sexta-feira, dezembro 2, 2022

Gripen para o Brasil

Embraer entrega E-Jet de número 1.700

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

São José dos Campos – SP, 29 de setembro de 2022 – A Embraer atingiu um novo marco no programa E-Jets de jatos comerciais ao entregar a aeronave de número 1.700. Um E195-E2, adquirido pela Aircastle, foi entregue à KLM Cityhopper durante cerimônia ocorrida na Embraer em São José dos Campos.

Desde 2004, quando entraram em operação, os E-Jets são um sucesso global, voando em frotas de 150 companhias aéreas e empresas de leasing de mais de 50 países. O E195-E2 faz parte da avançada geração da família de E-Jets, cujas aeronaves são as mais silenciosas, menos poluentes e mais eficientes no consumo de combustível no segmento de até de 150 assentos.

O E195-E2 é o maior avião comercial da Embraer com capacidade para até 146 passageiros. A configuração KLM Cityhopper tem 132 assentos divididos em três áreas de cabine – classe executiva, economy comfort e econômica. Este é o 60º E-Jet da companhia aérea holandesa, que opera uma frota mista de 47 jatos de primeira geração e 13 E2 de nova geração, a maior da Europa. A KLC tem uma encomenda para mais 12 jatos E195-E2, com opção para outros 10.

Durante a cerimônia no Brasil, Warner Rootliep, Diretor da KLM Cityhopper, destacou a eficiência do E2: “estamos orgulhosos que, com a mais recente adição à frota da KLM Cityhopper, a Embraer alcance este marco, ou seja, a entrega da aeronave produzida de número 1.700. Um grande momento para celebrar os muitos anos de colaboração entre a KLM Cityhopper e a Embraer. Este E2 será muito importante para seguirmos em frente com o objetivo de nos tornarmos um dos líderes em sustentabilidade da indústria da aviação.”

Francisco Gomes Neto, Presidente e CEO da Embraer, atribuiu a longevidade do programa de E-Jets à melhoria contínua: “estamos sempre procurando formas de tornar nossas aeronaves mais eficientes – seja reduzindo custos operacionais, seja estendendo intervalos de manutenção ou adicionando novas tecnologias. Recentemente, os jatos E2 provaram que podem voar com 100% SAF, o que os torna ainda mais sustentáveis.” Gomes Neto também citou a liderança da KLM no campo ambiental: “não consigo pensar em um cliente mais adequado do que a KLM para demostrar os atributos sustentáveis do E2.”

A inovadora família de E-Jets da Embraer tem transformado a aviação comercial. O programa já registrou mais de 1.900 pedidos firmes de mais de 100 clientes. Atualmente, 80 companhias aéreas voam com os E-Jets da Embraer. Estes aviões versáteis voam em todos os continentes com companhias aéreas tradicionais, de baixo custo e regionais.

Siga a Embraer no Twitter: @Embraer

Sobre a Embraer

A Embraer é uma empresa aeroespacial global com sede no Brasil. Fabrica aeronaves para clientes da aviação comercial e executiva, Defesa & Segurança e Agrícola. A empresa também fornece serviços e suporte pós-venda por meio de uma rede mundial de entidades próprias e agentes autorizados.

Desde que foi fundada em 1969, a Embraer já entregou mais de 8.000 aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola em algum lugar do mundo, transportando mais de 145 milhões de passageiros por ano.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e é a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviços e distribuição de peças nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

15 Comments

Subscribe
Notify of
guest

15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
diogocld

Eu tenho uma curiosidade, que talvez os colegas possam responder. Nas inúmeras vezes que voei pelo Brasil foram em grande parte em aeronaves Airbus. Trata-se de coincidência ou as empresas brasileiras parecem ter uma predileção pela empresa europeia?

Saudações.

Elias

Pois é, vai vc comprar um carro importado, sobretaxado até no parafuso , vivemos em castas sociais adoramos 0s $4p0$S bharbudo$$..

Henrique

financiamento dos Airbus é muitas vezes melhor que os da Embraer e também tem o problema de que o Brasil fica fica oscilando entre os voos que são regional (foco da Embraer) e os que ficam entre o regional e os media-longa distancia, onde os aviões da Airbus/Boeing faturam. Outro ponto é que se você já tem tripulações de Airbus disponível no mercado você vai montar a companhia com essas tripulações, principalmente se for low cost. . não é questão de “ahh avião favorito” é questão de o dinheiro da companhia aérea disse que tem que ser isso cabo… .… Read more »

João Adaime

Caro diogocld Na verdade temos uma mistura de aeronaves no Brasil. A GOL utiliza Boeing. A Latam usa Airbus em vôos domésticos e Boeing em rotas internacionais, com muito maior número de Airbus. A Azul opera Embraer, ATR e Airbus, uma vez que sua malha vai desde pequenas cidades no interior do Brasil até Europa. Só como curiosidade, a Azul possui dois Boeing 737-400 exclusivamente para cargas. A empresa européia possui mais aviões aqui no Brasil. Logo, as chances de embarcar num Airbus são maiores do que num Boeing. Sem contar que conforme a cidade ou o horário as únicas… Read more »

Azul.jpg
Last edited 2 meses atrás by João Adaime
Rinaldo Nery

Não é nem coincidência nem predileção: é o custo e o modelo de negócio (regional, doméstico, internacional). O que conta é o ASK, ou seja, quantidade de passageiros vezes kilômetros voados; e também o custo do combustível. O E195E1 leva 118 pax; o E195E2, 136; o A320Neo, 174; e o A321Neo, 214. Qual a distância da rota e qual a demanda de passageiros pra essa rota? É assim que funciona. No mercado doméstico brasileiro (um País continental, com rotas de até 04 horas), o A320 é mais lucrativo. Nas rotas regionais o E195E2 é mais lucrativo. Essa é a vantagem… Read more »

João Adaime

Ótima explicação comandante.
Esqueceu de citar o ATR que em rotas de uns 400 km e com baixa demanda, é mais vantajoso do que o E175. É mais vantagem ainda pra Azul.
Abraço

Rinaldo Nery

Sim. Também voei o ATR.

diogocld

Obrigado pelas respostas esclarecedoras, senhores.

André Bueno

Li notícia de que a SalamAir, de Omã, firmou pedido para doze unidades de E-195 E2.

LucianoSR71

Não é ainda pedido firme, o que foi assinado é um Memorando de Entendimento (MoU) abrindo negociações e chegando a bom termo ( que é o que esperamos que aconteça ) aí sim assinar a compra.

Filipe Prestes

Se com esse MoU tiverem limado o A-220 da história, já tá valendo muito. Ainda dói lembrar os casos da JetBlue, Breeze e SkyWest, mesmo que no caso dessa última tenha sido culpa da scope clause do sindicato dos pilotos. Eram 100 unidades -50 E-175 E2 e outros 50 E-190 E2 – na carta de intenções da SkyWest bicho…

Matheus

Skywest nunca assinou carta de intenção pro E190-E2.

Filipe Prestes

Creio que assinou sim, Matheus. Se não me engano, isso foi lá em 2015 no Paris Air Show. A Sky West fez o anúncio dessa LoI junto com a AerCap, que encomendaria 100 unidades, sendo metade pro 175 e outra para o 190 e outras 50 seriam para a AerCap. No Q3 de 2019, motivada principalmente pela scope clause a SkyWest cancelou tudo mas salientou que mantém interesse nos E-175 E2 e esperaria pela revisão dos termos da cláusula. A AerCap manteve seu pedido pelos 50 190 e 195 E2.

Fernando EMB

A Skywest nunca assinou LoI para o E190E2.

Santana

Sem dúvidas um programa de sucesso da Embraer,mas acho que mais de 50% desse número aí são dos E 175 da primeira geração,e que ainda continua a fabricar,eu gostaria mesmo e de ver esses número aumentar mas com os E2 190/195 na vanguarda

Últimas Notícias

VÍDEO: Documentário ‘Highway’ sobre operações aéreas em rodopista na Tchecoslováquia, em 1980

O documentário "Highway" foi filmado pelo Checoslovak Army Film no outono de 1980 durante um exercício militar entre os...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -