Substituição de velhos Sikorskys faz parte da farra de gastos depois que a Rússia invadiu a Ucrânia

A Alemanha anunciou que comprará uma frota de helicópteros de transporte Chinook CH-47 como parte de uma atualização de € 100 bilhões (US$ 107 bilhões) de suas forças armadas depois que a Rússia invadiu a Ucrânia.

Os 60 Chinooks substituirão uma frota antiga de helicópteros Sikorsky CH-53G que foram usados ​​pela primeira vez pelos militares da Alemanha Ocidental na década de 1970.

Eles foram escolhidos à frente de um modelo Sikorsky mais moderno porque o Chinook é amplamente utilizado na Europa e permitirá mais cooperação militar entre a Alemanha e seus vizinhos, disse a ministra da Defesa, Christine Lambrecht.

A ordem faz parte do que o chanceler Olaf Scholz descreveu como um momento decisivo para as forças armadas da Alemanha após anos de subinvestimento.

Lambrecht não disse quanto custaria os 60 novos helicópteros, mas a mídia alemã informou um valor de € 5 bilhões do montante de € 100 bilhões. O pedido precisará de aprovação dos deputados.

A fabricante americana Boeing, que fabrica os Chinooks, disse que está trabalhando com empresas como Airbus, Lufthansa e Rolls-Royce para fornecer a nova frota.

“Com o Chinook, a Alemanha operará o helicóptero de transporte pesado mais acessível, comprovado e interoperável da Otan”, disse a Boeing.

“Estamos comprometidos em fornecer a máxima disponibilidade operacional para a Bundeswehr alemã nas próximas décadas.”

Os membros da Otan Grã-Bretanha, EUA, Itália, Holanda, Grécia, Espanha, Turquia e Canadá já usam o Chinook.

O helicóptero de dois pilotos pode transportar mais de 50 soldados ou 10 toneladas de carga e é normalmente usado para reabastecimento ou resgate de vítimas de um campo de batalha.

A Alemanha também anunciou que comprará caças americanos F-35 para substituir seus Tornados da Guerra Fria, uma decisão que Lambrecht disse ter sido adiada por muito tempo sob governos anteriores.

O gasto único é um acréscimo ao orçamento militar regular da Alemanha, que está subindo este ano para mais de € 50 bilhões, mas está abaixo da meta da Otan de 2% do produto interno bruto.

O governo e a oposição concordaram esta semana com um acordo para votar os fundos extras no parlamento, onde é necessária uma maioria de dois terços para isentar o orçamento especial dos limites da dívida.

Scholz disse que a Alemanha tentará atingir a meta de gastos da Otan a partir de 2024. Vários outros países europeus, incluindo Polônia, Lituânia, Dinamarca e Noruega, anunciaram planos para aumentar seus orçamentos militares.

FONTE: The National

VEJA TAMBÉM:

https://www.forte.jor.br/2022/05/31/alemanha-mudara-constituicao-para-permitir-fundo-de-defesa-de-us-110-bilhoes/

Subscribe
Notify of
guest

88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Angelo

O Bicho é parrudo…..q beleza de máquina…

109F-4

Belo vetor👏

Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Acho que o Exército deve focar nos helicópteros de ataque agora.., más à longo prazo seria uma ÓTIMA compra, já que 4 transportam 1 batalhão…, más precisariam de helicópteros de ataque de apoio…, pois são 100 vidas que cada um transporta…, os helicópteros franceses agora dá para ir levando os Dauphin/ Cougar… Na Amazônia vi em vídeos…, para abrirem crateras para o Cougar pousar, maior trabalho…, imagina esse que é bem maior…, o comando do exército deve ter estudos desses helicópteros e optou pelos sherpas por algum motivo, fora o custo: hora x máquina… No Afeganistão tiveram esses helicópteros derrubado… Read more »

Flanker

Um CH-47 leva 100 pessoas? Acho que tu estás enganado. Cada um leva 55 soldados.

Angelo
Alberto

Grande parte dessa quantia vai parar no bolso do tio Sam… Já está parando…

Rodrigo Martins Ferreira

A indústria local fabrica tudo que eles precisam e a um preço aceitável ?

Eles precisam de equipamento que funciona e que de para operar..

vão comprar onde ? Na Rússia ?

Gabriel BR

Com um orçamento de 110 bilhões dá para manter uma industria top de linha de qualquer área

Nelson Junior

Já aprovarão !!!

Além de aumentar o gasto REGULAR para 2% do PIB anual algo em torno de U$ 50 bi

https://www.defensenews.com/global/europe/2022/06/03/budget-boost-in-hand-germany-puts-more-sub-hunting-planes-on-its-shopping-list/

O PIB Americano vai dar um salto estratosférico com tanta venda de armas, aguardem

Só pra Alemanha já tem encomenda de P8 Poseidom, F-35, CH-47F, etc…

Mais uma vez, parábens ao Putin, por acordar o Ocidente de seu sono profundo

Silvano

“””O PIB Americano vai dar um salto estratosférico””” Mas é craro, vai sim… a única coisa que está dando um salto estratosférico por lá é a inflação e o desemprego… viu a última daquela senhora Janet Yellen, a última foi ela dizer diz que errou ao subestimar inflação, e a penúltima sabe qual foi???? Precisamos de um novo “”bretton woods””” sabe o que isso significa?? vou explicar: Bretton Woods é a cidade onde foi feito o acordo que criou o FMI, Bretton Woods é sinônimo de FMI na economia, mas o que isso tem a ver?? sabe, é que os… Read more »

Nelson Junior

Escuto esse Blá Blá Blá sobre a economia Americana faz tempo…
Enquanto isso os caras dale vender armas pro mundo todo, inclusive o F-35 que “todo mundo diz que é porcaria”…
Vai na padaria da esquina com Yean, Rublo ou Dolar pra ver qual vão aceitar !!!

Vou mandar uma lista de armamentos adquiridos só pela TURQUIA só pra você ter uma ideia do que um país compra de armas americanas

Talvez tu mude de ideia sobre os Americanos ou sobre o tal “colapso econômico” Americano

Nelson Junior

Se não der para ver te mando o link da matéria completa… Tem a tabela que postei no final

https://www.defensenews.com/global/europe/2022/06/06/turkey-seeks-to-repair-ties-with-western-procurement-club/

Maurício.

Se as forças armadas usam um helicóptero com MGB bichada e mesmo assim não reclamam então elas também tem culpa no cartório, vão desativar os Mi-35 Sabre, então que desativem os caracal também, simples assim.

Rodrigo Martins Ferreira

Reclamaram e bastante na Eurocopter…

Mas se eu entendi a lógica do Brigadeiro Baptista… Algumas Kombis em breve tb serão aposentadas.

Nascimento

Não reclamaram… Deve haver um lobby muito forte da Airbus nas tres forças pra manter helicópteros tão caros e em tão pouca quantidade. Apenas disseram que o custo é alto demais e vão trocar alguns Caracal por Esquilos. O problema é que o custo de operação do Caracal e Puma também são altíssimos, além do preço pago pelos Pantera ser similar aos Blackhawks e serem o dobro dos esquilo. Pq as forças não se prepararam pra isso desde o início? Mais valia nacionalizar o Esquilo e tentar partir pra um helicóptero médio derivado deste do que nacionalizar um helicóptero grande… Read more »

Rommelqe

Quem compraria?

Jadson Cabral

150 blackhawks… Quero ver dinheiro pra operar tudo isso

Nascimento

Não sei se a princesa leu mas no estudo do EB o custo de operação dos 32 EC725 da FAB e do EB valem pelo custo de operação de 64 Blackhawks…

Rodrigo Martins Ferreira

O 725 voa no Brasil, com as mesmas restrições do resto do mundo, com as mesmas inspeções regulares e frequentes. Se a FAB nega isto de público é por bobagem, mas eu nunca vi negarem…so n ficam o dia todo reclamando O Lobby certamente existe e é forte e existem contratos tb.. A troca já foi por outro motivo…Compraram Kombis acima do necessário… Por que eu falo que parte das Kombis serão as próximas a serem desativadas ? Pela lógica…esquadrões que utilizavam o Huey e foram trocados por Kombis, da mesma maneira que os esquadrões que usavam Esquilos e foram… Read more »

Nascimento

“Se a FAB nega isto de público é por bobagem” O dever das FAs é serem transparentes. Há dinheiro público envolvido, logo deve-se haver transparência, pagamos 5 meses de impostos pra isso. Não quero simplesmente uma nota afirmando a desativação mas sim um estudo CLARO como o EB fez mostrando por A e B o custo. Defiant/Valor acho demais pro EB, tem que avaliar os custos de operação (que devem ser mais altos) e o custo de aquisição. Nem os aliados dos EUA vão por esse caminho, também duvido os EUA permitir isso ao Brasil, não permitiram nem o Apache… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira

Velho.. o Brasil nunca comprou o Apache, pq custa o valor de um F16

Nem tanto com a escala de produção que eles terão a tendência é o valor descer.

Flanker

Nascimento, Rodrigo, Jadson e outros interessados, leiam o material, relativamente extenso, colocado no link abaixo. É de conhecimento público. E bem esclarecedor sobre o H225M nas FFAA brasileiras:

https://repositorio.esg.br/bitstream/123456789/931/1/BERNARDINO%20SANTANA%20JUNIOR%20-%20TCC%20CAED%202020.pdf

Oráculo

“Eu esperaria o desenrolar nos EUA de quem será o vencedor do novo transporte do US Army”.

Pode apostar que nossos militares estão de olho nisso.

Num curto prazo de tempo vai sobrar Black Hawk usado pra vender via FMS “a rodo”.

Jadson Cabral

Num curto prazo de tempo vc quer dizer daqui a 10 anos, quando os EUA não estarão mais usando a máquina e ela se tornará obsoleta e cara. Se os EUA pararem mesmo de operar o black hawk ele se torna obsoleto em no máximo 15 anos

Flanker

Para os EUA deixarem de operar o Black Hawk, de forma completa, no mínimo daqui uns 25/30 anos.

Jadson Cabral

Não acho que fizeram a troca porque compraram mais que o necessário não, pelo contrário. Há anos se fala aqui sobre o que ia acontecer com a Helibras e tudo o que investimos para fabricar esses helicópteros aqui depois que o contrato acabasse, porque aqui, como não é novidade para ninguém, os programas nunca têm continuidade e nunca encomendas mais lotes. Como um novo lote desses helicópteros, que são caríssimos, não ia sair mesmo e um outro contrato de uma outra aeronave mais barata tbm parecia impossível, embora precisemos bastante substituir vários modelos que operados há décadas, como os esquilos… Read more »

Maurício.

Então que desativem, é simples.

Rodrigo Martins Ferreira

Tudo tem o seu tempo…

Caio

Reclamam nada o caracal não para de.voar carregando figurinhas da nossa política.

Rodrigo Martins Ferreira

E voa com as mesmas restrições do resto do mundo..

Flanker

À partir de agora, vou colocar o trabalho abaixo, toda vez que defenderem o H225M nas FFAA brasileiras:

https://repositorio.esg.br/bitstream/123456789/931/1/BERNARDINO%20SANTANA%20JUNIOR%20-%20TCC%20CAED%202020.pdf

Maurício.

Não muda o fato das forças armadas terem culpa no cartório, tanto por aceitarem um helicóptero com problemas como por operarem e não reclamarem.

José de Souza

Meu Deus, esse trabalho não se sustenta em nenhuma pós-graduação no meio acadêmico sério. O cara vai pro Rio de Janeiro, com a família toda, por dois (ou quatro) anos, fica na Praia Vermelha morando de graça, sem dar expediente para escrever um trabalho medíocre desse? Vinte e sete páginas? Conclusão pueril?

Silvano

Se o Brasil, a FAB, o EB ou a MB tivessem comprado esse helicóptero você estaria aqui criticando, parceiro, estaria apontando mil defeitos, desde preço até tamanho. Todo mundo já sacou como as coisas funcionam nesta área de comentários. Tem método.

Rodrigo Martins Ferreira

Eu acho dificil encaixar um chinook no Brasil de hj….

Last edited 2 anos atrás by Rodrigo Martins Ferreira
Jagdverband#44

Mais um contrato faturado pelo tio sam, graças ao enxadrista putin.

Silvano

Não seria o contrário? um país que já foi bem equipado agora estar numa situação de penúria falimentar e com suas forças aramadas desmoralizadas perante a sociedade? Argentina é um país que regrediu, olhe o que foram e o que são, e bem ou mal, nossas forças armadas estão se modernizando, para ao menos manter suas capacidades. Eles vergonhosamente têm que pedir favores a outros países para levarem alguns dos seus militares em missões de submarino, seus pilotos nem se quer sabem o que é combate BVR, faz uns 10 anos que viajam o mundo em busco de um suposto… Read more »

EduardoSP

E a Argentina é o maior mercado para produtos industrializados brasileiros. Para o resto do mundo só exportamos soja, milho, minério, petróleo e carne de gado.

Last edited 2 anos atrás by EduardoSP
Welington S.

Se os argentinos quisessem mesmo ser equipados de forma tranquila e sem muitos problemas, sem sombra de dúvidas eles chegariam aqui no Brasil, fariam várias parcerias e muita coisa boa sairia para eles e para nós também, pois é certo de que haveria trocas de conhecimentos e desenvolvimentos de novos projetos militares para ambos os países. Mas, eles querem isso? Claro que não. É como você disse, o ranço argentino anti Brasil, é o que fala mais alto. E não só o Guarani esteve por lá, não. Se eu não me engano, anos atrás, alguma versão do EE, também esteve… Read more »

Jadson Cabral

É exatamente isso. No meio argentino o Guarani é chamado de pouca rodas. Já vi argentino dizer que a Embraer não fábrica avião pq não produz tudo, que o Brasil não desenvolve nada, que a gente só produz sob licença… é disso pra baixo. Eles têm inveja da gente e bem sabem, pq seu ego e soberba são tão grandes que os deixam cegos. Esses dias tava vendo comentários em um video argentino que fala de uma parceria com a gente para a produção e operação de 2 satélites de observação e monitoramento das águas e 90% dos comentários era… Read more »

Carlos Crispim

E o Brasil: Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Ramon

E não vamos ver grandes anúncios tão cedo, se entregarem todos os projetos que estão sendo executados vamos sair no lucro.

Jadson S. Cabral

Eu não sabia nem que essa coisa ainda era fabricada. Tá aí um helicóptero que traria uma boa capacidade de desdobramento ao EB. Melhor que aquela ideia de louco de operar shepard (deus que me perdoe, mas ô aviãozinho feio, feio). Uns 12 CH-47…

Rinaldo Nery

Sherpa. Esse é o nome correto.

Rodrigo Martins Ferreira

E o lance do Sherpa n foi pro saco ?

Kornet

Possivelmente graçad à FAB,até polícia penal já tem avião(um Caravan). Já a MB e o EB não podem,pq os brigadeiros não querem .
O engraçado é que a FAB tem barcos e lanchas ,e a MB não faz oposição.

JSilva

Esse helicópero na Amazônia cairia como uma luva.

Jadson Cabral

Foi nisso mesmo que eu pensei

Heinz

Era um dos meus sonhos, mas acho que o EB nunca vai adquirir um heli assim.

André Bueno

Lembro-me de uma revista Flap que trazia reportagem sobre o uso dos CH-47 na retirada de madeira da área onde seria o lago resultante da usina de Tucuruí.

André Bueno

Shepard:

  1. Shepard, Alan: piloto naval, piloto de testes, astronauta, escolhido no primeiro grupo, os Mercury Seven, primeiro americano no espaço em um voo sub orbital em 1961 tripulando a cápsula Mercury batizada de Friendship 7. Após um período fora do status de voo, foi liberado e comandou a missão Apollo 14, juntamente com Stuart Roosa [CMP] e Edgard Mitchell [LMP], à região de Fra Mauro Highlands, originalmente alvo da Apollo 13.
  2. New Shepard: foguete da Blue Origin que leva turistas em um voo sub orbital.
Last edited 2 anos atrás by André Bueno
Cansado

Me lembrou aquele comentarista que seguido aparecia por aqui enaltecendo as qualidades do “griSpen”.
E não adiantava corrigir.
Ele voltava e insistia no tal de griSpen kkkk

Jadson Cabral

Deve ter me confundido ou foi o corretor

Jadson S. Cabral

Primeiro que são vetores muito diferentes, segundo que o tal problema já foi resolvido há anos. Não vejo baixa disponibilidade desses vetores aqui não. Muito pelo contrário, vejo-os voando o tempo inteiro e quem os voa só rasga elogios.

Rodrigo Martins Ferreira

Você vê sempre voando…
É o mesmo aparelho ? Pq tem Kombi pra kct…
Quem voa a Kombi vai elogiar mesmo, pega a suíte de eletrônicos dela e compara com os outros modelos aqui do Brasil.. É muito mais moderna e torna a execução da missão bem mais fácil.

Flanker

Não, não foi resolvido. Leia o artigo que coloquei em um link acima. E o problema não é diretamente a disponibilidade. É a frequência das inspeções, que é muito maior do que deveria, e seus custos que, consequentemente, são maiores.

Jadson S. Cabral

Não para por aí não. A Argentina foi o primeiro país na America latina a usar aviões a jato, o primeiro a usar mísseis anti-navio, sempre tiveram um programa nuclear mais avançado do que a gente… o que mais me intriga é como eles regrediram. E o que me intriga mais ainda é como, ainda com todos os problemas, em pelo menos duas áreas bem específicas, eles continuam a frente da gente. No setor nuclear e de satélites. Os hermanos já construíram vários satélites de comunicação geoestacionários e de observação radar, como o ultimo desse tipo sendo um verdadeiro monstro,… Read more »

Luiz Guilherme

Tinham um English Electric Camberra.

Elias

As negativas do seu comentário , é mais político do que militar… para não falar noutra coisa que todos sabemos dos governos da época

Silvano

Brasil declarou guerra e lutou contra o nazi fascismo.
Argentina declarou guerra e perdeu contra um país europeu, plenamente democrático e cristão.

Ahhhh essa história….

JuggerBR

A quantidade de equipamentos projetados há décadas que seguem não só em uso, mas sendo vendidas novas só aumenta. Seria um apagão da engenharia em fabricar equipamentos novos? O custo destes novos projetos? A robustez e flexibilidade das velhas aeronaves?
A piada de primeiro de Abril deste site, onde a FAB teria adquirido DC-3/C-47 não é tão piada assim em muitos lugares mundo afora…

glasquis7

Só isso???

KKK

Os caras não estão pra brincadeira. Vislumbram uma ameaça e já correm pra se preparar em peso.

glasquis7

O que tem a ver isso aqui?

glasquis7
Jadson S. Cabral

Rico é assim mesmo, compra sem pena

glasquis7

Pior que dá uma inveja… KKK

Marcelo

4 desses no EB caíriam muito bem!

Jadson Cabral

Apenas 4 messe caso não faria muita diferença não, visto que no máximo teríamos 2 operando. Acho 12 um número interessante

Heinz

12 é muito pouco, olha o tamanho do país.
Eu comprava um pacote com uns 30.
Desdobrava principalmente na região norte, para abastecer os PEFs, e as brigadas de infantaria.
Ajudaria tbm a levar peças de artilharia em outras regiões, bem como pessoal e suprimentos.
Um excelente vetor.

Jadson Cabral

Sim, mas se formos falar mesmo de números ideais ou do que gostaríamos… digo 12 pq é um número que encaro como possível, financeiramente falando, e que daria para manter um número minimamente viável em operação.

Bardini

Pelo amor de deus…
Abastecer “PEF” com hora de voo de Chinook????
.
Bom. Se teria mais de U$ 2,0 bilhões sobrando para comprar 30 Chinooks zero bala, bancar um absurdo desses seria fácil.

Welington S.

Somente 4? Levando em consideração a dimensão territorial do Brasil, apenas 4, é praticamente nada, tendo em vista que, 2 estariam operando e 2 em stand-by, passando por manutenção e etc.

Adriano Madureira

Voltou a abrir a carteira?! Nada como uma ameaça militar para soltar grana para investimentos…

JSilva

Não vejo como concorrentes.

O CH-47 Chinook é um helicóptero pesado.
O EC725 Super Cougar é um helicóptero médio.
O UH-60 Blackhawk é um helicóptero leve.

Os três, na minha opinião, podem conviver harmonicamente com missões diferentes.

Eu vejo como concorrente do Super Cougar, o EH101, que é bem caro.

Flanker

O UH-60 não é, nem nunca foi, um helicóptero leve. Se ele é leve, o que sobra para um Esquilo ou H135?

JSilva

Eu me refiro a padrões militares,

Vejo o UH-60 mais para o UH-1 do que para o EC725… e o EC 725 mais para o EH101 do que para o UH-60.

Sobre o Esquilo e o H135, na minha opinião, são gambiarras, helicópteros civis atuando como militares.

Wellington Góes

O Biden está adorando o Olaf Schols. Nunca vi um Premier alemão tão obediente, depois da reunificação… Rsrs
Quanto ao helicóptero, bela máquina, ainda há espaço e necessidade, especialmente, no EB… E não é preciso se desfazer de Jaguar, é um complemento e tanto… O resto é papo de desinformado…

Jagdverband#44

Até porque a anterior nasceu e cresceu na Alemanha comunista, salvo engano.
Até russo acho que falava.

Jadson Cabral

Não só isso. Ainda é cientista

Wellington Góes

Valeu pelo material…

Flanker

De nada. Espero que esclareça muitas cabeças.

RDX

Como faz falta o Chinook na aviação do nosso exército. Com apenas 4 unidades já seria possível fazer muita coisa. Exemplos: operações especiais (é o único helicóptero capaz de pousar na água para lançar/recuperar botes e pousar de “bunda” para desembarcar tropas na cobertura de edificações); como guindaste transportando obuseiros 155mm e resgatando aeronaves acidentadas/abatidas (salvo engano, teve um Cougar do EB que ficou cerca de 1 mês “hangarado” no interior da selva após sofrer uma pane) e rendição de pelotões de fronteira (o US Army empregava o Chinook no Afeganistão para substituir pelotões).

Last edited 2 anos atrás by RDX
Alecs

“Substituição de velhos Sikorskys faz parte da farra de gastos depois que a Rússia invadiu a Ucrânia” Quando a mídia é parcial da pra ver de cara!

Oráculo

Essa linha de fábrica nunca mais vai fechar…

Venderam um lote pro Japão esses tempos.
Agora pra Alemanha.
]
Pelo jeito vai fazer 100 anos de operação fácil, fácil…

Cansado

Interessante fazer uma “conta de padaria” neste caso, com base no tamanho dos territórios (o do Brasil é aproximadamente 24x o território da Alemanha, que por sua vez é um pouquinho menor que o Estado do Mato Grosso do Sul) Então “se” o Brasil tivesse inimigos próximos das suas fronteiras e “se” resolvesse fazer o mesmo tipo de aquisição da Alemanha…teríamos de adquirir aproximadamente 1.440 Chinook’s. Para que serve esse raciocínio: nada além de permitir exercitar minha tdah rsrsrs Mas serve para que comparemos o que o povo alemão consegue fazer com uma área praticamente igual a do sexto Estado… Read more »

Fábio

Uma simples encomenda das forças armadas da Alemanha já é maior do que tudo o que temos de capacidades nesse vetor. Lamentável, frustrante…

Andre Luis da Fonseca

Olha ai o efeito colateral da invasao da Ucrania. Pais de economia pequena que invade os vizinhos acaba gerando essa reacao em paises muito maiores: aumento do gasto com defesa.