Depois de anos de especulações e boatos, finalmente está confirmado.

O primeiro J-10C para o Paquistão foi fotografado e, como esperado, está usando o motor chinês WS-10B Taihang.

Os militares do Paquistão tinham confirmado em janeiro de 2022 que estão adquirindo jatos de combate J-10 multifuncionais da China em resposta ao aumento da força aérea rival da Índia.

O J-10 é um caça a jato monomotor que está em uso pela Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) desde 2005.

Equipado com um avançado sistema aviônico e vários tipos de armas ar-ar, o caça desenvolvido na China tem capacidade de combate aéreo em alcance médio e aproximado e é capaz de atacar com precisão alvos terrestres e marítimos.

O F-16 chinês

O Chengdu J-10 ‘Vigorous Dragon’ é o caça multifuncional leve nativo da China, que é um equivalente aproximado do F-16 americano e do Saab Gripen.

O projeto apresenta uma configuração canard-delta aerodinamicamente instável para maior agilidade e foi aprimorado em ritmo acelerado desde sua introdução ao serviço como J-10A em 2004.

O J-10A apresentava um cockpit e aviônicos modernos, com pilones para transporte de um pod K/RKL700A ECM e K/JDC01A de designação de alvos e um pod designador a laser para auxiliar no lancamento de uma série de armas guiadas de precisão.

J-10A

Em 2008, no entanto, o J-10B havia substituído o J-10A em produção, apresentando uma série de melhorias, incluindo um novo radar PESA angular, datalink, sistemas de alerta de aproximação de mísseis (MAWS), um sensor IRST passivo montado no nariz e um novo design de entrada de ar supersônica do tipo DSI (divertless supersonic intake) que é mais leve e reduz significativamente a RCS frontal.

J-10B no Zhuhai Airshow 2016, com 4 mísseis BVR

O J-10B também apresentava um layout de cockpit aprimorado com três telas multifuncionais coloridas e uma tela maior, ajudando a melhorar a consciência situacional do piloto.

Por sua vez, o J-10B foi substituído em produção pelo J-10C em 2015. O J-10C possui um radar AESA e RWR, MAWS, comunicações por satélite (SATCOM) e datalinks aprimorados. No entanto, o motor padrão inicialmente era o AL-31F russo.

Todas as variantes do J-10 podem ser equipadas com até quatro mísseis guiados por radar PL-12/15 em pilones duplos, além de PL-10s para combates WVR.

Como tal, o J-10C dá à China um caça multifunção com baixo preço que pode competir em pé de igualdade com a oposição aérea de não quinta geração, pelo menos em termos técnicos.

Comparado a um Flanker, ele apresenta uma assinatura de radar e IR/visual relativamente pequena que é competitivo com a dos caças leves ocidentais modernos, como o F-16 ou o Gripen.

J-10C

Com um radar AESA, além de opções passivas que incluem um moderno IRST, suítes ESM/RWR/MAWS e integração de informações externas via datalinks, ele tem mais chances de competir com oponentes modernos em termos de consciência situacional.

Por outro lado, em comparação com um projeto bimotor maior como um Flanker, a família J-10 sofrerá em termos de alcance, desempenho em altitudes mais altas e principalmente penalidades de desempenho ao voar com combustível externo pesado e carregamento de armas.

O J-10C é comparável na maioria das métricas de desempenho com outros tipos multifunção de motor único oferecidos no mercado internacional, sendo significativamente mais barato de adquirir.

Desde 2019, uma variante de exportação designada J-10CE foi comercializada para clientes internacionais e parece provável que se prolifere durante a década de 2020, à medida que os estados que desejam caças baratos e eficazes, sem vínculos com governos ocidentais, procuram Pequim.

Com um radar AESA, mísseis PL-15 de longo alcance, cockpit moderno e visor montado em capacete, o J-10C e futuros derivados podem muito bem se tornar a principal ameaça de de combate aéreo aproximado para os estados ocidentais durante a década de 2020.

Fotos recentes do J-10C da PLAAF

* Com informações do Royal United Services Institute

Subscribe
Notify of
guest

72 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kornet

Vai que é tua ,Argentina.

Daniel Silva

Creio que eles vão de JF-17 mesmo, teoricamente mais barato para adquirir e manter.
Para que voa A-4, e mesmo assim mal, será uma evolução.

Marcos10

MB voa A-4.

Varg

Na cara não, chefe!

Jadson Cabral

“Ah, a marinha voa A-4”. Como se a defesa aérea do país estivesse nas mãos da MB, como se os A-4 fossem os únicos caças brasileiros… tô esperando alhuem explicar a nossa semelhança com a Argentina

Jodreski

Semelhança: nossos políticos são tão “bons” qtos os deles e nossa economia ruma os passos da Argentina! Senão mudarmos o curso um dia chegamos lá!

Antoniokings

Só que até nisso o Brasil está ficando para trás.

valor.globo.com/brasil/noticia/2022/02/11/brasil-pode-ficar-para-tras-com-busca-pela-china-de-novos-parceiros-comerciais-diz-livio-ribeiro.ghtml

Elias

Quanto mais longe da China melhor… só querem abertura para colacarem seus produtos… querem matéria prima como moeda de troca se seus produtos indústrializados… acorda !! Chinofilos….

Elias

Enquanto isso o parque industrial brasileiro afogado de impostos para maanter um estado gigante … por um estado mínimo neste pais

Almeida

Parque industrial brasileiro goza de variados e enormes incentivos fiscais, quem paga imposto alto aqui nesse país é o povo!

Rodrigo Martins Ferreira

É mesmo ? Eu sei o quanto eu pago de DARF por mês…

Max

Não é só A-4, temos F5 também !!!

Last edited 11 meses atrás by Max
Flanker

Mas, o A-4 Não é o único caça do Brasil, sendo que em breve teremos um 4,5G, muito superior ao JF-17, tanto em capacidades como em quantidade (mesmo com a quantidade pequeníssima de 36 unidades).

Jadson Cabral

Sim. E???

pangloss

Voa mesmo?

Fabio Araujo

O JF-17 é uma bom caça, dá para enfrentar boa parte dos caças da Índia, mas não tem como bater de frente com o Rafale, o J-10C veio para isso!

Flanker

Nem o J-10C bate de frente com o Rafale.

Heli

A questão é que quem dispara seus BVR primeiro tem mais chances, sendo assim seria um embate entre os Meteor x PL15. Pouco se sabe sobre o radar 1473H que equipa os J10 (não que os dados do RBE do Rafale não sejam classificados). Contudo, apesar de todos os avanços das versões F3ne F4, devido a área frontal da antena, o radar dos Rafales tem dimensões que comprometem um maior alcance. Destaco aqui que tanto JF17 quanto J10 são caças sub-armados, pois geralmente carregam apenas 2 misseis BVR e dois infra vermelhos para curto alcance. Devido ao formato e principalmente… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira

Se brincar os argentinos vão pegar um JF-17 versão de entrada…

Cipinha

JF-17 já será de bom tamanho para eles, até pq é o que a situação econômica permite. Quem sabe se um dia a situação melhoras não possam ir de J-10 ou até de algo melhor

Fish

Os chinas fazendo aquele financiamento generoso de alguns J-10C para os hermanos, cairiam muito bem para a FAA

Fabio Araujo

Os J10-C são mais caros que os JF-17, esta fora das condições atuais dos argentinos! Os JF-17 tem uma relação custo/benefício ideal para os hermanos!

Jodreski

Creio que nem fazendo um generoso financiamento aos Hermanos eles comprariam o J-10, além de mais caro de adquirir com certeza deve ser mais caro de manter, acredito que os JF-17 sejam mais adequados ao tango argentino.
Qto ao J-10 acredito que o Paquistão será o primeiro cliente estrangeiro do caça chines! Me corrijam se eu estiver errado!

Waldir

De Hermanos eles não tem nada.. pra mim se ficarem a pé tá excelente.. estão colhendo o que plantaram..

Varg

E os Mirage III do Paquistão? Quando serão retirados de serviço?

Acho que é a única força aérea do mundo a ainda usar os vetustos caças franceses.

A6MZero

Os JF-17 foram pensados justamente para substituir a frota de Mirage III, Mirage 5 e os J-7 mas a frota é ainda grande (por volta de 180 unidades em operação dos três vetores), um pedido de 50 novos JF-17 está em produção e se espera novas encomendas em números parecidos, além de algumas propostas iniciais de atualizar os modelos Block I e II para o padrão Block III.

Javiertzo

Penso que a franca usa mirage na África? Não sei qual versão

A6MZero

Mirage 2000 ainda segue em uso em diversas nações e também o Mirage F1 ainda tem alguns poucos utilizadores especialmente países africanos como Marrocos e Gabão.

Mas os mirage III e 5 só o Paquistão, claro há também utilizadores de modelos que foram baseados no mirage III que são o Atlas Cheetah (uma versão sul africana com algumas pequenas diferenças com o mirage III) e o IAI Kfir israelense que além de pequenas modificações em relação ao mirage 5 também recebeu um motorização diferente a turbina americana J79 bem mais potente que a Snecma Atar utilizada originalmente nos mirage.

A6MZero

Quanto a retirada total de serviço se espera que os Mirage III e os 5 operem ainda até o final da década de 20, sendo a substituição completa até 2030 (ou seja ainda tem uns bons anos de serviço ainda) isso se deve ao extensivo programa de modernização ao qual foram submetidos o Project ROSE, onde mais de 90% dos componentes da aeronave passaram por modernização ou retrofit, permitindo essa extensão da vida útil das células. Já os J-7 devem ser completamente substituídos até 2025, um ponto interessante é que os J-7 serão retirados primeiro mesmo ainda estando em operação… Read more »

Augusto

Como no Gripen E/F, vê-se que o radome na penúltima foto foi inclinado em função do IRST.

Jadson Cabral

Meu Deus… de novo esse negócio de radome torto kkkkkkkkkk aquilo era distorção na imagem, zé. O IRST não foi improvisado de última hora para que fosse necessário fazer alteração ali.

JT8D

Acho que isso já foi esclarecido e você está enganado

Leandro Costa

Jason, eu também mordi a língua. O nariz foi mesmo modificado por causa do IRST.

Funcionário da Petrobras

Não era distorção da foto como suspeitou de início.
De fato o radome dos Gripens de produção serão ligeiramente rebaixados.

Javiertzo

Su 29 bico baixo!

Flanker

Eu pensava como tu, mas alguns meses atrás foi informado pela própria FAB que o radome do Gripen de série foi modificado por conta do IRST. Procura que aqui no Aéreo tem matéria sobre isso.

Luis

O metido a sabichão se ferrou!
Vá estudar, zé, antes de ficar postando besteira aqui!

Andre

Grande parceria entre Paquistão e China. Se o Paquistão adquirir o J31, se e quando ele estiver disponível, vira o jogo sobre a Índia. “Comparado a um Flanker, ele apresenta uma assinatura de radar e IR/visual relativamente pequena” “Com um radar AESA, além de opções passivas que incluem um moderno IRST, suítes ESM/RWR/MAWS e integração de informações externas via datalinks, ele tem mais chances de competir com oponentes modernos em termos de consciência situacional.” A China já entendeu que o presente e o futuro dos aviões de combate estão na redução de assinatura de radar, nos sistemas eletrônicos e na… Read more »

A6MZero

Inicialmente o Paquistão não planeja adquirir um vetor de 5ª geração estrangeiro mas sim produzir um vetor próprio, o FGFA que foi anunciado em 2017, a intenção é de se produzir localmente utilizando as tecnologias e a expertise gerada com o JF-17, contudo a não está claro se o Paquistão terá os recursos técnicos para a empreitada podendo no futuro optar por um modelo similar ao JF-17 para a produção de um vetor 5g em parceira com outro país (possivelmente a China).

Andre

Até prq hoje, no mercado, de 5gen, tem apenas o f35.

Uma parceria para um 5gen sino-paquistanes, nos moldes da que foi feita para o jf17, traria um opção ao mercado e colocaria muita pressão na Índia.

Fabio Araujo

Com a Índia operando o Rafale os paquistaneses estavam precisando de algo mais poderoso!

Maurício.

Dos chineses é o meu preferido, mas eu acho a primeira versão mais bonita, com a entrada de ar mais retangular e o nariz mais curto, essa nova versão o nariz está meio caído, coloco mais fé nele do que num Tejas por exemplo.

pangloss

Concordo em tudo o que você escreveu acima.

pangloss

Duas interpretações possíveis:

1 – O Paquistão foi promovido a um nível superior de aliança com a China;

2 – O J-10 não é mais tão crucial para a defesa aérea da China.

Ou mesmo as duas possibilidades, cumuladas.

O que é certo: o J-10 é muito superior ao JF-17.

Nilton L Junior

Isso se chama parceria estratégica, além dos caças, transferência de tecnologia para a indústria bélica Paquistanesa.

Digo

o J-10C é um caça muito importante para a China sim, mas o Paquistão é um aliado muito importante contra a índia, desde 2018 assinou contratos para caças J-10C e JF-17, sistema anti-aereos HQ-9 e HQ-16, tanques VT-4, artilharia auto-propulsadas SH-15, submarinos nucleares e fragatas type 054A.

A china esta literalmente modernizando toda a força de combate do Paquistão.

Nilton L Junior

Muito provável que os Paquistaneses terão acesso a fabricação desse caça, permitindo que sua indústria de defesa se aprimore ainda mais e fortalecendo os acordos com a China, é clássico bom negócio.

Leonardo Bastos

É o famoso LAVI “orichinal”…

Maurício.

Leonardo, ele pode ter sido inspirado no lavi mas definitivamente ele não é um lavi.

Flanker

Claro que Não é um Lavi, mas é filho, descendente direto. Tem DNA israelense.

Maurício.

O DNA dele na verdade é de um F-16, no qual foi baseado o lavi.

Matheus

A IAI vendeu o projeto do Lavi para os Chineses depois que o governo Israelense escolheu o F-16 ao invés de desenvolver o Lavi.

Não deixe os defensores do “100 nacioanau” ver isso, ver o estado predileto deles escolher o estrangeiro ao invés do nacional vão dar um aneurisma nos velhinhos.

Leonardo Bastos

Nesse caso, acho que a incapacidade de produzir algo do tipo à época falou mais alto mesmo… rsrs

Satyricon

China, em breve, num aeródromo perto de vc!

Argentina é só o começo. Segue o jogo.

Sempre achei essa evolução do Lavi muito bonita

Thiago A.

Um pouco aqui, um pouco alí… E devagar o dragão ?? foi saciando sua sede conhecimento.

Almirante Jantão!

Lávi, cá copiei!

Last edited 11 meses atrás by Almirante Jantão!
Thiago A.

Kkkk boa !! Rs

Almirante Jantão!

FAB deveria licenciar algo assim para Embraer!? O que tem dentro e abaixo da entrada de ar? Radar solo?

Last edited 11 meses atrás by Almirante Jantão!
Javiertzo

E a cópia do Japão, f16?

Thiago A.

Já visse a lista de aeronaves produzidas pelos japoneses antes de 1945?
No pós-guerra obviamente a indústria bélica japonês sofreu severas limitações e sempre sob o olhar cauteloso dos EUA. Ficou por muito tempo estagnada devido a política pacifista, as restrições orçamentárias e de exportação. No obstante isso, hoje tem capacidades de sobra, superiores a países que nunca tiveram essas amarras e restrições.

Marcos Cooper

O Mitisubishi F.2 não é uma simples cópia do F-16,pesquise um pouco e ficará surpreso.

J-20

Não é uma simples cópia, mas é um F-16 Agile Falcon renomeado.
Para dar crédito aos japoneses, pelo menos esse foi um dos primeiros caças no mundo a usar radar AESA e tem materiais de muito melhor qualidade, se comparado aos F-16C/D produzidos pelos norte-americanos.

Javiertzo

O software do gripen da FAB aceita os mísseis PL ar/ar da China?

kahllil

Porque a Saab nao aproveitou a atualização do Gripen E e atualizou as entradas de ar dos motores? poderia melhorar e muito o arrasto e a assinatura radar

Leandro Costa

Reprojeto dessa monta tem custo altíssimo.

Dickson

Manda o curriculo la na Saab pô. Apresenta os estudos, observações, ensaios. Esses suecos um dia aprenderão.

Luiz Trindade

De qualquer forma galera ver um J-10C fora da China é de deixar o mercado de caças alvoraçado pelo menos para vê-lo em testes em seus respectivos países. A Argentina não terá o J-10C a não ser que a China queira provocar o Reino Unido (Uma ideia que já deve ter passado pela cabeça dos dirigentes da PCC) mas nossos hermanos iriam pagar como?!? o JF-17 já vai ser um parto difícil de pagamento que dirá o J-10!

Claudio QUADROS

Cadê nosso aviões?até agora veio um nem voa ,qua do outro vim serão aposentados pelo geito eu acho fab vai fica mesmo super tucanos . Ano vem vai outro governo vai corta quase todo orçamento. Geral do Brasil. Do geito tá até argentina receras seu novos pampa 3 agente nada.

Last edited 11 meses atrás by Claudio QUADROS
Wellington Rossi Kramer

Que tal aprender português?

Andreo Tomaz

O Paquistão só tem a ganhar com essa parceria com a China. Pelo que eu estou notando as Forças Armadas do Paquistão estão se desenvolvendo mais rápido do que o Brasil, mas não só isso, sua economia vai crescer mais rápido também, na medida ela recebe investimentos chineses e serve como principal corredor para escoar os produtos da China para o mar Arábico.

Andre

“estão se desenvolvendo mais rápido do que o Brasil”

Você tem acompanhado as notícias dos últimos 70 anos na região em que está o Paquistão?

As forças armadas deles são, há muito tempo, mais poderosas que as nossas. Mas eles precisam muito mais do que nós.

teno

bomba,bomba…!! , será que o Jair já acostumando, foi fechar uma defesa antiaérea e talvez mais alguns caças. existe algo de novo que não estamos sabendo.