segunda-feira, agosto 8, 2022

Gripen para o Brasil

Rafael apresenta o míssil de cruzeiro Ice Breaker

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Rafael Advanced Defense Systems anunciou planos para revelar este mês um novo míssil lançado do ar que pode operar a uma distância de até 300 quilômetros (186 milhas).

O Ice Breaker, que a empresa israelense disse que fará sua estreia pública no Farnborough Airshow de 18 a 22 de julho, faz parte de uma família de mísseis que inclui o Sea Breaker, revelado no ano passado.

Diz-se que o míssil Ice Breaker é capaz de trajetórias baixas, apresenta qualidades de baixa observação – ou tecnologia furtiva – e pode funcionar de forma autônoma ou em modo man-in-the-loop. Um funcionário da Rafael disse que a arma de quinta geração pode ser lançada de uma variedade de aeronaves e helicópteros, citando especificamente o helicóptero Puma, bem como os jatos Gripen, FA-50, M-346 e F-16. O Gripen pode transportar seis mísseis Ice Breaker e o F-16 pode transportar sete, disse.

O míssil é independente do GPS, para ataque único ou em salva.

A empresa informou em comunicado que o míssil usa inteligência artificial, tecnologia de aprendizado profundo e “correspondência de cena baseada em big data, permitindo a aquisição automática de alvos (ATA) e reconhecimento automático de alvos (ATR)”.

FONTE: Defense News

- Advertisement -

22 Comments

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Varg

O Brasil tem certa tradição no uso de mísseis israelenses, mas será que nunca houve interesse de nenhum dos lados em parceria de desenvolvimento conjunto para tais armas?

Bruno Vinícius

A vida dos sistemas AA está cada vez mais difícil.

Last edited 26 dias atrás by Bruno Vinícius
Marcelo M

Parece ser um míssil caro. Bem caro. O Brasil não deveria olhar para o lado e centrar seus recursos no AV TM 300 Matador, possivelmente desenvolvendo versão ar terra.

Régis

Acho que estavam desenvolvendo o MiCLA para uso em aeronaves! Mas não vi mais qualquer notícia recente a respeito da situação do projeto.

Fernando "Nunão" De Martini

Régis,

Publicamos matéria sobre o andamento do MICLA há cerca de 2 meses:

https://www.aereo.jor.br/2022/05/17/sugestao-de-leitor-em-que-pe-esta-o-micla-br/

Bruno Vinícius

Apesar de eu concordar que devemos focar no desenvolvimento do Matador e MICLA, pelas dimensões desse míssil israelense, desconfio que ele não seja tão caro assim não.

Last edited 25 dias atrás by Bruno Vinícius
Rui Chapéu

Pq empresas de armas agora tem nome de pessoas?

Rafael…. Leonardo….

Tá faltando só a Michelangelo e o Donatelo!

Equilibrium

Será que porque a Leonardo é Italiana e Leonardo da Vinci que fazia já os primeiros desenhos de artefatos voadores também era? E Rafael é um acrônimo do hebreu para “Autoridade para o Desenvolvimento de Armamentos”. Nunca foi de agora que as empresas de armamento tem nome de pessoas. Boeing, Lockheed Martin, Douglas, Neiva…

Equilibrium

Messerschmitt, McDonnell, Ford, Junkers, Dornier, Fairchild,.Focke-Wulf etc etc etc..

Chevalier

Aqui temos que lançar a empresa de mísseis Jorge.

Neto

Bio ou Severino

Rafael Costa

Com o lançamento deste míssil, o Delilah pode ser considerado já antigo para sua função ?

Foxtrot

Enquanto continuamos a desenvolver o MT-300 e Micla-BR, surge outro concorrente no mercado internacional.

Wilson

Já se sabia que existiriam muitos mísseis destes no mercado mas, se se o MICLA sair do papel será um bom investimento em soberania e tecnologia. Claro que sempre existe o risco dele seguir o rumo do MAR-1, A-Darter, TPN e tantos outros projetos que só serviram para engordar bolsos desconhecidos e conferir honrarias a “peritos” e demais puxa-sacos sem respeito pelo $ do povo Brasileiro.

Foxtrot

Exatamente.
O mais interessante é que todo o mundo (literalmente) mostra vídeos de testes de seus sistemas, só no Brasil que míssil é tratado com “sigilo absoluto” e tecnologia alienígena.
Sinceramente eu não entendo como a Avibras aceita isso.
Não se vende o que não se pode mostrar e nem se sabe se está pronto.

Antonio Cançado

Taí, gostei…

Thiago A.

Entre as várias plataformas cogitadas para lançar o míssil aparece uma (0.36) aeronave turboélice de ataque leve que aparenta ser a bem sucedida máquina da Embraer.

Screenshot_20220713-132335.png
Carlos Campos

imagina o A29 armado com um míssil de última geração capaz de invadir áreas bem protegidas por AA

Nonato

Os Estados Unidos poderiam mandar uns 100 para a Ucrânia…

Carlos Campos

Israel ia dar armas, mas aí a Rússia lembrou que pode atingir eles na Síria, aí desistiram de ajudar com armas.

AMSS

Na verdade isso aí já mudou.

Se atualize, a Rússia acusou o governo de Israel de ser nazista (?!?!?!?), aí o pessoal da estrela de David ficou com a pá virada e levantou o veto de doação de armas de origem israelense para a Ucrânia.

AMSS

Aos 35 segundos do vídeo, é impressão minha ou usaram um A-29 Super Tucano como exemplo de aeronave que poderia operar o Ice Breaker?!

Últimas Notícias

USAF avalia lançamentos de mísseis do F-15EX para verificar capacidade de combate

BASE DA FORÇA AÉREA DE NELLIS, Nevada (AFNS) — Os membros da equipe do Destacamento 6 do Centro de...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -