quarta-feira, agosto 10, 2022

Gripen para o Brasil

VÍDEO: Colaboração Real 4 – Episódio 15 – O Comando de Preparo

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A implementação de um sistema como o Gripen Brasileiro, gera um grande desafio para os profissionais que conduzem esse processo.

Por isso o trabalho do Comando de Preparo (COMPREP), organização responsável pela implantação de novos vetores na Força Aérea Brasileira é essencial.

Saiba mais sobre as atividades do COMPREP neste episódio!

- Advertisement -

42 Comments

Subscribe
Notify of
guest

42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jadson S. Cabral

Aproveitando o assunto, qual será o capacete que os pilotos da FAB usarão no Gripen? Esse mesmo que já aparece nas imagens? Ele não parece muito simples? O Gripen não usaria aquele capacete moderno com mira que possibilita o piloto acompanhar o alvo com o movimento da cabeça ou eu estou enganado?

VFA-31

Vai ser utilizado o TARGO HMD.

Jadson S. Cabral

Obrigado. Acabei de pesquisar sobre aqui. É que não se fala muito nele, mas é bom saber que é desenvolvimento brasileiro e que a Suécia também o usará, assim como o WAD.

Camargoer.

Olá a todos. E o 4103 e 4104? Eita.

Saldanha da Gama

2!!!
E aproveitando, por onde anda a tão falada parceria saab/Embraer, já que optaram pelos c130 ao invés dos K390…

Rodrigo M

Concordo Saldanha, mas é como diz a máxima “O que é combinado não sai caro” creio que essas tratativas deveriam ter sido feitas entre os governos durante a fase de contrato.
Faltou visão?

Nilo

Anda satisfatória a FAB, já que não existe um acordo de compra casada, vc compra meu Gripen e eu compro seu KC390

Adriano Madureira

“E aproveitando, por onde anda a tão falada parceria saab/Embraer, já que optaram pelos c130 ao invés dos K390″… Se eles optaram pelo C-130 Saldanha da Gama, foi devido aos atrasos do programa KC-390. A Suécia sempre mostrou interesse no KC-390,como alternativa para a substituição das suas aeronaves Hercules C-130,porém com os atrasos no cronograma de desenvolvimento eles não tiveram como esperar, pois o primeiro protótipo estava ainda em fase de montagem final, que ocorreu lá em 2014. A época havia um atraso oficial de 18 meses no cronograma do Programa do KC-390 por atrasos orçamentários. E os suecos, por… Read more »

Camargoer.

Olá Saldanha. Supondo que o Brasil condicione o segundo lote de F39 á venda de KC390 para a Suécia. O que aconteceria se a Suécia se negasse a comprar o avião de transporte, o Brasil iria desistir do F39?

Augusto

Estão para a FAB como o Riachuelo está para a Marinha: seriam entregues, no máximo, até o fim do 1o semestre de 2022. Não mais. E ninguém ouviu mais um pio.

Renan

Era no primeiro bimestre, digo primeiro trimestre, digo primeiro semestre..
Aliás, é pra esse ano ainda..
ZzZzZz..

BK117

Caro Camargoer, eles vêm provavelmente em setembro, seguidos de mais dois em dezembro.
Veja aos 24:34:
https://youtu.be/XqT46olXXYQ?t=1474

Camargoer.

Olá BK. Obrigado. No fim do ano passado, vimos o 4103 e 4104 voando. Será que as instalações em Anápolis atrasaram tanto assim ao ponto de ser inviável receber os dos aviões? Que coisa estranha, não acha?

Fernando "Nunão" De Martini

Camargoer, É uma possibilidade. No ano passado, circulou a informação de que as duas primeiras entregas de 2022 iriam para Gavião Peixoto para avançar na campanha de certificação e as duas aeronaves seguintes iriam para Anápolis para iniciar a familiarização com os procedimentos de emprego em base operacional. Os dois últimos aviões dos seis previstos para este ano, na última atualização de cronograma, eu já não sei onde se planeja alocar, Gavião Peixoto ou Anápolis. Pode ser, de fato, que estejam ainda na Suécia por conta de algumas obras faltarem em Anápolis, e que foram cobertas pelo orçamento normal da… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Rinaldo Nery

Os F-5 não operaram em Anápolis, por conta de uma briga ridícula entre COMAT e COMDA. Foram operar em Guaratinguetá, onde ocorreu um acidente por ingestão de pássaro. Brig Quírico contou essa história, publicada aqui.

Fernando "Nunão" De Martini

Pois é, uma briga simplesmente absurda.

Camargoer.

Olá Rinaldo. O que são o COMAt e o COMDA? Por que essa briga?

Rinaldo Nery

COMAT = Comando Aerotático. COMDA = Comando de Defesa Aérea. O 1° GAVCa era subordinado ao COMAT (o QG ficava no Santos Dumont, no hangar do COMAR 3), e o COMDA era o comando operacionaldo 1° GDA (à época, 1a ALADA), com QG em Brasilia. O povo ( ia chamar de imbecis, mas deixa pra lá…) do COMAT simplesmente não quis pedir pro COMDA pra usar a pista de Anápolis, sabe-se lá por que motivo. Chuto que, talvez, ambos comandantes não se dessem bem, à época… Quando eu servi na 2a ELO, éramos subordinados ao COMAT. Esse caso é tão… Read more »

Rinaldo Nery

A mudança do antigo COMGAR (hoje COMPREP) do prédio do COMAER, da Esplanada dos Ministérios para a área do COMAR VI (ao lado da pista do aeroporto JK), melhorou bastante o ambiente de trabalho, visto que o local lembra uma Unidade Aérea. Além de estar ao lado da pista, permitindo que as UAE possam se dirigir ao COMPREP com suas próprias aeronaves. Imagino que o COMPREP, atualmente, esteja com uma carga de trabalho enorme, em virtude da implantação dos KC-390 e dos F-39. Mas, o trabalho tem sido executado com maestria. Parabéns ao amigo TB Almeida (EPCAR 78) e sua… Read more »

SGT MAX WOLF FILHO

Infelizmente não quero ser mãe Diná, mas Gripen vai Flopar, todo mundo escolhendo o F-35, até que alugou Gripen não quer mais… não vai ter lacração com Gripen NG

JSilva

Ainda tem espaço pra ele (pra quem adquiri-lo nesta década).

Para Forças Aéreas que não tem condições de operar somente com F-35, um hi-low com Gripen parece ser uma excelente opção. Fora os países que não tem condições de operar 5ª geração.

Agora, para países que tem recursos para operar F-35, é lógico que ele não vai ganhar, assim como os seus concorrentes 4,5g. Alemanha e Canadá, que anteriormente iriam de F/A-18 E/F, também já aderiram ao F-35.

Last edited 1 mês atrás by JSilva
SGT MAX WOLF FILHO

Quem não tem Money está investindo em Drone, porque ter caça de 4 geração pra baixo hoje em dia é a mesma coisa de não ter nada, veja o resultado da Ucrânia. So serve para desfile do dia da independência.

Claudio

Seria bom pra fab sair das garras dos Estados Unidos e fazer parceria com os chineses pra ter o j-31

C468CB06-CB56-4647-B252-AB739F216EF4.jpeg
Anthony

Se quer falar kk, o faça sem usar o nome de um Herói… Aff!

Teropode 🇺🇦Slava Ucraina

O futuro do Gripen E/F é no Brasil ?

Atirador 33

Essa pintura dos Gripens na vídeo sao bem legais, até os profissionais da FAB curtem, pq será que não adotam.

Roberto

Aonde estão os dois F39 que ficaram prontos em jan22, além dos dois que já vieram, porque a Saab não quer entregar

Nonato

Falavam que o pagamento só começaria após a entrega do último gripen do primeiro lote.
Alguém confirma?
Imagino que a União já deve ter gastado algum dinheiro nessa fase inicial.
No mínimo com treinamento de equipes.
Alguém sabe informar?
Foram 5 bilhões de dólares?
Como serão os pagamentos?
Por mim, já teriam iniciado o pagamento.
Ficaria mais leve depois.
Já faz 9 anos que foi feita a escolha
Já poderia ter sido pago 1 a 2 bilhões ou guardado numa conta.

Fernando "Nunão" De Martini

Nonato,

Desde 2015 se faz pagamentos das garantias do contrato. Tem informes a respeito nos relatórios da FAB ao TCU.

O grosso do contrato é em coroas suecas, uma pequena parte é em dólares. Da última vez que vi cotação, dava menos que US$ 5 bi

Camargoer

Olá Ninao. São SEK$ 39 bilhões. Acho que hoje a coração fica em US$ 4 bilhões.

Camargoer

Olá Nonato. O pagamento começou com a entrega do primeiro F39, ou seja, o 4100.

Nonato

Ninguém fala do gripen F.
Não seria a Embraer que iria desenvolver?
Já está desenvolvendo?
Como será?
Será mais longo?
Terá maior peso?
Perderá desempenho devido ao maior peso?

Fernando "Nunão" De Martini

Nonato, vc precisa se atualizar. Já se falou muito do Gripen F. O desenvolvimento é da engenharia Embraer em parceria com a da Saab e outras empresas parceiras, pessoal brasileiro foi fazer treinamento e desenvolvimento conjunto na Saab sueca e suecos vieram pra cá, e o processo prosseguiu tanto nas instalações de Gavião Peixoto, no centro conjunto inaugurado lá, quanto na Suécia. Em 2016 pude conhecer pessoalmente alguns dos engenheiros e engenheiras do Brasil trabalhando nisso na Suécia, publiquei matérias aqui na época. Sim, o Gripen F será mais longo, tal qual o Gripen D, biposto, que é mais longo… Read more »

Rodrigo

Dois anos.. Dois anos e até agora nada..
E estamos falando de 1 (um) avião, não são 10 nem 20, mas 01 (UM)!!!
Putz.. Estamos bem.
Talvez isso ajude a explicar porque nações sérias escolhem o F-35.

Alexandre Galante

Para quem se contenta em comprar caixa preta, o F-35 é ótimo.

Camargoer.

Caro Rodrigo. O F35 foi adquirido por três tipos de países. 1. Os que participaram do desenvolvimento do caça e por isso têm o envolvimento de suas empresas em sua produção (EUA, Canadá, Inglaterra, Itália, etc). Parece razoável que estes países o escolham. 2. Países sem participação no programa e sem industria aeronáutica local, mas com balança econômica desequilibrada com os EUA em função da exportação de petróleo (Arábia Saudita e Emirados Árabes). 3. Pequenos países na esfera de influência econômica e política dos EUA e com fortes laços com a OTAN. O F35 foi oferecido ao Brasil fora da… Read more »

Rodrigo

Olá Camargoer, Citei o F-35 apenas como um exemplo aleatório, conheço as características do programa. Eu sou muito cético em relação a essa conversa de ToT. Aliás desde o inicio do primeiro programa FX (décadas atrás) nunca me iludi com isso. Fosse isso tudo, seria mais usual mundo afora, não é o que vejo. Acredito apenas na edução e investimento pesado em ciência, coisa que países detentores de tecnologia fizeram e fazem. Comprar um pacote com alguns “plus” a mais não acredito que fará toda essa diferença, ainda mais se tratando de Brasil, onde nunca existiu visão de Estado e… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo
Camargoer.

Caro Rodrigo. Existem dois caminhos. No primeiro, cada país desenvolve a sua própria tecnologia, passando muitas vezes pelos mesmos gargalos. este caminho é caro e leva muito tempo e eventualmente os países mais atrasados acabam barrados e se tornam dependentes dos países desenvolvidos. O segundo caminho é por meio da colaboração internacional. Este outro caminho também é caro mas permite queimar algumas etapas, reduzindo o tempo de desenvolvimento tecnológico. A Embraer é resultado da combinação destes dois caminhos. A produção do AT26 sob licença e depois da participação no AMX (e até o Xingu) foram exemplos de colaboração nas quais… Read more »

Rinaldo Nery

A EMBRAER aprendeu a fazer software de comandos de vôo supersônicos, bem com trabalhar com materiais compostos para vôo supersônico. Coisa que ninguém ensina de graça. Se isso não é ToT, eu não sei o que é….

Rinaldo Nery

Ruim quando você tem uma falsa narrativa desconstruída, né? Daí vem as negativas, ou deslikes…

Wellington Góes

Segunda vez que vejo uma foto de divulgação oficial, que o piloto fica na frente de onde ficaria o IRST… Isso é proposital, para não gerar perguntas sobre a não instalação dele é?! Rsrsrs
Mas afinal, não era só plug and play?! 🤔

Icaro

Cade os sensores de IRST dos nossos gripen gente????

Últimas Notícias

Ucrânia diz que 9 aviões de combate russos foram destruídos em explosões na Crimeia

KYIV, Ucrânia (AP) - A Força Aérea da Ucrânia disse na quarta-feira (10) que nove aviões de combate russos...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -