quarta-feira, julho 6, 2022

Gripen para o Brasil

LIVE – Futuro da FAB: o que o comandante da Aeronáutica contou à imprensa especializada em 23 de maio?

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Na segunda feira passada, 23 de maio, o comandante da Aeronáutica recebeu diversos importantes meios da imprensa brasileira especializada em aviação e defesa.

O brigadeiro Carlos Almeida Baptista Júnior desejava neste evento pessoalmente anunciar uma série de decisões pertinentes ao futuro da força que estavam se materializando neste momento. As informações fornecidas no evento repercutiram em diversas mídias na segunda-feira e nos dias seguintes. Para entender os detalhes que se ocultam por trás das grandes manchetes, o impacto e as causas de tudo isso que foi anunciado, Felipe Salles do Canal Base Militar Vídeo Magazine conversou com os jornalistas Roberto Caiafa, do canal Caiafa Master, e Fernando Valduga, do site CAVOK, que estavam lá fisicamente presentes ao evento. Edmundo Ubirantan da AERO Magazine também participou da live.

Alguns destaques do evento, debatidos na live

O comandante da Aeronáutica fez uma apresentação atualizando detalhadamente o status dos principais programas de reequipamento em curso, em especial os caças Saab Gripen E/F, os cargueiros-reabastecedores estratégicos Airbus KC-30 e o Embraer KC-390. O tema das entregas do primeiro lote de 36 caças F-39 Gripen para a Força Aérea Brasileira (FAB), tratativas de sua ampliação para 40 exemplares e de um novo lote de 26 aviões, assuntos muito comentados ontem aqui no Poder Aéreo, começa aproximadamente aos 23 minutos da live. 

Também foi debatida a intenção da FAB de que toda a montagem final dos 8 jatos Gripen F (biposto) seja feita na Suécia pela Saab, ao invés de metade lá e metade nas instalações da Embraer em Gavião Peixoto. As aeronaves com montagem e integração sob responsabilidade da Embraer, da encomenda da FAB (originariamente 15 aviões com essas etapas de produção realizadas no Brasil) passariam a ser apenas do tipo monoposto. Na imagem acima, as aeronaves Gripen F são as marcadas com círculos no cronograma físico atual.

Um tema interessante e geralmente pouco abordado foi o do desenvolvimento do míssil ar-ar A-Darter e as razões para não ter sido industrializado, devido à crise no desenvolvedor original, a Denel da África do Sul, o que é debatido na live a partir de 47 minutos. Ainda sobre mísseis, a aquisição do Meteor (BVR) é abordada a partir de 57 minutos. O comandante da Aeronáutica informou, no evento com os jornalistas do dia 23, de que um lote de mísseis Meteor já foi recebido e está armazenado no Brasil.

FAB_Press_Comando_AeronauticaIMG_3363-750x563.jpg

O debate sobre a possível redução da encomenda de 22 para 15 aeronaves KC-390, tema que movimentou várias discussões aqui no Poder Aéreo após repercussão da notícia dos jornais O Globo e site Infomoney, começa em 1h20 da live.  Segundo os debatedores, o tema da redução da encomenda para menos de 22 aviões foi abordado, na apresentação do comandante da Aeronáutica no café da manhã, apenas no momento de contextualizar a negociação que a FAB faz com a Embraer há meses sobre o tema, mas a apresentação do comandante mostrou apenas o que está acordado até o momento: 22 aeronaves KC-390 – numa tela onde há a observação de “possível renegociação para redimensionamento da frota”(o que pode ser interpretado tanto como redução quanto ampliação).

Porém, foi dito no evento com jornalistas que outra reunião acontecia naquele mesmo dia entre FAB e Embraer sobre o tema, o que pode ter sido a fonte do Globo e Infomoney, entre outras mídias que abordaram a possível redução. O assunto ainda não está totalmente esclarecido.

O brigadeiro ainda falou sobre o fim do programa STOUT que prometia um novo avião hibrido para substituir o veterano Bandeirante e também dos estudos para um “drone de ataque” a ser desenvolvido pela a Embraer.

Segundo o canal Base Militar Vídeo Magazine, uma nova live para debater os temas que não puderam ser abordados a tempo na de ontem (janela acima) será realizada com os mesmos convidados no próximo domingo às 21h. O comandante da Aeronáutica também foi convidado ao vivo para a futura live (ou para participar de uma subsequente conforme a disponibilidade).

- Advertisement -

91 Comments

Subscribe
Notify of
guest
91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
OSEIAS

Ótima live, ela não acabou, deve retorna no domingo com a presença do comandante da FAB.

BK117

Pelo o que lembro eles vão terminar essa live no domingo e convidar o comandante numa data posterior na próxima semana, não?

Felipe Salles

Exatamente! Terminamos nossa análise no Domingo às 21h e a live com o Comandante da Aeronáutica vira depois, mas ainda não tem data determinada. 👍👍👍

BK117

Ansioso para essas lives, conteúdo sempre excelente!

Sensato

Parabéns pela forma como assuntos tão relevantes foram debatidos, com profissionalismo e por pessoas que entendem do que estão falando. Seu canal é um dos raros que ainda vale assistir. Um oasis de lucidez num deserto de jornalistas palpiteiros e Youtubers oportunistas. São as melhores lives pra ouvir o Caiafa pois nas suas ele não surta rsrsrs.

Neto

Assistindo aqui…

Foxtrot

Infelizmente essa tal “impressa especializada” tem que ficar “passando pano” para conseguir certas “regalias” dos militares.
Já saí de dois sites de comentaristas porque não aceitaram a verdade.
Um que se diz sei lá o que master, outro que se diz especializado em blindados etc.
O pior que por ser um jornalista, desrespeitam o princípio básico da lei de imprensa, que é a liberdade de expressão.
E uma premissa básica do direito, que é o direito de resposta.
Deveriam ler Montesquieu, “Não concordo com o que diz, mas defenderei até a morte seu direito de dizer” !

Last edited 1 mês atrás by Foxtrot
José Carlos da Silva Peixoto

Me cortaram também !!!!

AK-130

Não compare o Salles, Blastos e o Caifa com “ixpexialistas” de meia tigela da mídia tradicional. Eles tem bem mais informações do que você, então o que te faz crer que eles “passam pano”? O dia que você realmente tiver fontes e contatos do meio pra poder falar alguma coisa, você vem aqui e fala. Do contrário, você é apenas mais um random falando randices por aí, um mero comentarista de blog cuja opinião, que como você mesmo diz, tem o direito de dizer, mas que possui um valor baixíssimo.

Foxtrot

E aí moderação?
Ficaremos assim né ?

Sensato

Ué. Ele não tem direito de dizer o que quiser? Por que tá chamando moderação?

Foxtrot

Porque tento responder ele, mas eles não deixam.
Sim ele tem direito de dizer, porém sem agredir ninguém.
Diferente do que eu quero dizer a ele .

Silvano

São todos autoritários. Tem um deles aí que criou um personagem de “anti yanki” que não consegue mais sair do próprio personagem. Suposto “nacionalista” e “soberanista”, auto proclamando safo em tudo, não aceita opinião contrária alguma, sem apoio algum na direita, caiu nos braços da esquerda. Um lunático.

humilde Observador

Famoso leitor de “Sun Tzu”.

humilde Observador

Um certo “Almirante-aviador”?

Luís Henrique

Já tive o desprazer de debater temas com o Caiafa em um fórum sobre defesa. Muitos, muitos anos atrás. Foi a pessoa mais arrogante que debati sobre defesa. Se achava o máximo, o supra sumo, superior aos mortais porque teve ou tinha experiências dentro de helicópteros, aeronaves, etc.
Espero que ele tenha mudado, mas esse apelido de Master não ajuda muito. Não tenho vontade nenhuma de ver suas opiniões.

Allan Lemos

Não mudou. O Caiafa é bem informado, mas é arrogante e não cansa de desrespeitar seus inscritos e os demais youtubers que assim como ele, tentam popularizar os temas militares no Brasil.

Fernando "Nunão" De Martini

Pessoal,

Pedimos para falarem de opiniões pessoais que tenham sobre editores de outros sites e canais nas próprias mídias em questão, não aqui. É mais justo com os mesmos. Senão acaba descambando a discussão.

Allan Lemos

Não tive intenção de ofender ou desrespeitar o citado, mas peço desculpas mesmo assim. Por favor, fique a vontade para apagar o comentário.

Flanker

Montesquieu??? Essa frase que tu citastes é atribuída a Voltaire, mas nem ele foi o autor da mesma. Em um livro de 1906 chamado The friends of Voltaire (“Os amigos de Voltaire” – tradução livre), publicado em Londres pela Smith, Elder & Co., a escritora Evelyn Beatrice Hall cunhou esta frase, em 1a pessoa, e entre aspas (talvez por isso a confusão e atribuição a Voltaire), para ilustrar os pensamentos e a filosofia de Voltaire.

Foxtrot

Obrigado pela correção Flanker.
Como sempre digo, a cada dia aprendemos coisas novas e ninguém é senhor da rasão.
Poderia jurar que era de Montesquieu!
Tai, aprendi uma nova !

Flanker

Valeu!

Neto

Vendo aqui o min ~25, estamos pagando pelo desenvolvimento do F SEM passar pelo perrengue de construi-la aqui.
.
ESTE perrengue seria o MAIOR GANHO para o desenvolvimento aeronautico aqui.
.
Claro que é UM componente do contrato, mas olho que perdemos.
.
No Brasil acreditava que um possível F39M seria desenvolvido a partir da experiência do F-39F.
.
Claro que montar os F39E aqui é bom.
.
Percebo que continuamos não perdendo a oportunidade de perder uma oportunidade.

Neto

O Caiafa esteve plantando a idéia do M346 como o LOW para FAB.
.
A idéia aqui no Brasil deve ser plantar número do F39E/F para ser o futuro LOW para o próxima aeronave de ataque.
.
To com o FSalles que uma central de treinamento no Brasil. E pego o gancho do Valduga e digo que uma escola internacional em NATAL voando A-29 faz sentido.
.
A viagem de visita à Leonardo, faz sentido nessa linha.

Neto

O crivo dual apresentado pelos Salles é imprtantíssimo: Desenvolvimento Industrial x Capacidade Operacional

Felipe Maia

Até agora não entendi se vai ou não ocorrer essa redução para 15 aeronaves.

Fernando "Nunão" De Martini

Minha interpretação é que se trata de um processo em negociação, Felipe. Pode ocorrer, pode não ocorrer.

SGT MAX WOLF FILHO

Tá mais pra que sim, infelizmente! Que comando temos hoje em dia o meu deus .

Camargoer.

Olá SGT. Acho que não dá para afirmar nada. Geralmente, a gente tende a ser mais pessimista (até como uma ferramenta psicológica para evitar decepções) mas é preciso lembrar que a FAB já fez um corte no número de aeronaves, que aliás era para ter sido de 50% e acabou sendo de 20%, chegando a assinar um novo acordo com a Embraer para 22 aeronaves. Em minha opinião, é muito estranho que duas partes cheguem a um acordo pensando em refazer o acordo depois. Por que então a FAB aceitou 22 ao invés de 20, por exemplo? Aliás, quando a… Read more »

Nilson

Sabemos que o limite para redução ou acréscimo unilateral no contrato público brasileiro é de 25%. Por isso, após a redução poderiam ter ficado 21 aeronaves, mas deve ter havido um motivo, algo financeiro, que obrigou a manter 22. A redução para 15 não é acobertada pela lei das licitações e contratos, provavelmente terá que ser judicial. A FAB deve estar estudando alternativas, a Embraer já deve estar estudando sua defesa. Uma forma de a FAB reduzir é simplesmente não pagar ou dizer que não vai pagar, aí a Embraer teria que bancar a construção e entrega, depois cobrar na… Read more »

Max

Buon gorno, da semplice osservatore esterno mi sembra che FAB abbia contribuito molto allo sviluppo del 390, anche generando un requisto per un numero di macchine superiore alle necessità per garantire il lancio del programma. Una volta avviato pare che quessti soldi vengano dirottati verso un numero superiore di F39. La trattativa con l’Italia sembra generata dal tentativo di trovare un compratore per il numero di macchine in eccesso rispetto al requisito reale ma incluse nel contratto minimo. In quest’ottica un accordo Gov to Gov consetirebbe di risolvere una richiesta di capacità di trasporto ITA con la sostituzione di in… Read more »

AK-130

Fato é que esse comandante da FAB aí já pode ganhar o apelido de “tesoura”. O sujeito só sabe cortar coisas importantes, além de fazer comentário depreciativos sobre a Embraer. Comparo-o com aquele comandante na animação da Embraer que disse “se precisarmos de aviões, que compremos do exterior”, que na animação, teve tom “vilanesco”. É a mesma coisa.É contraditório dizer que precisam fazer a FAB ser mais tecnológica ao mesmo tempo que abrem mão de programas altamente tecnológicos. Espero que esse corte não ocorra. Se falta dinheiro, que corram atrás, oras.

Camargoer.

Caro AK. O que mais me incomoda é cortar programas de desenvolvimento e de aquisição de novos meios, mas sem nunca implementar uma revisão dos quadros e da estrutura, essencialmente preservando a parte perdulária e ineficiente.

Fernando "Nunão" De Martini

“ além de fazer comentário depreciativos sobre a Embraer.”

Especificamente no evento tratado pela live que é tema desta matéria não há comentário depreciativo, segundo os que participaram do evento. Um deles, o Fernando Valduga, foi enfático ao dizer que o comandante da Aeronáutica elogiou muito o KC-390. É só assistir a partir de 1h20min.

Bardini

O Baptista deveria ser o próximo MD. Só isso…

Camargoer.

Caro Bardini. É um erro colocar um militar como ministro da defesa. O ministro é o representante do presidente dentro da estrutura militar. Ele presta conta ao presidente. A confusão é imaginar que o ministro é o representante dos militares dentro do gabinete da presidência. Não é. O representante mais alto dos militares é o comandante das forças. Por isso não faz sentido colocar um militar como ministro da defesa.

Flanker

Eu acho que tem que colocar alguém competente e com conhecimento do tema. Pouco importa se é militar, civil, marciano, etc…

Camargoer

Olá Flanker. O ministro representa o presidente. No congresso, ele negocia cervas e outras coisas em nome do presidente. Dentro da estrutura do ministério, o ministro é o interlocutor. Ouve as demandas e negocia dentro do gabinete com outros ministros. Colocar um militar como ministro da defesa inverte essa lógica. O conhecimento técnico cabe aos comandantes que levam ao ministro as demandas justificadas. Em caso de grave crise, o presidente tem no ministro um “firewall” que o preserva. Ministro é cargo político.

Fernando "Nunão" De Martini

“ No congresso, ele negocia cervas”

🍺🍺🍺🍺🍺

Desculpe a piada, mas acho que seu corretor não gosta de “verbas” e prefere “cervas”!!!

Calma que ainda é quinta-feira!

Camargoer.

Olá Nunão. Meu corretor fanfarrão tem um senso de humor diferenciado. Creio que está pedindo férias. Coisa de inteligência artificial,

Fernando "Nunão" De Martini

Fico pensando: será que inteligência artificial só aceita cerveja sem álcool e sem glúten?

Camargoer.

Olá Nunão. Inteligência Artificial odeia produtos orgânicos. Nunca usa açúcar pois prefere edulcorantes.

Flanker

Eu sei de tudo isso. Mas, observe que o ministro, quando militar, ele está ali “sem farda”. Inclusive, acredito que o atual ministro foi para a reserva ao assumir o MD. Habilidade de negociar, ouvir e falar, buscar o necessário e fazer intermediações, independente do sujeito ser civil ou militar.

Camargoer.

Olá Flanker. Infelizmente, no caso do MinDef faz diferença sim. O cargo máximo de um militar de carreira é o comando da força. Cabe a ele defender o interesse de sua instituição e buscar recursos de meios para cumprir a sua missão (assim como cabe ao Reitor de uma universidade levar as demandas para o ministro). O ministro serve como anteparo ao presidente. No caso do ministro da defesa, cabe a ele coordenar e negociar com os comandantes, buscando soluções de compromisso entre as três forças, demais ministérios e com o congresso. Em caso de impasse, o presidente pode atuar… Read more »

Flanker

Camargo, apesar de todo teu texto, tu esqueceu de colocar lá no começo, três palavrinhas: “Na minha opinião”. Respeito, mas é isso, tua opinião. Não é um dogma ou obrigação para que as coisas funcionem corretamente.

JSilva

Apesar de entender o comentário de Bardini, em relação à seriedade e pés no chão do comandante da Aeronáutica, gosto de ler pessoas que se atentam aos princípios, ao porquê de certas coisas. É o tipo de coisa que é totalmente negligenciada aqui no Brasil, temos a mania de sempre relativizar e criar argumentos para não respeitar os princípios e as regras.
Parabéns, Camargoer!

Last edited 1 mês atrás by JSilva
Camargoer.

Olá JSilva. Obrigado. Temer foi o primeiro a indicar um general como ministro da defesa (Silva e Luna). Naquele momento, comentei aqui na trilogia que ele cometia um erro (sem entrar na discussão do que o motivou a isso) apontando a contradição fundamental em colocar um general (ou brigadeiro ou almirante) como ministro da defesa, algo muito diferente do que seria indicar um militar da reserva para outros ministérios exatamente porque os ministros são representantes do presidente dentro da estrutura executiva do órgão. Nunca o contrário.

Juarez Martinez de Castro

X 2

MIGUEL

Dado o custo de operação do KC 390 , acho que 15 já tá de bom tamanho, 15 KC390 + 12 C295 = 27 Aeronaves de Cargas Modernas , 45 H225 + 27 H125 = 72 Helicopteros Modernos , 66 F39 Gripens + 84 EMB 314 Super Tucanos = 150 aviões de Combate Modernos, 2 A330 MRTT + 1 A319 CJ = 3 Aviões de Transporte VIP de primeira , acho que são forças que cambem no nosso bolso… é o diferencial mínimo para a FAB operar e cumprir as suas missões.

MAB

Correção. Os helicópteros serão repartidos entre a MB e FA. A FA, cabem 12 H125 e 15 H225 E os EMB 314 já não são unidades com pouco uso, pelo contrário. O Brasil é um país continental 15 KC-390 é um número baixo. Nunca existirão 15 aeronaves de prontidão. É uma pena. Acho que o fator previsibilidade no nosso país é pessimamente avaliado. Anos preparando a produção, treinando técnicos para depois fazer o famoso voo da galinha. Se já é sabido que num médio prazo, sempre teremos uma crise, porque já não contar este fato como uma variável e não… Read more »

Maurício Veiga

O A29 não é um avião de combate moderno, é um avião de ataque leve adaptado, vamos precisar de um lift para cobrir a lacuna deixada pelo AMX, O Gripen é muito caro para esta finalidade…

Flanker

O que a saída dos A-1/AMX tem a ver com um LIFT? Quando o AMX cumpriu missão de LIFT? E por que o Gripen é muito caro, quero dizer, para qual missão? LIFT? Nunca será usado para isso. Tanto o Gripen, como o A-1 e o F-5, todos em suas versões biplaces, fazem treinamento de conversão operacional, ou seja, adaptação àquele modelo específico de aeronave. Nenhum deles é LIFT!!

Sensato

O limite de 25% nos leva a um número de 21 unidades. Imagino, sem qualquer outra base além dessa lógica, que se houver redução é para esse número. Por outro lado, a Embraer não deve desconsiderar o fato de que a relação dela com a FAB também vale bastante pois entrou com dinheiro para desenvolvimento, requisitos operacionais e expertise técnico pra nortear o projeto, cessão de aeronave para demonstrações a potenciais compradores em ocasiões anteriores e na viagem atual ao Oriente Médio. Tem que ser uma parceria de ganha ganha mas creio que o comando da FAB e da Embraer… Read more »

Hilton

Ninguém comentou, foi apenas uma visita para conhecer ou existe alguma possibilidade da aquisição do Leonardo M-346? Seria interessante montar esquadrões com esse vetor como fizeram com o Xavante no passado.

Camargoer.

Caro HIlton. Pelo que entendi, foi uma visita. A FAB ainda precisa testar o seu programa de treinamento usando o T27 e depois o período no A29 antes de chegar ao F39. Nenhum piloto ainda foi formado por esse processo para dizer se funciona ou não. Para o F5M funcionava.

Neto

Outra coisa é a oportunidade de ofertar curso para estrangeiros em Natal nos moldes do Italiano.
.
Acredito que há oportunidade usando o A29 como aeronave de treinamento avançado.

Camargoer.

Ola Nilo. Pelo que sei, a FAB recebe vários oficiais para treinamento, mas a ideia de montar um programa integrado com as forças aéreas da América Latina seria show.

Hilton

Então vamos aguardar os próximos capítulos! Rsrsrs

Flanker

Eu prefiro acreditar nos 22 KC-390, pois é o que se tem de oficial até o momento. Se diminuírem para 15, oficialmente, aí eu concordarei. Até lá é apenas suposição e especulação. Na realidade, não vejo a FAB tendo condições de operar muito mais do que 15 KC-390. E ainda tem os supostos 66 F-39. Quanto vai sair esta brincadeira? Operar, e manter, 5 dúzias e meia de um caça de 4,5 geração e 15 (ou 22, pior ainda) transportes táticos médios e no estado da arte? Caro! Bem caro! Quem aqui acredita na conversa mole de que o F-39… Read more »

GFC_RJ

Bem… eu acho que está tudo bem c…ado. O problema maior não é a redução de 28 pra 22… Isso para mim é até razoável, não sendo a primeira, muito menos a última vez que vai acontecer… nem no Brasil, no mundo.  O problema maior é esse estica das entregas, que para mim é um grande “me engana que eu gosto”. O cronograma vai até 2034!  Conforme o Valduga levantou na live… Lá depois de 2030 esses motores ainda estarão em produção? Esses aviônicos ultra-master-blaster p…a das galáxias continuarão no estado da arte? Provavelmente não… Então como serão essas entregas… Read more »

Flanker

Quanto ao “esticar cronogramas”, concordo plenamente contigo. Quando os possíveis F-39 do segundo lote forem todos entregues, mantido o ritmo previsto no lote atual, já será 2032…10 anos depois da entrega dos primeiros (recebidos agora), que já terão 10 anos de uso. O problema maior é justamente este….o longo prazo para o recebimento….mais grave ainda no recebimento do KC-390, que tem o cronograma mais esticado ainda!

Rommelqe

Prezados Flanker e GFC : também ressalto a mesma preocupação quanto à excessiva postergação dos prazos de entrega, seja dos KC390 seja dos Gripens. Em termos econômicos e finaceiros isso representa, em valor presente, uma redução no faturamento que supera os 25% delimitados em lei. Sendo assim então pergunto: a) por que essa falácia representada pelos dispêndios enormes sob o título de ToT, se no primeiro instante do contrato já fazem com que as entidades privadas envolvidas (AKAER, EMBRAER, ELBIT, etc) sejam as primeiras vítimas? E o desemprego dos profissionais envolvidos (sem farda, é claro…), aqueles que efetivamente representam o… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Rommelqe, vou me intrometer no debate de vocês; No caso do KC-390, a decisão por postergar entregas é uma solução de compromisso para equilibrar duas coisas: a capacidade anual de pagamento (hoje, não a da época do contrato original) e a necessidade de manter a linha aberta e o pessoal trabalhando. A salvação para a cadência originalmente planejada ser retomada é conseguir mais contratos de exportação do avião. Não sei se lembram, mas foi praticamente o mesmo tipo de decisão que o MD francês tomou em acordo com a Dassault pra manter a produção do Rafale, nos anos seguintes à… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Fernando "Nunão" De Martini
GFC_RJ

Concordo em parte… Sim, a manutenção da linha de produção ativa por mais tempo é importante. O exemplo do Rafale é um paralelo interessante, mas ao meu ver ainda um pouco superficial. Esse estica está MUITO longo. Uma coisa é esticar de 2028 para 2030. Mas 2034?! Cadência de apenas 1 por ano?! Todo projeto de longo prazo tende a ter mais risco. O risco, que nem acho que é risco, mas praticamente uma certeza é que já lá por 2031 boa parte dos componentes estarão descontinuados ou desatualizados. Então tá na cara que vai dar m…! O que quero… Read more »

Bardini

Talvez poderiam sentar MD, FAB, MB e EMBRAER, para discutir o seguinte: . A FAB fica com 15 KC-390 até 2030. É o que vai ser possível manter e operar, não tem como se iludir, pensando em mais que isso. O valor dos 07 KC-390 restantes, se transforma em um programa para dar origem ao mítico “P-190”, para cobrir a baixa dos Orion, no começo da próxima década. Financiam desta forma, um novo produto para a EDS. . A MB acaba com o inútil VF-1… E o dinheiro que é anualmente jogado no lixo com esta unidade, é direcionado para… Read more »

Allan Lemos

A MB acaba com o inútil VF-1… E o dinheiro que é anualmente jogado no lixo com esta unidade

Duvido muito, irão alegar que isso faria a MB perder doutrina, o que é risível. O Brasil já a perdeu, desde a aquisição daquela sucata francesa.

Juarez Martinez de Castro

X 2

Rommelqe

Além de concordar com o Bardini, ainda acrescento uma dúvida: e os dois trackers ? Já foram recebidos? Por que foi mantido esse total desperdício?

Roberto Bozzo

Editores…

É possível disponibilizar o vídeo original do Comandante falando ?

Fernando "Nunão" De Martini

Roberto, que eu saiba não tem vídeo do comandante da Aeronáutica falando. Foi uma coletiva de imprensa na segunda-feira de manhã que virou assunto de uma live de jornalistas (metade deles presentes à coletiva com o brigadeiro) na terça à noite. O vídeo é da live, não da coletiva

Sensato

No canal do Caiafa tem trechos da fala do Baptista Jr mas não toda a apresentação. Na falta de algo mais completo é um bom começo.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, me mandaram o link agora a pouco. Só pra deixar claro: minha resposta ao Roberto (“que eu saiba não tem vídeo”) é de 15 horas atrás, e o vídeo no canal do Caiafa, onde ele postou áudio gravado da fala do comandante da Aeronáutica, foi postado depois, 9 horas atrás. Acabei de ver e ouvir. Não muda o que já foi falado e o que vem sendo noticiado há meses: o contrato no momento é de 22 KC-390. A FAB ainda pode reduzir unilateralmente para 21. Há negociações em andamento para, de comum acordo, reduzir para 15 e o… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira

Alguma vez a FAB chegou perto de operar 28 C130 ? Não! Era para viabilizar a produção ? Pode ser… A turma da <- junto com os positivistas são ótimos para ter idéias, projetos, etc.. Criar uma maneira sustentável de levá-los a frente, ai ja da muito trabalho e depois os próximos governos e comandantes se viram. Mas eu imagino o quanto de multas, de juros, fora o preço unitário deles que n devem ser baixos. Muito difícil a EMBRAER permitir estas renegociações sem multas ou algo que preserve a empresa do prejuízo Senão me engano o nro máximo foi… Read more »

Adriano Luchiari

Excelente comentário Rodrigo. A turma mais à esquerda geralmente é nacionalista, ufanista e xenófoba e das duas uma: ou é incompetente ou tem interesses escusos. Os verdadeiros patriotas são pragmáticos e pensam no melhor para o país.

Flanker

Rodrigo, quando ao C-130, o máximo que a FAB operou ao mesmo tempo foi de 23 aeronaves, mas por bem pouco tempo. Quando os 10 exemplares ex-AMI foram recebidos, a FAB possuía 8 exemplares da versão H (6 C e 2 KC) e 5 da versão E (estes 5 haviam passado por uma atualização alguns anos antes). Assim, somaram 23. Passados uns 2 anos, salvo engano, um destes C-130E foi perdido em acidente e os 4 restantes foram desativados, restando 18. Hoje, são 10 C-130H e 2 KC-130H. Alguns C serão desativados em breve, com o recebimento de unidades do… Read more »

Juarez Martinez de Castro

Andre, nunca conseguiu manter mais do que 12 operando.

Flanker

Oi, Juarez. Como tu tá, índio véio? Sim, isso mesmo. Tinha esses quantitativos, mas operando eram menos, mesmo. Por isso eu escrevi mais acima que 15 KC-390 será algo bem improvável da FAB conseguir manter e operar.

Rommelqe

Caros Juares e Flanker (André…): uma dúvida que tenho consiste em entender melhor como a frota de KC390 foi quantificada e o cronograma de fornecimento definido. Alguem superestimou a quantidade inicial? Foi lícito o critério utilizado? Independentemente de disponibilidade de recursos, estratégica e táticamente falando, qual seria a quantidade, ainda mantendo pés no chão (ou voando em céus azuis…) ideal? Entendo que grande parte da frota seria destinada a fins militares do exercito, seja apoiando os pelotões de fronteira, transportando veículos e mantimentos, lançando paraquedistas (todos do exercito, certo?). Com isso pergunto: o EB foi consultado quanto à sua parte… Read more »

Rih Monfort

Sobre os A
Darter…ficou sem resposta??

Fernando "Nunão" De Martini

Está na live, Rih. É só ir no tempo indicado no texto (47min), tá facinho de ver, são poucos minutos sobre esse assunto específico do A-Darter.

Satyricon

Esse cronograma de entregas beira o ridículo, com 23 aeronaves (64%) sendo entregues nos 2 últimos anos. Mantém-se uma cadência de 3 unidades por ano (uma a cada 4 meses), por 3 anos, que miraculosamente é multiplicada por 3 (quase uma por mês!) no ano seguinte.

É óbvio que não será cumprido.

Esse comandante deveria ter vergonha de apresentar algo assim à nação.

Flanker

Concordo. Contam com o ovo no fiofó da galinha lá em 2026/27. Conhecendo o Brasil, sabemos que isso é o pior que se pode fazer.

Rinaldo Nery

A trilogia não foi convidada?

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, fomos convidados. Mas não foi possível ir desta vez.

Rinaldo Nery

Que pena. Teríamos notícias de primeira mão. Minha humilde opinião é que o quantitativo de 22 KC-390 será mantido por obrigações contratuais.

Lucas Emanuel

Vai ter matéria do TH-BR / HX-BR?
Acho que é o único tema sem matéria no site

Last edited 1 mês atrás by Lucas Emanuel
Baschera

Boa Tarde. Há anos apenas acompanho…pouco palpito…desde que o nível médio das discussões das mídias de defesa caíram no abismo. Sobre os fatos narrados na live…condordo com todas as ações que o Comte. Baptista Júnior vem implementando. Chega de Força Aérea de desfile de 7 de Setembro. Chega de projeto futurista de “Braziu do futuro” pelo triplo do preço e metade da eficácia. Não temos orçamento para tudo. O que tem…tem que estar a altura e ser eficaz se for necessário usar. Única crítica que faço é o inchaço que vislumbro no número de pessoal das forças, basta comparar com… Read more »

Rommelqe

Ola Baschera, que bom te ouvir!
Uma dúvida que ninguem vai (poder) responder: os recursos alocados nestes programas, principalmente aqueles sob título de ToT, foram realmente aplicados com esta finalidade? E as tais de contrapartidas? No programa Gripen está muito claro e fisicamente inspecionável as instalações fabris, o nome dos profissionais que estão sendo agregados e outros dados que podem ser auditados. Seria o caso?

Baschera

Caro Rommelqe,
Você sabe que as forças são recalcitrantes em mostrar ou demonstrar exatamente onde e no quê foram aplicados os possíveis conhecimentos contratados nestas transferências de tecnologias e/ou conhecimentos. Mas confio na COPAC…
O que vejo com preocupação é o rodízio de profissionais técnicos que “absorvem” tais conhecimentos na prática, sejam nas FFAAs ou na iniciativa privada. Pagamos muito caro por ditas ToTs…e as vezes as perdemos no tempo….

Últimas Notícias

Base Aérea de Anápolis inaugura prédio do Primeiro Grupo de Defesa Aérea

O prédio simboliza um marco na operação do novo vetor da FAB, o F-39 Gripen A Base Aérea de Anápolis...
- Advertisement -
- Advertisement -