem como inteligência dos Estados Unidos, o sistema de constelação de satélites permitirá que o Japão reforce sua capacidade de coleta de informações, disseram autoridades.

FONTE: The Asahi Shimbun

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest

8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Campos

Muito legal, eu aqui defendo a compra de mais satélites SAR para termos uma cobertura quase constante dos países vizinhos e do atlântico sul.

Pedro Fullbacj

Enquanto isso no Brasil, fazemos cerimônia por lançar foguetes…

MARS

E o satélites vão para o espaço por teletransporte, né?

Teropode

Dizem que há T62 , T70 e T80 disponíveis no mercado , a AEB poderia comprar alguns para colocar satélites na baixa e media orbita 🤔

Nonato

Ainda bem que todos os paises do mundo têm isso menos o Brasil, né.
Em tempos de redes sociais posar de autoridade em qualquer área e falar mal do próprio país rende minutos de fama…
Faz o sujeito se sentir importante, recebe os likes de outros haters…
Comportamento de manada.
Um faz, outros seguem…

Adriano Madureira

Foguetes-sonda…

Teropode

Para não ouvirmos aquela frase típica dos canhotos: “Os EUA não irão arriscar um revide nuclear por causa de meia dúzia de japoneses” . Vemos esta frase sempre quando se referem as agressões russas , dito isto eu afirmo que ; sem suas próprias ogivas o Japão corre o risco de sofrer chantagem e no caso de ser atacado terá que somente agir na defensiva por causa da ameaça nuclear, portanto bora montar umas 160 bnuckes para elevar o nível e colocar mais pimenta nesta relação diante de adversários pouco amistosos e revanchistas , sugiro três lançadores submarinos nucleares e… Read more »

Last edited 13 dias atrás by Teropode
Adriano Madureira

e pegue mais lixo sobre nossas cabeças…

Últimas Notícias

Embraer recebe pedido de cinco aviões E195-E2

São José dos Campos - SP, 30 de novembro de 2022 – A Embraer recebeu um novo pedido firme...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -