sexta-feira, junho 24, 2022

Gripen para o Brasil

Folha: Força Aérea Brasileira compra novos mísseis e quer mais 30 caças Gripen

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Em matéria de hoje da Folha de São Paulo assinada por Igor Gielow, o Comandante da Aeronáutica Tenente Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Júnior, confirmou que a FAB busca adquirir um segundo lote de 30 caças Gripen.

“O planejamento baseado em capacidade nos leva hoje, pelas nossas hipóteses de emprego, a 66 aviões”, disse Baptista Junior.

“Como chegar nisso [os 66], temos discutidos, estamos em fase inicial. Tem uma intenção”, diz o brigadeiro, ciente das dificuldades orçamentárias inerentes à área militar —o contrato para a compra de cargueiros KC-390 da Embraer, por exemplo, está sendo renegociado e deverá contemplar talvez metade da encomenda original de 28 aviões.

Baptista Junior crê que o processo vá durar cerca de seis meses. Ele descartou os boatos no mercado de que a FAB teria interesse em outro vetor para sua aviação de combate, o americano com tecnologia furtiva F-35. “Isso é delírio”, disse.

Baptista Junior relativiza a preocupação com o fato de que este modelo do Gripen, a geração E/F, só foi comprado até agora pela FAB (36 aviões) e pela Suécia (60).

“É um avião muito off the shelf [inglês para ‘direto da prateleira’, no jargão que indica que seus componentes podem ser adquiridos em vários lugares]. Nós sofremos com o [avião de ataque ítalo-brasileiro] AMX, pois muitas coisas feitas para ele só existiam aqui e na Itália”, afirma.

“Eu acredito que vai ser um avião vitorioso, é até injusto chamá-lo de quarta geração, a arquitetura de software dele é algo incrível”, disse o militar, que concorda que “vamos ter de pagar para mantê-lo, fazer controle de obsolescência”.

Este é um risco inerente à opção “fazer” quando a FAB se viu entre “comprar ou fazer” ao escolher seu caça multimissão, que visa substituir os atuais F-5 e AMX. A vantagem é a capacitação industrial. “A ideia era que a Embraer pudesse fazer um avião de quinta geração. Hoje, não sei se fazendo isoladamente, difícil com esse custo, mas com parcerias”, diz.

A matéria também trata da aquisição dos mísseis ar-ar Meteor e IRIS-T.

Para ler a matéria completa no site da Folha, clique aqui.

- Advertisement -

325 Comments

Subscribe
Notify of
guest
325 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ferreras

Excelente notícia que estejam negociando mais 33, é menor que o planejado mas eu considerava improvável que passasse do primeiro lote.

Péssima notícia o corte para metade dos KC-390.

Não acho que o comandante deva afirmar que o F-35 é delírio, compreendo e concordo que não faz sentido adquirir agora mas ele poderia ter elogiado o caça e afirmado que não tinha pretensões no momento.

Apesar de todos os pesares a Aeronáutica é a força mais organizada das 3.

Henrique

F35 é delírio hoje e amanhã. Sem chance pro Brasil ter ele. Visitinha na Rússia garante isso e também a histórica falta de compromisso com os projetos das FA garante que não vai ter F35 aqui.

André Macedo

Comprar esse bicho só seria mais uma confirmação da falta de compromisso, com as falhas deles e o custo de manutenção ia ser uma bela rainha de hangar, mesmo que não estivéssemos na crise de hoje.

Denis

“[…]a histórica falta de compromisso com os projetos das FA[…]”

Falta de compromisso da FAB? Não delira, mano.

SteelWing

Doce ilusão, não acredito que as instituições tenham falta de compromisso. Podem ter alguns profissionais descompromissados, mas isto não é culpa da instituição. Em todos os âmbitos, seja em instituições militares do governo ou empresas privadas sempre existem profissionais descompromissados por diferentes motivos. Quanto ao F-35, se o vendedor se opõe a vender, os compradores deveriam buscar outras opções. Que pensamento de vira-latas, não poder nem visitar outro país com medo de retaliações do vendedor…

Sensato

De onde você tirou que os EUA se negariam a vender e, mais ainda, que a visita na Rússia faça qualquer diferença nisso?

Jadson S. Cabral

Alguma diferença faz. Vai ver se as conversas entre a Ucrânia e a Embraer sobre a possível aquisição do A-29 ainda estão acontecendo… o presidente poderia ter visitado a Rússia em qualquer momento, não não faria qualquer diferença. Mas justo agora??? Péssimo gesto! Não sabe o que é pragmatismo nem diplomacia. A imagem que fica é que, embora nossos diplomatas (muito competentes por sinal) estejam se esforçando para nos manter neutros e colocar panos quentes na situação, o presidente, como sempre aliás, está escolhendo um lado. Eu não quero nem imaginar ele abrindo a boca lá em Moscou se algum… Read more »

Sensato

Jadson, pra começo de conversa, não se tem certeza da agenda da visita e a viagem está marcada desde dezembro e as tensões já estão desescalando com a retirada de um contigente da região da fronteira. Antes disso até, nas entrelinhas das declarações diplomáticas, já se notava que a tensão tinha chegado no ponto ideal e agora começa a baixar. Nosso país faz parte dos Brics, junto com a Russia e outros dois parceiros com grande potecial (China e India). Temos um grande deficit a reduzir na balança comercial pois nosso comércio com a Russia é muito maior que com… Read more »

leonidas

O Brasil não teria o F 35 de uma forma ou de outra.
Os EUA não tem interesse algum em dotar militarmente qualquer nação do cone sul, exceto se ela passar por escrito a B$%¨# para o nome deles.
E sinceramente?
Ter equipamento norte americano nestes termos é o mesmo que nada, nações como o Brasil dado seu tamanho e potencial não tem escolha que não seja correr atrás para desenvolver um arsenal feito por aqui mesmo ainda que não seja top mas o suficiente para garantir o poder de dissuasão …

glasquis7

Já foi oferecido.

Camargoer.

Caro Leonidas, O Glasquis tem razão. Durante o processo FX2, os EUA ofereceram o F35 para a FAB, contudo sem a garantia do acesso ao código fonte (demanda da FAB) nem a participação de empresas brasileiras no programa (outra exigência da licitação). Provavelmente, o financiamento seria via FMS, o que também não teria qualquer tipo de compensação comercial (porque esse é o padrão do FMS). Isso implicaria o cancelamento do FX2. Na época, todos concordaram que o avião era excelente, mas as condições de aquisição inferiores ás oferecidas nos modelos que participavam do FX2.

Art

o Brasil não tem $$$$$ e AMEAÇA que justifique o $$$$ para ter F-35. Gripen cumpre a missão muito bem.

Hélio

Se a visita à Rússia faz com que seja delírio, talvez o checkmate acabe por não ser tão delírio assim. Quem sabe a visitinha à Rússia não acabe por colocar o Brasil no projeto?

Jadson S. Cabral

Meu deus kkkkkkk se o F-35, que com todos os problemas já é uma aeronave em operação em vários países e é ocidental já é um delírio… imagina um projeto russo… pessoal viaja mesmo.

Gerson

F-35 nunca…Mas tudo se normalizar, vão ser os 28 KC 130 e mais Gripen, Mais navios vindos da China e Helicópteros de Combate da Rússia! Tenha fé o homem esta voltando!

Slow

“ O comandante está errado em falar que o F-35 é delírio “

Certo está o comentarista aqui que provavelmente nunca nem entrou em um caça ..

Ferreras

Acredito que eu não tenha me expressado bem, estou comentando a forma de se dizer e não a ideia em si.

Não vou entrar no mérito se o F35 deve ser incorporado ou não, mas eu particularmente não acho prudente um comandante afirmar que possuir um armamento seria derilio (independente de ser ou não).

Slow

O termo “ delírio “ não é em relação ao caça ser bom ou ruim
provavelmente é por causa de preço ou qualquer outra coisa do tipo enfim ..

Leonardo Costa da Fonte

Não tenho a menor dúvida que é em relação ao preço. Não conseguimos nem sustentar uma frota velha de F5 e AMX, quem dirá F35. Isto é ilusão de quem não saber fazer contas… Acho que será muito difícil a FAB conseguir sustentar os 66 Gripen. Não tenho dúvidas que são necessários, mas é preciso fechar as contas.

Hellen

A FAB planejou comprar 70 Gripen para substituir os 50 f-5M e os 20 AMX-M .
Essa quantidade de jatos seria a quantidade mínima desejada pela FAB !!!!

Marcos Cooper

Tá! E quem vai substituir os Mirage????

Nemo

Não há mais Mirages na FAB há anos. As missões que eles cumpriam será assumida pelos Gripen.

Marcos Silva

Sério???? Puxa,que bom que vc disse isso….. Mas os Mlll foram substituídos pelos 2000C que deixaram uma lacuna de 12/16 caças. Ficou por isso mesmo?

Flanker

Que 50 F-5M? Que 20 A-1M? São 47 e 11, respectivamente.

Kit Carson

Que baixa quantidade de AMX!!!
Os não modernizados, ainda estão voando? Tens a info do total de AMX (M ou não)?

Valeu!

Flanker

Os A-1 não modernizados não voam mais desde novembro de 2019. São 11 A-1M aqui em Santa Maria, na Ala 4:
A-1AM 5500, 5504, 5506, 5510, 5520, 5523, 5525, 5526, 5527
A-1BM: 5652, 5654

Nemo

Também entendo que não tem nada a ver com a qualidade do avião e talvez, para o comandante usar a palavra delírio, nem com o preço. Ter 36 unidades de um vetor e depois comprar 30 de outro seria complicado em termos de logística e infraestrutura de apoio. Paraxquem tem pouco dinheiro e uma frota pequena melhor se concentrar em um único modelo.

Sensato

Delírio sim. Pelos custos envolvidos numa aquisição do tipo, pelos compromissos já assumidos com a Saab e Embraer.

Nonato

E F 35 não é delírio.
Entendo que ele quis dizer que delírio era o boato de que o Brasil estava avaliando a possibilidade de comprar o F 35.
Isso pode ficar mais para a frente, depois do segundo mandato de Bolsonaro…
Talvez na gestão Tarcísio.

João Fernando

Oloco o ácido bateu legal hein?

Chris

Vocês falando de F-35… FAB falando em 66 caças…

E eu ainda me perguntando cadê o 2o avião em pleno 2022 !

Jadson S. Cabral

Quando o comandante fala que F-35 no Brasil é delírio, eles está se referindo ao fato do F-35 ser caro, de ter uma manutenção caríssima, de ter um custo de operação caríssimo, de ainda ter uma série de problemas que ninguém sabe quando será resolvido e se acabará aumentando ainda mais o custo da aeronave… É de fato um delírio achar que uma força aérea com o orçamento da nossa, que levou 30 anos para conseguir substituir seus velhos F-5, que comprou um monte pequeno de 36 aeronaves de 4.5G e nem sabe se vai ter dinheiro para um segundo… Read more »

Allan Lemos

Argumentum ad verecudiam.

Nonato

Slow, você pegou pesado. A maioria de nós não é piloto mas pode dar sua opinião. Talvez ele tenha chamado de delírio as notícias de que o Brasil estava pensando em comprar o F 35. Nenhuma arma para o Brasil seria “delírio “. Somos um dos maiores paises do mundo. Ter submarino nuclear, caça de quinta geração, defesa antimisseis (ora, países menores tipo Arabia saudita, emirados Árabes têm armas mais modernas do que as nossas…) está plenamente dentro das nossas capacidades… Temos problemas de orçamento mas que, se o país decidir, podermos ter praticamente qualquer armamento. O meteor é um… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Nonato
Slow

Sim , peguei pesado não tive a intenção de ser ignorante e aqui vai meu pedido de desculpa pro Ferreras

Chris

Certamente disse isso pelos custos de manutenção.

A FAB quis ate o caça mais simples, por este motivo.

Allan Lemos

Não acho que o comandante deva afirmar que o F-35 é delírio

Os oficiais brasileiros sempre tiveram pensamento pequeno e falta de ambição. Isso não é novidade, acho que foi o Guido Mantega que falou que o F-35 era “muito para o Brasil”, sendo que países com orçamento menor do que o nosso já o operam.

João Adaime

Caro Allan
Foi o Nelson Jobim, quando ministro da Defesa entre os anos de 2007 a 2011. Ele falou isso em março de 2008.
O argumento do ministro era que, além de caro, os norte-americanos não transferem tecnologia. Em vista disso, o custo/benefício não interessa ao Brasil.
“Um avião com alto grau de sofisticação, muito acima de nossas necessidades”.
Abraço

Slow

Não falou nenhuma mentira

Allan Lemos

Obrigado pela correção, não sei como fui confundir o ministro da fazenda com o da defesa.

Cristiano.GR

Brasileiro tem memória curta.

Rinaldo Nery

Guido Mantega NUNCA falou isso. Nem sabe o que é F-35.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Concordo também…, acho que o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira…, são mais pés no chão do que a Marinha Brasileira…, parece que eles fazem um planejamento a médio e longo prazo…, melhor do que a Marinha…

Acho que o excesso de contigente na Marinha e os altos gastos de manutenção de embarcações muito antigas…, minam os recursos da Marinha…

Flanker

Mais 33 Gripen? Não. Foi escrito no texto a quantidade de mais 30 aeronaves.

Wladi

Se o Comandante da FAB não está capacitado para opinar sobre o F-35, quem poderá fazê-lo?

Slow

Então né ??

horatio nelson

e agora quem poderá nos defender ?

leonidas

Mais 30 caças é o mínimo do mínimo dado o número de vetores que em tese esse caça deve substituir. Com mais 30 a Fab fica na mesma que é hoje (uma tragédia ainda assim rs) mas o ponto é que querer não é o mesmo que ter. Estava vendo um video ontem onde se gastou em 10 anos 9 bilhões de reais no Metrô Carioca (naquela farra de copa do mundo) para no fim a linha ainda possuir estação fantasma e estar longe do que seria considerado ideal. Isso nos mostra (mais o fundo eleitoral e outros detalhes) que… Read more »

Last edited 4 meses atrás by leonidas
Cristiano.GR

Eu sempre digo que dinheiro tem, mas no caminho entre o recolhimento e o montante que o executivo pode usar, existe muito funcionário público de alto escalão que já conhece os mecanismos e como burlá-los e fazerem os desvios que fazem independente do partido que estiver no governo, pois esses funcionários são estáveis. Além disso nosso Legislativo e o Judiciário são muito caros, e cheio de ladrões. Todos sabemos, mas o que poucos sabem é que essas autoridades são muito mais caras para nós que seus pares em países ricos como EUA ou Reino Unido. Só com o dinheiro destinado… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Cristiano.GR
Alaor

Comprar hornets de segunda mão que operaram em porta aviões é pior do que comprar um Marea de piloto de corrida

Guilherme

Concordo. O absurdo fora da realidade desse fundo de R$ 5 Bi que a corja de BSB aprovou para as eleições desse ano, poderia muito bem ser alocado em diversas frentes prioritárias, além das FFAA

João Adaime

Caro Leonidas
Concordo integralmente com o que você escreveu. Dinheiro existe. O problema é a qualidade do gasto. Sem uma queda da Bastilha esta situação jamais mudará. Estamos assim há 522 anos.
Só faço uma ressalva quanto à substituição das aeronaves. A troca não será uma por uma. Será na base do 3 X 1, uma vez que o potencial do Gripen é infinitamente superior ao F-5 e ao AMX.
É como substituir 3 kombis por uma jamanta.
Claro que uns 100 Gripens seria o ideal. Quem sabe um dia……
Abraço

leonidas

Sim, só uma revolução poderá quebrar este status quo que se mantem intocado desde o Brasil colônia. Aqui nossos primeiros e segundos estados (em uma alusão a realidade da França pré revolucionária) são o judiciário e o poder politico. Se não houver um rompimento na força contra estes dois estamentos, essa nação jamais irá evoluir. Lembrando que o poder judiciário é a ultima tela do video game quando a missão é derrotar o tal Sistema. Do mesmo jeito que só há combate ao crime quando primeiro vc combate a corrupção policial, só há combate a corrupção politica quando primeiro vc… Read more »

Carvalho2008

Entendo….só uma revolução….sei…uma revolução nossa, quebrando nossas leis, nossos marcos civilizatorios que nos distinguem da selvageria, por conta de nossos próprios atos e erros, de nos mesmos…. Sei….nos mesmos contra nossas próprias mas ações….tipo nada mais interessa, interessa apenas o que eu quero….sei… Porque não consigo ver ou imaginar um homem de bem ou civilizado, de princípios quebrando seus princípios e pegando uma clava em punho….??? Só imaginando alguém pegando a clava, aquele que justamente diz e repete: – Dane-se tudo!!! Erguendo sua clava contra tudo e todos que lhe discordarem…não vejo onde isto progrida para o bem, apenas a… Read more »

Nilo

Bom texto

leonidas

Acho que vc certamente nao compareceu a nenhuma aula de história na escola e se o fez não prestou atenção.
Essa visão do que vem a ser uma revolução é de uma rasidade estonteante.
Leia mais sobre o assunto e talvez você entenda que revoluções são algo inerente de tempos em tempos e de forma alguma pode ser sinônimo apenas de algo ruim…

JSilva

Perfeito

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

A única “revolução” aceitável é pelas urnas: aprender a votar e a cobrar dos políticos em quem vota, sem eleger pequenos deuses a cada 4 anos, fugindo dos “ismos”: lulismo, bolsonarismo, janguismo ou getulismo… Nenhum país desenvolvido do mundo chegou a este patamar cultuando políticos como se fossem deuses pagães.

Hellen

A FAB ja vai diminuir a quantidade de kc-390 (produto nacional ) comprado da Embraer para adquirir A-330 mrtt e agora vai comprar o f-35 e vai deixar de comprar o Gripen de fabricação nacional !!!!!!
No Brasil eu não duvido de nada !!!!

Chris

O Gripen ser feito aqui ou não… Não mudará nada, ele ainda será da SAAB.

Agora… Um futuro caça desenvolvido no país, ja é outra história.

Slow

O gripen ser feito aqui não muda nada ?

Não é possivel que eu estou lendo isso ..

Jean Jardino

Aprenda cabecao, Gripen eh Sueco, NAO eh brasileiro…..

Jadson S. Cabral

Ninguém disse que é brasileiro, mas ser montado aqui e com vários componentes produzidos pela industria nacional gera emprego e renda aqui. Isso faz muita diferença

Nilo

Quem propõe compra de F55 vive de insanidade juvenil. Certo o comandante da FAB na sua fala.
Brasileiro quando quer sabe dar bom dia a cavalo.

Nilo

F-35

João Augusto

“Apesar de todos os pesares a Aeronáutica é a força mais organizada das 3.”
Me pergunto se isso é mérito da FAB ou demérito das outras… Considerando que seja verdade.

Luis

…busca adquirir um segundo lote de 30 caças Gripen.

Mas isso já é do nosso conhecimento há muito tempo

Primeiro eu quero ver aqui os que já compramos
Quando vão chegar os quatro primeiros que já foram ” entregues” ?

Adriano AR

Será que esse atraso na entrega não foi um pedido da Força Aérea Sueca, pensando em manter os quatro Gripens E da FAB no país por um tempo a mais para qualquer eventualidade em relação ao problema Russia vs Ucrânia? Os Suecos são bastante precavidos e já deslocaram forças consideráveis para a ilha de Gotland…
Não faz sentido essa demora na entrega….

Renato

Claro.. Eu te vendo uma arma, mas não lhe entrego pois quem sabe eu mesmo posso precisar dela no futuro.
Obviamente você não vai se importa com isso né?
Que pensamento brilhante.. Ahaha

Hélio

O Chile fez isso com os Harpoon e teve gente aqui que defendeu.

Chris

Nem certificados eles ainda estão, imagine participarem de guerras !

Adriano AR

Não estão certificados, mas definitivamente não são incapazes. Muitos casos no passado, mas isso fica para outro dia…

José Carlos da Silva Peixoto

Cadê os quatro Grippens que iriam chegar no inicio de janeiro ?

Plinio Jr

Tenho reparado nisto, ao que parece mudaram o cronograma de entregas, o ano passado eram para ser 4 aeronaves, que são aquelas que aguardam embarque e estão falando em 1o. semestre, não mais em janeiro, para 2022 no cronograma estavam previstas a entrega de 07 aeronaves e o Brigadeiro disse que conta com a chegada de 06 aeronaves no total deste ano (que deve incluir as 4 que deveriam ser entregues o ano passado).

Pronoia

Demorou, demorou, demorou, demorou… mas enfim chegou… tem de chegar a 96!

Last edited 4 meses atrás by Pronoia
glasquis7

Apesar de tudo, 66 caças de primeira linha, representam uma frota considerável, bem maior do que qualquer outra na região.

Filipe Prestes

Com o encarecimento no preço de caças em geral, creio que as frotas na região tendem á encolher mesmo vide os casos da Argentina, Colômbia, Peru e Equador.

Jodreski

Se algum hermano ler o que vc escreveu acho que ele pula da ponte, encolher ainda mais a Força Aérea Argentina? É possível encolher o que praticamente já não existe mais?

Camargoer.

Olá Glasquis. Concordo. Na prática, a principal função da FAB é a defesa aérea. Considerando uma disponibilidade de 1/3, seriam 22 caças disponíveis que estarão equipados com Iris T e Meteor. Esse é o número mágico que a FAB precisa ter para uma emergência.

Red Pill - 红色药丸

1/3 é em tempos de paz, em guerra essa disponibilidade aumenta.

Rinaldo Nery

2/3, não 1/3.

glasquis7

1/3 de disponibilidade?

Cel. Até hoje não consigo entender como o pessoal faz essas contas e tira esses resultados.

Camargoer.

Olá Glasquis. Como expliquei, fiz uma consideração de um cenário bem pessimista (ficou bem claro a palavra “considerando” em meu comentário). A partir de um cenário pessimista, o resultado foi que a FAB teria praticamente dois esquadrões de caças disponíveis para a defesa aérea (cerca de 20 aparelhos). Eu poderia ter considerado 50% de disponibilidade ou mesmo fazer um cenário otimista (100% de disponibilidade). O ponto é que fazendo um cenário pessimista é possível ter um piso de desempenho. Se a disponibilidade for maior, ótimo. São 40 aviões para a defesa aérea.

Camargoer.

Olá Rinaldo. Obrigado pelo número real. Fiz uma suposição de um cenário bem pessimista (1/3 de disponibilidade, algo bem exagerado para uma frota nova) para visualizar qual seria o número de aviões disponíveis para a FAB manter uma cobertura de defesa área 24/7. 22 caças armados com Meteor e Iris-T é bem forte considerando o contexto do espaço aéreo da América Latina.

Rinaldo Nery

60% é uma disponibilidade bem factível pra qualquer Força Aérea. Qualquer modelo de aeronave. Tendo spares em prateleira, claro.

Camargoer.

Olá Rinaldo. Obrigado. Achei interessante que uma disponibilidade de 60% do primeiro lote significará uma força de 20 F39E/F com Iris e Meteor para emprego imediato na defesa aérea. Será uma força impressionante mesmo considerando (olha a palavra mágica de novo) apenas o primeiro lote.

Anderson

Mesmo tendo sobressalentes,essa disponibilidade ainda não se torna cíclica?

Rinaldo Nery

Não. Existe uma coisa chamada “diagonal de manutenção”.

Neto

Imagino que à época do número mágico de 108 Gripens leva-se em consideração a força relativamente nova da Venezuela.
.
Com a percepção dos graves problemas de manutenção lá ficando inferido, acredito que esse número de <72 aeronaves sejam suficientes.
.
3 unidades aéreas com 22 aeronaves, cada uma com uma esquadrilha de ~7 aeronaves disponiveis… É ok?
.
Uma no sul, uma em Manaus e outra em Brasília?
.
Falta algo em Natal.

Jadson S. Cabral

Tinha nada a ver com Venezuela. Na época o Brasil estava crescendo muito e acreditava-se que continuaríamos em ascensão e que o Brasil seria um potência. Coisa que não se concretizou, como todos presenciamos

Plinio Carvalho

Amigos esqueçam esse negocio de frota da região, nenhum país da América do Sul vai nos ameaçar no futuro próximo, os países que vivem nos criticando, querendo internacionalizar nosso território (Amazônia), vivem falando de nos impor sanções e talvez seja uma ameaça no futuro estão na Europa e nos Estados Unidos (quando os democratas estão no poder) e para esses países 66 caças é o equivalente a nada.

Last edited 4 meses atrás by Plinio Carvalho
Slow

Pois é , mas os capacho aqui adora esse povinho que vive falando da Amazônia e de sanções ..

Bruno Vinícius

Para estes países 200 caças são o equivalente a nada. Se as FAs brasileiras começarem a planejar uma luta contra moinhos de vento, não há dinheiro no país capaz de comprar e manter o material bélico necessário para essa empreitada.

Cristiano.GR

200 caças podem parecer nada, mas 20 ogivas bem escondidas que possam chegar na casa desses faladores já faz o mundo inteiro calar a boca e pensar bem antes de falar algo contra o Brasil.

Fernando Veiria

Como mandar essas ogivas bem escondidas para a casa dos faladores? Vai por correios ou por transportadora?

Porque outro meio o Brasil não tem.

Jadson S. Cabral

Os homens bombas defensores dessa insanidade amarram a ogiva na cabeça e vão correndo. Pessoal aqui tá acostumado a repetir asneira que ouviu por aí em canal nacionalista sem qualquer embasamento, sem saber quanto custa, sem saber as implicações práticas e políticas… preguiça de pensar

Bruno Vinícius

Mas daí o investimento precisaria ser em mísseis balísticos e SSBNs, não em caças.

Red Pill - 红色药丸

Bingo !

Jadson S. Cabral

Faz o mundo calar a boca??? E por que a Coreia do Norte continua sendo um párea do mundo??? Um país miserável cheio de sanções e que ninguém ser sentar para conversar se o assunto não for desnuclearização???
Muita inocência achar que armas nucleares vão acabar com todos os nossos problemas. De repente ter uma dúzia de ogivas vão fazer o mundo para de criticar a forma como estamos destruindo o meio ambiente e não vão nos ameaçar com sanções, né?

Renato

EXATAMENTE! Em letras garrafais mesmo!
Ótimo e importante termos equipamentos de ponta como caças, submarinos etc, mas contra os prováveis e principais inimigos externos (EUA & OTAN) em um futuro sombrio, nada disso impõe respeito.
O Brasil precisa é da BOMBA ATÔMICA a única arma que impõe respeito e fim de papo.

Last edited 4 meses atrás by Renato
MMerlin

O que impõem respeito é o país que investe no futuro, ou seja, educação desde a base e até níveis que trabalhem com P&D.

Renato

Obviamente educação é fundamental disso ninguém tem dúvida, mas em uma guerra o que conta é o poder militar.
Lacração sem sentido não ajuda em nada.

MMerlin

E a bomba atómica ajudaria…

Nascimento

Triplicamos o gasto em educação de 2000 até 2020 e pioramos em todos os indicadores internacionais… Errado é achar que se gasta pouco em educação. Segundo o relatório, o país investiu uma média de 5.5-6% do seu Produto Interno Bruto (PIB) na área de educação, uma porcentagem acima da média de 4,4% dos países da OCDE, sem contar que termos um PIB per capita abaixo da média da OCDE, ou seja, somos mais pobres e gastamos mais porcentagem do PIB com educação. Peru e Chile gastam menos em educação do que o Brasil. E eles alcançam as melhores notas. Os… Read more »

MMerlin

O sistema educacional brasileiro precisa ser reformulado.
O MEC precisa ser reestruturado.
O ensino público precisa implementar controles de qualidade e resultados, principalmente dos docentes, mais eficientes.
Concordo que o país investe em educação mais do que países emergentes que se destacam na área como Japão (3%) e China (4%), mas onde este valor é investido e o retorno obtido é outros quinhentos.

wilson

Sim, tem que reformular
Junto com o poder judiciário e as forças armadas.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

O Brasil é o país onde os jovens vão para a escola namorar, comentar o BBB do dia anterior e atormentar professores quase ao nível da tortura psicológica. Nossa escolas, incluindo as particulares, não são capazes de ensinar NADA sem colocar ideologia no meio, seja ela o coitadismo ou o elitismo, o socialismo de botequim ou o capitalismo de donos de jet-sky. Converse com um jovem de 15 anos: a maioria deles não sabe NADA sobre instituições, NADA sobre direitos individuais, NADA sobre obrigações de um cidadão. Não conseguem discorrer sobre assunto NENHUM que não sejam futilidades de redes sociais… Read more »

Renato

Pois é Nascimento,
Você explica uma vez o sujeito não entende..
Explica novamente com um linguajar beirando uma explicação para criança e ainda assim a pessoa não entende..
O melhor a fazer é deixar de lado, é como dizem alguns “No Brasil a ignorância é uma virtude”
As vezes eu até começo a acreditar nisso.
A pessoa solta umas frases de efeito aleatórias e se julga dono da razão, é de dar pena.

Last edited 4 meses atrás by Renato
Almeida

Aí quando você quiser comprar o seu PS5 e não puder por causa das sanções econômicas, você vai entender a besteira que escreveu. Eu não quero morar no Irã ou na Coréia do Norte!

Renato

Aí quando os EUA juntamente com a OTAN estiverem usurpando a soberania da Amazônia em troca da agenda globalista do clima, você fica aí jogando seu PS5 e lembrando da besteira que escreveu.
O que eu não quero é que o Brasil perca sua soberania, mas se pra você está tudo certo e todo mundo é amiguinho, parabéns..

Jadson S. Cabral

Tô vendo como o mundo respeita a Coreia do Norte. Olha que incrível!

Renato

Você não vai ver os EUA invadindo e pilhando tudo lá na Coréia do Norte como fizeram com Iraque, Líbia, Vietnã, Síria, Afeganistão..

Tá bom ou precisa desenhar?
Aliás, esquece.. Com essa mentalidade sua, nem desenhando.

Jadson S. Cabral

E por que os EUA invadiram todos esses países mesmo? Qual o contexto? O que nós, com nossos problemas, temos de semelhança com eles? Por que a Coreia do Norte é um párea mundial mesmo? Sério, você tem uma chance.
Você quer me dizer então que os EUA vão invadir e pilhar todos os países que não têm bomba nuclear???
Tô vendo a sua mentalidade superior… pensamento extremamente vazio, argumentos de massa e sem qualquer embasamento

Renato

“E por que os EUA invadiram todos esses países mesmo? Qual o contexto?” . Porque eles são seres superiores iluminados por Deus e estão nessa terra apenas para fazer o bem, levar a liberdade, seus costumes e ideais perfeitos. . Ficou feliz? Agora consegui satisfazer sua paixão pelo titio Sam? . “O que nós, com nossos problemas, temos de semelhança com eles?” Já ouviu falar em cobiça pela Amazônia? Não né.. Faz um Google aí.. Coloque “internacionalização da Amazônia” pesquise em inglês tb, só para começar. . “Você quer me dizer então que os EUA vão invadir e pilhar todos… Read more »

Cristiano.GR

Excelente seu comentário.

Concordo plenamente.

Podem espernear de bravos, mas a verdade é que Rússia e China nunca manifestaram as ofensas à nossa soberania que já feitas por europeus e democratas americanos.

Almeida

Como se os Republicanos também não o fizessem…

horatio nelson

e ainda vamos ter os f-5(ad eternum) por mais algum longo tempo rsrs

Pronoia

É que o territorio do Brasil é grande, precisa de uma boa frota defensiva. Seria maior ainda se os ingleses não tivessem tomado o territorio de Pirara.

Talisson

Penso que os Gripens darão conta de algum vizinho que queira ser proxy de alguma potência. Mas contra potências só bomba nuclear e a respectiva capacidade de entrega. Todos sabemos que é caro e provavelmente já perdemos a hora. Mas é brabo ver brasileiros dizendo que não precisamos. Todos que tiveram a bomba e hoje são respeitados (temidos), partiram do entendimento de que embora carissimo e arriscado, quase impossível, era necessário. Mas enquanto a guerra hibrida comer solta pelo Brasil e direitistas acharam que potências ocidentais são nossas amigas protetoras e que esquerdistas acharem que não se deve gastar em… Read more »

OSEIAS

Tenho muita fé que após as eleições desse ano, seja quem vencer “tomara que o Brasil”, nossa economia possa se recuperar. Existe demanda reprimida no mundo e inclusive aqui mesmo. Se fizermos as reformas necessárias como exemplo a tributária e nossa economia se recuperar e avançar, possamos manter o pedido original de KC-390 e aumentar o numero de Gripens, assim como outros projetos militares. Tenho fé, muita fé.

Reginaldo

A economia em si nem precisaria melhorar, embora eu espero que sim… Basta repensar a estrutura militar, fazer as atualizações e ajustes necessários dentro das próprias FAs que já melhoraria bastante.

Allan Lemos

Espere sentado a economia melhorar.

Felipe Morais

Não tem orçamento pra pagar os 36 iniciais. Não tem orçamento para comprar mais 12, além dos 36. Nem pra mais 24. Nem pra mais 30. Ou seja. Vai ter que ter articulação com o tesouro e congresso. E aí entra minha questão. Já que vai ter que negociar, de qualquer jeito, pq não negociar com o quantitativo planejado? Pq não negociar o recurso extra pra 36? O desgaste e a chance de não conseguir é exatamente a mesma da negociação para os 30. Podem achar besteira mas todos sabemos a gigantesca indisposição dos poderes civis perante a demandas das… Read more »

Neto

Era hora da marinha juntar forças para um 30+6. . Precisamos de algum força ar mar. . Concordo com o colega florista que se haverá a rusga de negociar que entrem com o número 36. . Sendo na marinha a mesma.aeronave da FAB, geramos economia na manutenção e as doutrinas estudadas e homologadas em uma força pode ser migrada a outra. . Quando e se a marinha for atrás de sua aeronave naval, provavelmente para os substitutos do Bahia e do Atlântico, estas 6 aeronaves podem ser migradas para a FAB. . Não é uma aeronave naval, nem uma de… Read more »

Neto

Sendo estes da Marinha do tipo F, quando da reformulação aeronaval estas aeronaves ainda podem ser deslocadas para Natal, com outros Fs, passando a ser um esquadrilha de instrução de defesa no Nordeste levando a doutrina ar mar para uma centralidade no Atlantico.

Marcos Silva

esqueça isso de a mb comprar Gripen. É delirio!

Flanker

Tu leu a matéria sobre a fragata Constituição, lá no Poder Naval? Por favor, esqueçam essa história de Gripen, Hornet, ou qualquer outro caça desses pra MB!!!! A MB não tem navio!! Não tem nem perto do mínimo necessário e vocês ficam com delírios sobre caças?? Ora, por favor.. ..é sempre essa mesma conversa!!!

ZEUS

Pelos Deuses do Olimpo cara!! A dois dias vimos uma matéria sobre a incapacidade da mb em levar a cabo as manutenções em seus navios, muitos navegando na base do armengue, o Bahia com problema grave na propulsão, a incompetência na gestão das verbas não permitindo sequer manter os meios que tem num nivel mínimo de segurança operacional e este delírio sobre a mb comprar Gripen não cessa! Coisa de crianças que não enxergam a realidade e não medem as consequências de seus desejos irracionais! A mb não cumpre com seu papel, vai querer fazer o da FAB? Não querem… Read more »

José de Souza

“Jurasic Hawk” é quase tão bom quanto “Forevis-5”!

Renato

Minha humilde opinião..
Gripen é excelente para a FAB, mas se for para a MB operar um novo caça que seja para valer, e não um faz de conta como os A-4.
Tanto em quantidade quanto em qualidade.
Como muito provavelmente não teremos outro PA tão cedo, e sonhar ainda é 0800, eu iria de SU-34 em duas bases aeronavais, uma para o Norte/Nordeste outra para o Sul/Sudeste.

Last edited 4 meses atrás by Renato
Nemo

Para a missão aeronaval a partir do continente eu preferiria o Su-35 com maior alcance bélico. Eu só acho que seria complicado enfrentar o CAATSA do Império.

Chris

Como vcs viajam….

Nossos sistemas são ocidentais. Adquirir um russo… Seria ter que dobrar toda a infraestrutura necessária. De computadores a mísseis. Muito mais gastos.

Apenas por isso, os excluímos !

100nick-Elã

Essa é a desculpa. A realidade é que os EUA nos proíbem de comprar armas russas.

Renato

Então avise a FAB!
Há mais de 10 anos eles operam o Mil Mi 35 acreditando que ele é americano!

Neto

A MB já mantém uma base aérea, aviadores, pessoal de manutenção, já pagam manutenção e outras estruturas relacionadas a ter aviões. Aviões novos apesar de possuir hora voada mais cara, entregam mais possibilidade técnicas e possuirão maior disponibilidade inicial. . O custo do avião em si será extra ao orçamento do MD por definição. Então, o momento pode ser um facilitador. . Entendo que não é prioritário. E não é. Mas é a melhor oportunidade para uma aeronave nova. . 6 NPOc seriam muito mais bem vindos, claro. Mas aqui é papel. divagar faz parte do participar do Fórum. .… Read more »

wilson

Vai ser ser uma marinha composta de um submarino, algumas corvetas, rebatizadas de Fragatas e um Porta-helicópteros rebatizado de porta-aviões. Mas o soldo esta garantido.

Nemo

Concordo e dei positivo. Apesar de pessoalmente ser do time “do que pode ser” eu gosto de ler as opiniões do pessoal do “como deveria ser”.

Rafael Costa

É brincadeira uma coisa dessa, só pode. A MB não consegue manter a manutenção em dia dos seus navios, com muitos deles navegando na base da gambiarra, vide a situação do Bahia. No caso dos submarinos, a situação continua caótica, com a MB possuindo somente dois submarinos em operação para patrulhar uma imensidão de mar, e com os outros submarinos da Forsub encostados ou passando por infindáveis PMG, como é o caso do saudoso S-31 Tamoio. E, com toda esta penúria, ainda há o surgimento de pessoas para dizer que a MB precisa de Gripens, é o fim da picada… Read more »

Thom

Os 36 estão sendo pagos a longas parcelas. Há orçamento para um segundo lote sim. Creio que sua afirmação é errada, pois os projetos estratégicos como o Gripen é prioridade orçamentaria da FAB. Além disso se não me engano, o projeto do NG já tem dinheiro direcionado. Li isso ano passada aqui na trilogia.

Felipe Morais

Não há orçamento para segundo. O primeiro nem foi pago ainda. Será algo “extraordinário”. A FAB, dentro de sua dotação orçamentária própria, não possui recursos para o segundo lote. A FAB, dentro de sua própria dotação orçamentária, não possui recurso nem para os KC390. Tanto que reduziram. quase pela metade, a quantidade do projeto recentemente. Um tempo atrás, o Bardini, se não me engano, fez um ótimo comentário sobre a inadequação dos projetos das forças armadas em razão de seu orçamento. E é isso. Os projetos das forças armadas não cabem no orçamento. Essa é a realidade. A dotação para… Read more »

Marcos Silva

36+18…se muito! Já vimos esse filme. Depois,irão buscar um tampão qualquer na França ou no deserto. Esse é o jeito brasileiro de ser.

Thom

Acho e espero que não, pois o projeto foi muito caro com a transferência tecnológica.

Marcos Silva

É exatamente o caso do AMX repetindo-se bem diante dos nossos olhos.

Filipe Prestes

São 42 unidades a menos que o tal número mágico de 108, muito aventado em anos anteriores. Opino que deveriam manter o segundo lote com 36 aeronaves também. São apenas 6 a mais que podem fazer diferença entretanto, tendo em vista as dimensões do país o número reduzido, claramente insuficiente de Gripens que teremos. E afirmo isso, estimando que das 66 aeronaves citadas pelo comandante 33 voarão enquanto a outra metade estiver em solo para manutenção.

Agnelo

O número mágico de 108 Gripens estava pra FAB mais sonho do q a 2ª Esquadra pra MB e a 2ª Bda Art AAe e 2º Cmdo AvEx estava pro EB.

Aparentemente, realmente parece q a FAB precisa de mais caças, porém:
1) a FAB já voou mais de 66 caças supersônicos ao mesmo tempo?
2) com os drones, os AEW e a disponibilidade dos Gripen, ainda é necessário?
3) temos ameaças em toda a fronteira ao mesmo tempo, como a Rússia ou China, por exemplo?

Satyricon

Agnelo, eu concordo que nosso nível de ameaças vizinhas é baixo, mas estão se esquecendo de um detalhe: O Brasil está “se casando” com o Gripen, e isso é preocupante. Somente a Suécia e o Brasil optaram pelo NG. Portanto, não haverá, num futuro próximo, células disponíveis no mercado de usados, caso sejam necessários. Toda força aérea do mundo sofre atrito operacional, ou seja, acidentes acontecem. Esses números iniciais tendem a cair, ao longo dos anos. Lembremos do caso dos F-5F biplaces, raríssimos,cujo número chegou a ser apenas 3 unidades na FAB. Essa situação forçou a FAB a medidas drásticas,… Read more »

Agnelo

Essa, eu acredito, seja a maior preocupação da FAB.
É importante q mais países comprem o Gripen NG.
Mas é importante lembrar q o plano pro Gripen é utilizar muitas peças “comuns.”
Obviamente, não é simples, mas o quanto maior for a possibilidade de utilizar peças comuns, melhor.

Allan Lemos

temos ameaças em toda a fronteira ao mesmo tempo, como a Rússia ou China, por exemplo?

Tá, então a gente espera surgirem ameaças na fronteira para só então comprar mais caças? Que mentalidade tacanha.

Agnelo

Mentalidade tacanha??????????
É assim q vc faz compras pra sua casa????
Vc compra químio pra câncer, porque um dia pode ter????
Parabéns!!!!! Excelente!!!!!! Mantenha assim!!!! Vc vai longe!!!!

Rui

Seguindo seu “brilhante pensamento”..
.
Vc compra papel higiênico porque um dia pode precisar ou espera se cagar primeiro para depois comprar?
.
Fiz essa comparação tosca pois é a que mais se aproxima do seu pensamento de B***@..
.
Comparar prontidão de defesa de um país com compras de casa.. kkkk
.
Parabéns!!!!! Excelente!!!!!! Mantenha assim!!!! Vc vai longe!!!!

Last edited 4 meses atrás by Rui
Almeida

“O planejamento baseado em capacidade nos leva hoje, pelas nossas hipóteses de emprego, a 66 aviões”, disse Baptista Junior.

Ramon

A verdade que as FA’s já estão com o orçamento comprometido para essa década, acho que vai melhorar só com o fim das entregas já previstas por volta de 2030- 2035 , como guarani, lmv, Ia2, submarinos, kc 390, primeiro lote do gripe, os navios entre outos equipamentos, só assim as coisas podem melhorar, caso o dólar volta para a casa dos 3 reais o que eu acho improvável podem aparecer mais algumas coisas, pq esse dólar elevado atrapalham muito os planos das forças armadas, já que maioria das compras é feitas em dólar e o orçamento é em reais… Read more »

MMerlin

Ramon, acredito que o orçamento das FA está comprometido no sentido mais negativo da palavra, possivelmente sofrendo alguns reveses. O foco das próximas gestões, pelos próximos 10 anos (no mínimo) deverá ser a recuperação econômica, investindo em fomento e mantendo outros setores de modo sustentável. Alguns, principalmente quem não tem comércio, empresa ou indústria, acreditam que a economia está se recuperando. Está, mas lentamente (muito) e não condizente com as necessidades do país. E o maior problema (econômico) está começando a chegar. O início do pagamento das dívidas e renegociações. Sem fomento e novas negociações, muitas empresas, lojas e fábricas… Read more »

Bryan

Dizer que o Gripen é uma aeronave de quarta geração é um insulto, mas também não é possível afirmar que ela se trata de uma aeronave de quinta geração. Ficou claro que é uma aeronave intermediária entre as gerações. No entanto, fiquei com a impressão de que se pretente construir, a partir do Gripen, uma aeronave de quinta geração futuramente.

Edson

Quarta geração e meia.

Welington S.

O ex-diretor do COPAC, que cuidava do programa Gripen, disse sobre isso: ”A transferência de tecnologia para indústrias nacionais no âmbito do programa Gripen poderá dar condições suficientes para que futuramente o Brasil possa “almejar a possibilidade de desenvolver uma aeronave de quinta geração”. A declaração foi do Major-Brigadeiro Valter Borges Malta, presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), que coordena o projeto Gripen na Força Aérea Brasileira.” – ASAS

SteelWing

Isso sim é nacionalismo, querer o país se desenvolva, criar caças, submarinos, apesar dos sabotares baba-ovo de gringos, mas o pessoal acha que ser nacionalista é ir pra rua com a bandeira do brasil e camisa de futebol, com medo do comunismo kkk Sendo que quem realments sabota o Brasil não são os países comunistas, é melhor olhar pra cima!

Allan Lemos

futuramente o Brasil possa “almejar a possibilidade de desenvolver uma aeronave de quinta geração”.

Por volta de 2100, uma aeronave de quinta geração de tecnologia 100% nacional estará voando nos céus brasileiros.

Satyricon

Já há um programa de desenvolvimento de aeronave futura (6a geração), do qual a Saab, fabricante do Gripen, participa. É o programa Tempest, cujos sócios são UK, Itália e Suécia, todos países com os quais mantemos ótimas relações, temos um amplo histórico de cooperação militar (FCN, AMX e F-39) e não dão pitaco na Amazônia.
É um programa que o Brasil deveria se esforçar para participar, mesmo que (muito) minoritariamente.

wilson

Por esta notícia se conclui que os testes com o avião que esta no Brasil foram bem sucedidos e ele entrega o que foi propagandeado. Assim espero…

Edson

Um país continental como o Brasil precisa ter meios rápidos de defesa, essas aeronaves são imprescindíveis.

Marcos

Esqueceu de postar a parte mais interessante da entrevista do comandante

“Veja o caso do míssil hipersônico. Nós dividimos o projeto em subsistemas e testamos com sucesso a ignição em voo, que é crítica”

Erro ou ato involuntário? Alguém lembra da novela do MICLA-BR? A FAB escondeu tudo, até negou quando vazou aquela foto publicada pelo MD. Depois apresentou o projeto oficialmente.

EduardoSP

O jornalista está de parabéns. Matéria muito acima do padrão do que é publicado na grande imprensa sobre questões técnicas das forças armadas.
Chamo a atenção para a parte em que é dito que os 4 Gripens já entregues chegarão ao país “no primeiro semestre” e que a certificação militar demorará 6 meses.

Teropode

Esqueçam mais Gripens , nem se reduzirem a compra de kc390 para 8 unidades isto vai rolar , que preguiça comandante ….abra a janela do quartinho , tome um ar fresco e aproveite para. observar todo contexto econômico , político e de identidade nacional que vive o Brazil , será muita sorte se chegarem 36 aqui até 2040 ….

Mauro S

Muito boa a matéria. Quanto à postura da FAB, pelo menos vê-se um mínimo de racionalidade ao cortar unidades do KC-390 para aquisição de outro lote de Gripens. Não sei se o corte é suficiente ou se a decisão é acertada, mas pelo menos faz algum sentido e temos a perspectiva de uma defesa aérea moderna e funcional. Alô MB, se liga aí…

Last edited 4 meses atrás by Mauro S
V12 aero

Falando do porquê do A-darter não ter dado certo. “A fabricante brasileira, Mectron, havia surgido no “cluster” aeronáutico de São José dos Campos (SP) em 1991. Em 2007, foi turbinada com verbas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e, quatro anos depois, comprada pela Odebrecht Defesa, o braço militar da empreiteira. As dificuldades da empresa após ter seu papel nas falcatruas do petrolão dissecadas pela Operação Lava Jato desmontou a divisão bélica, que colocou ativos à venda. Parte do que era a Mectron sobrevive numa empresa chamada SIAAT. Os projetos abertos, o A-Darter (equivalente ao Iris-T) e… Read more »

Michel Lineker

Pouco adianta produzir aqui se vai ser apenas 66 unidades. Tivesse pago menos por jato e comprado mais se é que tem capacidade de operar mais que 66.
No fim não vejo tanta vantagem assim no que se pagou na TT visto que não produzimos motores, radar, munições para os mesmos.

Last edited 4 meses atrás by Michel Lineker
Mauro S

Mas dominar pelo menos uma parte do processo produtivo dá alguma independência em caso de conflito. Não adianta possuir muitas unidades se elas não estiverem em condições de voo em função de algum embargo.

Saldanha da Gama

Bom dia, esta é a minha preocupação…. Gastaram bilhões nos tots do Gripen e dos Subs e vão usar o conhecimento adquirido na constução de nossos futuros caças?

Michel Lineker

Sinceramente acredito que o futuro caça serão esses 66 pelos próximos 50 anos.
Não estou muito animado com essa notícia e nem com as coisas que estão acontecendo no mundo.
Parece que o Brasil não aprende nunca.

Saldanha da Gama

Bom dia MIchel! Penso o mesmo, duvido que virão mais que 66……Só muda o quadro se formos ameaçados e aí irão correr atrás do prejuízo. Depois da porteira aberta…….Minha indagação, será que vão desenvolver no médio prazo um caça nosso e produzindo para manter e aperfeiçoar a expertise adquirida, assim como na Marinha? Já que pagamos, vamos usar na fabricação, nem que seja 1 por ano, é caso de segurança nacional. Abraços

Michel Lineker

Caro Saldanha depois da palhaçada com o Millenium acredito que nunca irão desenvolver um caça nacional. E se for vai custar 1 bilhão de dólares cada visto que irão adquirir uma meia dúzia provavelmente.

Last edited 4 meses atrás by Michel Lineker
Adriano Luchiari

Comentei exatamente isso anos atrás. Gripens C/D de prateleira com radar AESA, mais unidades pelo mesmo valor desembolsado pelos NG e eles já estariam voando aqui há tempos…Vejam como a Hungria está bem servida com os C/D, renovaram o leasing e estão recebendo atualizações de software e armamentos.

Marcos Silva

Isso nunca iria acontecer no brasil. Nossa força aérea pobre tem que posar de rica pra causar inveja nas outras.

Michel Lineker

Era o mais lógico a se fazer.

MMerlin

O objetivo do ToT, como o Tenente Brigadeiro deixou claro, era a capacitação industrial nacional para produção, possivelmente em conjunto com outra nação, de um caça de quinta geração. Isto não significa que país vai “encabeçar” o projeto, mas ajuda a demonstrar que nossa indústria tem capacidade de participar. Este tipo de contrato também, permite aproximar também a FAB com outros fornecedores (além da SAAB), ajudando na criação do network do caça, possivelmente criando atalhos que facilitem a manutenção e evolução do caça. Vale a pena pagar pelo ToT? Depende de várias questões. Mas a principal delas é o quanto… Read more »

Michel Lineker

E por tudo o que já foi exposto você acha que valeu a pena pagar 5 bi de dólares por 3 dúzias apenas? Aliás quanto você acha que vai custar esses próximos 30?

MMerlin

Como dito, resta saber “…quanto o Estado e a FAB (ou qualquer outras das FA) pretendem investir para manter e dar continuidade no conhecimento adquirido.”.

Se analisarmos com base no PROSUB, o futuro preocupa.
Se analisarmos com base no programa Guarani, nem tanto.

TeoB

Olha eu sei que vão me crucificar mas enfim, minha opinião. O KC-390 foi um erro. é um avião fantástico. sob medida para a FAB, Mas… apesar de FAB ser a força mais pé no chão ao meu ver, ela poderia ter comprado aviões de transporte/cargas/revo de prateleira, até mesmo de fornecedores não convencionais visando o custo e que talvez já estariam todos entregues e em operação, e teria assim mais folego ($$) para o F-39 que é uma questão muito mais delicada, pois são tecnologias muito mais complexas e que são difíceis de ter acesso como estão tendo nessa… Read more »

Teropode

Legal ?, na sua opinião é melhor investir na indústria de prateleira do que na nacional , mas é bom lembrar que o leque de utilidades do KC390 é muito maior do que o do Grifo , além de também não ser tão passível de restrições de venda , tendo grande utilidade até para o mercado civil .

wilson

A grande questão é que a pesquisa/produção nacional em defesa tem algumas caracteristicas. Fazemos bem produtos de defesa que são estado de arte em tecnologias já bem conhecidas (avião a hélice como o A-29 ou foguetes de saturação como o sistema ASTROS) mas derrapamos na produção de tecnologias de vanguarda ou muito complexas (Míssies, torpedos, imageadores, sensores) então deve-se estudar caso-a-caso se vale a pena prateleira ou pesquisa. O KC-390 é um bom avião, mas a um custo bastante elevado para o Brasil (desenvolvimento + aquisição) , com a mesma grana ou menos poderiamos ter um mesmo número de C-130J… Read more »

Flanker

Depender de nações estrangeiras, iremos depender com KC-390, ou não…com F-39, ou não. Quantos itens críticos dessas aeronaves o Brasil produz aqui? Noa caso de uma rusga ou escaramuça com um país, digamos, desenvolvido…quem tem o risco de sofre um embargo nos motores, por exemplo? Se os EUA ou Alemanha ou Japão não quiserem, os KC-390 não recebem motores. O mesmo vale para os EUA quanto aos motores do Gripen.E por aí vai. É óbvio que desenvolver tecnologia, construir localmente, etc, tem enormes vantagens operacionais, estratégicas e econômicas. Mas, quando a coisa aperta de fato, sempre iremos depender de alguém,… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Flanker
Flanker

Ah, não é? Explique porque não. Por exemplo: O Brasil vai fabricar suprimentos, peças e componentes dos F414 dos Gripen? Vamos fabricar peças e componentes do radar italiano?

Flanker

Cara, desce do pedestal imaginário em que tu mesmo te colocou. Essa parte do meu comentário anterior: “É óbvio que desenvolver tecnologia, construir localmente, etc, tem enormes vantagens operacionais, estratégicas e econômicas”, tu não leu, não é? Claro que não leu, tua arrogância fala mais alto. Mas, se tu acha que não fabricarmos motor, radar e outras coisas, e mesmo assim, não estaremos sujeitos a embargos…bem, aí não há o que discutir…fica com tua “verdade”…

Flanker

Tergiversou e não respondeu. Teu argumento é atacar à mim…típico.

Flanker