domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

Força Aérea Francesa faz escala na Índia durante missão no Indo-Pacífico

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Um contingente da Armée de l’Air et de l’Espace, incluindo três jatos Rafale, foi hospedado para uma escala técnica na Estação da Força Aérea Sulur, Índia, de 10 a 11 de agosto de 2022, durante um desdobramento de longa distância da França metropolitana ao Oceano Pacífico

De 10 de agosto a 18 de setembro, a Força Aérea e Espacial Francesa está realizando uma importante missão de longo alcance no Indo-Pacífico, codinome Pégase 22. A primeira etapa desta missão visa demonstrar a capacidade da França para projeção de poder aéreo de longa distância, destacando um contingente da Força Aérea da França metropolitana para o território francês da Nova Caledônia, no Oceano Pacífico, em menos de 72 horas (10 a 12 de agosto). Para alcançar esse desdobramento sem precedentes de 16.600 km, o contingente da Força Aérea fez uma escala técnica na Índia, na Estação da Força Aérea Sulur.

O contingente é composto por três jatos Rafale, dois aviões-tanque A330MRTT e dois A400M. Aterrissando na Estação da Força Aérea Sulur na noite de 10 de agosto, voou nas primeiras horas de 11 de agosto após o reabastecimento, a caminho da Nova Caledônia. A operação demonstrou um alto nível de confiança mútua e interoperabilidade entre as Forças Aéreas Francesa e Indiana, o que foi ainda mais impulsionado pelo fato de ambas as Forças Aéreas agora voarem com jatos Rafale. Também ilustrou a implementação concreta do acordo de apoio logístico recíproco assinado pela França e pela Índia em 2018.

Elogiando o papel da IAF nesta operação bem-sucedida, o Embaixador da França na Índia, Sua Excelência o Senhor Emmanuel Lenain, disse: “A França é uma potência residente do Indo-Pacífico, e esta ambiciosa projeção de poder aéreo de longa distância demonstra nosso compromisso com a região e nossos parceiros. É natural que, para cumprir esta missão, contemos com a Índia, nosso principal parceiro estratégico na Ásia. Meus sinceros agradecimentos à Força Aérea Indiana por receber o contingente francês.”

Nas etapas seguintes da Missão Pégase 22, o contingente da Força Aérea Francesa participará do exercício aéreo “Pitch Black” que acontecerá na Austrália de 17 de agosto a 10 de setembro. A Força Aérea Indiana também participará desse exercício multilateral, juntamente com Austrália, Japão, Estados Unidos, Alemanha, Indonésia, Singapura, Reino Unido e Coréia do Sul.

A missão Pégase 22 é uma demonstração poderosa da capacidade da França de desdobramento rápido no Indo-Pacífico. A missão também é prova de que a situação de segurança na Europa não diminuiu o compromisso francês e europeu no Indo-Pacífico. Nesse sentido, também visa fortalecer os laços com os principais parceiros estratégicos, como a Índia, e destacar o apoio da França à segurança e estabilidade na região.

FONTE: Embaixada da França em Nova Deli / FOTOS: Armée de l’Air et de l’Espace

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest

14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hellen

A modernização sera padrão OTAN = igual da imagem acima !!!!

Marcelo

A índia não perdeu tempo,adquiriu 4 tu-160 russos para fazer frente aos chineses !!!!
Imagino a fortuna (Bilhões de dolares ) que os indianos estao pagando aos russos !!!!

Heinz

Serio??

Marcelo

Meu comentário com o link sobre a aquisição do Tu-160 pela Índia esta bloqueada pelo moderador!!!
So fazer um pesquisa no google !!

Thiago A.

Pelo que eu vi, é uma possibilidade, uma especulação baseada nas falas de um brigadeiro da IAF.

“Segundo relatos, ainda a serem confirmados pelo governo, a Índia está se preparando para alugar seis bombardeiros de longo alcance Tu-160 (também conhecidos como bombardeiros estratégicos) da Rússia, entre as aeronaves militares mais formidáveis ​​já construídas”

De algum jeito a Rússia deve compensar o apoio recebido dá Índia até agora, liberar a venda ou alugar esses bombardeiros estratégicos é só o começo. A
Rússia deverá vender até às cuecas para sair do atoleiro que se enfiou rsrsrs

Heinz

Qual a sua fonte para a sua afirmação?

Welington S.

Que é o que lhe falta.

Marcelo

Não duvido nada se FAB optar pela opção mais simples (pé de boi )

images (3).jpeg
Adriano RA

É chato não perceberem que há muito deixaram de ser uma “potência do Indo-pacifico”…

rui mendes

Só na tua cabeça, filho.
Inveja é f!”$

Carlos Campos

não é uma questão de perceber ou não, é só uma realidade, pelo menos tentam manter alguma presença.

Vendéen

Olá Roberto,

No que diz respeito ao equipamento dedicado ao reabastecimento em voo do brasileiro “A-330 MRTT”.
Checar:
“Se acreditarmos nessa imagem veiculada pela Força Aérea Brasileira, o futuro MRTT será equipado apenas com naceles com cesto e mangueira flexível sob a asa e não terá uma lança rígida sob a fuselagem”
Fonte:
comment image?w=1000&ssl=1
https://www.aerobuzz.fr/breves-defense/le-bresil-soffre-deux-airbus-mrtt/

excelente dia a todos

Vendéen

Esta região (o Indo-Pacífico) vai receber alguns visitantes inusitados. Pela primeira vez, a Luftwaffe está implantando caças no Indo-Pacífico (6 EF-2000 – 4 A-400M) com o apoio de 3 A330 MRTT da Frota Multinacional MRTT da OTAN [MMF] / Operação: “Rapid Pacific 2022″. “Esta é a maior e mais ambiciosa implantação já realizada pela Luftwaffe” “A partir daí, os Eurofighters alemães seguirão a direção de Darwin, na Austrália, onde se juntarão aos três Rafales da Força Aérea e Espaço [AAE] da missão Pegase 2022. Lá, participarão do Pitch Black 22 e Kakadu 22 exercícios. Depois eles irão para o Japão… Read more »

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -